Posts tagged ‘Futebol’

Liga dos Campeões – 4ª Jornada – Resultados e Classificações

Grupo A
At. Madrid – Lokomotiv Moskva –
Bayern – RB Salzburg –

1º Bayern, 9; 2º At. Madrid, 4; 3º Lokomotiv Moskva, 2; 4º RB Salzburg, 1

Grupo B
B. M’Gladbach – Shakhtar Donetsk –
Inter – Real Madrid –

1º B. M’Gladbach, 5; 2º Real Madrid e Shakhtar Donetsk, 4; 4º Inter, 2

Grupo C
Marseille – FC Porto –
Olympiakos – Manchester City –

1º Manchester City, 9; 2º FC Porto, 6; 3º Olympiakos, 3; 4º Marseille, 0

Grupo D
Liverpool – Atalanta –
Ajax – Midtjylland –

1º Liverpool, 9; 2º Ajax e Atalanta, 4; 4º Midtjylland, 0

Grupo E
Krasnodar – Sevilla – 1-2
Rennes – Chelsea – 1-2

1º Chelsea e Sevilla, 10; 3º Rennes e Krasnodar, 1

Grupo F
B. Dortmund – Brugge – 3-0
Lazio – Zenit – 3-1

1º B. Dortmund, 9; 2º Lazio, 8; 3º Brugge, 4; 4º Zenit, 1

Grupo G
Juventus – Ferencváros – 2-1
D. Kyiv – Barcelona – 0-4

1º Barcelona, 12; 2º Juventus, 9; 3º D. Kyiv e Ferencváros, 1

Grupo H
Manchester United – Istanbul Başakşehir – 4-1
Paris St.-Germain – RB Leipzig – 1-0

1º Manchester United, 9; 2º Paris St.-Germain e RB Leipzig, 6; 4º Istanbul Başakşehir, 3

As equipas do Chelsea, Sevilla, Barcelona e Juventus garantiram já – ainda com duas jornadas por disputar – a qualificação para os 1/8 de final da Liga dos Campeões.

24 Novembro, 2020 at 10:53 pm Deixe um comentário

Liga das Nações da UEFA – 2020/21 – 6.ª Jornada

LIGA A

Grupo 1 – Bósnia-Herzegovina-Itália – 0-2 / Polónia-Países Baixos – 1-2

1.º Itália, 12; 2º Países Baixos, 11; 3º Polónia, 7; 4.º Bósnia-Herzegovina, 2

Grupo 2 – Bélgica-Dinamarca – 4-2 / Inglaterra-Islândia – 4-0

1.º Bélgica, 15; 2º Dinamarca,10; 3º Inglaterra, 10; 4º Islândia, 0

Grupo 3 – Croácia-Portugal – 2-3 / França-Suécia – 4-2

1.º França, 16; 2º Portugal, 13; 3.º Croácia, 3; 4º Suécia, 3

Grupo 4 – Espanha-Alemanha – 6-0 / Suíça-Ucrânia – (Adiado)

1.º Espanha, 11; 2º Alemanha, 9; 3º Ucrânia, 6; 4.º Suíça, 3

Itália, Bélgica, França e Espanha disputarão a fase final (“Final four”) desta competição da UEFA, a qual deverá decorrer em Itália (Turim e Itália) de 6 a 10 de Outubro de 2021. Bósnia-Herzegovina, Islândia, Suécia e Suíça/Ucrânia são despromovidas à Liga B (edição de 2022/23).

(mais…)

18 Novembro, 2020 at 10:40 pm Deixe um comentário

Croácia – Portugal (Liga das Nações – 6.ª Jornada)

Croácia Croácia – Dominik Livaković, Josip Juranović, Dejan Lovren, Mile Škorić, Domagoj Bradarić, Luka Modrić, Marko Rog, Mateo Kovačić (90m – Toma Bašić), Nikola Vlašić (83m – Mislav Oršić), Ivan Perišić e Mario Pašalić (64m – Josip Brekalo)

Portugal Portugal – Rui Patrício, Nélson Semedo, Rúben Dias, Rúben Semedo, Mário Rui (71m – João Cancelo), Danilo Pereira (77m – Sérgio Oliveira), João Moutinho, Bruno Fernandes (45m – Francisco Trincão), João Félix (71m – Bernardo Silva), Diogo Jota (77m – Paulinho) e Cristiano Ronaldo

1-0 – Mateo Kovačić – 29m
1-1 – Rúben Dias – 52m
1-2 – João Félix – 60m
2-2 – Mateo Kovačić – 65m
2-3 – Rúben Dias – 90m

Cartões amarelos – Marko Rog (23m) e Ivan Perišić (57m); Cristiano Ronaldo (54m)

Cartão vermelho – Marko Rog (51m)

Árbitro – Michael Oliver (Inglaterra)

A selecção de Portugal concluiu a sua participação na segunda edição da “Liga das Nações”, com um bom triunfo, na Croácia, ante o actual vice-campeão do Mundo, culminando assim uma muito boa campanha, contudo insuficiente para alcançar o objectivo da qualificação para a fase final da prova.

Não obstante a vitória, o seleccionador nacional, Fernando Santos, não se mostrou nada agradado com a atitude da equipa, dentro de campo, neste jogo de despedida.

Efectivamente, o conjunto português obteve um resultado algo lisonjeiro, beneficiando muito da feliz conjugação de algumas circunstâncias: em primeiro lugar, a expulsão, praticamente no início da segunda parte, de um jogador croata; depois, o facto de – não existindo “VAR” nesta fase preliminar da competição -, o árbitro não ter visto um ligeiro toque com a mão na bola, por parte de Diogo Jota, imediatamente antes de fazer a assistência que proporcionou a João Félix a marcação do segundo golo; por fim, uma desastrada intervenção do guardião Livaković, o qual, ao chocar com um colega, deixou escapar a bola das mãos, surgindo, com grande sentido de oportunidade, Rúben Dias, a marcar o tento (o seu segundo da noite) que, já em período de compensação, selaria o triunfo de Portugal…

Isto, sem prejuízo de, praticamente desde início, ter sido a selecção nacional a assumir a iniciativa, pese embora sem resultados práticos, não aproveitando, nessa fase, as debilidades que a defensiva da casa ia denotando, tendo a melhor ocasião de perigo sido desperdiçada por Diogo Jota, a rematar, de cabeça, mas ao lado da baliza.

Até que, praticamente com meia hora de jogo, ao invés, a Croácia, algo contra a designada “corrente do jogo”, aproveitaria as facilidades concedidas pela defesa lusa, com Rúben Semedo, já algo em desequilíbrio a fazer um defeituoso corte (incompleto), sobrando a bola para os croatas, com um primeiro remate defendido por Rui Patrício, mas, na recarga, Kovačić abria mesmo a contagem.

Até final do primeiro tempo, Portugal apenas teria mais um lance digno de registo, com um forte remate de Danilo Pereira, mas à figura do guardião croata.

A toada do jogo alterar-se-ia substancialmente com a expulsão de Rog – por acumulação de amarelos, devido a duas faltas, tão claras, como escusadas. De imediato, na cobrança da falta que originara a expulsão, Cristiano Ronaldo rematou forte, para defesa apertada de Livaković, surgindo Rúben Semedo a rcuperar, assistindo o outro defesa central português, Rúben Dias, que não hesitou, restabelecendo o empate.

A equipa portuguesa instalara-se no meio-campo adversário, pelo que não surpreendeu que, em menos de dez minutos, tivesse operado a reviravolta no marcador, no tal lance em que Diogo Jota, já próximo da linha de fundo, centrou atrasado para João Félix.

Mas o pior estava para vir: contrariamente ao que seria a expectativa, a vantagem portuguesa não durou mais de cinco minutos; mesmo reduzida a dez elementos, a Croácia repunha a igualdade.

Até final, num período incaracterístico, com a Croácia mais a pensar em preservar o empate, que – em função da derrota que a Suécia ia desenhando em Paris – lhe permitia manter-se no 1.º escalão desta competição, mas sem um controlo de jogo definido, Portugal acabaria mesmo por chegar à vitória, com Rúben Dias (que se estreara a marcar) a bisar, isto já depois de Bernardo Silva ter tido outra oportunidade.

No final, fica um sabor “agridoce”: tal como em relação à forma (e correspondente exibição) como foi obtida esta vitória, na derradeira ronda, Portugal, tendo obtido bons resultados ao longo desta fase de qualificação (vitórias em todos os quatro jogos ante a Croácia e a Suécia, em casa e fora, e empate em Paris, com o Campeão do Mundo), não alcançou o objectivo, deixando a pairar a sensação de que, com os recursos de que actualmente dispõe, tal teria sido possível.

17 Novembro, 2020 at 10:34 pm Deixe um comentário

Liga das Nações da UEFA – 2020/21 – 5.ª Jornada

LIGA A

Grupo 1 – Países Baixos-Bósnia-Herzegovina – 3-1 / Itália-Polónia – 2-0

1.º Itália, 9; 2º Países Baixos, 8; 3º Polónia, 7; 4.º Bósnia-Herzegovina, 2

Grupo 2 – Bélgica-Inglaterra – 2-0 / Dinamarca-Islândia – 2-1

1.º Bélgica, 12; 2º Dinamarca,10; 3º Inglaterra, 7; 4º Islândia, 0

Grupo 3 – Suécia-Croácia – 2-1 / Portugal-França – 0-1

1.º França, 13; 2º Portugal, 10; 3.º Croácia e Suécia, 3

Grupo 4 – Suíça-Espanha – 1-1 / Alemanha-Ucrânia – 3-1

1.º Alemanha, 9; 2º Espanha, 8; 3º Ucrânia, 6; 4.º Suíça, 3

Os vencedores de cada um dos grupos disputarão a fase final (“final four”) desta competição da UEFA. O último classificado de cada grupo será despromovido à Liga B (edição de 2022/23).

(mais…)

15 Novembro, 2020 at 9:40 pm Deixe um comentário

Portugal – França (Liga das Nações – 5.ª Jornada)

Portugal Portugal – Rui Patrício, João Cancelo, José Fonte, Rúben Dias, Raphaël Guerreiro, William Carvalho (56m – Diogo Jota), Danilo Pereira (84m – Sérgio Oliveira), Bruno Fernandes (72m – João Moutinho), João Félix (84m – Paulinho), Bernardo Silva (71m – Francisco Trincão) e Cristiano Ronaldo

França França – Hugo Lloris, Benjamin Pavard, Raphaël Varane, Presnel Kimpembe, Lucas Hernández, Adrien Rabiot, N’Golo Kanté, Paul Pogba, Kingsley Coman (59m – Marcus Thuram), Anthony Martial (78m – Olivier Giroud) e Antoine Griezmann

0-1 – N’Golo Kanté – 54m

Cartões amarelos – Danilo Pereira (31m); Hugo Lloris (62m), N’Golo Kanté (79m) e Lucas Hernández (82m)

Árbitro – Tobias Stieler (Alemanha)

Num grupo com a concorrência do Campeão do Mundo, e após um desempenho quase perfeito até à data, bastou um único jogo para – ainda antes da derradeira ronda – confirmar o afastamento de Portugal da fase final desta segunda edição da Liga da Nações, prova da qual  conquistara o troféu inaugural, há dois anos.

Porventura excessivamente concentrada na missão de procurar evitar sofrer golos, e ao invés do que tinha sucedido há cerca de um mês em Paris, a equipa portuguesa sentiu-se, desde início, manietada pela organização francesa, com o meio-campo gaulês a impor-se, a não dar a possibilidade aos jogadores adversários de ter a bola, vendo-se forçados a, em vão, correr atrás dela.

Algo paradoxalmente, a tais preocupações defensivas acabou por estar associada uma notória falta de agressividade na procura da recuperação da bola, pelo que não surpreendeu o caudal ofensivo da selecção francesa, com Kanté a pautar o jogo na zona intermediária – perante a passividade da dupla William Carvalho e Danilo Pereira -, ao mesmo tempo que Griezmann gozava de ampla liberdade de manobra.

Assim, coube a Rui Patrício, com um par de intervenções apertadas, a salvaguarda do nulo na nossa baliza, negando o golo aos avançados Coman e Martial, este último particularmente “desinspirado”, incapaz de levar a melhor sobre o guardião nacional.

Quando se ansiaria por uma resposta mais assertiva no início da segunda parte, Portugal cede se veria em desvantagem no marcador, curiosamente, na sequência de uma defesa incompleta de Rui Patrício a remate de Rabiot, a deixar fugir a bola para a recarga, sem apelo, de N’Golo Kanté.

O seleccionador, Fernando Santos, reagiria de pronto, mas talvez tardiamente, fazendo entrar Diogo Jota para o lugar de William Carvalho. Também já com João Moutinho e Francisco Trincão em campo, a equipa portuguesa teria ainda uma fase promissora, culminando num remate de José Fonte ao poste, para além de uma atenta defesa de Lloris a remate de João Moutinho.

Mas, como tantas vezes sucede nestas ocasiões, o tempo corria contra nós, e a equipa acabou por não ter a capacidade de quebrar a barreira francesa, pelo que, mantendo-se inalterado o resultado – e sendo um eventual empate pontual no final desta fase de grupos decidido em função do confronto directo – a selecção Campeã do Mundo garantia automaticamente o apuramento para a “Final Four” da Liga das Nações.

No final, o treinador português não conseguia encontrar explicações para a forma algo amorfa como a sua equipa actuara, restando render-se à evidência de ter defrontado um adversário que – após uma derrota (0-1) na Final do “EURO 2106” e um nulo registado na primeira volta, em dois jogos realizados em França – se superiorizou, marcando pela primeira (e única) vez, ao terceiro jogo…

14 Novembro, 2020 at 10:36 pm Deixe um comentário

“EURO 2020” – Qualificação – Play-off

Play-off A – Hungria – Islândia – 2-1
Play-off B – I. Norte – Eslováquia – 1-1 (1-2 a.p.)
Play-off C – Sérvia – Escócia – 1-1 (4-5 g.p.)
Play-off D – Geórgia – Macedónia do Norte – 0-1

Em função dos resultados desta noite, ficou definida a composição dos Grupos da Fase Final do “Europeu 2020” de Futebol:

Grupo A                Grupo B                Grupo C
Itália                 Bélgica                Ucrânia
Suíça                  Rússia                 Holanda
Turquia                Dinamarca              Áustria
País de Gales          Finlândia              Macedónia Norte

Grupo D                Grupo E                Grupo F
Inglaterra             Espanha                Alemanha
Croácia                Polónia                França
R. Checa               Suécia                 Portugal
Escócia                Eslováquia             Hungria

Apuram-se para os 1/8 de final os 2 primeiros classificados de cada grupo, assim como os quatro melhores dos 3.º classificados.

Os jogos serão disputados nas seguintes cidades: Baku e Roma (Grupo A); Copenhaga e S. Petersburgo (Grupo B); Amesterdão e Bucareste (Grupo C); Glasgow e Londres (Grupo D); Bilbao e Dublin (Grupo E); Budapeste e Munique (Grupo F).

A selecção de Portugal estreia-se a 15 de Junho de 2021, em Budapeste, frente à Hungria; joga com a Alemanha em Munique a 19 de Junho; concluindo a fase de grupos, a 23 de Junho, com a França, novamente em Budapeste.

12 Novembro, 2020 at 11:23 pm Deixe um comentário

Liga Europa – 3ª Jornada – Resultados e Classificações

Grupo D
Benfica – Rangers – 3-3
Lech Poznań – Standard Liège – 3-1

1º Benfica e Rangers, 7; 3º Lech Poznań, 3; 4º Standard Liège, 0

Grupo G
Zorya Luhansk – AEK – 1-4
Leicester – Sp. Braga – 4-0

1º Leicester, 9; 2º Sp. Braga, 6; 3º AEK, 3; 4º Zorya Luhansk, 0
(mais…)

5 Novembro, 2020 at 10:56 pm Deixe um comentário

Liga Europa – 3ª jornada – Benfica – Rangers

BenficaBenfica – Odysseas Vlachodimos, Diogo Gonçalves (45m – Gilberto Moraes), Jan Vertonghen, Nicolás Otamendi, Nuno Tavares (45m – Alejandro “Álex” Grimaldo), Luís Fernandes “Pizzi” (21m – Jardel Vieira), Julian Weigl, Adel Taarabt, Everton Soares (67m – Gian-Luca Waldschmidt), Rafael “Rafa” Silva e Haris Seferović (60m – Darwin Núñez)

RangersRangers – Allan McGregor, James Tavernier, Connor Goldson, Filip Helander, Borna Barišić, Steven Davis, Ryan Jack, Joe Aribo (69m – Scott Arfield), Glen Kamara, Ryan Kent e Alfredo Morelos

1-0 – Connor Goldson (p.b.) – 2m
1-1 – Diogo Gonçalves (p.b.) – 24m
1-2 – Glen Kamara – 25m
1-3 – Alfredo Morelos – 51m
2-3 – Rafael “Rafa” Silva – 77m
3-3 – Darwin Núñez – 90m

Cartões amarelos – Não houve

Cartão vermelho – Nicolás Otamendi (19m)

Árbitro – Jesús Gil Manzano (Espanha)

Jesus apostou na “poupança” (deixando de fora, de início, Grimaldo, Waldschmidt e Darwin Núñez) e as coisas estiveram a ponto de correr mesmo muito mal, também devido, especialmente, a um erro de principiante da parte do experiente Otamendi, de que resultou a inferioridade numérica do Benfica durante mais de 70 minutos…

No final, o Benfica conseguiu, in extremis (já em período de compensação), salvar a manutenção da invencibilidade caseira em todos os 24 jogos até à data disputados no seu reduto na Liga Europa (novo record na competição), mercê de uma obra de arte da dupla Waldschmidt e Darwin Núñez, com o segundo a dar a sequência ideal (remate para o fundo da baliza, desviando a bola do alcance do guardião contrário) a uma excelente abertura do primeiro, fazendo a bola romper pelo centro da defesa adversária.

E as coisas até tinham começado tão bem! Logo na viragem do primeiro para o segundo minuto de jogo, uma arrancada de Rafa, junto à linha final, com um passe atrasado, a solicitar a entrada de um companheiro, culminou no primeiro golo, em função de uma infeliz intercepção do defesa central do Rangers.

Ainda no primeiro quarto de hora, o Benfica, então a assumir a iniciativa e o controlo do jogo, teria ainda outra ocasião de perigo a seu favor, mas que não concretizaria.

Até que, num lançamento em profundidade, para as costas da defesa benfiquista, Ryan Kent surgiu isolado (não sendo clara a legalidade do seu posicionamento), em fuga na direcção da baliza, para ficar cara a cara com Vlachodimos; Otamendi, sem pernas para conseguir acompanhar o adversário, começou por dar-lhe dois pequenos toques (de “baixa intensidade”) com a mão nas costas, procurando desequilibrá-lo, o que conseguiria com um contacto com as pernas. O árbitro, sem complacência, exibiu-lhe de imediato o cartão vermelho (acabaria por ser o único cartão durante todo o jogo!…).

Pizzi seria o sacrificado, para a entrada de Jardel para o eixo da defesa, mas, ainda antes de a equipa se conseguir recompor e reorganizar, já tinha sofrido dois golos, de rajada, em menos de dois minutos: o primeiro, numa defeituosa tentativa de alívio da bola por parte de Diogo Gonçalves, a fazer um autêntico remate para a sua própria baliza; o segundo, com o Rangers a aproveitar todas as facilidades concedidas.

A equipa do Benfica estava completamente à deriva, o que se agravaria, logo no arranque da segunda parte – e já após Jesus ter trocado ambos os defesas laterais – com o terceiro tento dos escoceses. Valeria então Vlachodimos para protelar/evitar o que se adivinhava poder ser um ainda maior dilatar do marcador, neutralizando um punhado de situação de grande perigo (nessa fase o Rangers ficou a dever a si próprio mais dois ou três golos…).

Com meia hora para jogar, Jesus atribuiu a Darwin Núnez uma das mais ingratas missões que se podem dar a um avançado: procurar, miraculosamente, inverter o rumo dos acontecimentos, no seio de uma equipa desorientada, com um jogador a menos, perante um adversário confiante e confortável com a vantagem que alcançara.

E Darwin – um portento da natureza, não apenas em termos físicos – não falhou! Primeiro, “fabricando” o segundo golo do Benfica, que “ofereceu” a Rafa. Seria, em condições normais, um suplemento anímico suficientemente forte para empurrar a equipa em busca do empate. Mas, nem nesse quarto de hora final, nunca foi esse o sinal transmitido, num conjunto tristonho, sem ideias, sem saber como “desatar o nó”… até ao fantástico lance (praticamente final), com a dupla de “suplentes” a conseguir inventar, “do nada”, o 3-3!

Um resultado deveras lisonjeiro para o Benfica – claramente desfasado do que “produziu” durante os noventa minutos, penalizando algum “excesso de confiança” do Rangers -, com uma exibição do colectivo, que, uma vez mais, deixa muitas interrogações a pairar. Continua a haver muito trabalho por fazer, a vários níveis. O apuramento para a fase seguinte da competição parece praticamente adquirido, mas vai ser necessário jogar muito mais…

5 Novembro, 2020 at 8:55 pm Deixe um comentário

Liga dos Campeões – 3ª Jornada – Resultados e Classificações

Grupo A
Lokomotiv Moskva – At. Madrid – 1-1
RB Salzburg – Bayern – 2-6

1º Bayern, 9; 2º At. Madrid, 4; 3º Lokomotiv Moskva, 2; 4º RB Salzburg, 1

Grupo B
Shakhtar Donetsk – B. M’Gladbach – 0-6
Real Madrid – Inter – 3-2

1º B. M’Gladbach, 5; 2º Real Madrid e Shakhtar Donetsk, 4; 4º Inter, 2

Grupo C
FC Porto – Marseille – 3-0
Manchester City – Olympiakos – 3-0

1º Manchester City, 9; 2º FC Porto, 6; 3º Olympiakos, 3; 4º Marseille, 0

Grupo D
Atalanta – Liverpool – 0-5
Midtjylland – Ajax – 1-2

1º Liverpool, 9; 2º Ajax e Atalanta, 4; 4º Midtjylland, 0

Grupo E
Sevilla – Krasnodar – 3-2
Chelsea – Rennes – 3-0

1º Chelsea e Sevilla, 7; 3º Rennes e Krasnodar, 1

Grupo F
Brugge – B. Dortmund – 0-3
Zenit – Lazio – 1-1

1º B. Dortmund, 6; 2º Lazio, 5; 3º Brugge, 4; 4º Zenit, 1

Grupo G
Ferencváros – Juventus – 1-4
Barcelona – D. Kyiv – 2-1

1º Barcelona, 9; 2º Juventus, 6; 3º D. Kyiv e Ferencváros, 1

Grupo H
Istanbul Başakşehir – Manchester United – 2-1
RB Leipzig – Paris St.-Germain – 2-1

1º Manchester United e RB Leipzig, 6; 2º Paris St.-Germain e Istanbul Başakşehir, 3

4 Novembro, 2020 at 10:56 pm Deixe um comentário

Liga Europa – 2ª Jornada – Resultados e Classificações

Grupo D
Rangers – Lech Poznań – 1-0
Benfica – Standard Liège – 3-0

1º Benfica e Rangers, 6; 3º Lech Poznań e Standard Liège, 0

Grupo G
AEK – Leicester – 1-2
Zorya Luhansk – Sp. Braga – 1-2

1º Leicester e Sp. Braga, 6; 3º AEK e Zorya Luhansk, 0
(mais…)

29 Outubro, 2020 at 10:55 pm Deixe um comentário

Artigos Mais Antigos


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Novembro 2020
S T Q Q S S D
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.