Posts filed under ‘Tomar’

O Pulsar do Campeonato – 12ª Jornada

Pulsar-12

(“O Templário”, 11.01.2018)

5-2 na Ribeira de Santarém, 5-0 em Samora Correia, 5-0 em Tomar, ante o Fazendense; pelo “meio”, 3-0 na recepção ao Torres Novas: estes são os absolutamente impressionantes números dos quatro últimos jogos do União de Tomar no campeonato, somando o pleno de doze pontos, depois da deslocação ao terreno do líder, afirmando de forma bem categórica a sua ambição.

Destaques – O primeiro grande realce da 12.ª ronda vai, necessariamente, para a fantástica goleada (5-0) imposta pelos unionistas ao até então seu parceiro na vice-liderança, Fazendense, que chegava a Tomar ainda invicto no campeonato. Desta feita sem “casos de arbitragem”, jogando “onze para onze” (aliás, seriam os nabantinos a acabar o jogo reduzidos a dez elementos, por expulsão do seu guarda-redes, já no último minuto, por intercepção da bola fora da área, substituído no lance derradeiro da partida por um dos seus colegas do meio-campo, que ainda defendeu o correspondente livre).

No que se vem tornando uma imagem de marca do grupo tomarense, cedo se colocando em vantagem no marcador, “acabaria” com o jogo num curto espaço de tempo, com a obtenção, praticamente sucessiva, do segundo e do terceiro tentos. Depois, até final, foi só gerir, tendo ainda desperdiçado outras ocasiões de perigo, para além dos dois golos adicionais apontados. Em mais uma excelente exibição do colectivo, é justo individualizar o fantástico desempenho de Wemerson, acabado de chegar do Brasil, após as “mini-férias” de Natal e Ano Novo, autor de quatro golos (a somar aos três que obtivera na ronda anterior), que, num ápice, o catapultaram para o terceiro lugar na lista de melhores marcadores!

Também a merecer especial destaque outra notável goleada (6-1), aplicada pelo Torres Novas ao Samora Correia, que, afinal, não conseguiu redimir-se do pesado desaire caseiro sofrido na jornada precedente, ante o U. Tomar. O facto de se ter privado dos dois elementos então expulsos poderá justificar parcialmente este novo descalabro; o acumular do marcador e o inevitável “atirar de toalha ao chão” no que respeita a hipotéticas expectativas de disputar ainda o 1.º lugar (agora já a inacessíveis doze pontos) terão feito o resto… isto, claro, conjugado com o mérito que, inegavelmente, terá de se atribuir ao desempenho dos torrejanos, a subir, novamente, ao pódio da pauta classificativa (apenas dois pontos abaixo dos tomarenses).

Surpresas – Outros três desfechos desta ronda poderão ser categorizados como “surpresa” ou, pelo menos, “meia-surpresa”. Assinalam-se os resultados positivos averbados por: At. Ouriense (forçando o nulo na visita a Almeirim, ante o União local, fazendo atrasar, porventura irremediavelmente, os visitados, caindo para o 5.º posto, agora a nove pontos do guia, paralelamente confirmando o bom campeonato que a turma de Ourém vem realizando); U. Abrantina (também com um empate a zero, no Cartaxo, que tarda em (re)encontrar-se com os êxitos no seu reduto); e Ferreira do Zêzere (1-1, no sempre difícil terreno de Amiais de Baixo, prosseguindo a sua notável campanha, nesta altura partilhando a posição na tabela com os almeirinenses, já com uma confortável margem de dez pontos em relação à “linha de água”).

Confirmações – Com maiores dificuldades do que seria expectável, o comandante, Mação, levou finalmente de vencida o Riachense (2-1) – foi a primeira vez que os maçaenses conseguiram derrotar este adversário, nos últimos oito anos!

Por seu lado, na Ribeira de Santarém, no “derby” escalabitano, os Empregados do Comércio confirmaram a sua crise de resultados, acumulando a quinta derrota consecutiva, batidos por 0-2 pelo Moçarriense, que não desperdiçou a oportunidade de somar três preciosos pontos.

II Divisão Distrital – Na série mais a Norte, para além do triunfo (3-1) do líder, Tramagal, no “derby”, em Alferrarede, destaca-se a goleada (4-1) do “renascido” Pego (afinal, ainda na disputa de um lugar entre os três primeiros) frente à U. Atalaiense, assim como o triunfo do Aldeiense, fora de casa, ante o Espinheirense, contribuindo para animar a concorrência pelo 3.º lugar, numa altura em que tramagalenses e Rio Maior parecem ganhar alguma vantagem.

A Sul, anota-se a surpresa do nulo do guia, Glória do Ribatejo, na recepção ao Pontével, assim como a vitória do Benavente no “derby”, impondo-se por 3-1 ao Barrosense; menção ainda ao desfecho de 4-3 no interessante Benfica do Ribatejo-Forense. Na frente, para além do Glória, líder destacado, um único ponto separa o trio formado por Benavente, Marinhais e U. Santarém.

Campeonato de Portugal – Na 15.ª jornada, apenas o Fátima conseguiu um resultado positivo, com uma tangencial vitória (2-1) ante o Eléctrico de Ponte de Sôr. De facto, o Alcanenense foi incapaz de oferecer resistência ao vice-líder, Vilafranquense, perdendo, em casa, por 1-4. Pior ainda fez o Coruchense, goleado, também no seu reduto, por 0-4, pelo Torreense.

Assim, cumprida a metade inicial da competição, Fátima e Alcanenense ocupam preocupantes posições abaixo da “linha de água” (não obstante em igualdade pontual com o 1.º Dezembro, a um único ponto de Caldas e Sintrense, e a dois pontos de Coruchense e Loures). Tudo em aberto portanto para a segunda volta, numa série de grande equilíbrio, com o 6º e 12.º classificados separados somente por dois pontos; mas, paralelamente, um alerta para a relevância de cada ponto conquistado, numa prova em que os fatimenses procuram recuperar posições, numa trajectória inversa à da formação de Alcanena, em aparente decréscimo de rendimento.

Antevisão – No Distrital, a próxima jornada marca também o final da primeira volta. Na I Divisão, destacam-se os confrontos Fazendense-Torres Novas (4.º e 3.º classificados, respectivamente), Ferreira do Zêzere-Mação e Riachense-U. Tomar, em que os clubes que ocupam os lugares de topo da tabela terão de se “aplicar a fundo” se quiserem sair vitoriosos.

Na II Divisão, realce para os embates Rio Maior-Espinheirense, Aldeiense-Pego e Marinhais-U. Santarém, em que estará sob mira a disputa das posições de apuramento para a fase final.

No Nacional, a abrir a segunda volta, o Fátima recebe o líder, Mafra, enquanto o Alcanenense terá a visita do Praiense (3.º classificado); o Coruchense defrontará, também em casa, o Caldas.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 11 de Janeiro de 2018)

Anúncios

14 Janeiro, 2018 at 12:00 pm Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – Taça Ribatejo – 1/8 final

Pulsar - TRibatejo-1-8

(“O Templário”, 28.12.2017)

Com a disputa, no passado Sábado, dos (quatro) jogos que se encontravam em falta – adiados da ronda do passado 10 de Dezembro –, completou-se a eliminatória correspondente aos 1/8 de final da Taça do Ribatejo, resultando no apuramento de seis clubes do principal escalão e de dois da divisão secundária: Glória do Ribatejo e U. Santarém.

Destaques – O primeiro destaque vai para o reencontro entre Mação e Fazendense, agora no reduto dos maçaenses, na semana imediata após se terem defrontado em partida a contar para o campeonato, na qual fora quebrada a invencibilidade do líder dessa prova. Num desafio em que estiveram frente a frente o actual detentor do troféu, Mação (que já ganhou por duas vezes) e o clube recordista em conquistas na Taça do Ribatejo, o Fazendense (que já por quatro vezes venceu a competição), os maçaenses conseguiram desforrar-se, vencendo por categórica marca de 3-0, assim quebrando também a invencibilidade do adversário na presente época, garantindo, portanto, a qualificação para os 1/4 de final, fase em que terão a visita do Samora Correia.

Outro “jogo-grande” desta (segunda metade da) ronda realizou-se em Amiais de Baixo, onde o Amiense – já por três vezes vencedor do troféu – recebeu o União de Tomar, clube ainda em busca da sua primeira Taça do Ribatejo, que, mercê de um solitário tento (do defesa Diogo Gaspar), obteve o seu quarto triunfo consecutivo naquele difícil terreno, nas deslocações que ali fez nos últimos quatro anos. Foi, paralelamente, a quarta vitória sucessiva dos tomarenses, após as três averbadas nas mais recentes jornadas do campeonato.

Os unionistas têm agora encontro marcado – na próxima eliminatória, agendada para 28 de Janeiro de 2018 – com uma das equipas do escalão secundário que resistem ainda em prova, a do Glória do Ribatejo, emblema que não perde há 17 jogos, desde… a eliminação nos 1/8 de final da Taça da temporada anterior, ante o At. Ouriense, a 5 de Fevereiro de 2017 (e que, aliás, mantém em curso uma excelente série de seis vitórias sucessivas, no campeonato e na Taça).

Surpresa – Em bom rigor, tratou-se apenas de uma “meia-surpresa”, o empate que o Riachense forçou na deslocação a Ferreira do Zêzere (1-1), vindo, não obstante, os ferreirenses, a alcançar o apuramento, por via de tal desempate da marca de grande penalidade. Nos 1/4 de final, o Ferreira do Zêzere viajará até à Ribeira de Santarém, para defrontar o actual “lanterna vermelha” do campeonato, o grupo dos Empregados do Comércio.

Confirmação – No único encontro do passado fim-de-semana em que actuou um representante da II Divisão, o Benavente, visitando Torres Novas, sofreu uma goleada, baqueando por 2-7 frente aos torrejanos, um desfecho inequívoco, confirmando o seu notório favoritismo, claramente distinto do registado nas duas vezes em que estas formações se tinham cruzado em edições anteriores desta Taça, curiosamente com dois empates a duas bolas: em 2009-10, então com os benaventenses a conseguir o apuramento no desempate da marca de grande penalidade, e, na época imediata, de 2010-11, dessa feita, com a “lotaria” das grandes penalidades a favorecer os torrejanos, que viriam a conquistar o troféu. De acordo com o sorteio, o Torres Novas defrontará, de seguida, outro clube da divisão secundária, o U. Santarém.

Do leque de oito “sobreviventes” na presente edição da Taça do Ribatejo, não consta já nenhum dos clubes mais titulados na competição: Fazendense (quatro troféus); Tramagal, Riachense e Amiense (três cada).

De facto, de entre os apurados para os 1/4 de final, apenas o Mação, actual detentor do galardão, e o Samora Correia bisaram já a conquista da prova (2007-08 e 2016-17 no caso dos maçaenses; e nas já distantes temporadas de 1982-83 e 1993-94, no caso dos samorenses); U. Santarém (1978-79), Ferreira do Zêzere (1989-90) e Torres Novas (2010-11) ganharam esta Taça por uma vez cada; U. Tomar (semi-finalista em 2002-03), Glória do Ribatejo (semi-finalista em 2013-14 e em 2014-15) e Empregados do Comércio (finalista em 2011-12 e semi-finalista em 2014-15) ainda não se estrearam na lista dos vencedores.

Antevisão – Os campeonatos (Distritais e Nacional) manter-se-ão em pausa no fim-de-semana de final de ano, apenas sendo retomados já em 2018, com o principal cartaz a ser o desafio em que se cruzam os actuais vice-líderes da I Divisão, União de Tomar e Fazendense, enquanto o guia, Mação, recebendo o Riachense, projectará a possibilidade de – em caso de vitória – voltar a distanciar-se de, pelo menos, um daqueles seus mais directos perseguidores.

Outros encontros de interesse serão o Torres Novas-Samora Correia – dois clubes que já marcaram presença no topo da tabela neste campeonato – e o “derby” escalabitano, entre os “aflitos” Empregados do Comércio e Moçarriense.

Na II Divisão, a Norte, realce para o aliciante “clássico” entre dois históricos, Alferrarede-Tramagal, assim como para o Pego-U. Atalaiense. A Sul, assinala-se outro “derby”, Benavente-Barrosense, tendo o líder, Glória do Ribatejo, um compromisso aparentemente acessível, recebendo o Pontével.

No Campeonato de Portugal, que atinge a última ronda (15.ª) da primeira volta, os três representantes do Distrito actuam, todos eles, nos respectivos terrenos. O Coruchense (no grupo dos 4.º classificados) recebe precisamente um dos integrantes desse lote, o Torreense; por seu lado, o Alcanenense (que partilha a 8.ª posição) terá a visita de um difícil opositor, o Vilafranquense, vice-líder da série; por fim, o Fátima, ainda a tentar libertar-se da zona abaixo da “linha de água”, defronta o Eléctrico de Ponte de Sôr, visando somar mais três pontos.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 28 de Dezembro de 2017)

30 Dezembro, 2017 at 12:00 pm Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 11ª Jornada

Pulsar-11

(“O Templário”, 21.12.2017)

Com o triunfo do Fazendense sobre o Mação, está relançado o campeonato! De facto, quando não atingimos sequer o termo da metade inicial da competição, o novo 2.º classificado – U. Tomar (a par da turma das Fazendas) – dista agora cinco pontos do líder, tendo recuperado entretanto já cinco (dos dez) pontos de atraso que chegou a registar, em outras tantas jornadas… Mais: para além do par que reparte a 2.ª posição, segue-se de perto um trio, só a dois pontos.

Destaques – O primeiro grande realce da 11.ª jornada vai para o Fazendense, que, quebrando a invencibilidade do Mação, ao ganhar por 2-0, é, agora, o único clube ainda invicto na prova, paralelamente, intrometendo-se decididamente no lote de candidatos.

Da parte dos maçaenses, que parecem atravessar uma fase de alguma quebra de “fulgor” (mesmo superando os diversos obstáculos que se lhe iam deparando, a verdade é que as últimas quatro vitórias alcançadas no campeonato foram, todas elas, por marca tangencial, tendo, entretanto, cedido dois empates nos quatro jogos anteriores), este é um claro indício de que estará ainda bastante longe a concretização do objectivo, sendo que, aliás, estes últimos resultados permitem suscitar a dúvida, atendendo também à fraca capacidade de concretização que vêm revelando (média inferior a dois golos, nesta altura apenas o 6.º “melhor ataque”).

Destaca-se igualmente mais uma categórica vitória do U. Tomar, goleando por excepcional marca de 5-0 – em jogos de campeonato, fora de casa, a sua segunda maior goleada dos últimos 50 anos! (apenas superada pelos 8-0 de 2013-14, frente aos “Caixeiros”) – na visita a Samora Correia. Um desfecho que, todavia, denota apenas ilusórias facilidades para os unionistas; num desafio de características muito peculiares, houve como que três fases claramente distintas…

Uma inicial, com a equipa tomarense a entrar em campo com grande atitude, “mandona”, assumindo a iniciativa, uma vez mais praticamente entrando a ganhar, com o primeiro tento obtido ainda não estavam completados três minutos, numa bela iniciativa de Wemerson (que seria autor de um “hat-trick”), a isolar-se, cara a cara com o guarda-redes, não vacilando. No imediato, dando boa sequência a esse posicionamento em campo, o União ampliaria a contagem por volta do quarto de hora, na conversão de uma grande penalidade, de que acabaria por resultar a expulsão do guardião samorense (tendo visto um cartão amarelo antes do remate da marca de “penalty” e, outro, imediatamente após a sua concretização, ambos por protestos).

Esta situação viria a condicionar todo o resto do encontro, acabando por, de alguma forma, limitar o brilho do triunfo nabantino. Efectivamente, à passagem dos vinte minutos, o Samora Correia ver-se-ia reduzido a nove elementos, com o árbitro a evidenciar notórias dificuldades em “segurar” o jogo. Paradoxalmente, nesse período, a jogar em superioridade numérica, o U. Tomar teria grandes dificuldades em suster o ímpeto do adversário, que dispôs de algumas ocasiões soberanas para marcar, apenas por um misto de grande infelicidade e inépcia não tendo conseguido reduzir a desvantagem. A findar o primeiro tempo, também os tomarenses teriam um elemento expulso (por empurrão, em “resposta” a falta de adversário).

Temeu-se que o jogo pudesse ficar “estragado” e, inclusivamente, que viesse a complicar-se de tal forma para o árbitro, podendo inclusivamente vir a colocar em causa a sua conclusão. Valeria então – para “alívio” de todos –, cerca dos dez minutos da segunda parte, o terceiro golo unionista, aproveitando o desposicionamento táctico dos samorenses, em mais um rápido lance de contra-ataque. A partir daí, o União controlaria o jogo a seu bel-prazer, acabando, já na fase final, por marcar ainda por mais duas vezes, em tentos de bom recorte técnico, sendo de registar o “fair-play” demonstrado pelos visitados, perante um resultado excessivamente desnivelado.

Surpresas – Esta foi uma jornada em que se registam alguns desfechos inesperados: desde logo, a sensacional reviravolta operada pelo Ferreira do Zêzere, que, depois de ter estado a perder 0-2 com o U. Almeirim (anterior vice-líder), acabaria por vencer por 3-2! Mas, também, o triunfo do Cartaxo em Ourém, ante o At. Ouriense (1-3), confirmando que os cartaxeiros são especialmente vocacionados para vencer em terreno alheio. Por fim, não seria talvez expectável a vitória do Riachense frente ao Amiense (2-1), somando preciosos pontos.

Confirmações – Em Abrantes e em Santarém, confirmou-se o favoritismo da U. Abrantina (2-0, na recepção ao Moçarriense) e do Torres Novas (ganhando, por dilatada marca de 3-0 perante o agora “lanterna vermelha”, Empregados do Comércio, a agravar a crise dos “Caixeiros”).

II Divisão Distrital – Na série a Norte, para além da goleada (7-0) do Rio Maior ao At. Pernes, menção a novo empate (3-3) no “derby” Tramagal-Pego, o que proporcionou o reagrupamento na frente da tabela, com os quatro primeiros agora separados por apenas dois pontos.

A Sul, o U. Santarém prossegue a sua senda goleadora (depois de 4-0 ao Forense e de 6-1 ao Pontével, e do 6-0 ao U. Atalaiense para a Taça, foi golear ao Porto Alto por 7-0!). Por seu lado, o Glória do Ribatejo venceu no terreno do Forense (2-0), confirmando a sua liderança, enquanto o Marinhais foi ganhar ao campo do Vale da Pedra, mantendo-se na perseguição, a dois pontos.

Campeonato de Portugal – Nesta 13.ª jornada, uma vitória (do Coruchense, nos Açores, face ao Lusitânia, por 2-1), um empate (do Fátima, em Loures, a zero) e uma derrota (do Alcanenense, em Sintra, ante o 1.º Dezembro, por 2-0) resultam na subida da turma do Sorraia ao grupo dos 4.º classificados, estando o grupo de Alcanena imediatamente acima da “linha de água”, enquanto os fatimenses se mantêm no 12.º posto, três pontos abaixo.

Antevisão – Os campeonatos entram agora em período de férias, apenas sendo retomados já no novo ano, de 2018. Neste Sábado, conclui-se a disputa dos 1/8 de final da Taça do Ribatejo, salientando-se a “reedição” do confronto entre Mação e Fazendense, agora no terreno dos maçaenses, enquanto o U. Tomar terá uma deslocação ao sempre difícil reduto de Amiais de Baixo, pese embora o desempenho irregular que o Amiense vem apresentando no campeonato.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 21 de Dezembro de 2017)

23 Dezembro, 2017 at 12:00 pm Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – Taça do Ribatejo – 1/8 de final

Pulsar-TacaRibatejo-1-8

(“O Templário”, 14.12.2017)

No passado fim-de-semana começou a disputar-se a eliminatória correspondente aos 1/8 de final da Taça do Ribatejo, com a realização de metade dos oito jogos que compõem o alinhamento desta ronda. De facto, os outros quatro embates foram adiados (em princípio, para 23 de Dezembro), devido ao facto de os clubes intervenientes terem alguns elementos ao serviço da selecção distrital de Santarém, a qual marcou presença no torneio de qualificação da “UEFA Regions’Cup”, onde, contudo, não foi além da primeira fase, tendo ganho à selecção de Leiria, mas sido desfeiteada pelas selecções da Guarda e de Castelo Branco.

Destaques – Não tendo havido surpresas nos quatro jogos realizados, o destaque vai para a goleada (6-0) do U. Santarém, na recepção à U. Atalaiense, numa partida em que estiveram frente a frente os actuais 4.º classificados das Séries Sul e Norte da II Divisão Distrital.

Os clubes escalabitanos estiveram, aliás, em bom plano, dado que também os Caixeiros garantiram o apuramento para os 1/4 de final, tendo vencido o jogo ante o Alferrarede, por 4-2.

Por agora, há já duas equipas do escalão secundário qualificadas para a eliminatória seguinte: para além do U. Santarém, também o Glória do Ribatejo – turma com boa tradição nesta prova em anos recentes – segue em frente, tendo vencido no “derby”, em Marinhais, por 1-0 (repetindo o triunfo que averbara no desafio a contar para o campeonato).

Confirmações – No único encontro entre equipas primodivisionárias, o Samora Correia afastou a U. Abrantina, confirmando o seu favoritismo, ganhando por 3-1.

Retrospectiva – Aproveitamos o ligeiro interregno no principal campeonato para fazer uma breve retrospectiva, comparando a evolução face ao desempenho registado na época anterior.

Começando pelo princípio – ou, mais propriamente pelo fim, extremos que, no caso concreto, se “tocam” – a maior decepção é o Riachense, que, na temporada passada, com dez jornadas disputadas, liderava o campeonato com 23 pontos, tendo caído, este ano, à mesma jornada, para “lanterna vermelha”, somente com escassos quatro pontos averbados.

Pela positiva, o destaque maior vai para o Mação, que, tendo duplicado o número de pontos (de 13 para 26!), regista fulgurante subida na classificação, do 8.º lugar no ano passado, para 1.º esta época. Também o At. Ouriense justifica menção similar, tendo passado dos 7 pontos no campeonato anterior, para 17 este ano, o que se traduz numa subida da 12.ª à 5.ª posição.

De alguma forma em tendência análoga – embora menos vincada – à do Riachense, temos o Amiense, que regista quebra significativa, de 22 para 13 pontos, baixando do 2.º ao 9.º posto.

Com ganhos pontuais em relação à época precedente temos ainda: o Torres Novas (de 11 para 16 pontos), representando uma melhoria de apenas dois lugares (de 10.º para 8.º); o U. Almeirim (de 15 para 19 pontos), proporcionando aos almeirinenses ascender do 7.º ao 2.º posto; e, com ganhos marginais, o Cartaxo (de 10 para 13 pontos), subindo uma posição na pauta classificativa (da 11.ª para a 10.ª), e o Fazendense (de 17 para 18 pontos), traduzida numa evolução do 6.º ao 4.º lugar.

Por curiosidade, o União de Tomar mantém exactamente o mesmo número de pontos do ano anterior, nesta fase da prova (18), tendo, não obstante, avançado do 5.º para o 3.º lugar.

Por fim, em ligeira perda, temos os casos do Samora Correia (de 20 para 17 pontos), descendo do 4.º ao 6.º posto, e, continuando em posição aflitiva, os Empregados do Comércio, que vêem ainda reduzida a já fraca pontuação registada no ano anterior (de 6 para 5 pontos), mantendo a penúltima posição.

Sem comparativo directo, dado ter sido promovido do segundo escalão, destaque ainda para o Ferreira do Zêzere, com muito boa desempenho, traduzido nos 16 pontos já averbados, que lhe conferem um confortável 7.º lugar. Os outros clubes promovidos, Moçarriense e U. Abrantina, registam campanhas bem mais modestas, respectivamente com 7 e 6 pontos obtidos, a que correspondem o 11.º e 12.º lugares na classificação, em acesa disputa pela manutenção.

Campeonato de Portugal – Na 13.ª jornada da competição, o Alcanenense obteve um bom triunfo, ganhando por 2-0 ao Caldas. Ao invés, Coruchense (recebendo o líder, Mafra) e Fátima (em visita a Sacavém) foram desfeiteados, perdendo, respectivamente por 0-1 e 0-2. Assim, o grupo de Alcanena subiu ao 6.º posto, tendo ultrapassado a formação do Sorraia, que caiu para a 9.ª posição; por seu lado, os fatimenses mantêm o 12.º lugar. Numa série muito equilibrada, Alcanenense e Coruchense têm, somente, apenas, três e dois pontos, respectivamente, de vantagem face à “linha de água”, da qual o Fátima dista um único ponto.

Antevisão – Na retoma dos campeonatos, na I Divisão Distrital prosseguem os embates entre candidatos: o guia, Mação, tem mais um teste à sua invencibilidade, na deslocação a Fazendas de Almeirim, onde encontrará, precisamente, o outro clube ainda invicto na prova, o Fazendense. Mas, também em Samora Correia teremos outro jogo de grande cartaz, com os samorenses a receberem a visita do U. Tomar, que continua a precisar de ganhar “jogo a jogo”…

Na II Divisão, a Norte, realce para o confronto entre U. Atalaiense e Aldeiense, sendo que os dois primeiros classificados se apresentam com amplo favoritismo nesta ronda, recebendo, respectivamente, o Pego (Tramagal) e At. Pernes (Rio Maior). A Sul, o Glória do Ribatejo, com uma saída até ao terreno do Forense, poderá aproveitar o facto de o Benavente folgar, dependendo também do desfecho do Marinhais (com deslocação difícil para defrontar o Vale da Pedra), para poder ampliar a sua vantagem na liderança.

No Campeonato de Portugal, os três representantes do Distrito actuarão em terreno alheio, em jogos com algum grau de dificuldade. O Alcanenense visita Sintra, para defrontar uma equipa do 1.º Dezembro inesperadamente em apuros na tabela; o Coruchense viaja até aos Açores, onde encontrará o Lusitânia; cabendo ao Fátima deslocar-se a Loures (actual 4.º classificado).

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 14 de Dezembro de 2017)

17 Dezembro, 2017 at 12:00 pm Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 10ª Jornada

Pulsar-10

(“O Templário”, 07.12.2017)

À medida que o campeonato vai avançando, maior parece ser o equilíbrio entre um numeroso leque de concorrentes, numa prova nivelada por cima, enquanto, algo paradoxalmente, a pragmática equipa do Mação continua, de forma paulatina mas consistente, a dilatar a sua vantagem, continuando a transpor sem falhas os diversos e difíceis obstáculos que se lhe vão deparando no caminho, beneficiando dos pontos perdidos nos jogos entre os seus perseguidores.

Destaques – O primeiro destaque desta 10.ª ronda vai precisamente para mais um triunfo dos maçaenses, defrontando, pela segunda semana sucessiva um dos 2.º classificados, Samora Correia, voltando a vencer, outra vez, graças a um único golo, o “q.b.” para somar mais três pontos, distanciando assim os samorenses – que somaram o terceiro desaire nas últimas quatro partidas –, agora já a nove pontos, tendo caído para o 6.º posto.

Realce também para a categórica vitória do U. Tomar na recepção ao Torres Novas (curiosamente, repetindo a marca da época passada, 3-0), somando terceira vitória nos últimos quatro jogos (empatou apenas no terreno do líder), o que catapultou os unionistas para o pódio – numa fulgurante ascensão, desde o 8.º lugar, numa única jornada –, repartindo agora a 3.ª posição com o Fazendense, ambos só um ponto abaixo do novo 2.º classificado, U. Almeirim.

Tal como sucedera na semana anterior, os unionistas, praticamente entrando a ganhar, com o golo inaugural logo ao terceiro minuto, cedo resolveram a contenda, fixando o marcador ainda no decurso da primeira metade do desafio. Não obstante, com os oito tentos apontados nos 45 minutos iniciais das duas últimas jornadas, o grupo nabantino, somando já um total de 23 golos, cota-se agora como o melhor marcador da prova. Ao invés, os torrejanos, somando terceira derrota sucessiva, baixaram, em duas semanas, de 2.º para 8.º!

Por fim, menção ainda à goleada (4-0) averbada pela U. Abrantina frente aos Empregados do Comércio (com quatro derrotas nos últimos cinco jogos, apenas não tendo perdido… com o líder), ultrapassando assim os “Caixeiros”, ao mesmo tempo que trespassou a “lanterna vermelha”, de novo, a uma irreconhecível equipa do Riachense, cada vez em maiores apuros.

Confirmações – Os resultados dos outros quatro jogos não trouxeram também qualquer surpresa, confirmando-se, portanto, o favoritismo do U. Almeirim e do Cartaxo, assim com a esperada tendência de equilíbrio nos encontros de Amiais de Baixo e da Moçarria.

O Cartaxo conseguiu finalmente, ao quarto jogo, quebrar a malapata, depois de três desaires no seu terreno, ganhando por 2-1 ao Ferreira do Zêzere, que, concomitantemente, viu também quebrada a sua magnífica série de cinco vitórias consecutivas. Um desfecho que volta a trazer o conjunto cartaxeiro para junto do “pelotão” da frente, agora a três pontos do par que reparte a 7.ª e 8.ª posição, ampliando para sete pontos a margem de segurança em relação à “linha de água”.

Em Amiais de Baixo, o Amiense e Fazendense repetiram, pela sexta vez nas últimas oito épocas, a igualdade, desta feita a uma bola, num confronto em que esta tendência de equilíbrio raramente tem sido desfeita. O clube das Fazendas de Almeirim somou o seu sexto empate na presente edição do campeonato, mantendo, assim, a invencibilidade na competição.

Em Almeirim, o União local, sem contemplações ante o, outra vez, “lanterna vermelha”, Riachense – somou o quinto desaire nas últimas seis partidas que disputou –, goleou por 5-1 (desforrando-se da eliminação na Taça do Ribatejo, aos pés deste mesmo adversário), aproveitando os resultados dos seus mais directos rivais na tabela para subir do 4.º ao 2.º lugar.

Por fim, na Moçarria, o Moçarriense e o At. Ouriense não foram além do empate, igualmente a uma bola, um desfecho mais agradável para a formação de Ourém do que para os donos da casa, que, apenas tendo conseguido, até agora, vencer um único jogo, e não obstante se mantenham à “tona de água”, contam somente um escasso ponto a mais que a U. Abrantina, tendo visto o Cartaxo afastar-se, agora já a seis pontos – parecendo, assim, restringir-se ao quarteto da cauda da pauta classificativa (também com Caixeiros e Riachense) a luta para escapar à despromoção.

II Divisão Distrital – Na série a Norte, o Tramagal cedeu os primeiros pontos, não tendo conseguido desafazer o nulo na visita que fez ao terreno onde o Aldeiense disputa os seus jogos em casa, mantendo o comando, mas vendo, assim, o Rio Maior (vitória por 4-1 em Alferrarede) aproximar-se, agora a três pontos. No confronto entre U. Atalaiense e Espinheirense, clara vitória da turma da Atalaia (3-0), seguindo ambos um ponto mais abaixo, na 3.ª posição.

A Sul, já na 8.ª ronda, o Glória do Ribatejo reforçou a liderança, ganhando ao Barrosense (2-0) e beneficiando do empate (1-1) do Benavente em Benfica do Ribatejo. Destaque para as goleadas obtidas por U. Santarém (6-1 na recepção ao Pontével) e Marinhais (5-1 ao Porto Alto), ocupando, respectivamente, o 4.º e o 2.º lugar (partilhado com o Benavente).

Campeonato de Portugal – Esta foi uma jornada (12.ª) positiva para os emblemas do Distrito, com triunfos do Fátima (3-0 ao Sintrense) e do Coruchense (3-2 em Ponte de Sôr, frente ao Eléctrico), enquanto o Alcanenense foi empatar, a zero, a Torres Vedras, ante o Torreense. A turma do Sorraia subiu ao 5.º lugar, sendo agora o grupo de Alcanena, 10.º; ainda abaixo da “linha de água”, mas somente um ponto abaixo, o Fátima manteve-se no 12.º posto.

Antevisão – Neste fim-de-semana, os campeonatos distritais registam nova interrupção, a pretexto da disputa dos 1/8 de final da Taça do Ribatejo. Contudo, devido ao facto de se encontrar também em acção a selecção distrital, apenas serão realizadas três das oito partidas inicialmente agendadas: Empregados do Comércio-Alferrarede, Marinhais-Glória do Ribatejo e U. Santarém-U. Atalaiense, tendo as restantes sido adiadas, em princípio, para 23 de Dezembro.

No Campeonato de Portugal, o Coruchense terá a visita do líder, Mafra, enquanto o Alcanenense recebe o Caldas; o Fátima desloca-se a Sacavém, para defrontar o Sacavenense.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 7 de Dezembro de 2017)

10 Dezembro, 2017 at 12:00 pm Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 9ª Jornada

Pulsar-09

(“O Templário”, 30.11.2017)

Cumprido o terço inicial do Distrital da I Divisão, o campeonato está ao “rubro”, com apenas dois pontos a separar o 2.º e o 8.º classificados! Perante este cenário, o Mação vai fazendo uma campanha “à parte” – tendo somado mais três preciosos pontos, no terreno do até então vice-líder –, beneficiando, paralelamente, dos resultados dos outros mais directos perseguidores, para ampliar, agora já para seis pontos, o seu avanço.

Destaques – O principal realce desta jornada vai para a goleada do Ferreira do Zêzere ao Moçarriense (5-0), e não só pelos números desta vitória, mas, sobretudo, por se tratar do quinto triunfo consecutivo dos comandados de Eduardo Fortes – onde Tiago Vieira vai brilhando a grande altura, já com dez tentos apontados –, num desempenho sem paralelo no historial dos ferreirenses, que integram um quarteto que partilha a 4.ª posição, somente um ponto abaixo do par formado por Fazendense e Samora Correia.

Naturalmente, a vitória arrancada pelo Mação em Torres Novas, mercê de um solitário golo, é também merecedora de especial destaque, voltando a catapultar os maçaenses – depois dos dois empates registados nas duas últimas semanas – para uma liderança que parece cada vez mais folgada, enquanto, ao invés, os torrejanos somaram o terceiro jogo sem ganhar.

É digna de menção, igualmente, a goleada do União de Tomar na Ribeira de Santarém, frente aos Caixeiros (5-2) tendo chegado a pairar no ar – quando, ainda antes dos 35 minutos (!), os unionistas chegaram ao 4-0 – o espectro da eventual repetição do desfecho de há quatro anos (8-0). Porém, depois de um quarto de hora final do primeiro tempo ainda bem animado, com mais três golos, na segunda metade do encontro o marcador não se alteraria. Para os tomarenses, enfim, o quebrar da “malapata”, com o primeiro êxito fora de portas, após três empates (e um desaire). Mas, principalmente, tal significa voltar a ter o 2.º lugar sob ponto de mira, conforme referido, agora à distância de apenas dois pontos…

Surpresa – Atendendo ao percurso que ambas as formações vêm apresentando neste campeonato, não deixa de ser surpreendente o triunfo alcançado pelo Riachense – primeiro, nesta edição da prova – na recepção ao Cartaxo (2-1), resultado “arrancado a ferros”, com o golo da vitória a ser apontado já em período de compensação, surpreendendo um também irreconhecível conjunto cartaxeiro, 10.º classificado, já com 13 pontos de desvantagem do guia e talvez a começar a ter de preocupar-se mais em “olhar para baixo” do que para cima…

Confirmações – Nas restantes três partidas desta 9.ª ronda, os desfechos têm correspondência face ao que seriam as expectativas gerais.

Começando pelo “derby” almeirinense, os rivais neutralizaram-se, empatando a uma bola, o que originou, de novo, o atrasar de ambos os clubes em relação ao líder. Ainda assim, o Fazendense, (que jogava no seu terreno) manteve a invencibilidade na prova, enquanto que, para o U. Almeirim, se tratou do terceiro empate nas quatro jornadas mais recentes.

Por seu lado, o Samora Correia, que vinha de um ciclo precisamente igual ao agora registado pelo Torres Novas, com um empate e duas derrotas – voltou a vencer, na recepção ao Amiense (2-1), ascendendo assim ao 2.º posto, a par do emblema das Fazendas de Almeirim. Ao contrário, para o grupo de Amiais de Baixo, tratou-se da quarta derrota nos últimos cinco jogos.

Finalmente, em Ourém, o Atlético local impôs-se frente ao agora “lanterna vermelha”, U. Abrantina, operando a reviravolta no marcador, para acabar por ganhar por 3-1, no seu terceiro triunfo em quatro rondas, integrando o tal quarteto do 4.º ao 7.º classificados.

II Divisão Distrital – Na série a Norte, o Tramagal segue de “vento em popa”, mantendo o pleno de vitórias (cinco), após ter vencido um adversário difícil, U. Atalaiense, por 1-0. Destaque ainda para a soberba goleada (8-0) aplicada pelo Rio Maior a um grupo do Pego em “reconstrução”, porventura sem aspirações a poder disputar os primeiros lugares nesta temporada. O Espinheirense (2-0 ao At. Pernes) mantém-se na perseguição ao guia, a três pontos, dois pontos acima do Rio Maior e do Aldeiense (batido em Caxarias por 3-1).

A Sul, já na 7.ª ronda, o Benavente foi surpreendido, no seu próprio reduto, pelo Glória do Ribatejo, perdendo por 1-0, vendo-se assim igualado no comando da prova, com vantagem para a turma da Glória, que regista um jogo disputado a menos. Surpreendente terá sido também a vitória do Salvaterrense (primeira, após o regresso do clube à competição oficial) na Barrosa (3-1), com o Barrosense a atrasar-se, ultrapassado pelo Marinhais (vencedor em Pontével, por 3-2).

Campeonato de Portugal – No confronto entre representantes do Distrito, Coruchense e Fátima empataram a dois golos, enquanto o Alcanenense conseguiu voltar aos triunfos, ganhando ao Lusitânia dos Açores por tangencial e sofrido 3-2. Continua, assim, a ser pouco tranquilizadora a posição que ocupam, agora com os três clubes em sequência directa na pauta classificativa: a turma de Alcanena no último lugar acima da “linha de água” (10.º), com a mesma pontuação do grupo do Sorraia (11.º), seguidos pelos fatimenses (12.º) a três pontos.

Antevisão – Na I Divisão Distrital, destacam-se os encontros entre Mação e Samora Correia (com o líder, outra vez, a cruzar-se com um dos 2.º classificados), assim como o principal clássico do futebol distrital, com o União de Tomar a receber o Torres Novas, num confronto já repetido por 88 vezes (em provas de âmbito nacional e distrital), com ligeira vantagem tomarense (37 contra 34 em número de vitórias, para além de 17 empates).

Na II Divisão, a Norte, o Tramagal desloca-se ao terreno do Aldeiense, perfilando-se como favorito, enquanto a U. Atalaiense recebe o Espinheirense. A Sul, dois jogos sobressaem também: Glória do Ribatejo-Barrosense e Benfica do Ribatejo-Benavente.

No Campeonato de Portugal, o Alcanenense tem uma saída difícil, a Torres Vedras, enquanto o Coruchense viaja ao Alentejo, até Ponte de Sôr; por seu lado, o Fátima recebe o Sintrense (5.º).

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 30 de Novembro de 2017)

3 Dezembro, 2017 at 12:00 pm Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 8ª Jornada

Pulsar-08

(“O Templário”, 23.11.2017)

No jogo grande da 8.ª ronda do Distrital da I Divisão, o Mação, recebendo o União de Tomar, somou segundo empate sucessivo; não obstante, beneficiou da derrota do Torres Novas para ampliar a sua vantagem na liderança, agora de quatro pontos, face a torrejanos e a uma equipa do Fazendense que tem vindo a subir na tabela, a par dos maçaenses a única que mantém a invencibilidade na prova, num campeonato que promete ainda muita animação.

Destaques – O principal realce vai precisamente para o triunfo do Fazendense no Cartaxo (2-1), no que traduz o terceiro desaire caseiro dos cartaxeiros em outros tantos jogos disputados! Por seu lado, a turma de Fazendas de Almeirim, com um desempenho muito regular, até agora similar em casa e fora do seu reduto (2 vitórias e 2 empates), aproximou-se do topo, ascendendo ao 2.º lugar, curiosamente com o mesmo número de golos marcados e sofridos que o líder.

Outro grande destaque vai para mais uma vitória (1-0) – a quarta consecutiva, na que será a melhor série de sempre do clube no principal escalão – do Ferreira do Zêzere, desta feita em Abrantes, ante a U. Abrantina (que vinha de um triunfo em Riachos), o que lhe possibilitou ascender a uma magnífica 6.ª posição na pauta classificativa, somente a três pontos do 2.º posto!

Merece ainda um sublinhado particular a goleada (6-0) imposta pelo At. Ouriense, na recepção aos Empregados do Comércio, uma equipa que vinha de um empate frente ao comandante, mas que tem alternado bons resultados com outros menos conseguidos. Confirmou-se a tendência de anos anteriores, com os Caixeiros a sofrerem a quarta goleada em Ourém em quatro jogos.

Confirmações – Nas outras quatro partidas, os desfechos verificados podem enquadrar-se dentro do que seria expectável.

Desde logo, em Mação, frente ao líder, o U. Tomar uma vez mais demonstrou não ser inferior a qualquer adversário neste campeonato. Contudo, tal continua a não ser patente na tabela, tendo os unionistas baixado agora a um modesto 8.º lugar (a par do Amiense), somando apenas metade dos pontos até agora em disputa. Num desafio que podia marcar o relançar dos tomarenses no campeonato – que continuam sem vitórias em terreno alheio, após quatro jogos –, o melhor que foi possível foi o empate, alcançado já na fase final do encontro, apesar de ter havido ainda possibilidade para chegar ao triunfo, no 6.º minuto do tempo de compensação…

Por agora, uma igualdade (1-1) que serviu bem melhor os interesses dos maçaenses, que não só mantêm distâncias, como, inclusivamente, ampliaram a vantagem face aos rivais mais próximos (Torres Novas e Samora Correia foram ambos derrotados). Mas o campeonato é longo e o pelotão de perseguidores é vasto, com nada menos de oito clubes (do 2.º ao 9.º classificado) concentrados num intervalo de apenas quatro pontos!

Em Almeirim, o União local regressou às vitórias, batendo o Samora Correia por 2-0, subindo assim ao 4.º posto, somente um ponto abaixo do duo que reparte a 2.ª posição, tendo ultrapassado, precisamente, os samorenses, que caíram dois lugares, para 5.º.

O Amiense, recebendo o Torres Novas, conseguiu enfim pôr cobro a um ciclo de quatro derrotas consecutivas, ganhando também por 2-0, igualando o União de Tomar na classificação.

Por fim, na Moçarria, os donos da casa alcançaram o primeiro triunfo no campeonato (2-1), agravando ainda mais a já delicada situação do Riachense, “lanterna vermelha”, agora a cinco pontos da “linha de água”, acima da qual se posicionou o seu opositor desta jornada. Se excluirmos o Cartaxo desta disputa, poderá começar a antever-se que a luta pela manutenção será, pelo campeonato adiante, o “dia-a-dia” do quarteto actualmente na cauda da tabela, incluindo, para além de Moçarriense e Riachense, também os Caixeiros e a U. Abrantina.

II Divisão Distrital – Na série mais a Norte, o principal realce vai para o Tramagal, goleando o Espinheirense por 3-0, somando o quarto triunfo sucessivo, tendo-se isolado na liderança, com o pleno de pontos, beneficiando ainda do empate do Aldeiense (2-2) com o Rio Maior.

A Sul, já na 6.ª jornada, o Benavente foi vencer a Salvaterra (2-0), mantendo o comando, três pontos acima do Glória do Ribatejo (que goleou também por 3-0 o Benfica do Ribatejo), equipa que regista um jogo a menos. De assinalar ainda a vitória (3-1) obtida pelo Barrosense em Santarém, ante o União local, mantendo assim a 3.ª posição nesta série.

Antevisão – Na I Divisão Distrital, a 9.ª jornada “promete”, em especial com duas partidas em que se defrontarão os actuais quatro primeiros classificados!

O guia, Mação, terá mais um sério teste, visitando Torres Novas, para defrontar um dos seus mais próximos rivais na tabela, não sendo todavia expectável que possa vir a ver quebrada a sua invencibilidade na prova. Por outro lado, destaque também para o “derby” Fazendense-U. Almeirim, respectivamente no 2.º e 4.º lugar, separados por apenas um ponto, um desafio que poderá dar também indicações sobre as aspirações futuras de cada uma destas formações.

O União de Tomar terá nova oportunidade para, na deslocação à Ribeira de Santarém, frente aos Empregados do Comércio, procurar chegar ao primeiro triunfo “fora de portas”.

Na II Divisão, a Norte, o Tramagal tem outro encontro de grau de dificuldade elevado, recebendo a U. Atalaiense, enquanto o Aldeiense visita Caxarias. A Sul, o “jogo grande” é, justamente, o que coloca frente-a-frente os dois primeiros: Benavente-Glória do Ribatejo.

No Campeonato de Portugal, de regresso após a pausa para disputa da Taça de Portugal (já sem representantes do Distrito), teremos, agora sim, o aliciante confronto entre Coruchense-Fátima, enquanto o Alcanenense recebe o Lusitânia (Açores), na expectativa de poder voltar às vitórias.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 23 de Novembro de 2017)

26 Novembro, 2017 at 12:00 pm Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 7ª Jornada

Pulsar-07

(“O Templário”, 16.11.2017)

Caixeiros travam líder

À 7.ª jornada o líder, Mação, viu interrompida a sua senda triunfal, não tendo conseguido, pela primeira vez na prova, ir além do empate, na deslocação à Ribeira de Santarém, frente aos Empregados do Comércio. Numa ronda na qual nenhum dos cinco primeiros da tabela conseguiu vencer, tal resultou num reagrupamento do pelotão da frente, agora com um total de oito equipas enquadradas num intervalo de apenas seis pontos, entre o 2.º e o 9.º classificado.

Destaques – O grande destaque vai para os Caixeiros que, recebendo o Mação, tendo começado por sofrer um golo, tiveram a capacidade para operar a reviravolta no marcador, mantendo-se em vantagem até próximo do final da partida, com os maçaenses a conseguir ainda minimizar os danos, acabando por restabelecer a igualdade, a duas bolas.

Merece igualmente realce o triunfo averbado pelo Cartaxo na visita a Samora Correia, impondo-se por 3-1 no terreno do actual 3.º classificado. Depois de ter ganho já em Tomar, ante o União, e de ter empatado em Almeirim, os cartaxeiros confirmam a sua vocação para roubar pontos aos candidatos ao título, no seu próprio reduto. Um desempenho em flagrante contraste com os resultados registados em casa, em que, até agora, em dois jogos, contam dois desaires.

Surpresa – A surpresa desta ronda registou-se nas Fazendas de Almeirim, onde o aguerrido grupo do Moçarriense foi arrancar um nulo, somando assim o seu terceiro empate (depois do União de Tomar e do Samora Correia, ambos em casa). Para o Fazendense, que mantém a invencibilidade, esta foi já a quarta igualdade cedida/averbada (terceira nos últimos quatro jogos), mantendo o 4.º posto na pauta classificativa, a seis pontos do comandante.

Outra “meia-surpresa” ocorreu nos Riachos, com a primeira vitória da U. Abrantina – colocando termo a um terrível ciclo de seis desaires sucessivos –, batendo o Riachense por 2-1. Ao invés, para a turma da casa, este desfecho vem confirmar que será necessário mudar bastante para poder evitar a ameaça da despromoção. Com uma campanha irreconhecível, o Riachense é agora o “lanterna vermelha”, com um único ponto obtido até à data!

Confirmações – O União de Tomar, evidenciando uma subida de forma nas últimas semanas, impôs-se categoricamente ao Amiense – que, depois de três triunfos nas três primeiras jornadas, somou a quarta derrota consecutiva –, ganhando por 3-0, sendo o principal beneficiado da jornada, ganhando pontos (2 ou 3) a todos os cinco clubes que seguem actualmente à sua frente na pauta classificativa. Um tento a abrir cada meio tempo selaram uma vitória tranquila dos unionistas, reforçada ainda com o terceiro golo.

Em Ferreira do Zêzere, a turma local prossegue a sua excelente recuperação, sob o comando técnico de Eduardo Fortes – após os três desaires na abertura do campeonato, somou agora o terceiro triunfo sucessivo –, batendo uma boa equipa do At. Ouriense por 2-0, posicionando-se a meio da tabela, nesta já altura já com uma vantagem de sete pontos face à “linha de água”!

Num dos principais desafios da ronda, em que se defrontavam o vice-líder, Torres Novas (que mantinha em curso um ciclo de três vitórias) e o 5.º classificado, U. Almeirim, curiosamente – tal como sucedera na semana anterior com os almeirinenses –, empatando de novo a um golo, os dois conjuntos “anularam-se” mutuamente, tendo, desta feita, a formação de Almeirim desperdiçado uma grande penalidade já mesmo no final do jogo. Assim, os torrejanos continuam a três pontos do guia, enquanto o U. Almeirim mantém um atraso de sete pontos.

II Divisão Distrital – Na série mais a Norte, apenas na sua 3.ª jornada, destaque para as goleadas do Espinheirense frente ao Alferrarede (6-1) e, sobretudo, por inesperada, do Rio Maior ante a U. Atalaiense (4-1). As equipas do Espinheirense, Aldeiense (vitória no terreno do Ortiga) e Tramagal (ganhando em Caxarias) partilham o comando, com o pleno de pontos.

A Sul, já na 5.ª ronda, numa série bastante equilibrada, o Benavente venceu o confronto com o U. Santarém (2-1), isolando-se na liderança, beneficiando da folga do Glória do Ribatejo, assim como do desaire caseiro do Barrosense ante o Marinhais (0-1).

Campeonato de Portugal – Já na sua 10.ª jornada, cumprindo-se portanto o primeiro terço da prova, o Fátima continua a ganhar, na recepção ao Guadalupe (3-1), tal como o Coruchense, com uma importante vitória na deslocação a Sacavém, frente ao Sacavenense (1-0). Ao invés, o Alcanenense, batido no terreno do líder, Mafra (0-2) – somando assim o quarto desaire consecutivo –, caiu, pela primeira vez, para os indesejados lugares abaixo da “linha de água”. Por agora, uma situação ainda não alarmante, dado o grande equilíbrio pontual registado entre os diversos clubes concorrentes, mas urge “arrepiar caminho”.

Antevisão – Na I Divisão Distrital, o jogo grande da jornada será, indubitavelmente, o que opõe o líder, Mação, ao União de Tomar, num desafio que poderá vir a revestir-se de contornos determinantes para o futuro da competição. Para os unionistas, será mais uma etapa na linha do objectivo de vencer jogo a jogo, o que a concretizar-se, animaria sobremaneira o campeonato.

Merecem igualmente destaque os embates entre U. Almeirim-Samora Correia (no qual se cruzam outros dois candidatos ao título), assim como o Amiense-Torres Novas, envolvendo dois clubes históricos do Distrito. Será também de especial interesse o Cartaxo-Fazendense.

Na II Divisão, a Norte, cruzam-se dois dos actuais líderes, no Tramagal-Espinheirense, enquanto o outro comandante, Aldeiense, terá um sério desafio, na recepção ao também candidato Rio Maior. A Sul, o Benavente é favorito na visita a Salvaterra, sendo de salientar ainda o Glória do Ribatejo-Benfica do Ribatejo, assim como o U. Santarém-Barrosense.

No Campeonato de Portugal, teremos um aliciante confronto entre Coruchense-Fátima, cabendo ao Alcanenense receber o Lusitânia dos Açores, esperando-se que possa retomar os triunfos, invertendo a tendência das últimas jornadas.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 16 de Novembro de 2017)

19 Novembro, 2017 at 12:00 pm Deixe um comentário

Artigos Mais Antigos


Autor – Contacto

Destaques

Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Janeiro 2018
S T Q Q S S D
« Dez    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.