Posts filed under ‘Tomar’

O Pulsar do Campeonato – 9ª Jornada

O pulsar do campeonato - 2019-20 - 9jornada

(“O Templário”, 14.11.2019)

Numa semana em que os dois primeiros voltaram a aumentar distâncias – o duo que reparte agora o 3.º lugar regista já um atraso de oito pontos em relação ao líder – o facto mais saliente terá sido a forma como o Coruchense resiste, segurando-se no grupo da frente, um ponto mais abaixo. De resto, o 100% vitorioso U. Almeirim e o seu mais directo rival, U. Tomar (que somou 5.º triunfo sucessivo, oitavo em nove jogos) “aquecem já os motores” para o embate da próxima ronda.

Destaques – No encontro mais importante da 9.ª jornada, o Coruchense fez “prova de vida”, tendo ido vencer a Abrantes, por 2-1, numa partida equilibrada, não isenta de controvérsia, em que o Abrantes e Benfica, embora batido, demonstrou uma vez mais a sua valia, podendo ter obtido resultado mais positivo. Tal desfecho proporcionou um reagrupamento dos clubes classificados entre o 3.º e o 6.º lugar, agora separados entre si apenas por dois pontos.

E isto porque, por outro lado, também o Cartaxo cedeu pontos, atrasando-se, pois, face ao par da frente, ao não conseguir ir além do nulo na deslocação a Torres Novas, um empate que terá deixado mais satisfeitos os torrejanos, os quais mantêm tranquila posição a meio da tabela, tendo aumentado ligeiramente a diferença para o quinteto de clubes da cauda, todos eles derrotados.

A outra nota de realce vai para o Amiense, que conseguiu, não só quebrar um ciclo negativo de seis jogos sem ganhar (seguia, aliás, numa série de quatro desaires sucessivos), como contrariar a história, tendo ido ganhar, também por 2-1, aos Riachos, onde perdera em todas as cinco últimas deslocações. Tal proporciona ao clube de Amiais de Baixo, desde já, “respirar melhor”, podendo dar à equipa a confiança necessária para explanar em campo o seu potencial.

Confirmações – Nas restantes cinco partidas não houve qualquer surpresa a assinalar, tendo os favoritos confirmado os superiores argumentos que, no papel, possuem.

Não obstante, o líder, U. Almeirim, começou por sofrer um susto, na visita a Rio Maior, onde se viu em desvantagem, vendo-se forçado a operar reviravolta, para acabar por ganhar por tangencial 2-1, com o tento do empate a surgir na sequência de uma algo controversa grande penalidade. Terá sido uma das menos conseguidas exibições dos almeirinenses, frente a um adversário que vem subindo de forma, à medida que os jogadores se vão entrosando neste patamar competitivo.

Por seu lado, o U. Tomar, outra vez dominador, não tendo permitido grandes veleidades à formação da Glória do Ribatejo, venceu por margem relativamente escassa (2-0 – marcador que, aliás, se repete pela quarta vez em cinco confrontos entre ambos em Tomar, incluindo um a contar para a Taça do Ribatejo), depois de ter chegado ao intervalo com a vantagem mínima. Continuando a denotar boa consistência, com uma campanha muito segura, o grupo unionista mantém bons registos em termos de médias de golos marcados (2,33) e golos sofridos (0,56), tendo registado o sexto desafio em que manteve a sua baliza inviolada, sendo que marcou em todos os nove jogos já disputados.

Nas Fazendas de Almeirim, num interessante confronto entre dois bons conjuntos, o Fazendense venceu o Ferreira do Zêzere, mercê de um solitário tento, o que lhe permite manter-se colado ao pelotão da frente, somente a dois pontos do Cartaxo e do Abrantes e Benfica.

O Samora Correia, actuando no seu terreno, obteve terceiro triunfo consecutivo, impondo ao Moçarriense terceira goleada seguida (depois das derrotas em Rio Maior e com o U. Tomar), ganhando por 4-0, igualando assim o Torres Novas, precisamente a meio da pauta classificativa.

Por fim, o Mação, pese embora já bastante afastado do topo da classificação – com um fosso de 14 pontos a separá-lo do comandante – aproveitou a recepção ao “lanterna vermelha”, Pego, para voltar aos triunfos, de que se encontrava arredado há três jornadas. A turma maçaense ocupa agora a 7.ª posição, a quatro pontos do Fazendense, liderando um segundo grupo de concorrentes.

II Divisão Distrital – O Alcanenense soma e segue, averbando a 5.ª vitória em outras tantas jornadas, mas, desta vez, com dificuldade, como indicia o tangencial 2-1 registado na recepção ao Caxarias. A turma de Alcanena beneficiou da igualdade (1-1) entre Tramagal e Entroncamento AC para se isolar na liderança. Destaque ainda para o bom desempenho da jovem equipa tomarense, que obteve a sua terceira vitória em quatro jogos (4-1), ante o Aldeiense, repartindo agora o 3.º posto com a U. Atalaiense.

A Sul, o Marinhais, ganhando por magro 1-0 na recepção ao Fazendense “B” mantém-se no comando, dois pontos acima do Espinheirense (vencedor por 4-2, ante o Salvaterrense).

Campeonato de Portugal – Esta foi uma ronda bem positiva para os representantes do Distrito, que obtiveram, ambos, importantes triunfos: o Fátima, por 2-0, na recepção ao Oliveira do Hospital; o U. Santarém, também em casa, por 1-0, frente ao Sp. Ideal.

Em função destes resultados, após a 10.ª jornada, os fatimenses, somando 16 pontos (quatro vitórias e quatro empates), integram o lote dos 3.º classificados, somente a três pontos do Beira-Mar; quanto aos escalabitanos, contando 11 pontos (três vitórias e dois empates) subiram ao 13.º lugar, imediatamente acima da “linha de água”.

Antevisão – É chegado então o, até agora, “jogo do ano”: em Almeirim cruzam-se os dois primeiros classificados do principal escalão do futebol distrital, em busca da supremacia, numa partida em que o U. Almeirim beneficiará, não apenas do factor casa, como, paralelamente, de se encontrar em posição mais vantajosa, decorrente do seu percurso triunfal até à data. Para o U. Tomar, tendo noção de que o campeonato é longo, será crucial, não obstante, alcançar um resultado positivo, até em termos motivacionais.

Dos outros encontros da 10.ª ronda, referência ainda ao Coruchense-Torres Novas (com amplo favoritismo dos visitados), Amiense-Fazendense, de tendência repartida, assim como para o “derby” Pego-Abrantes e Benfica, em que os pegachos pretenderão certamente causar surpresa.

Na II Divisão, assinalam-se, em especial, os seguintes encontros: Ortiga-Tramagal, Entroncamento-U. Atalaiense e Benavente-Porto Alto.

No Campeonato de Portugal, o Fátima desloca-se à Marinha Grande, para defrontar o Marinhense (8.º classificado, a par do U. Leiria), depois do duplo confronto aí realizado na Taça de Portugal (com um empate e uma vitória dos “vidreiros”); o U. Santarém terá também uma saída difícil, até Torres Vedras, para defrontar o actual 7.º classificado, Torreense, sem vencer há quatro jogos.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 14 de Novembro de 2019)

17 Novembro, 2019 at 11:00 am Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 8ª Jornada

O pulsar do campeonato - 2019-20 - 8jornada

(“O Templário”, 07.11.2019)

Em função dos desfechos da 8.ª ronda da I Divisão Distrital, começam a ampliar-se as diferenças pontuais entre o pelotão da frente, com U. Almeirim (100% vitorioso) e U. Tomar (sete triunfos) a destacar-se dos demais, com o Abrantes e Benfica agora a cinco pontos do guia, o Cartaxo a seis e o Coruchense já com nove pontos de atraso. Ainda numa fase relativamente inicial da prova, não será arriscar demasiado apontar um destes cinco clubes como futuro Campeão.

Destaques – Na partida mais aliciante da jornada, entre dois candidatos, o Cartaxo recebeu e bateu o Coruchense por 2-0, o que permitiu aos cartaxeiros manter as distâncias para os dois primeiros na tabela, afastando ainda mais a turma do Sorraia, a atravessar um ciclo difícil – tendo somado terceiro desaire nos quatro últimos desafios disputados no campeonato –, começando a ver muito reduzida a sua “margem de manobra”, podendo o seu próximo jogo ser crucial.

Por seu lado o U. Tomar continua em destaque, tendo averbado uma excelente vitória – a quarta consecutiva – no reduto do Moçarriense, por categórica marca de 5-0. Perante um animoso adversário, que procurava redimir-se do desfecho negativo da semana anterior, e tendo, uma vez mais, chegado ao intervalo “em branco”, após ter conseguido quebrar a barreira defensiva (e a resistência anímica) contrária surgiria então uma torrente de golos para os unionistas, quase em catadupa. Correspondendo à posição que ocupa na classificação, os tomarenses registam actualmente o 2.º ataque mais concretizador (19 golos), a par da 2.ª defesa menos batida (5 golos).

Quem segue agora de “vento em popa” é o Ferreira do Zêzere, tendo somado terceiro triunfo sucessivo, e por números robustos, goleando o frágil Riachense por 6-0, o que lhe proporcionou galgar mais alguns degraus, até um bem mais tranquilo 8.º posto.

O Samora Correia conseguiu também bisar a vitória, tendo ido ganhar ao Pego por 2-1, que continua com grandes dificuldades para escapar à indesejada condição de “lanterna vermelha”. No imediato, os samorenses (agora no 10.º lugar) podem “respirar” um pouco melhor.

Surpresa – A surpresa da jornada veio de Monsanto (“casa emprestada” do Amiense), onde o Torres Novas, reagindo positivamente às contrariedades que vem sofrendo – e depois de quatro jogos sem vencer –, foi ganhar por 1-0, ascendendo assim ao 7.º lugar; mas, mais importante, distanciando-se da zona delicada da tabela, na qual, inesperadamente, a formação de Amiais de Baixo (sofrendo quarto desaire sucessivo) se vê, por agora, envolvida.

Confirmações – O U. Almeirim, recebendo o rival Fazendense, no “derby” municipal, ganhou por 2-0, somando o oitavo triunfo em outras tantas partidas disputadas. Mais impressionante ainda: os “imparáveis” almeirinenses defrontaram (e bateram) já todos os (seis) clubes actualmente posicionados entre o 3.º e o 8.º lugar da classificação!

Noutro ponto de interesse, o Mação – pese embora tenha interrompido uma notável série de seis vitórias consecutivas do Abrantes e Benfica – não conseguiu ir além da igualdade a uma bola, num embate que se afigurava ser já de cariz determinante para as aspirações dos maçaenses, no sentido de poderem vir a revalidar o título conquistado há duas épocas. O Mação (com um único triunfo nos cinco últimos jogos) viu, assim, dilatar-se – para praticamente insuperáveis 14 pontos – o fosso que o separa do líder, tendo caído mesmo até modesta 9.ª posição na pauta classificativa.

A equipa da Glória do Ribatejo fez valer o factor casa, impondo-se a um ainda inconstante Rio Maior, ganhando por tangencial 1-0, o suficiente para igualar pontualmente esse adversário (tal como o Amiense), tendo, em paralelo, ultrapassado Riachense e Moçarriense, transpondo assim a “linha de água”, o seu objectivo primordial na competição.

II Divisão Distrital – Alcanenense (com mais uma soberba goleada, de 7-0, em Alferrarede) e Tramagal (goleando também, por 4-1, em Abrantes a equipa “B” local) prosseguem as respectivas trajectórias triunfais, já com cinco pontos de vantagem sobre Entroncamento AC (com um jogo a menos) e Ortiga, equipas que, em confronto directo na 4.ª jornada, não desfizeram o nulo.

A Sul, o Marinhais, ganhando em Benfica do Ribatejo (2-1), beneficiou do empate cedido pelo Benavente na Golegã para se isolar no comando, um ponto acima dos benaventenses, seguidos de imediato pelo Espinheirense, que venceu, também por 2-1, no terreno do Forense.

Campeonato de Portugal – O Fátima obteve mais um resultado positivo, tendo ido empatar (1-1) frente ao Oleiros, fixando-se, por agora, na 7.ª posição (mas somente a três pontos do vice-líder, Beira-Mar), mantendo a vantagem de cinco pontos em relação à zona de relegação.

Menos eficaz, o U. Santarém voltou a ser desfeiteado, tendo sido batido em virtude de um solitário tento sofrido na Sertã, o que lhe custou a descida a um preocupante 15.º lugar, pese embora apenas a dois pontos de Marinhense e Oliveira do Hospital, últimas equipas em zona de manutenção.

Antevisão – Na próxima jornada as atenções estarão sobretudo focadas, a nível da I Divisão, no Abrantes e Benfica-Coruchense, o tal jogo que poderá ser já de “tudo ou nada” para a formação do Sorraia, a qual, em caso de derrota, deverá comprometer decisivamente as suas aspirações, numa fase tão prematura, quando não atingimos ainda o primeiro terço do campeonato.

E isto porque se antevê que, com maior ou menor dificuldade, U. Almeirim (visita Rio Maior) e U. Tomar (recebe a turma da Glória do Ribatejo) possam vir a somar mais três pontos cada.

Em teoria de maior complexidade será a tarefa do Cartaxo, em deslocação a Torres Novas, sem prejuízo de os cartaxeiros se perfilarem como favoritos para esse confronto.

Na II Divisão, o realce vai para o Alcanenense-Caxarias e Tramagal-Entroncamento AC, devendo o Marinhais (que será visitado pela equipa “B” do Fazendense) aproveitar a folga do Benavente para ampliar a sua vantagem no comando, cuja margem dependerá também do desfecho do Espinheirense-Salvaterrense, partida na qual os visitados serão favoritos.

No Campeonato de Portugal, o Fátima recebe o Oliveira Hospital, tendo uma boa oportunidade para consolidar a sua posição na primeira metade da classificação; já o U. Santarém recebe o seu actual parceiro na tabela, Sp. Ideal (Açores), sendo importante que possa vencer.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 7 de Novembro de 2019)

10 Novembro, 2019 at 11:00 am Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 7ª Jornada

O pulsar do campeonato - 2019-20 - 7jornada

(“O Templário”, 31.10.2019)

Dois dos clubes promovidos do segundo escalão estiveram particularmente em evidência no passado fim-de-semana, com o notável Abrantes e Benfica a alcançar a sua sexta vitória consecutiva (e logo frente a um dos principais candidatos ao título, Cartaxo), enquanto o Rio Maior goleava por 8-1 outra das equipas promovidas, o Moçarriense (que até vinha de três jornadas sem perder).

Destaques – No desafio de maior importância da 7.ª ronda, o Abrantes e Benfica bateu o Cartaxo, mercê de um solitário tento, o suficiente para confirmar o seu estatuto, também de candidato aos lugares cimeiros. Efectivamente, ao longo das jornadas já decorridas na prova, a turma abrantina vem cabalmente demonstrando que o seu desempenho está longe de corresponder a simples “fogacho”, antes traduzindo uma sólida campanha, de um grupo consistente (tendo, aliás, imposto também ao U. Tomar – seu parceiro na vice-liderança – o único desaire sofrido no campeonato).

Por seu lado, o algo oscilante Rio Maior – nas cinco partidas anteriores havia obtido um único triunfo (em Samora Correia), tendo perdido nas outras quatro ocasiões –, ainda em fase de consolidação a este nível competitivo, aproveitou uma tarde de grande desacerto do Moçarriense para fixar a, até agora, maior goleada da competição (a qual não será fácil de superar), ganhando por contundente marca de 8-1, isto perante um rival directo na disputa pela manutenção.

O Coruchense, vindo de dois comprometedores desaires sucessivos (em casa, ante o U. Almeirim e em Ferreira do Zêzere), voltou a “acertar o passo”, derrotando o Amiense por 3-1, partilhando agora o 4.º posto com o Cartaxo, mas com ambas as formações já com um atraso de seis pontos em relação ao líder.

Após duas mudanças sucessivas no comando técnico, o Samora Correia conseguiu estancar o ciclo negativo de quatro derrotas consecutivas, batendo o Mação (que também estreou novo treinador) por 2-1, com os maçaenses, na 7.ª posição, já a 12 pontos do comandante (e a cinco da equipa que os precede imediatamente na tabela, o Fazendense), com a possibilidade de repetir o êxito de 2018 a começar a ficar algo remota.

Surpresa – Pela segunda semana sucessiva o Ferreira do Zêzere é protagonista da surpresa da jornada, em ambos os casos pela positiva, tendo, desta feita, ido vencer (1-0) a Torres Novas, ante um conjunto torrejano a braços com a necessidade de sucessivas recomposições do seu “onze”, em função do acumular de sanções disciplinares sofridas. Em termos práticos, foi a terceira vez que os ferreirenses pontuaram no reduto adversário em outras tantas partidas ali disputadas (depois de uma goleada por 4-0 há duas temporadas e do empate na época passada).

Confirmações – Nos restantes três encontros, os grupos mais apetrechados confirmaram a respectiva condição de favoritos, pese embora por números bem mais apertados do que seria previsível, no caso do U. Tomar e do Fazendense.

Os tomarenses, recebendo o “lanterna vermelha” Pego, denotaram, uma vez mais, dificuldades para desbloquear a organização defensiva contrária, apenas tendo inaugurado o marcador mesmo em cima dos 45 minutos. Depois, na segunda parte, mais serenos, chegaram com naturalidade ao 3-0, antes de um auto-golo sofrido ter feito os pegachos voltar a acreditar, sentimento reforçado após terem reduzido para a desvantagem mínima (3-2), fazendo os locais acabar em sobressalto.

O União conseguiria, ainda assim, salvaguardar a vitória – a sexta em sete jornadas disputadas –, no que constitui o melhor arranque de época do clube desde a histórica temporada de 1964-65, na qual se viria a sagrar Campeão Distrital e Campeão Nacional da III Divisão.

Também o Fazendense sentiu dificuldades ante a formação da Glória do Ribatejo, vendo-se forçado a operar a reviravolta no marcador, acabando por vencer por tangencial 2-1, o que lhe permite manter-se colado ao pelotão da frente, ocupando o 6.º lugar da pauta classificativa.

Já o imparável U. Almeirim somou o sétimo triunfo em outros tantos jogos, impondo-se por tranquila marca de 3-0 nos Riachos, ante o Riachense.

II Divisão Distrital – Alcanenense e Tramagal continuam em destaque, tendo alcançado ambos a terceira vitória consecutiva: o grupo de Alcanena, goleando o Aldeiense por 5-0; enquanto os tramagalenses bateram o Caxarias por tangencial 4-3 num bem animado e repartido desafio.

Mais a sul, já não há equipas só com vitórias, após a derrota do Forense em Pontével (3-1), facto de que beneficiou o Benavente – goleando o Fazendense “B” por 6-0 – para ascender à liderança da sua série, um ponto acima de Forense e Marinhais (vencedor, por 1-0, do “derby”, ante o Salvaterrense). Ainda uma nota adicional para a goleada (8-0) do Espinheirense ao Rebocho.

Campeonato de Portugal – Reagindo bem à frustração da Taça, o Fátima obteve um importante triunfo, por 3-1, na recepção ao Condeixa, passando a somar 12 pontos (em oito jornadas), ascendendo ao lote de três clubes que partilha o 5.º posto (com Sertanense e Caldas), ampliando para cinco pontos a margem de segurança em relação à “linha de água”. O U. Santarém, com compromisso mais difícil, perdeu em casa, por 1-4, com o Praiense (2.º classificado), ocupando agora a última posição (13.ª) acima de tal linha, somente com um ponto de vantagem.

Antevisão – Na I Divisão, o “jogo grande” da 8.ª jornada será o Cartaxo-Coruchense, sendo que um eventual derrotado poderá vir a ficar distanciado já nove pontos da liderança…

Tal só sucederá, todavia, se o U. Almeirim se conseguir impor no “derby”, ante o vizinho Fazendense, num desafio a deixar “água na boca”, em que o guia não poderá distrair-se.

Outros pontos de interesse serão o Mação-Abrantes e Benfica, já de cariz “decisivo” para os maçaenses, “proibidos” de perder pontos, tal como o Moçarriense-U. Tomar, com os unionistas a deslocar-se a um campo sempre difícil, para defrontar um grupo ferido no seu orgulho.

No segundo escalão, com os líderes favoritos (Alcanenense em Alferrarede; Tramagal em Abrantes; e Benavente na Goelgã), realce para o Entroncamento-Ortiga e Forense-Espinheirense.

No Campeonato de Portugal, o Fátima tem uma saída não isenta de riscos, a Oleiros (actual 10.º classificado), voltando o U. Santarém a ter tarefa teoricamente ainda mais difícil, na Sertã.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 31 de Outubro de 2019)

3 Novembro, 2019 at 11:00 am Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 6ª Jornada

O pulsar do campeonato - 2019-20 - 6jornada

(“O Templário”, 24.10.2019)

No reeditar dos disputados embates de há duas épocas, o U. Tomar averbou uma importante vitória em Mação, mantendo-se na perseguição ao líder, U. Almeirim, o qual apenas nos derradeiros minutos conseguiu inverter um inesperado resultado desfavorável ante o Torres Novas. Em foco esteve também o Ferreira do Zêzere, protagonista da surpresa da 6.ª jornada.

Destaques – O primeiro realce vai para o triunfo (1-0) do U. Tomar em Mação, frente a um clube que conquistara o título de Campeão Distrital há dois anos, e que militou no Campeonato de Portugal na última temporada.

Mais significativa que a expressão do marcador foi a forma como os unionistas assumiram, durante praticamente todo o desafio, a iniciativa, determinados a chegar à vitória, denotando forte coesão de grupo, muito solidário, controlando e dominando o jogo, numa exibição ambiciosa e personalizada, a prometer futuros êxitos ao longo deste campeonato. Ao invés, os maçaenses, agora já a nove pontos do líder, parecem começar a ver esfumarem-se as suas eventuais aspirações, pese embora estarmos ainda numa fase tão prematura da competição.

O Amiense, recebendo, em “casa emprestada”, o Cartaxo, esteve a vencer praticamente até ao final do encontro, acabando por sofrer dois golos já em período de compensação, o que possibilitou aos cartaxeiros uma então já imprevista reviravolta no marcador, acabando por vencer por 2-1, continuando também a integrar o agora trio de perseguidores ao comandante. A boa exibição da turma de Amiais de Baixo mereceria melhor prémio, mas a equipa não deixará de sentir o facto de não poder actuar no seu ambiente.

Começam também a faltar palavras para sublinhar a campanha que o Abrantes e Benfica – a par do U. Tomar e do Cartaxo, o outro parceiro de tal trio – vem realizando, tendo vencido, outra vez fora de casa, em Samora Correia, por 2-1, frente a uma equipa em crise, que, para já, se posiciona bastante aquém do expectável, partilhando agora a indesejada condição de “lanterna vermelha” com o Pego.

Com um percurso algo oscilante, o Riachense vai aproveitando os sucessos obtidos em terreno alheio para subir na tabela, somando preciosos pontos, tendo rectificado assim o desaire caseiro da ronda anterior. Desta feita, em deslocação ao sempre difícil terreno da Glória do Ribatejo, os homens dos Riachos impuseram-se, vencendo por 2-1,

Surpresa – A grande surpresa da jornada foi o categórico triunfo do Ferreira do Zêzere, por 2-0, ante o candidato Coruchense, o qual, em função de tal desfecho, descolou do grupo da frente, passando a registar um atraso de seis pontos em relação ao guia. Para os ferreirenses este poderá ser o tónico de confiança esperado para um campeonato mais tranquilo.

Confirmações – Nas outras três partidas, os resultados enquadraram-se dentro das expectativas. Porém, tal como antes referido, esteve prestes a acontecer (grande) surpresa em Almeirim, onde os torrejanos estiveram a vencer por 2-1 até aos últimos dez minutos, apenas cedendo, após se terem visto em inferioridade numérica (num lance, paralelamente, sancionado com grande penalidade, do qual resultou o tento do empate, a dois golos), acabando por perder no reduto do líder por 3-2, o qual, a muito custo, manteve o pleno de vitórias.

Na Moçarria, Moçarriense e Fazendense não desfizeram o nulo, com os visitantes a apresentarem agora a defesa menos batida do campeonato, contando somente dois tentos sofridos em seis jogos. Todavia, em função do empate cedido, o grupo das Fazendas de Almeirim atrasou-se, estando a quatro pontos do terceto que ocupa o 2.º ao 4.º posto, e já a sete pontos do vizinho U. Almeirim.

O Pego, recebendo o Rio Maior, cumpriu, ganhando por 1-0, obtendo assim os seus primeiros pontos no campeonato, mantendo-se, claro, na luta pela manutenção.

II Divisão Distrital – Com duas rondas disputadas, o realce vai para a segunda vitória averbada pelas equipas do Alcanenense (1-0, em Tomar, ante o U. Tomar “B”), Tramagal (5-1 em Alferrarede), do novato Entroncamento AC (2-0, fora, com o Abrantes e Benfica “B”) e Forense (3-2, na recepção ao Marinhais), todos já a posicionar-se para disputar os lugares de topo das respectivas séries.

Taça de Portugal – Depois de o Fátima ter começado por “eliminar” o Marinhense na 1.ª eliminatória da Taça de Portugal, foi agora a vez, nos 1/32 de final, da – entretanto “repescada” – equipa da Marinha Grande, jogando outra vez em casa, eliminar os fatimenses, ganhando por 1-0, numa particularidade do regulamento da prova e em função de um caprichoso sorteio (situação similar ocorreu entre Canelas e Valadares, que se cruzaram também pela segunda vez na presente edição, neste caso, com o Canelas a seguir em frente em ambas as ocasiões). Em consequência, esta prova de âmbito nacional deixa, pois, de integrar representantes do Distrito de Santarém.

Antevisão – Na I Divisão, o principal ponto de interesse será o confronto entre Abrantes e Benfica e Cartaxo, actuais 4.º e 2.º classificados, respectivamente (igualados em pontos). Por seu lado, o líder, U. Almeirim, desloca-se aos Riachos, um reduto tradicionalmente difícil, mas em circunstâncias em que assume favoritismo.

O Coruchense-Amiense será também um desafio a seguir com atenção, enquanto o U. Tomar, recebendo o Pego, deverá confirmar dentro de campo o superior potencial que lhe é reconhecido.

Na Divisão secundária, realce para os desafios Tramagal-Caxarias, o “derby” Marinhais-Salvaterrense, assim como para o Pontével-Forense, para além da curiosidade do encontro entre as equipas “B” de Ferreira do Zêzere e U. Tomar.

O Campeonato de Portugal estará de regresso, para a sua 8.ª jornada, com ambas as equipas do Distrito a jogarem em casa: o Fátima (actual 9.º classificado) a receber o Condeixa (16.º); cabendo ao U. Santarém (11.º) ter a visita do Praiense (3.º). Enfrentam, portanto, dois opositores com argumentos distintos, esperando-se que os fatimenses confirmem o favoritismo, e que os escalabitanos se possam superar.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 24 de Outubro de 2019)

27 Outubro, 2019 at 11:00 am Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 5ª Jornada

O pulsar do campeonato - 2019-20 - 5jornada

(“O Templário”, 17.10.2019)

Após mais um cabal triunfo em Coruche, ante o Coruchense – que, até agora, partilhava com os almeirinenses o pleno de vitórias –, e tendo o U. Almeirim entretanto batido já (isto apenas nas cinco rondas iniciais da prova) três dos quatro clubes que o perseguem de mais próximo na tabela – num campeonato que ameaça “partir-se”, com diferenças substanciais entre os primeiros sete e os últimos sete classificados (cinco pontos separam já o 7.º do 10.º) –, é com propriedade que se pode começar a colocar a interrogação: quem conseguirá parar o líder?

Destaques – Naturalmente, o maior destaque da 5.ª jornada foi a convincente vitória do U. Almeirim no reduto do Coruchense. Tendo, ainda relativamente cedo, chegado a confortável vantagem de 2-0, os almeirinenses não teriam especiais dificuldades em gerir a partida, fixando o marcador final em 3-1, anotando-se o primeiro tento sofrido, quando a contagem de golos marcados soma já 16. Mais importante, isolou-se – agora sim, já com o calendário em dia – na liderança da prova, pese embora mantenha um quarteto de perseguidores, apenas a três pontos.

Quem prossegue também um percurso muito positivo é o recém-promovido Abrantes e Benfica, vencedor, não obstante por tangencial 1-0, na recepção ao Amiense, integrando, por agora, tal quarteto, prometendo continuar a intrometer-se na disputa dos lugares cimeiros.

Noutro pólo de interesse do campeonato, o da luta pela manutenção, o Riachense deu um preocupante passo atrás, não tendo conseguido dar sequência à vitória obtida no Pego, tendo sido desfeiteado, nos Riachos, pelo Moçarriense, por 2-1, com a turma da Moçarria a somar três importantes pontos, frente a um rival directo.

Surpresa – A surpresa da ronda foi o empate da Glória do Ribatejo em Torres Novas, a uma bola, depois de os forasteiros se terem inclusivamente colocado em vantagem. Apesar do maior domínio dos torrejanos, não tiveram a serenidade para, em superioridade numérica durante toda a segunda parte, conseguir completar a reviravolta no marcador.

Confirmações – Nos restantes quatro desafios, os resultados seguiram a lógica, tendo as equipas visitadas triunfado, de acordo com as expectativas.

Em Tomar, o União, recebendo o Samora Correia, conseguiu rectificar não só o resultado negativo da semana anterior, como, paralelamente, o desaire sofrido na época passada ante este mesmo adversário.

À semelhança do que vem acontecendo – num encontro também com alguns pontos de contacto com o realizado pelos tomarenses em Rio Maior –, os unionistas, assumindo, de início a fim, a iniciativa do jogo, praticamente de “sentido único” (pese embora um par de ocasiões de grande perigo provocadas pelos samorenses em lances de contra-ataque), denotando ansiedade, tiveram grande dificuldade em abrir o marcador, o que apenas conseguiriam já na segunda metade. Só então a equipa conseguiu enfim a tranquilidade necessária para explanar o seu superior potencial.

Destacam-se no emblema tomarense, Tiago Vieira, já com cinco golos marcados neste campeonato, sendo que Wemerson Silva segue com três tentos apontados.

O Cartaxo ganhou com naturalidade (2-0) ao Ferreira do Zêzere, com os ferreirenses, por agora, com um calendário de elevado grau de dificuldade (visitaram já três dos cinco primeiros), a não irem além de um único ponto angariado (empate caseiro com o Amiense).

Tal como o Abrantes e Benfica, também o Fazendense vem fazendo uma prova de bom nível (com um único senão, do deslize caseiro ante o Rio Maior logo na estreia), tendo vencido, também por 2-0, o “lanterna vermelha” Pego, que subsiste como único concorrente ainda sem ter conseguido pontuar.

Por fim, em Mação – por inversão da ordem das jornadas, relativamente aos jogos com o Rio Maior –, os maçaenses obtiveram também um triunfo tranquilo, por 3-1, continuando no encalce do grupo da frente.

II Divisão Distrital – Na jornada de estreia do escalão secundário – com a particularidade de integrar, esta temporada, quatro equipas “B” (para além do precursor U. Tomar, também o Abrantes e Benfica, Ferreira do Zêzere e Fazendense) –, as notas de principal realce vão para as goleadas aplicadas pelo Alcanenense (9-0 ao Ferreira do Zêzere B), Benavente (5-0 ao Salvaterrense), Tramagal (4-0 ao Aldeiense), Ortiga (3-0 ao Alferrarede) e Forense (3-0 no Porto Alto). Para além do Forense, só o U. Tomar “B” venceu em terreno alheio, à U. Atalaiense (3-1).

Campeonato de Portugal – A sétima jornada foi amplamente positiva para os clubes representantes do Distrito, tendo registado, ambos, vitórias fora de casa. O Fátima, em Ponta Delgada, ante o Sp. Ideal, por 2-1; o U. Santarém, em Condeixa, mercê de um solitário golo.

Tal proporciona, no imediato, o “respirar melhor”, com os fatimenses (nove pontos) a ascender ao 7.º posto (partilhado com o Anadia), enquanto os escalabitanos (oito pontos) integram o grupo que se posiciona entre o 9.º e 11.º lugares, embora apenas dois pontos acima da “linha de água”.

Antevisão – Na I Divisão, as atenções estarão focadas, em especial, em quatro campos: em Monsanto, o Amiense (este ano de “casa às costas”) terá a visita do Cartaxo, num compromisso que se antevê difícil para ambos; em Ferreira do Zêzere, os ferreirenses continuam com tarefa árdua, recebendo o Coruchense, que pretenderá deixar para trás o desaire sofrido ante os almeirinenses; Mação e U. Tomar retomam os repartidos duelos de há dois anos (época em que se defrontaram por quatro ocasiões, no campeonato e na Taça do Ribatejo, tendo cada um eles conquistado um dos troféus em disputa); o U. Almeirim defronta o Torres Novas, com os torrejanos a procurarem ser os primeiros a travar o comandante, o que não se afigura fácil.

Na Divisão secundária, apenas na sua 2.ª jornada, o U. Tomar “B” é anfitrião do Alcanenense, um dos principais candidatos à subida; destaca-se ainda o Forense-Marinhais, sendo estes os dois únicos confrontos agendados entre clubes vitoriosos na ronda inaugural.

O Campeonato de Portugal sofre nova interrupção, para disputa da 3.ª eliminatória (1/32 de final) da Taça de Portugal, na qual o Fátima – último “sobrevivente” do Distrito – voltará a defrontar (tal como sucedera na 1.ª eliminatória, numa singular particularidade da estruturação do formato da competição) o Marinhense, na Marinha Grande (depois de aí ter vencido, então, no desempate da marca de grande penalidade, após o nulo no final do tempo regulamentar e do prolongamento).

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 17 de Outubro de 2019)

20 Outubro, 2019 at 11:00 am Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 4ª Jornada

O pulsar do campeonato - 2019-20 - 4jornada

(“O Templário”, 10.10.2019)

Numa jornada bastante atípica, em que apenas uma das oito equipas visitadas logrou vencer – tendo-se registado nada menos de cinco triunfos dos forasteiros –, precisamente a do U. Almeirim, os almeirinenses aproveitaram para, pelo menos à condição (dependendo do desfecho da partida em atraso entre Coruchense e Moçarriense), se isolarem na liderança. Tal é tanto mais relevante se atendermos a que foram já vencer a Abrantes e, também fora, o Amiense, para além de se terem claramente imposto no confronto ante um rival directo na contenda pelo 1.º lugar, Cartaxo.

Destaques – O grande realce desta ronda vai, pois, para a goleada (3-0) aplicada pelo U. Almeirim ao Cartaxo, sendo que os homens da casa “somam e seguem”, com o pleno de triunfos (quatro) e um score acumulado de 13-0.

O resultado – algo pesado para a forma como as duas equipas se apresentaram em campo – poderá, todavia, indiciar ilusórias facilidades, uma vez que até foram os cartaxeiros a começar por assumir a iniciativa do jogo. Depois de terem sofrido o primeiro tento, mesmo a findar o primeiro tempo, e tendo-se visto entretanto em inferioridade numérica, os visitantes não teriam já capacidade para inverter o rumo dos acontecimentos, vindo a consentir mais dois golos nos derradeiros dez minutos (o 3.º também já em período de compensação).

Outra nota de destaque foi o triunfo do Abrantes e Benfica em Tomar, ante o União, que seguia, até então, só com vitórias. Continuando a ser muito perdulários, denotando grandes dificuldades em materializar em golo os lances de ataque que criam, os unionistas viram-se surpreendidos por um bem organizado adversário, que inaugurou o marcador a meio da etapa inicial.

Continuando a porfiar, nunca abdicando de procurar alterar o resultado a seu favor, os tomarenses intensificaram, na metade complementar, a sua pressão, vindo a restabelecer a igualdade, na conversão de uma grande penalidade, à entrada dos dez minutos finais (isto, precisamente depois de os abrantinos terem acertado nos ferros da baliza). Indo, então, em busca do golo da vitória, a formação tomarense viria a ser duramente penalizada com novo golo sofrido, praticamente ao “cair do pano”, numa altura em que era já muito escassa a possibilidade de recuperação.

A salientar, ainda, o triunfo averbado pelo Fazendense em Mação, também por 2-1, com a turma das Fazendas de Almeirim a confirmar que pretende intrometer-se na disputa das posições cimeiras da pauta classificativa.

Surpresas – A grande surpresa da jornada foi protagonizada pelo Rio Maior – que, na semana anterior, denotara grande fragilidade, ante o U. Tomar –, indo vencer a Samora Correia por inesperado 3-2, somando preciosos pontos, que lhe poderão permitir estabilizar.

Também no Pego terá ocorrido relativa surpresa, com o Riachense a repetir o triunfo alcançado na última vez que ali se tinham defrontado, então na fase final de apuramento de Campeão e de promoção da II Divisão, da época passada, ganhando por 2-1.

Não terá sido propriamente uma surpresa, mas, atendendo em especial à forma como foi alcançado o desfecho final, talvez não se esperasse já que o Amiense deixasse escapar a vitória em Ferreira do Zêzere, depois de ter chegado a dispor de dois golos de vantagem, tendo, não obstante, permitido a recuperação ao adversário, que igualou a partida, a duas bolas.

Confirmações – O Coruchense prossegue – depois da tarde má na Taça de Portugal – um percurso de alguma tranquilidade, tendo somado terceira vitória em outros tantos desafios disputado, impondo-se por 4-2 no sempre difícil reduto da Glória do Ribatejo. Com um jogo em atraso, agendado para esta quarta-feira, no qual lhe cabe receber a visita do Moçarriense, o grupo do Sorraia integra, por agora, o lote de perseguidores do líder, a par de Cartaxo, U. Tomar e Abrantes e Benfica, todos a três pontos do U. Almeirim – mas trata-se, pois, de uma diferença que até poderá ter sido já entretanto anulada quando esta edição do jornal chegar aos leitores.

Por fim, na Moçarria, o desfecho de 2-2 estará em consonância com as expectativas, mas os torrejanos até poderiam ter alcançado melhor resultado, não fossem as vicissitudes do jogo, uma vez que se viram reduzido a dez elementos ainda na primeira parte, pese embora o Moçarriense também tivesse passado pela mesma situação já na parte final da partida.

Taça do Ribatejo – Terminada a fase de grupos da prova, Benavente, U. Atalaiense, Goleganense, Espinheirense, Pontével, Alcanenense, Marinhais, Porto Alto, Ortiga e Entroncamento avançam para a fase a eliminar. Uma nota de curiosidade para a invulgar profusão de golos registada nos jogos do Forense: um total de 25 golos em três jogos, com 12 golos marcados e 13 sofridos!…

Campeonato de Portugal – Pese embora actuassem nos respectivos terrenos, Fátima e U. Santarém não evitaram a derrota, confirmando-se as dificuldades já expectáveis: os fatimenses perderam 0-2 ante o Sertanense; os escalabitanos, por tangencial 2-3, frente ao B. C. Branco.

Os dois representantes do Distrito caíram já para posições preocupantes: o Fátima, com 6 pontos em outras tantas jornadas disputadas, ocupa o 11.º posto, um ponto acima da “linha de água”; o U. Santarém, um ponto abaixo, integra um quinteto, entre o 12.º e 16.º lugares.

Antevisão – Na I Divisão Distrital, imediatamente depois do U. Almeirim-Cartaxo, o líder não tem descanso, deslocando-se a Coruche, para defrontar o Coruchense, no que poderá traduzir um aliciante novo confronto entre guias.

O embate entre Abrantes e Benfica-Amiense será outro ponto de interesse da 5.ª jornada, enquanto o U. Tomar volta a jogar em casa, recebendo o Samora Correia, visando rectificar o resultado do último jogo. O Cartaxo assume natural favoritismo na recepção ao Ferreira do Zêzere.

Tem início no fim-de-semana o Distrital da II Divisão, destacando-se as seguintes partidas: Entroncamento-Caxarias, com a estreia do novo clube da cidade ferroviária, U. Atalaiense-U. Tomar “B”, Alcanenense-Ferreira do Zêzere “B” e Pontével-Espinheirense.

No Campeonato de Portugal, o Fátima desloca-se aos Açores (Ponta Delgada), para defrontar o Sp. Ideal, esperando pontuar; enquanto o U. Santarém viaja até Condeixa, onde encontrará um dos seus actuais parceiros na tabela.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 10 de Outubro de 2019)

13 Outubro, 2019 at 11:00 am Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 3ª Jornada

O pulsar do campeonato - 2019-20 - 3jornada

(“O Templário”, 03.10.2019)

Após a 3.ª jornada do Distrital da I Divisão, poderá considerar-se haver nada menos do que oito clubes (metade dos concorrentes) com um arranque de campeonato positivo – somando já seis ou mais pontos –, mas, de entre eles, é de realçar, em especial, o U. Almeirim, o único que derrotou já duas dessas equipas (Abrantes e Benfica e Amiense), em ambos os casos fora do seu terreno, a que junta o facto de manter ainda a sua baliza inviolada, para além de apresentar, a par do Cartaxo, o ataque mais concretizador (dez golos marcados).

Destaques – De facto, o maior destaque da ronda vai para a vitória averbada pelos almeirinenses frente a um (até então) dos líderes, Amiense, por categórica marca de 3-0, pese embora a ressalva de a partida ter sido disputada no campo de jogos de Monsanto e não em Amiais de Baixo. Em qualquer caso, uma demonstração de poderio de um dos principais candidatos ao título, que, para além de se ter “desembaraçado” já de dois compromissos de elevado grau de dificuldade, goleou ainda o Ferreira do Zêzere no único jogo disputado em casa.

Também o União de Tomar prossegue na senda dos triunfos, ganhando por 3-1 em Rio Maior, integrando agora, a par de U. Almeirim e Cartaxo, o trio da liderança, todos com o pleno de pontos (nove).

Numa partida em que, de início a fim, exerceram notório domínio, os unionistas voltaram a sentir dificuldades para marcar o primeiro golo, o qual apenas surgiria já no segundo tempo, tendo, até aí, sido desperdiçadas várias oportunidades. O Rio Maior SC, em estreia neste escalão, esteve sempre aquém do “andamento” revelado pelos tomarenses, não obstante ter ainda conseguido reduzir a desvantagem para tangencial 1-2, antes de o União fixar o marcador final, numa tarde em que o “placard” poderia ter sido bem mais expressivo.

Uma nota de realce ainda para a vitória do Mação nos Riachos, por tranquilo 2-0, paralelamente a expor de novo as dificuldades que o Riachense – por agora, integrando o terceto que reparte a “lanterna vermelha”, conjuntamente com Ferreira do Zêzere e Pego, todos com três derrotas nas três jornadas iniciais – vem denotando em se (re)integrar neste patamar competitivo.

Confirmações – Tal como na semana passada, não houve surpresas a registar, com os favoritos a confirmar a tendência expectável.

Começando pelo outro co-líder, Cartaxo, que, por curiosidade, repetiu o “placard” que se verificara no ano passado, na recepção à turma da Glória do Ribatejo, voltando a golear por 5-1.

Por seu lado, o Fazendense afirmou a sua valia, ganhando por 2-0 ao Samora Correia, “rectificando” o inesperado nulo caseiro averbado ante o Rio Maior, preparando-se para começar a galgar posições na pauta classificativa.

Em Torres Novas, os torrejanos receberam e bateram o Pego por convincente 3-0, posicionando-se, por agora, logo após o quarteto da frente (integrando, para além dos actuais líderes, o Coruchense, que, tendo adiado o seu jogo frente ao Moçarriense, devido ao compromisso da Taça de Portugal, segue com duas vitórias no campeonato).

Por fim, o Abrantes e Benfica, depois do desaire caseiro a abrir, ante o U. Almeirim, somou segundo triunfo sucessivo, mostrando que é um competidor a ter em consideração: depois de se impor em Rio Maior, repetiu também a vitória que registara na época passada, então (quando militava ainda no escalão secundário) em desafio da Taça do Ribatejo, ante o Ferreira do Zêzere, ganhando por 2-0.

Taça do Ribatejo – Na 2.ª ronda da fase de grupos da Taça do Ribatejo, o primeiro destaque vai para um desfecho de sensação – para ficar na história – no encontro entre Forense e Tramagal, que, num jogo frenético, empataram 6-6!

Realce ainda para as goleadas impostas pelo Alcanenense (no terreno do Aldeiense) e pelo Marinhais, recebendo o Porto Alto, ganhando ambos por 6-1.

A par de Alcanenense e Marinhais, também o Benavente e Ortiga, todos já com duas vitórias, garantiram já o apuramento para a fase seguinte da prova.

Taça de Portugal – Apenas o Fátima logrou superar a 2.ª eliminatória desta competição de índole nacional, tendo goleado o Coutada (do Distrital de Lisboa) por 4-0.

O Coruchense, recebendo o Olímpico do Montijo, foi batido por igual marca, um resultado que não deixa de ser surpreendente, apesar de todos os quatro tentos terem sido sofridos já nos derradeiros vinte minutos. Ao invés, o U. Santarém – “corrigindo” a imagem que deixara transparecer na passada semana – ofereceu boa réplica ante o Farense (da II Liga), cedendo por tangencial 1-2.

Antevisão – Para a 4.ª ronda da I Divisão Distrital, a disputar no Sábado, dia 5 de Outubro, está agendado um primeiro grande “choque de titãs”, com o U. Almeirim a receber o Cartaxo, enfrentando-se, pois, dois dos principais candidatos ao título, actuais guias do campeonato, num embate de “tripla”, de desfecho absolutamente imprevisível.

O outro líder, U. Tomar, recebe o Abrantes e Benfica, um difícil opositor, frente ao qual terá de estar ao seu melhor nível, podendo, em caso de vitória, beneficiar do resultado de Almeirim. Glória do Ribatejo-Coruchense e Mação-Fazendense são também partidas que suscitam interesse.

A Taça do Ribatejo conclui já a sua fase de grupos, destacando-se os seguintes jogos, em que poderá definir-se o apuramento para a fase a eliminar: U. Atalaiense-Tramagal, Alferrarede-Espinheirense, Benfica do Ribatejo-Goleganense, Pontével-Alcanenense e Aldeiense-Caxarias.

No Campeonato de Portugal, o Fátima recebe o Sertanense, clube (actual 7.º classificado) que o precede imediatamente na tabela classificativa, num desafio em que não poderá esperar facilidades; o mesmo se aplica, igualmente, ao U. Santarém, que terá a visita do B. C. Branco, sendo que ambas integram actualmente o quinteto que reparte o 9.º ao 13.º lugar.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 3 de Outubro de 2019)

5 Outubro, 2019 at 11:00 am Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 2ª Jornada

O pulsar do campeonato - 2019-20 - 2jornada

(“O Templário”, 26.09.2019)

Apenas com duas jornadas disputadas é, obviamente, demasiado prematuro começar a falar em definições, mas a verdade é que os principais candidatos se encontram já “arrumados” no topo da tabela, enquanto, ao invés, as equipas que vão lutar pela manutenção foram, desde logo, remetidas para a parte inferior da pauta classificativa.

De entre o quinteto de líderes, salienta-se, em especial, o bom arranque de campeonato do Amiense, a prometer intrometer-se, outra vez, entre os pretendentes aos lugares cimeiros.

Destaques – O primeiro destaque vai, não obstante, para a vitória (3-2) do Abrantes e Benfica em Rio Maior, num embate que colocava frente-a-frente os dois primeiros classificados do campeonato da II Divisão da última temporada, com os abrantinos a superiorizarem-se novamente, pese embora tivessem começado por, desde cedo, se ver em desvantagem por 0-2, tendo operado notável reviravolta no marcador.

Pela expressão dos números (goleada de 5-0) realça-se também o triunfo do U. Almeirim na recepção ao Ferreira do Zêzere, com o grupo ferreirense, para já, aquém das expectativas, partilhando (em função do total de golos sofridos) a “lanterna vermelha” com o Riachense.

Cartaxo e Coruchense, dois dos clubes com maiores aspirações ao título, não vacilaram, tendo obtido importantes vitórias – por idêntica margem (2-0) – em terrenos tradicionalmente difíceis, perante adversários que anseiam por começar a angariar pontos, respectivamente o Moçarriense e o Pego (ambos também ainda “a zeros” na classificação, a par de Ferreira do Zêzere e Riachense).

Regressando ao Amiense, obteve também um bom resultado, em circunstâncias similares às dos dois encontros antes referidos, indo vencer, igualmente por 2-0, na Glória do Ribatejo, formação que, recorde-se, vinha de um surpreendente êxito em Ferreira do Zêzere na ronda inaugural.

O União de Tomar, ganhando por 1-0 frente ao Fazendense, completa – a par dos mencionados U. Almeirim, Cartaxo, Coruchense e Amiense – o lote de cinco clubes que contam por vitórias os desafios disputados neste campeonato da I Divisão Distrital, também com a particularidade de manterem ainda, todos eles, as respectivas balizas invioladas.

Numa partida que se iniciou com uma toada repartida, os unionistas foram-se, gradualmente, impondo, dominando a segunda metade do primeiro tempo, não tendo, contudo, conseguido concretizar tal ascendente em golo. O que, aliás, viriam a alcançar – outra vez por intermédio de Wemerson Silva, finalizando da melhor forma um lance estudado de “bola parada” – logo a abrir o segundo período.

Porém, contrariamente ao que seria expectável, assistir-se-ia então a uma boa reacção da turma das Fazendas de Almeirim, que chegou a “assustar”, mas sem chegar ao golo, acabando por se ver também, por outro lado, exposta às transições rápidas do adversário. Todavia, até final, o União não faria melhor que, uma vez mais (tal como sucedera, por duas vezes, nos Riachos), acertar com a bola nos ferros da baliza contrária.

Confirmações – Numa jornada pautada pela lógica, sem surpresas, Mação, mercê de um solitário golo, e Samora Correia (goleada por 4-0), impuseram-se, respectivamente, a Torres Novas e Riachense, com o conjunto dos Riachos, nesta fase inicial da prova, a “pagar a factura” da relativamente tardia repescagem para o principal escalão do futebol distrital.

Taça do Ribatejo – Teve também início a fase de grupos da Taça do Ribatejo, esta época abrangendo um total de 18 clubes (apenas os participantes na II Divisão Distrital, excluindo-se as equipas “B”), repartidos em cinco séries.

Na ronda de abertura sublinha-se a rotunda goleada (10-0) imposta pelo Marinhais em Coruche, frente ao estreante G. D. Rebocho, agremiação que transitou dos campeonatos do “INATEL”. Alcanenense (vencedor ante o Caxarias) e Pontével (batendo o Aldeiense), em ambos os casos por 4-1, estiveram também em evidência, sendo ainda de assinalar os triunfos em reduto alheio alcançados por Benavente (2-1, no Tramagal), Goleganense (2-1, no Espinheiro), Benfica do Ribatejo (1-0, em Alferrarede) e Ortiga (4-2, em Salvaterra de Magos).

No jogo restante, a U. Atalaiense ganhou por 4-3 ao Forense. Folgaram as equipas do Porto Alto e o novel Entroncamento Atlético Clube.

Campeonato de Portugal – O Fátima alcançou um resultado positivo, empatando a uma bola na visita a Cernache do Bonjardim. Ao invés, o U. Santarém sofreu um preocupante desaire (0-6) perante a U. Leiria, que, à 5.ª jornada, obteve a que foi apenas a sua primeira vitória nesta competição; espera-se que tenha sido apenas uma “tarde (muito) má” dos escalabitanos…

O Fátima mantém o 8.º posto, com 6 pontos, mais um que o U. Santarém, que integra o lote do 9.º ao 13.º classificados, imediatamente acima da “linha de água”.

Antevisão – O confronto entre Amiense e U. Almeirim apresenta-se como o principal cartaz da 3.ª jornada da I Divisão Distrital, num sério teste às capacidades destes dois emblemas. A destacar também uma deslocação que se antevê difícil do União de Tomar, a Rio Maior, mas em que se espera possa vir a confirmar o seu superior potencial.

A Taça do Ribatejo avança de imediato para a sua 2.ª jornada, merecendo especial atenção, nomeadamente, os seguintes jogos: Benavente-U. Atalaiense, Caxarias-Pontével, Aldeiense-Alcanenense, Marinhais-Porto Alto e Ortiga-Entroncamento.

O Campeonato de Portugal estará em pausa, para disputa da 2.ª ronda da Taça de Portugal, ainda com três clubes representantes do Distrito: o U. Santarém recebe o Farense (actual 3.º classificado na II Liga) numa partida de elevado grau de dificuldade; o Fátima actua também no seu terreno, sendo favorito ante o Coutada (Torres Vedras), actual 4.º classificado da I Divisão da Associação de Futebol de Lisboa; quanto ao Coruchense (repescado, após a derrota, no prolongamento, com o Sintrense), terá a visita do Olímpico do Montijo, um dos últimos classificados da Série D do Campeonato de Portugal (onde não foi ainda além de dois empates).

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 26 de Setembro de 2019)

29 Setembro, 2019 at 11:00 am Deixe um comentário

Centenário do Clube de Futebol “Os Belenenses”

Belenenses

Completa-se hoje o Centenário do Clube de Futebol “Os Belenenses”, fundado em Belém, pelos “rapazes da praia”, a 23 de Setembro de 1919.

Nesta ocasião, endereço os meus Parabéns a esta grande instituição do desporto português – com a qual, desde o ano de 1930, o União de Tomar mantém elo de ligação, tendo-se filiado naquela data como 2.ª Delegação do Belenenses –, com votos dos maiores sucessos na briosa caminhada que empreendeu.

Belenenses - Centenário
Matateu

Aproveito ainda para enaltecer a corajosa decisão do clube – adoptada de acordo com a vontade maioritariamente expressa pelos seus sócios – de recomeçar a constituir direitos desportivos, a partir do escalão mais baixo do futebol português, tendo-se sagrado já o Belenenses, na temporada passada, Campeão da I Divisão Distrital da Associação de Futebol de Lisboa (6.º escalão do futebol em Portugal).

No dia do Centenário, aqui fica também o registo da memória da conquista do título de Campeão Nacional da época de 1945-46, jornada a jornada, até à consagração com a histórica vitória em Elvas!

23 Setembro, 2019 at 4:16 pm Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 1ª Jornada

O pulsar do campeonato - 2019-20 - 1jornada

(“O Templário”, 19.09.2019)

Tal como sucedera na época anterior do Campeonato Distrital da I Divisão, o Coruchense – que, nas suas últimas quatro presenças na prova, somou dois títulos de Campeão, para além de ter sido 2.º classificado nas outras duas participações – volta a ter um arranque bem afirmativo, partilhando já a liderança com o Cartaxo, outro dos principais candidatos à conquista do lugar cimeiro da tabela final.

Destaques – Num confronto que colocava frente-a-frente os dois anteriores vencedores da competição (excluindo, claro, o Campeão em título, U. Santarém, promovido ao Campeonato de Portugal), a turma do Sorraia – que deixara escapar novo título na derradeira jornada do campeonato precedente –, recebendo o Mação (clube recém-despromovido do Nacional), venceu por categórica marca de 3-0, num excelente “pontapé de saída”, começando a exibir, desde já, as suas credenciais.

O outro resultado de maior destaque desta ronda inaugural foi obtido pelo U. Almeirim, vencedor por 2-0 em Abrantes, ante o Abrantes e Benfica (Campeão da II Divisão na época passada), assim interrompendo o magnífico ciclo de 28 desafios de invencibilidade dos abrantinos a nível de partidas para o campeonato (os quais, no seu percurso de sucesso na última temporada, apenas tinham cedido dois empates).

Realce ainda para outro triunfo extra-muros, do União de Tomar, ganhando nos Riachos, também por 2-0, mas com a nuance de o Riachense (5.º classificado na fase final da II Divisão) ter sido “repescado” para o principal escalão, na sequência da desistência do At. Ouriense (que abdicou do futebol senior masculino, privilegiando a sua equipa feminina, que disputa a I Divisão Nacional).

Num encontro entre dois clubes de grande palmarés (o Riachense conquistou três títulos de Campeão Distrital em outras tantas participações na I Divisão Distrital, entre os anos de 2009 e 2013, a que somou, no mesmo período, duas Taças do Ribatejo e duas Supertaças Dr. Alves Vieira), os unionistas entraram praticamente a ganhar, com o primeiro golo apontado pelo líder dos melhores marcadores das duas últimas temporadas (Wemerson Silva), logo ao terceiro minuto, mas tiveram de sofrer, deixando pairar a incerteza sobre o desfecho praticamente até ao fim, apenas obtendo o golo da confirmação (por Tiago Vieira) a três minutos dos 90.

Surpresas – A grande surpresa da jornada foi protagonizada – outra vez, tal como sucedera no ano passado, na ronda de estreia do campeonato – pelo Glória do Ribatejo, ao ir vencer ao reduto do reforçado Ferreira do Zêzere, mercê de um solitário tento apontado já na parte final.

Terá sido também algo inesperado o nulo imposto pelo estreante Rio Maior Sport Clube (fundado há três anos, sucedendo ao histórico U. Rio Maior, promovido da II Divisão no final da última época), nas Fazendas de Almeirim, ante o Fazendense.

Confirmações – Num campeonato agora novamente alargado a 16 concorrentes (retomando um formato cuja última vez que tinha sido praticado fora na época de 2005-06, há já 14 anos), os resultados dos restantes três encontros pautaram-se pela aparente lógica.

Desde logo, com o Cartaxo, vencendo por 3-0, na recepção ao recém-promovido Pego, a igualar o “placard” averbado pelo Coruchense. Também por tangencial 1-0, o Amiense ganhou o “derby” do município de Santarém, frente ao Moçarriense, o mesmo desfecho do Torres Novas-Samora Correia, com os torrejanos a almejar uma temporada mais tranquila.

Campeonato de Portugal – Atingindo-se já a 4.ª jornada da prova, os clubes representantes do Distrito sofreram os seus primeiros desaires, numa ronda duplamente negativa.

O Fátima foi inapelavelmente batido, no seu próprio reduto, pelo líder da Série C, a formação açoriana do Praiense, por 3-0; quanto ao U. Santarém, foi igualmente desfeiteado, por 0-2, na deslocação às Caldas da Rainha.

Fatimenses e escalabitanos, igualados pontualmente (cinco pontos, fruto de uma vitória e dois empates nas partidas anteriores), ocupam, por agora, posições a meio da pauta classificativa (8.º/9.º lugares), apenas a três pontos do guia… mas somente um ponto acima da “linha de água”.

Antevisão – Na segunda ronda da I Divisão Distrital, destacam-se os desafios entre Moçarriense-Cartaxo e Pego-Coruchense, com dois dos pretendentes ao título a enfrentarem adversários incómodos, com grande vontade de começar a somar os primeiros pontos, em terrenos tradicionalmente difíceis para os forasteiros.

De especial interesse serão também os embates entre U. Tomar-Fazendense, U. Almeirim-Ferreira do Zêzere e Mação-Torres Novas, encontros que os visitados terão de encarar com grande concentração, em ordem a poder confirmar o favoritismo que, a priori, lhes é conferido.

Terá também início, no próximo fim-de-semana, mais uma edição da Taça do Ribatejo, este ano com a fase de grupos reservada aos clubes do escalão secundário (18 participantes, excluindo-se as equipas “B” do U. Tomar, Abrantes e Benfica, Fazendense e Ferreira do Zêzere), repartidos em cinco séries. Na jornada de abertura, realce para os seguintes encontros: Tramagal-Benavente, U. Atalaiense-Forense, Alcanenense-Caxarias e Rebocho-Marinhais.

No Campeonato de Portugal, os representantes do Distrito terão ambos deslocações, ao terreno de clubes que registam pior início de campeonato: o Fátima visita Cernache do Bonjardim, para defrontar o V. Sernache, que perdeu ante o Torreense o único jogo até agora disputado em casa, mas que vem de um empate na Anadia, ante o vice-líder. Por seu lado, cabe ao U. Santarém defrontar o U. Leiria, actualmente um inesperado penúltimo classificado, ainda sem se ter estreado a vencer.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 19 de Setembro de 2019)

22 Setembro, 2019 at 11:00 am Deixe um comentário

Artigos Mais Antigos


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Novembro 2019
S T Q Q S S D
« Out    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.