Archive for 22 Junho, 2004

EURO 2004 – RESULTADOS E CLASSIFICAÇÕES

GRUPO A           Jg  V  E  D   G  Pt   Portugal-Grécia....1-2
1 Portugal   Portugal   3  2  -  1  4-2  6   Espanha-Rússia.....1-0
2 Grécia     Grécia   3  1  1  1  4-4  4   Grécia-Espanha.....1-1
3 Espanha    Espanha   3  1  1  1  2-2  4   Rússia-Portugal....0-2
4 Rússia     Rússia   3  1  -  2  2-4  3   Espanha-Portugal...0-1
                                        Rússia-Grécia......2-1

GRUPO B           Jg  V  E  D   G  Pt   Suíça-Croácia......0-0
1 França     França   3  2  1  -  7-4  7   França-Inglaterra..2-1
2 Inglaterra Inglaterra   3  2  -  1  8-4  6   Inglaterra-Suíça...3-0
3 Croácia    Croácia   3  -  2  1  4-6  2   Croácia-França.....2-2
4 Suíça      Suíça   3  -  1  2  1-6  1   Croácia-Inglaterra.2-4
                                        Suíça-França.......1-3

GRUPO C           Jg  V  E  D   G  Pt   Dinamarca-Itália...0-0
1 Suécia     Suécia   3  1  2  -  8-3  5   Suécia-Bulgária....5-0
2 Dinamarca  Dinamarca   3  1  2  -  4-2  5   Bulgária-Dinamarca.0-2
3 Itália     Itália   3  1  2  -  3-2  5   Itália-Suécia......1-1
4 Bulgária   Bulgária   3  -  -  3  1-9  -   Itália-Bulgária....2-1
                                        Dinamarca-Suécia...2-2

GRUPO D           Jg  V  E  D   G  Pt   Alemanha-Holanda...1-1
1 R. Checa   R. Checa   2  2  -  -  5-3  6   R. Checa-Letónia...2-1
2 Alemanha   Alemanha   2  -  2  -  1-1  2   Letónia-Alemanha...0-0
3 Holanda    Holanda   2  -  1  1  3-4  1   Holanda-R. Checa...2-3
4 Letónia    Letónia   2  -  1  1  1-2  1   Holanda-Letónia....
                                        Alemanha-R. Checa..

[1461]

22 Junho, 2004 at 10:15 pm 1 comentário

EURO 2004 – GRUPO C – 3ª JORNADA

ItáliaBulgária2-1

Uma Bulgária “sem nada a perder” (já tinha perdido “tudo” nos dois primeiros jogos…), entrou disposta a dificultar a tarefa da Itália, tendo Petrov, logo aos 12 minutos, “testado” Buffon; contudo, logo no minuto seguinte, seria Del Piero a falhar o golo “escandalosamente”.

A Itália apresentava natural maior pendor ofensivo, com a Bulgária a adoptar uma táctica de contra-ataque.

De forma ainda mais “desinibida”, a partir dos 20 minutos, com uma segunda oportunidade para os búlgaros, aos 29 minutos. Dois minutos mais tarde, seria Cassano a responder, com nova grande perdida para a Itália.

O jogo decorreria “morno”, até final da primeira parte, sem grandes ocasiões de perigo, até que, em cima da hora, surgia o penalty que daria o golo à Bulgária; adensava-se a surpresa em Guimarães.

Com tudo “contra si” (até o resultado no Estádio do Bessa…), os italianos entrariam na segunda parte dispostos a tudo tentar e, no preciso momento em que se iniciava a segunda parte do Dinamarca-Suécia (já com 2 minutos de jogo em Guimarães), a Itália chegava ao empate (apenas “à segunda”, o golo seria validado, depois de a bola ter já inicialmente embatido com estrondo na trave e caído sobre a linha de baliza).

A Itália continuava “a todo o gás” e Pirlo podia ter dado vantagem à sua equipa aos 53 minutos. Aos 61 minutos, terá ficado por assinalar um penalty a favor da Itália.

Não obstante, a Bulgária continuava a oferecer grande resistência. Aos 76 minutos, novo erro grave do árbitro, não assinalando uma grande penalidade para a Itália.

Aos 79 minutos, Zambrotta desperdiça mais uma oportunidade, numa partida que se transformara num jogo muito “sofrido”, com a Itália a começar a entrar em desespero, por não conseguir resolver as coisas a seu favor no encontro (mesmo quando a Dinamarca ganhava à Suécia, colocando virtualmente os italianos a um golo do apuramento).

Aos 84 minutos, Buffon fazia uma espectacular defesa, na sequência de um livre a favorecer a Bulgária… era apenas o adiar da eliminação que seria consumada daí a minutos com o empate da Suécia no Bessa. No minuto seguinte, seria Zdradkov a evitar o golo italiano, a cabeceamento de Nesta.

Entretanto, no Porto, a Suécia empatava, pouco depois o jogo terminava e a Itália estava eliminada. Os jogadores italianos não o saberiam ainda… Cassano faria ainda o golo de uma “amarga vitória”.

A finalizar, os italianos não se podem queixar de terceiros, mas apenas de si próprios, em particular de não terem sabido guardar a vitória frente à Suécia.

Itália Gianluigi Buffon, Christian Panucci, Alessandro Nesta, Marco Materazzi (82m – Marco Di Vaio), Gianluca Zambrotta, Stefano Fiore, Simone Perrotta (68m – Massimo Oddo), Andrea Pirlo, Bernardo Corradi (52m – Christian Vieri), Antonio Cassano, Alessandro Del Piero

Bulgária Zdravko Zdravkov, Daniel Borimirov, Zlatomir Zagorcic, Predrag Pazhin (63m – Kiril Kotev), Marian Hristov (79m – Velizar Dimitrov), Martin Petrov, Ilian Stoyanov, Milen Petkov, Zdravko Lazarov, Zoran Jankovic (45m – Valeri Bojinov), Dimitar Berbatov

0-1 – Martin Petrov – 45m (P)
1-1 – Perrotta – 48m
2-1- Cassano – 94m

“Melhor em campo” – Antonio Cassano

Amarelos – Marco Materazzi (45m); Martin Petrov (45m), Valeri Bojinov (49m), Ilian Stoyanov (65m) e Zdravko Lazarov (80m)

Árbitro – Valentin Ivanov (Rússia)

Estádio D. Afonso Henriques – Guimarães (19h45)


DinamarcaSuécia2-2

“O resultado inevitável”!…

Nota prévia (para que não subsista qualquer dúvida): acredito convictamente que não estarei a ser naif, pensando que o resultado do jogo foi perfeitamente natural – e não, como certamente reclamarão os italianos, decorrente de “acordos extra-desportivos”. Apenas quem não viu o jogo poderá insinuar tal ideia.

Como explicarei a seguir…

No pressuposto do favoritismo da Itália perante a Bulgária, quer a Dinamarca, quer a Suécia resolveram “tratar da sua vida” (cada um por si!), sem se preocupar com o que se passava em Guimarães.

Por outras palavras: convictos de que a Itália venceria a Bulgária (como viria a acontecer, in extremis), a Dinamarca e a Suécia sabiam que apenas podiam contar consigo próprias.

Ora, o que se verificava é que a Dinamarca entrava em “desvantagem” face à Suécia na classificação, pelo que, logicamente, nenhuma outra atitude podia tomar senão a de atacar, na procura do golo.

E foi precisamente o que fez, com duas oportunidades logo no primeiro quarto de hora. Consequência lógica da sua predisposição atacante, a Dinamarca chegaria mesmo ao golo, aos 28 minutos.

Esse golo passava a colocar a Suécia “à mercê” de um golo da Itália (que, repito, todos esperavam que viria a acontecer, mais cedo ou mais tarde). Qual a atitude natural perante este cenário? Obviamente, a Suécia, sentindo o perigo, reagiu, e, até final da primeira parte, conseguiria 8 cantos, vendo Sorensen negar-lhe o golo por duas vezes num só minuto (35).

A Suécia – aqui talvez de forma “matreira” – retardaria um pouco o início da segunda parte (o jogo só se reataria quando já decorriam 2 minutos em Guimarães).

E, no primeiro minuto (um minuto “alucinante”, também com a Itália a empatar), na conversão de um penalty, a Suécia chegava também ao empate, recolocando, nesse momento, a Itália a dois golos do apuramento (tal como estava desde que sofrera o golo da Bulgária).

Era já óbvia a conclusão que ambas as equipas iriam continuar a “jogar o jogo pelo jogo”, pelo menos até ao “2-2″… (o tal resultado que, automaticamente, qualificava as duas equipas, por lhes dar vantagem no desempate com a Itália).

Com o(s) golo(s) do empate (em ambos os campos), era a Dinamarca que passava a estar “à mercê” de um golo da Itália, pelo que lhe competia novamente ir à procura do golo.

Contudo, nesta fase, e ao contrário da primeira parte, seria a Suécia a ter melhor desempenho, beneficiando da sua situação de maior tranquilidade. Seria, assim, um pouco “contra-a-corrente” (mas sem “favores”!) que a Dinamarca chegaria ao 2-1, voltando a colocar a Suécia sob pressão (um golo da Itália significaria a eliminação dos suecos).

E, chegou a parecer “merecida” essa eliminação, porque a Suécia não mostrava então discernimento para chegar ao golo, com uma atitude algo passiva, de que aproveitou a Dinamarca para continuar a pressionar, em busca do 3-1 (que resolveria definitivamente o seu “problema”), o que poderia ter acontecido aos 69 minutos. Mais confiante (na prática, uma equipa mais poderosa), a Dinamarca foi sempre mais perigosa, adivinhando-se o golo.

Só que, aos 89 minutos (e estava a Itália ainda empatada! – já com 91 minutos de jogo em Guimarães), a Suécia chegava, de forma feliz, ao golo do empate.

A Dinamarca procedeu ao pontapé de recomeço, ensaiou uma jogada de ataque, mas, quando a Suécia conquistou a bola, o jogo “acabou”: no minuto final, os suecos limitaram-se a trocar a bola entre si, perto da sua área, sem que os dinamarqueses se interessassem por ela; obviamente, não era já altura de correr riscos.

O árbitro apitava para o final; ambas as equipas faziam a festa; a Itália (ainda empatada) estava eliminada; o golo de Guimarães já não “contaria” para nada em termos de apuramento…

Dinamarca Thomas Sorensen, Thomas Helveg, Martin Laursen, René Henriksen, Niclas Jensen (45m – Kasper Bogelund), Martin Jorgensen (57m – Dennis Rommedahl), Daniel Jensen (66m – Christian Poulsen), Jesper Gronkjaer, Jon Dahl Tomasson, Thomas Gravesen, Ebbe Sand

Suécia Andreas Isaksson, Mikael Nilsson, Olof Mellberg, Andreas Jakobsson, Fredrik Ljungberg, Erik Edman, Anders Andersson (81 m – Marcus Allbäck), Mattias Jonson, Kim Kallström (72m – Christian Wilhelmsson) Zlatan Ibrahimovic, Henrik Larsson

1-0 – Tomasson – 28m
1-1 – Larsson – 46m (P)
2-1 – Tomasson – 66m
2-2 – Jonson – 89m

“Melhor em campo” – Tomasson (Dinamarca)

Amarelos – Erik Edman (36m) e Kim Kallström (62m)

Árbitro – Markus Merk (Suíça)

Estádio do Bessa Séc. XXI – Porto (19h45)

[1460]

22 Junho, 2004 at 10:14 pm

"FESTA DO SOLSTÍCIO – CAUSA NOSSA"

Hoje à noite (22h), no Lux, comemoração de 6 meses do Causa Nossa, com atribuição de prémios “blogosféricos”:

“(1) Prémio à carreira bloguística: nomeados – António Granado (Ponto Média), J. Pacheco Pereira (Abrupto), Paulo Querido (O Vento lá Fora)

(2) Prémio à esquerda: nomeados – Barnabé, Blogue de Esquerda, País Relativo

(3) Prémio à direita: nomeados – Aviz, Blasfémias, Mar Salgado

(4) Prémio ao melhor blogger: nomeados – Daniel Oliveira (Barnabé), Pedro Mexia (ex-Dicionário do Diabo), “Roncinante” (O Jumento).”

[1459]

22 Junho, 2004 at 6:01 pm

BIBLIOTECA DO CONHECIMENTO ONLINE

Constitui sempre um motivo de satisfação poder divulgar iniciativas deste género.

A Biblioteca do Conhecimento Online “reune as principais editoras de revistas cientí­ficas internacionais de modo a oferecer um conjunto vasto de artigos cientí­ficos disponíveis on-line”.

…Isto, apesar de o acesso aos conteúdos disponibilizados na “b-on Biblioteca do Conhecimento Online” ser reservado aos utilizadores (todos aqueles que integrem os quadros da instituição aderente ou nela desenvolvam actividade, incluindo, nomeadamente, investigadores, docentes, estudantes, bolseiros e pessoal técnico).

[1458]

22 Junho, 2004 at 12:31 pm

"TRATADO CONSTITUCIONAL EUROPEU" (II)

A União Europeia deixará de ter “presidências semestrais rotativas”, ganhando duas novas figuras: a de “Presidente do Conselho Europeu” e a de “Ministro Europeu dos Negócios Estrangeiros”.

Para dar um “rosto” à União Europeia e garantir uma continuidade / consistência na aplicação das suas políticas, passará a ser eleito um Presidente do Conselho Europeu, por mandatos de dois anos e meio, renovável para um segundo mandato (não podendo acumular com cargos no seu país de origem), que terá a seu cargo a condução das cimeiras europeias, a “dinamização” dos trabalhos, assim como uma função de facilitar os “consensos e a coesão”, para além da representação externa da União.

A aprovação desta nova figura de “Presidente do Conselho Europeu” apenas se tornou possível depois de se garantir uma “limitação” de poderes que não coloque em causa a importância do papel do Presidente da Comissão (órgãos com equivalência, a nível nacional, ao de “Presidente da República” e de “Primeiro-Ministro”, respectivamente).

P. S. A propósito, a ler, o artigo de Vital Moreira, hoje no Público: “A Refundação da União Europeia“.

P. S. 2 – Novo agradecimento, ao Voz de Mim.

[1457]

22 Junho, 2004 at 8:52 am

“AVATARES DE UM DESEJO”

Completa hoje o seu 1º “aniversário” um dos melhores “blogues” portugueses de reflexão, o Avatares de um desejo, sempre “fiel” à sua sedução de primeiro dia por Laetitia Casta e por José Mourinho (compreende-se porquê, quando se vê uma escolha feita a este nível, o dos “melhores” de entre os que estão no topo).

Parabéns ao Bruno Sena Martins e votos de que continue por muito tempo a presentear-nos com os seus textos, tantas vezes “brilhantes” (podia citar com facilidade, uma boa “dúzia” deles, mas o melhor é ir mesmo “à fonte”).

P. S. Parabéns também ao Jorge Guimarães Silva pelo interessante blogue “A Rádio em Portugal“.

[1456]

22 Junho, 2004 at 12:33 am


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

  • RT @carmoafonso: o dia virá em q publicar capas assim arrasará quem o faz e não os visados. 11 hours ago
  • RT @RSolnado: De quem escolheu Roberto, do mesmo autor de Artur em vez de Oblak, chega... Helton, que ele quis dispensar, em vez de Odyssea… 11 hours ago
  • RT @bfarialopes: O Chega, por exemplo, conseguiu a proeza de em 12 horas votar três vezes de forma diferente a mesma norma do Novo Banco: A… 14 hours ago

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.