Posts tagged ‘Clássicos Europeus’

Grandes clássicos das competições europeias – (13) Barcelona – Inter

Barcelona Internazionale

 Época Prova Ronda       1.ª Mão                2.ª mão
1958-60 TCF   1/4  Barcelona-Inter  4-0   Inter-Barcelona  2-4
1969-70 TCF   1/8  Barcelona-Inter  1-2   Inter-Barcelona  1-1
2002-03 LCE  Grupo Barcelona-Inter  3-0   Inter-Barcelona  0-0
2009-10 LCE  Grupo Inter-Barcelona  0-0   Barcelona-Inter  2-0
2009-10 LCE   1/2  Inter-Barcelona  3-1   Barcelona-Inter  1-0
2018-19 LCE  Grupo Barcelona-Inter  2-0   Inter-Barcelona  1-1
2019-20 LCE  Grupo Barcelona-Inter  2-1   Inter-Barcelona  1-2

      Balanço global                J    V    E    D   GM   GS
Barcelona - Internazionale         14    8    4    2   24 – 11

É uma história longa, já de 60 anos – tendo-se disputado, em Maio e em Setembro de 1959, os primeiros jogos entre ambos -, a da rivalidade entre entre estes dois colossos do futebol europeu, com o Barcelona, com dois triunfos (goleando na Catalunha, e somando um agregado de 8-2 na eliminatória), a avançar então para as meias-finais da segunda edição (1958-60) da Taça das Cidades com Feiras, troféu que viria a revalidar, após a vitória na estreia desta competição (1955-58).

Para além do claro domínio do Barcelona (oito vitórias a duas e um “score” global de 24-11), ressalta ainda o relativamente escasso número de golos marcados pelo Inter – tendo ficado “em branco” em metade dos 14 jogos realizados.

Anota-se também a particularidade de os dois clubes se terem enfrentado por quatro vezes na época de 2009-10, com o Inter – então sob o comando técnico de José Mourinho – a “rectificar” o balanço da fase de grupos, vencendo a eliminatória correspondente às meias-finais, antes de bater, na Final, no “Santiago Bernabéu”, em Madrid, o Bayern, para se sagrar Campeão Europeu pela 3.ª vez no seu historial.

Nessa eliminatória de boa memória para os nerazzurri, depois de vencer, em Milão, por 3-1 (numa partida arbitrada por Olegário Benquerença), tendo inclusivamente operado reviravolta no marcador, o Inter conseguiu, na 2.ª mão – reduzido a dez elementos durante mais de uma hora, por expulsão de Thiago Motta – aguentar o nulo em “Camp Nou” praticamente até aos cinco minutos finais, vindo a consentir um único golo, insuficiente para que o Barcelona (liderado por Pep Guardiola) evitasse ser afastado da prova.

Nas outras ocasiões em que se haviam encontrado na fase de grupos da Liga dos Campeões – em 2002-03 e, precisamente, na época passada -, o Inter alcançou as meias-finais no primeiro caso (eliminado pelo AC Milan, que viria a conquistar o troféu), quedando-se o Barcelona pelos 1/4 de final (superado pelo outro finalista, Juventus); na última temporada, o Inter não foi além dessa fase de grupos (3.º classificado, atrás do Barcelona e do Tottenham), enquanto os catalães veriam o seu percurso interrompido nas meias-finais (com a incrível goleada de 4-0 sofrida ante o actual Campeão Europeu, Liverpool, depois da vitória por 3-0, averbada na 1.ª mão).

Por capricho do sorteio, Barcelona e Inter reencontraram-se já na fase de grupos da presente época – a última vez, ontem mesmo -, repetindo os duelos do ano passado. O Inter praticamente entrou a ganhar em Camp Nou, onde, ao 5.º jogo aí disputado no âmbito da Liga dos Campeões, marcou pela primeira vez, mas não conseguiria evitar a reviravolta no marcador por parte do Barcelona. A repetição da vitória do Barcelona, em Milão, traduziu-se no afastamento do clube italiano da Liga dos Campeões, superado pelos catalães e pelo Borussia Dortmund.

11 Dezembro, 2019 at 7:00 pm Deixe um comentário

Grandes clássicos das competições europeias – (14) Barcelona – Juventus

Barcelona Juventus

 Época Prova Ronda       1.ª Mão               2.ª mão
1970-71 TCF   1/16 Barcelona-Juvent. 1-2 Juvent.-Barcelona 2-1
1985-86 TCE   1/4  Barcelona-Juvent. 1-0 Juvent.-Barcelona 1-1
1990-91 TVT   1/2  Barcelona-Juvent. 3-1 Juvent.-Barcelona 1-0
2002-03 LCE   1/4  Juvent.-Barcelona 1-1 Barcelona-Juvent. 1-2
2014-15 LCE  Final Barcelona-Juvent. 3-1 (Est. Olímp. Berlim)
2016-17 LCE   1/4  Juvent.-Barcelona 3-0 Barcelona-Juvent. 0-0
2017-18 LCE  Grupo Barcelona-Juvent. 3-0 Juvent.-Barcelona 0-0

      Balanço global                J    V    E    D   GM   GS
Barcelona - Juventus               13    4    4    5   15 – 14

Num confronto de extremo equilíbrio, regista-se uma ligeira superioridade da Juventus em termos de vitórias, pese embora o “score” global lhe seja desfavorável.

Os dois clubes defrontaram-se na Final da Liga dos Campeões de 2014-15, com triunfo do Barcelona, que conquistou então o seu 5.º título de Campeão Europeu (último, até à data), culminando a época de estreia de Luís Enrique no banco, coincidindo igualmente com o último jogo do “maestro”, Xavi, pela equipa catalã.

Nos embates a eliminar, a Juventus seguiu em frente por três vezes (tendo inclusivamente ganho os jogos das duas mãos na Taça das Cidades com Feiras, em 1970-71), face a apenas duas eliminatórias ganhas pelo Barcelona (em 1985-86 e em 1990-91).

Naquela que foi a derradeira edição da Taça das Cidades com Feiras (1970-71), a formação italiana superaria ainda os húngaros do Pécsi, o Twente e o Köln, vindo contudo a perder a Final, ante o Leeds United (com duas igualdades, a dois golos em Turim, e 1-1 em Leeds).

Em 1986, o Barcelona eliminaria, nas meias-finais da Taça dos Campeões Europeus, o Göteborg (no desempate da marca de grande penalidade, após duas vitórias caseiras por 3-0), acabando por ter uma das maiores desilusões da sua história (tendo adiado, ainda por mais alguns anos, a conquista do seu primeiro título de Campeão europeu) ao perder a Final, disputada em Sevilha, ante o Steaua… no desempate da marca de grande penalidade (não tendo conseguido bater o guardião Helmuth Ducadam uma única vez!).

Melhor não seria a sorte dos catalães em 1991, tendo perdido também a Final da Taça das Taças, ante o Manchester United.

Em 2002-03, nos 1/4 de final da Liga dos Campeões, o empate averbado em Turim (golo de Saviola) parecia conferir vantagem aos catalães; porém, na 2.ª mão, depois de ter começado por inaugurar o marcador, e apesar de se ter visto reduzida a dez unidades (por expulsão de Edgar Davids), a “Vecchia Signora” forçaria ainda o prolongamento, período no qual viria mesmo a superiorizar-se, com Buffon em grande evidência. O grupo então comandado por Marcello Lippi viria contudo a perder igualmente a Final, ante o AC Milan… no desempate da marca de grande penalidade.

Em 2016-17, o triunfo dos transalpinos seria ainda mais concludente, ganhando por 3-0 em Turim, o que, praticamente, definiu o desfecho da eliminatória. Porém, como que numa espécie de “maldição” associada aos embates entre Barcelona e Juventus – e depois de terem ultrapassado o Monaco nas 1/2 finais -, os italianos voltariam a ser batidos na Final, derrotados pelo Real Madrid por categórica marca de 4-1, no que corresponde já à sétima final da Taça / Liga dos Campeões perdida pela Juventus, um “record” destacado (face a cinco finais perdidas por Bayern e Benfica).

Registe-se ainda a curiosidade de o Barcelona nunca ter conseguido ganhar na 2.ª mão  / 2.ª volta (sendo que jogou quatro vezes em terreno alheio e apenas duas em casa).

Por uma única vez estes dois emblemas integraram o mesmo grupo da Liga dos Campeões, há duas temporadas. Nessa ocasião, a turma da Catalunha “retribuiria” o 3-0 com que fora brindada na época imediatamente precedente, em partida disputada apenas cinco meses antes.

Os dois clubes prosseguiriam para a fase a eliminar (à frente do Sporting, 3.º classificado do grupo): a Juventus eliminaria ainda o Tottenham, antes de ser afastada nos 1/4 de final pelo Real Madrid, futuro vencedor da prova; quanto ao Barcelona, depois de ultrapassar o Chelsea, permitiria à Roma uma inesperada reviravolta (perdendo 0-3 em Itália, desperdiçando a vantagem de 4-1 obtida em Camp Nou), caindo, pois, naquela mesma eliminatória.

10 Dezembro, 2019 at 7:00 pm Deixe um comentário

Grandes clássicos das competições europeias – (15) Barcelona – Manchester United

Barcelona Manchester United

 Época Prova Ronda       1.ª Mão               2.ª mão
1983-84 TVT   1/4  Barcelona-M.Utd. 2-0  M.Utd.-Barcelona 3-0
1990-91 TVT  Final M.Utd.-Barcelona 2-1  (De Kuip, Roterdão)
1994-95 LCE  Grupo M.Utd.-Barcelona 2-2  Barcelona-M.Utd. 4-0
1998-99 LCE  Grupo M.Utd.-Barcelona 3-3  Barcelona-M.Utd. 3-3
2007-08 LCE   1/2  Barcelona-M.Utd. 0-0  M.Utd.-Barcelona 1-0
2008-09 LCE  Final Barcelona-M.Utd. 2-0  (Estádio Olímp. Roma)
2010-11 LCE  Final Barcelona-M.Utd. 3-1  (Estádio de Wembley)
2018-19 LCE   1/4  M.Utd.-Barcelona 0-1  Barcelona-M.Utd. 3-0

      Balanço global                J    V    E    D   GM   GS
Barcelona - Manchester United      13    6    4    3   24 – 15

Neste “Grande Clássico” começam por destacar-se as três finais disputadas entre estes dois gigantes do futebol europeu, o que constitui “record” a nível das competições europeias (apenas igualado pelo “clássico” AC Milan-Ajax).

O Manchester United venceu a primeira delas (Taça das Taças de 1990-91) – com dois golos do antigo “barcelonista” Mark Hughes -, no que constituiu o regresso à conquista de troféus europeus por parte de clubes ingleses, depois do período em que estiveram banidos de tais competições (de 1985 a 1990), num histórico embate entre Alex Ferguson e Johann Cruijff.

Para o United, tal constituiria igualmente o ponto de partida para uma nova era de glórias (e a mais profícua do seu historial), de que há muito se encontrava arredado (o último título de Campeão de Inglaterra datava de 1966-67, a que se seguira, na época imediata, o de Campeão Europeu, na final disputada ante o Benfica, também a derradeira conquista europeia até então).

Quando ao Barcelona, superiorizou-se na Liga dos Campeões, com dois títulos de Campeão Europeu (os seus 3.º e 4.º, de um total de cinco) conquistados no curto intervalo de apenas dois anos, em 2009 (logo na época de estreia de Guardiola no banco dos catalães, em contraponto à despedida de Cristiano Ronaldo da turma de “Old Trafford”) e em 2011 (este numa final disputada em Inglaterra, em Londres, com Messi em destaque), afirmando-se então, no seu apogeu, como a melhor equipa do Mundo.

No que respeita a confrontos a eliminar, o Manchester foi bem sucedido em duas ocasiões, nas temporadas de 1983-84, goleando por 3-0 o Barcelona, de Maradona e Schuster (vindo contudo a ser afastado na fase imediata da Taça das Taças, pela Juventus,  de Platini, que venceria a Final de Basileia, frente ao FC Porto) e de 2007-08, no percurso que conduziria à conquista do seu 3.º título de Campeão Europeu. Por seu lado, o Barcelona saiu categórico vencedor na eliminatória da época passada (triunfando nos dois jogos), antes de ser “cilindrado” pelo Liverpool na 2.ª mão das meias-finais da Liga dos Campeões.

Nos anos em que se cruzaram no mesmo grupo da Liga dos Campeões, assinala-se a maior goleada de sempre no confronto directo entre ambos, com o “dream team” dos catalães (com Romário e Stoichkov), ainda sob a liderança de Cruijff (Campeão Europeu em 1992 e finalista da “Champions” em 1994 e tetra-campeão de Espanha), a brindar o adversário com um 4-0; o Manchester United (3.º no grupo) ficaria desde logo eliminado da prova, não tendo, todavia, o Barcelona chegado muito mais longe, vindo a ser surpreendentemente afastado na fase imediada (1/4 de final), pelo Paris Saint-Germain.

Por fim, nas partidas disputadas em 1998-99, regista-se a curiosidade de dois empates a três golos, o que implicaria, desta feita, que fosse o Barcelona a quedar-se por essa fase inicial (3.º classificado num fortíssimo grupo, ganho pelo Bayern), enquanto os ingleses eram repescados (a par do Real Madrid) como um dos dois melhores 2.º classificados, para, de seguida – superando Inter, Juventus e Bayern (na épica Final de Camp Nou) -, virem a conquistar o troféu, sagrando-se assim Campeões Europeus pela segunda vez no seu historial.

27 Novembro, 2019 at 7:00 pm Deixe um comentário

Grandes clássicos das competições europeias – (16) Real Madrid – FC Porto

Real Madrid FC Porto

 Época Prova Ronda       1.ª Mão                2.ª mão
1979-80 TCE   1/8  FC Porto-R.Madrid 2-1 R.Madrid-FC Porto 1-0
1987-88 TCE   1/8  R.Madrid-FC Porto 2-1 FC Porto-R.Madrid 1-2
1997-98 LCE  Grupo FC Porto-R.Madrid 0-2 R.Madrid-FC Porto 4-0
1999-00 LCE  Grupo R.Madrid-FC Porto 3-1 FC Porto-R.Madrid 2-1
2001-02 LCE  Grupo R.Madrid-FC Porto 1-0 FC Porto-R.Madrid 1-2
2003-04 LCE  Grupo FC Porto-R.Madrid 1-3 R.Madrid-FC Porto 1-1

      Balanço global                J    V    E    D   GM   GS
Real Madrid - FC Porto             12    9    1    2   23 – 10

O FC Porto e o Real Madrid foram “clientes” especialmente assíduos na viragem do milénio, tendo-se cruzado em quatro ocasiões no intervalo de apenas sete anos, entre 1997 e 2004 (depois de dois embates ainda sob a égide da Taça dos Campeões Europeus, a abrir e a fechar a década de 80); curiosamente, não voltaram a encontrar-se desde então.

O registo deste confronto directo é amplamente favorável ao Real Madrid, exercendo forte domínio, com nove triunfos, face a apenas dois do FC Porto – o primeiro dos quais logo na partida de estreia entre ambos, em 1980.

O Real Madrid ganhou na cidade do Porto por quatro vezes, uma delas, por coincidência, na época de 2003-04, em que acabaria por ser o FC Porto a sagrar-se vencedor da Liga dos Campeões (conquistando o seu segundo título de Campeão Europeu, depois do triunfo na Taça dos Campeões Europeus de 1986-87), tendo, nessa oportunidade, empatado em Madrid.

Em 1979-80, depois da primeira vitória do FC Porto ante o Real Madrid – e após ter afastado, nos 1/8 de final, o AC Milan, ganhando em Milão por 1-0 -, os portistas seriam eliminados na sequência de tangencial derrota em Madrid, por 0-1, com base no factor de desempate em função dos golos marcados fora de casa. O Real atingiria as meias-finais, fase em que foi afastado pelo Hamburgo.

Na temporada de 1987-88, defendendo o título de Campeão Europeu conquistado no ano anterior, o FC Porto perderia as duas mãos dos 1/8 de final, tendo o Real Madrid terminado a sua campanha, outra vez nas meias-finais, eliminado pelo PSV Eindhoven mercê de dois empates, o mesmo resultado que proporcionaria aos holandeses a conquista do título, na Final de Estugarda, frente ao Benfica.

Nas quatro ocasiões em que integraram o mesmo grupo, para além do grande êxito de 2003-04, o FC Porto foi eliminado nessa fase inicial em 1997-98 e, na segunda fase de grupos, em 2001-02 (último classificado do grupo de ambas as vezes), tendo sido afastado pelo Bayern, nos 1/4 de final, em 1999-00.

À excepção da época de 2003-04, em que os espanhóis foram eliminados nos 1/4 de final pelo Monaco (clube que os portugueses viriam a derrotar por categórica marca de 3-0 na Final), o cruzamento com o FC Porto foi sinónimo de talismã para o Real Madrid, que obteve, em 1997-98, em 1999-00 e em 2001-02, os seus 7.º, 8.º e 9.º títulos de Campeão Europeu (batendo na Final, respectivamente, a Juventus, o Valencia e o Bayer Leverkusen), assim colocando termo a um prolongado “jejum” de 32 anos (desde 1966)!

26 Novembro, 2019 at 7:00 pm Deixe um comentário

Grandes clássicos das competições europeias – (17) Real Madrid – Roma

Real Madrid Roma

 Época Prova Ronda       1.ª Mão                2.ª mão
2001-02 LCE  Grupo Roma-Real Madrid 1-2   Real Madrid-Roma 1-1
2002-03 LCE  Grupo Roma-Real Madrid 0-3   Real Madrid-Roma 0-1
2004-05 LCE  Grupo Real Madrid-Roma 4-2   Roma-Real Madrid 0-3
2007-08 LCE   1/8  Roma-Real Madrid 2-1   Real Madrid-Roma 1-2
2015-16 LCE   1/8  Roma-Real Madrid 0-2   Real Madrid-Roma 2-0
2018-19 LCE  Grupo Real Madrid-Roma 3-0   Roma-Real Madrid 0-2

      Balanço global                J    V    E    D   GM   GS
Real Madrid - Roma                 12    8    1    3   24 –  9

Os caminhos de Real Madrid e Roma nas competições europeias apenas se cruzaram pela primeira vez já no século XXI, tendo, desde então, integrado por quatro ocasiões o mesmo grupo da Liga dos Campeões (as três primeiras concentradas no quadriénio de 2001 a 2005).

A regra têm sido as vitórias do Real Madrid (oito, face a apenas três da Roma – tendo, curiosamente, duas delas sido obtidas em Madrid, enquanto, por seu lado, os “merengues” ganharam em cinco das suas seis deslocações a Roma!), destacando-se também o reduzido número de golos apontados pelos romanos (apenas nove, nos doze desafios disputados – tendo ficado a zero em metade dos encontros).

Nas duas situações de confrontos a eliminar, por coincidência repetiram-se os “placards” nos jogos em casa e fora, tendo a Roma vencido as duas partidas em 2008 e perdido os dois encontros em 2016. A formação italiana cairia logo de seguida, nos 1/4 de final, ante o futuro Campeão, Manchester United (em 2007-08); por seu lado, o Real Madrid prosseguiria o seu percurso triunfal, em 2015-16, para garantir o seu 11.º título (repetindo o desfecho da Final de 2014, impondo-se ao At. Madrid… desta feita no desempate da marca de grande penalidade).

Nas quatro temporadas em que partilharam o mesmo grupo, os dois clubes começaram por superar essa fase inicial em 2001-02 e 2002-03, assim como na época passada, com a Roma a quedar-se pela 2.ª fase de grupos nos dois primeiros casos, tendo sido eliminada nos 1/8 de final, pelo FC Porto, em 2018-19; em 2004-05 os italianos não conseguiram o apuramento, tendo sido mesmo útlimos classificados do seu grupo.

Quanto ao Real Madrid, sagrar-se-ia também Campeão Europeu em 2001-02 (9.º título), sendo afastado pela Juventus nas meias-finais no ano seguinte e, igualmente pela “Vecchia Signora”, em 2004-05 (nos 1/8 de final) – tal como sucederia em 2018-19, agora derrotado pelo Ajax, logo na primeira ronda a eliminar.

6 Novembro, 2019 at 7:00 pm Deixe um comentário

Grandes clássicos das competições europeias – (18) Bayern München – Anderlecht

Bayern_München Anderlecht

 Época Prova Ronda       1.ª Mão                2.ª mão
1975-76 STE  Final Bayern-Anderlecht 2-1 Anderlecht-Bayern 4-1
1985-86 TCE   1/4  Bayern-Anderlecht 2-1 Anderlecht-Bayern 2-0
1986-87 TCE   1/4  Bayern-Anderlecht 5-0 Anderlecht-Bayern 2-2
2003-04 LCE  Grupo Anderlecht-Bayern 1-1 Bayern-Anderlecht 1-0
2007-08 UEFA  1/8  Anderlecht-Bayern 0-5 Bayern-Anderlecht 1-2
2017-18 LCE  Grupo Bayern-Anderlecht 3-0 Anderlecht-Bayern 1-2

      Balanço global                J    V    E    D   GM   GS
Bayern München - Anderlecht        12    7    2    3   25 - 14

A história entre estes dois “grandes” do futebol europeu remonta ao ano de 1976, com a disputa da Supertaça Europeia, na qual o Anderlecht (vencedor da Taça das Taças da temporada de 1975-76) obteve a sua maior vitória (4-1) sobre o Bayern (que acabara de se sagrar tri-Campeão Europeu), conquistando o troféu – feito que, curiosamente, viria a repetir apenas dois anos volvidos, então frente ao Liverpool.

O Anderlecht levaria igualmente a melhor sobre o emblema bávaro na eliminatória da Taça dos Campeões Europeus de 1985-86, mas acabaria por ser afastado nas meias-finais, pelo futuro vencedor dessa edição da prova, o Steaua București.

Já na época de 2007-08, com os dois clubes, então, a marcar presença na Taça UEFA, os belgas até conseguiriam vencer em Munique (2-1), mas no contexto de uma eliminatória em que  haviam começado por ser “destroçados”, no seu próprio terreno, por 5-0! Por curiosidade, o Bayern viria a cair também nas meias-finais… goleado (4-0) pelo Zenit St.-Petersburg.

Tratava-se, aliás, de uma marca que não era já inédita entre os dois clubes, tendo o Bayern aplicado igualmente “chapa 5” ao Anderlecht na temporada de 1986-87, na sua caminhada até à Final de Viena, na qual viria a ser derrotado pelo FC Porto.

Nas duas ocasiões em que se cruzaram no mesmo grupo da Liga dos Campeões, o Anderlecht seria eliminado nessa fase (quedando-se mesmo, nas duas vezes, pela última posição do grupo), tendo o Bayern atingido os 1/8 de final em 2003-04 e as meias-finais em 2017-18 (afastado, em ambos os casos, pelo Real Madrid).

5 Novembro, 2019 at 7:00 pm Deixe um comentário

Grandes clássicos das competições europeias – (19) Bayern München – Arsenal

Bayern_München Arsenal

 Época Prova Ronda       1.ª Mão                2.ª mão
2000-01 LCE  Grupo Arsenal-Bayern   2-2   Bayern-Arsenal   1-0
2004-05 LCE   1/8  Bayern-Arsenal   3-1   Arsenal-Bayern   1-0
2012-13 LCE   1/8  Arsenal-Bayern   1-3   Bayern-Arsenal   0-2
2013-14 LCE   1/8  Arsenal-Bayern   0-2   Bayern-Arsenal   1-1
2015-16 LCE  Grupo Arsenal-Bayern   2-0   Bayern-Arsenal   5-1
2016-17 LCE   1/8  Bayern-Arsenal   5-1   Arsenal-Bayern   1-5

      Balanço global                J    V    E    D   GM   GS
Bayern München - Arsenal           12    7    2    3   27 - 13

Num confronto que apenas se iniciou já no século XXI, o Bayern tem sido um “carrasco” das aspirações do Arsenal, repetidamente travado pelos bávaros nos 1/8 de final da Liga dos Campeões (já por quatro vezes, três delas num período de apenas cinco anos, entre 2012 e 2017), em geral com o desfecho da eliminatória a ficar praticamente definido logo na 1.ª mão (o que, por outro lado, terá proporcionado ao Arsenal um triunfo em Munique, em 2012-13).

Em 2015-16, época em que ambos os clubes se apuraram na fase de grupos, o Arsenal seria também afastado, igualmente nos 1/8 de final, dessa feita pelo Barcelona (com um “score” de 1-5).

Para a história fica ainda um humilhante registo de três jogos consecutivos (precisamente os mais recentes) em que a turma germânica goleou a formação inglesa, sempre pela mesma marca de 5-1 (o último deles em pleno “Emirates”, em Londres)!

Após os embates com o Arsenal, o Bayern sagrar-se-ia vencedor da Liga dos Campeões nas épocas de 2000-01 e 2012-13 (os seus 4.º e 5.º títulos de Campeão Europeu).

Quanto aos londrinos, para além da Final da Liga dos Campeões de 2005-06 (perdida ante o Barcelona) e das meias-finais alcançadas em 2008-09, quedaram-se pelos 1/4 de final da competição em 2000-01, 2003-04, 2007-08 e 2009-10 – a que se seguiu uma incrível série de sete eliminações consecutivas nos 1/8 de final, entre 2011 e 2017!

23 Outubro, 2019 at 7:00 pm Deixe um comentário

Grandes clássicos das competições europeias – (20) Juventus – Olympiakos

Juventus Olympiakos

 Época Prova Ronda       1.ª Mão                2.ª mão
1967-68 TCE 1ª el. Olymp.-Juventus  0-0   Juventus-Olymp.  2-0
1998-99 LCE   1/4  Juventus-Olymp.  2-1   Olymp.-Juventus  1-1
1999-00 UEFA  1/16 Olymp.-Juventus  1-3   Juventus-Olymp.  1-2
2003-04 LCE  Grupo Olymp.-Juventus  1-2   Juventus-Olymp.  7-0
2014-15 LCE  Grupo Olymp.-Juventus  1-0   Juventus-Olymp.  3-2
2017-18 LCE  Grupo Juventus-Olymp.  2-0   Olymp.-Juventus  0-2

      Balanço global                J    V    E    D   GM   GS
Juventus - Olympiakos              12    8    2    2   25 -  9

Juventus e Olympiakos são dois dos clubes com maior número de participações em competições europeias, respectivamente 56 e 54, nos 65 anos de disputa destas provas, o que justifica a frequência do respectivo confronto directo, mesmo que a equipa grega não atinja, geralmente, fases adiantadas dos torneios (no seu longo historial não conseguiu melhor que as presenças nos 1/4 de final da Taça das Taças, em 1992-93, e da Liga dos Campeões, em 1998-99).

Deste modo – numa relação de forças desequilibrada como esta se tem revelado -, a vitória (2-1) averbada pelo Olympiakos em Palermo, no final de 1999, não deixa de ser um dos seus mais marcantes triunfos, pese embora tenha sido obtida na sequência de um desaire caseiro (1-3) na 1.ª mão, que, praticamente, sentenciou o desfecho dessa eliminatória da Taça UEFA.

Em épocas mais recentes, os confrontos entre ambos os clubes têm sido em fases de grupos da Liga dos Campeões, com destaque para a goleada (7-0) imposta pela Juventus na temporada de 2003-04.

Nos anos em que se cruzou com o Olympiakos, o melhor que a turma italiana conseguiu foi atingir a Final desta prova em 2015 (que viria a perder para o Barcelona).

22 Outubro, 2019 at 7:00 pm Deixe um comentário

Grandes clássicos das competições europeias – (21) Real Madrid – Manchester United

Real Madrid Manchester United

 Época Prova Ronda       1.ª Mão                2.ª mão
1956-57 TCE   1/2  R.Madrid-M.Utd.  3-1   M.Utd.-R.Madrid  2-2
1967-68 TCE   1/2  M.Utd.-R.Madrid  1-0   R.Madrid-M.Utd.  3-3
1999-00 LCE   1/4  R.Madrid-M.Utd.  0-0   M.Utd.-R.Madrid  2-3
2002-03 LCE   1/4  R.Madrid-M.Utd.  3-1   M.Utd.-R.Madrid  4-3
2012-13 LCE   1/8  R.Madrid-M.Utd.  1-1   M.Utd.-R.Madrid  1-2
2016-17 STE  Final R.Madrid-M.Utd.  2-1 (Philip II Ar.,Skopje)

      Balanço global                J    V    E    D   GM   GS
Real Madrid - Manchester United    11    5    4    2   22 – 17

Vem de longe a rivalidade entre estes dois históricos do futebol europeu, que se defrontaram pela primeira vez, na temporada de 1956-57, nas meias-finais, logo na segunda edição da Taça dos Campeões Europeus, de que o Real Madrid começara, desde início, a ser o “crónico” vencedor, tendo triunfado em todas as cinco primeiras finais da prova.

Nas outras três eliminatórias em que os espanhóis levaram a melhor sobre o clube inglês, o Real Madrid revalidaria o título de Campeão Europeu em 1999-00 (8.º dos seus treze títulos), quedando-se pelas meias-finais em 2002-03 (eliminado pela Juventus) e em 2012-13 (suplantado pelo Borussia Dortmund).

Por seu lado, o Manchester United, na única ocasião em que conseguiu superar o Real Madrid no confronto directo (defendendo o tangencial triunfo averbado em casa, impondo um empate a três golos no “Santiago Bernabéu”), também na já distante época de 1967-68, conquistaria a Taça dos Campeões, ganhando ao Benfica na Final, em Wembley, após prolongamento.

A última vez que os dois clubes se cruzaram foi na Supertaça Europeia de 2016-17, em Sjopke, na Macedónia, com José Mourinho (depois de três épocas em que orientou o Real Madrid, entre 2010 e 2013, tendo marcado presença nas meias-finais da Liga dos Campeões nesses três anos) então no comando técnico do Manchester United (vencedor da Liga Europa da referida temporada), tendo a equipa espanhola conquistado também o troféu em disputa.

2 Outubro, 2019 at 7:00 pm Deixe um comentário

Grandes clássicos das competições europeias – (22) Barcelona – Paris Saint-Germain

Barcelona PSG

 Época Prova Ronda       1.ª Mão                2.ª mão
1994-95 LCE   1/4  Barcelona-PSG    1-1   PSG-Barcelona    2-1
1996-97 TVT  Final Barcelona-PSG    1-0   (De Kuip, Roterdão)
2012-13 LCE   1/4  PSG-Barcelona    2-2   Barcelona-PSG    1-1
2014-15 LCE  Grupo PSG-Barcelona    3-2   Barcelona-PSG    3-1
2014-15 LCE   1/4  PSG-Barcelona    1-3   Barcelona-PSG    2-0
2016-17 LCE   1/8  PSG-Barcelona    4-0   Barcelona-PSG    6-1

      Balanço global                J    V    E    D   GM   GS
Barcelona - Paris Saint-Germain    11    5    3    3   22 – 16

O jogo mais importante entre estes dois clubes, que se têm cruzado com assiduidade nos últimos anos terá sido o da Final da Taça dos Vencedores de Taças, da época de 1996-97, no qual o Barcelona conquistou pela quarta vez o troféu, o que lhe confere destacada posição de liderança nessa competição, entretanto já extinta.

Não obstante, o que, por agora, mais perdura na memória, é a recente eliminatória da Liga dos Campeões da temporada 2016-17, na qual, depois de um categórico triunfo (4-0) dos parisienses, o Paris Saint-Germain sofreu uma inexplicável débâcle na cidade condal, saindo vergado ao peso de uma retumbante goleada por 6-1, sendo eliminado em função dos três golos sofridos após o minuto 87 (dois deles já em período de compensação)!

Não obstante o balanço global não seja fortemente desequilibrado, tal traduz-se, contudo, numa vantagem catalã em todas as eliminatórias em que os dois clubes se defrontaram, à excepção da primeira, já em 1995 (com os parisienses a ser, de seguida, afastados, nas meias-finais, pelo AC Milan), sendo que, na edição de 2014-15, o Barcelona viria a conquistar a Liga dos Campeões, sagrando-se Campeão Europeu pela 5.ª vez no seu historial.

Na época de 2012-13, teria sido certamente preferível aos catalães não ter superado – em função de dois empates – os franceses nos 1/4 de final, o que os teria poupado à humilhação de duas goleadas sofridas ante o Bayern nas meias-finais da Liga dos Campeões (4-0 em Munique e 3-0 em Camp Nou, com um aterrador agregado de 7-0!).

Dois anos volvidos, depois de se terem cruzado no mesmo grupo de apuramento, com um triunfo caseiro para cada lado, o Barcelona venceria os jogos das duas mãos, tendo tido oportunidade – na sua caminhada triunfal – de se desforrar do Bayern, igualmente nas meias-finais, “devolvendo” o 3-0 sofrido em casa.

Na recente temporada de 2016-17, a tal da épica “remontada”, o Barcelona quedar-se-ia logo na eliminatória seguinte (1/4 de final), perdendo ante a Juventus (3-0 em Turim, a que se seguiu um nulo na Catalunha).

1 Outubro, 2019 at 7:00 pm Deixe um comentário

Artigos Mais Antigos


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Janeiro 2020
S T Q Q S S D
« Dez    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.