Posts filed under ‘Tomar’

O Pulsar do Campeonato – 18ª Jornada

pulsar-18

(“O Templário”, 16.02.2017)

Como que a confirmar que a lógica do futebol é, muitas vezes, ilógica, o Riachense, que acabara de ser eliminado da Taça do Ribatejo, no seu próprio reduto, pelo Torres Novas, desforrou-se no At. Ouriense, com uma soberba (e inesperada) goleada; enquanto, ao invés, os torrejanos viam quebrar-se o magnífico ciclo de invencibilidade que mantinham há já 14 jogos (incluindo três na Taça), surpreendentemente batidos, no seu terreno, pelos “Caixeiros”.

Destaques – A nível das equipas do topo da tabela, o principal destaque desta 18.ª ronda vai para a goleada imposta pelo Riachense na recepção ao At. Ouriense, ganhando por 6-1, assim colocando termo a uma série de quatro jogos sem vencer no campeonato, mantendo portanto a distância face ao líder, em cinco pontos.

E isto porque o Coruchense, recebendo um difícil adversário, Mação, se impôs por tangencial 2-1, somando assim o sexto triunfo consecutivo no campeonato. Aliás, tem sido o seu desempenho na 2.ª volta da prova que lhe permitiu distanciar-se na liderança, dado que, face aos 15 pontos obtidos em cinco jornadas, se regista a particularidade de nada menos de dez clubes concorrentes (todos os classificados entre o 2.º e o 11.º lugares!) terem somado apenas sete ou oito pontos no mesmo período, num curiosíssimo equilíbrio.

Por fim, é de realçar o retorno do Samora Correia às vitórias, a expensas do União de Tomar, vencendo por 3-1, uma marca excessivamente pesada face à exibição de ambas as equipas, mas em que se sobrepôs a grande eficácia dos samorenses, em contraponto a um União perdulário, que, não tendo entrado bem no jogo, reagiu de forma muito assertiva ao tento sofrido ainda antes da passagem do quarto de hora, podendo também ter marcado igual número de golos, assim tivesse tido mais concentração, eficácia e uma pontinha de sorte. Um desfecho que deixa os unionistas ligeiramente mais longe do pódio (agora a quatro pontos do 3.º classificado), integrando um compacto lote de cinco perseguidores, entre a 5.ª e a 9.ª posições, separados por apenas dois pontos.

Surpresa – A grande surpresa da jornada foi o desaire caseiro do Torres Novas, desta vez falho de argumentos para superar a barreira defensiva dos Empregados do Comércio, acabando mesmo por ser surpreendido por um golo dos “Caixeiros”, que lhes proporcionou um tão inesperado quão saboroso triunfo, que, não obstante, ainda não lhes permite respirar com grande tranquilidade, dado disporem apenas de três pontos de vantagem sobre a “linha de água”.

Por outro lado, também de alguma forma surpreendente terá sido o desfecho do Cartaxo-Pego, com os cartaxeiros a não conseguirem suplantar um opositor directo, que parecia vir em progressiva queda de rendimento, com quatro derrotas sucessivas e sem conseguir ganhar há oito jogos. O empate registado (1-1) mantém ambos os grupos em posição bastante comprometedora, subsistindo o Cartaxo abaixo da “linha de água”, a um ponto do seu opositor do passado fim-de-semana, face ao qual, em caso de igualdade pontual, ficará em desvantagem.

Confirmações – Nas restantes duas partidas, confirmou-se a inexorável tendência de queda no “abismo” do Benavente, agora com um terrível ciclo de oito desaires consecutivos, já a praticamente insuperáveis 12 pontos de atraso da “linha de água”, a oito jornadas do final, isto depois de ter sido derrotado em casa pelo Fazendense, por tangencial 0-1.

Em Almeirim, num desafio de grande interesse, o União local viu também interrompida a sua excelente série de vitórias caseiras, tendo acabado por ceder uma igualdade (também a um golo) na recepção ao Amiense, que mantém o 3.º posto da pauta classificativa, pese embora agora já a sete pontos do Riachense… e a 12 do Coruchense.

II Divisão Distrital – Na série A, o principal destaque vai para o inesperado desaire caseiro do Caxarias, batido por 0-3 por um rival directo na disputa do acesso à fase de apuramento do Campeão, U. Atalaiense. Um passo atrás, numa caminhada que, não obstante faltarem somente quatro jornadas, tem ainda praticamente tudo por decidir, dado o equilíbrio pontual entre 2.º e 5.º classificado (agora, precisamente, a turma da Atalaia e o Caxarias, respectivamente), separados por três pontos, intercalados por U. Abrantina e Rio Maior, ainda com vários desafios envolvendo estes competidores, e com U. Abrantina e Caxarias a beneficiarem de terem um jogo a menos que os restantes. Mais tranquilo está o líder Ferreira do Zêzere, vencedor frente ao Alferrarede (3-1), agora já com uma margem de segurança de cinco pontos face ao 4.º lugar.

Na série B, Moçarriense (ganhando 1-0 ao Marinhais) e U. Santarém (2-0 na recepção ao Benfica do Ribatejo) ficaram muito bem encaminhados para o apuramento para a fase final (respectivamente com sete e seis pontos de vantagem sobre os “benfiquistas”), com a terceira vaga a decidir entre Marinhais e Benfica do Ribatejo, actualmente separados por dois pontos.

Campeonato de Portugal – As duas equipas representativas do Distrito entraram com o “pé direito” na segunda fase da competição. Na série de promoção, o Fátima ganhou ao Operário de Lagoa por 2-0, partilhando desde já a liderança com Sacavenense e Farense, todos com 3 pontos. Na série de disputa da manutenção, o Alcanenense, ganhando ao Mafra por 2-1, reparte também o comando com o Caldas e os mafrenses, todos com 10 pontos, agora com cinco pontos de vantagem em relação à “linha de água”, traçada entre V. Sernache e Carapinheirense.

Antevisão – Na próxima jornada da I Divisão, destaque para o “jogo grande” entre Fazendense e Riachense, com a turma de Riachos, na perseguição ao líder, com mais uma missão de grande dificuldade. Por seu lado, o Coruchense desloca-se ao Pego, onde não deverá também esperar facilidades, mas em que se apresenta como favorito.  De interesse será também o Amiense-Torres Novas, enquanto o U. Tomar visa regressar rapidamente aos triunfos, ante o Cartaxo.

Na II Divisão, a Norte, realce para o Rio Maior-Caxarias, partida pela qual poderá passar alguma da definição do futuro desta série; a Sul, nota especial para o “derby” Marinhais-Glória.

No Campeonato de Portugal, o Fátima desloca-se a Torres Vedras, enquanto o Alcanenense visita Vila Franca de Xira, actual 5.º classificado, apenas um ponto acima da “linha de água”..

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 16 de Fevereiro de 2017)

19 Fevereiro, 2017 at 11:00 am Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – Taça do Ribatejo – 1/8 de final

pulsar-tribatejo-1-8-final

(“O Templário”, 09.02.2017)

Logo na primeira ronda a eliminar da Taça do Ribatejo (1/8 de final), ficaram pelo caminho os dois finalistas da temporada anterior (incluindo portanto o actual detentor do troféu, Fazendense), assim como – uma vez mais infeliz nesta competição, que nunca conseguiu conquistar –, o União de Tomar, caídos, respectivamente, às mãos de Amiense, Torres Novas e Cartaxo.

Destaques – Efectivamente, o grande destaque desta eliminatória vai para o triunfo do Torres Novas no “derby”, nos Riachos, batendo o Riachense, finalista da época passada, mercê de um solitário tento, devolvendo assim (precisamente por igual marca) a derrota que sofrera na fase de grupos desta mesma competição, em mais uma cabal demonstração de que não há dois jogos iguais. Os torrejanos, com uma campanha sensacional, depois de um arranque de pesadelo, ampliaram agora já para 14 o número de jogos sem derrota, mantendo a invencibilidade desde o passado dia 16 de Outubro, perfilando-se como um dos favoritos à conquista da taça.

Outra nota de realce vai para a categórica marca com que o Amiense, recebeu e bateu o detentor do troféu, Fazendense, ganhando por 3-0, apresentando-se portanto também como sério candidato à vitória final na prova, ainda a par do Coruchense,

Surpresas – A principal surpresa veio de Benavente, onde o “lanterna vermelha” da I Divisão, a confirmar a sua péssima temporada, agora já completamente desmobilizado de qualquer objectivo, que não o da salvaguarda da dignidade, foi goleado (0-3) pelo U. Santarém, único clube do escalão secundário a seguir em frente na prova, avançando já para os 1/4 de final. Um caso em que será maior a surpresa pelos números alcançados pelos escalabitanos que, propriamente, pela turma vitoriosa, dado estarmos perante duas formações com trajectórias de sentido inverso, que, possivelmente, trocarão de divisão na próxima época.

A outra surpresa foi a eliminação do União de Tomar, uma vez mais a experimentar grandes dificuldades na deslocação ao Cartaxo, onde raramente foi feliz – a última vitória aí alcançada pelos unionistas data já de Março de 2010 –, permitindo aos cartaxeiros adiantarem-se, por duas vezes, com os tomarenses sempre a correr “atrás do prejuízo”, acabando por conseguir ainda fixar o empate a duas bolas, já próximo do final do tempo regulamentar, numa partida em que, contudo, ficaram a dever a si próprios um resultado mais positivo.

Depois, no ingrato e inglório desempate da marca de grande penalidade, as coisas até começaram bem, com o guardião unionista (João Pedro Lopes) a defender o primeiro remate, mas os unionistas acabariam por desperdiçar os dois últimos pontapés (perdendo por 3-4), assim se vendo prematuramente afastados de uma prova na qual tinham legítimas aspirações. Afinal, o reverso do que sucedera na época passada, em que, defrontando este mesmo oponente, mas, nessa ocasião, com um plantel bastante mais forte do que o deste ano, fora então o União de Tomar a ser mais feliz na marca de grande penalidade.

Confirmações – Nos restantes desafios, o líder da I Divisão Distrital goleou o Pego por inequívoca marca de 6-2, depois de ter passado por uma fase de algum “adormecimento”, em que chegou a permitir ao adversário chegar à desvantagem mínima de 3-2; por seu lado, nos três outros encontros entre equipas de escalão diferente, os conjuntos da I Divisão confirmaram o seu natural favoritismo, também com o At. Ouriense a golear o Glória do Ribatejo (6-1) – com os oureenses, com um impressionante “score” de 18 golos marcados em quatro jogos na prova –, enquanto o U. Almeirim voltou a vencer fora do seu reduto, impondo-se por 2-0 na deslocação a Abrantes, frente à U. Abrantina; por fim, o Mação recebendo o líder da II Divisão, Moçarriense, terá passado por mais dificuldades que o expectável, ganhando por tangencial 1-0.

Antevisão – No próximo fim-de-semana, regressam os campeonatos distritais, com a 18.ª ronda na I Divisão, entrando-se portanto no último terço da prova, na qual sobressai, em especial, o confronto entre Samora Correia e União de Tomar, dois clubes que repartem actualmente o 4.º posto, e com a mira ainda apontada a um lugar no pódio. Isto, porque, por outro lado, o 3.º classificado, Amiense, terá uma difícil deslocação a Almeirim, para defrontar o União local.

Quanto aos dois primeiros classificados, actuam nos respectivos terrenos, sendo favoritos, mas devendo estar de pré-aviso, perante adversários que não lhes facilitarão a tarefa: o comandante, Coruchense, recebe o Mação (6.º classificado, mas apenas um ponto abaixo de samorenses e unionistas); enquanto o Riachense terá a visita de um motivado At. Ouriense. A surpresa poderá estar à espreita, numa ronda em que a turma de Riachos procura pôr cobro a uma série de quatro jogos sem ganhar para o campeonato, e superar o trauma da eliminação caseira na Taça. Caso contrário, a formação do Sorraia, ganhando, poderia começar a encomendar as faixas…

Determinante para outras contas poderá ser o Cartaxo-Pego, em que, a haver uma equipa derrotada, ficará certamente em má condição, não apenas pontual, mas, sobretudo, anímica.

Na II Divisão, a Norte, o destaque vai, por inteiro, para o Caxarias-U. Atalaiense, dois clubes que repartem o 2.º lugar, e em que, na eventualidade de novo triunfo do Caxarias, tal poderá traduzir um decisivo passo em frente para o apuramento para a segunda fase; a Sul, realce para os embates Moçarriense-Marinhais e U. Santarém-Benfica do Ribatejo, de maior responsabilidade para este último que, em caso de derrota, pode ver escapar as suas aspirações.

O Campeonato de Portugal dá início à sua segunda fase, com os dois clubes representantes do Distrito em patamares distintos: o Fátima, a disputar a série de apuramento de promoção (e de acesso à Final, para definição do Campeão), recebe precisamente o Operário de Lagoa (2.º classificado da sua série, na fase inicial); por seu lado, o Alcanenense, integrado na série de disputa da manutenção, jogando também no seu terreno, terá uma difícil visita, do Mafra.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 9 de Fevereiro de 2017)

12 Fevereiro, 2017 at 12:00 pm Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 17ª Jornada

pulsar-17

(“O Templário”, 02.02.2017)

Prosseguindo a sua curiosa série de empates – quarto em quatro jogos da segunda volta do campeonato –, o Riachense vai deixando escapar o líder Coruchense, que, em perfeito contraste, repetiu o ciclo de quatro vitórias que obtivera já, igualmente, no arranque da prova, em função do que ampliou para cinco pontos a distância entre os dois primeiros.

Destaques – O principal destaque da 17.ª jornada vai, necessariamente, para o categórico triunfo averbado pela formação do Sorraia na repetição da visita a Fazendas de Almeirim (onde fora derrotada na semana passada por 0-2, então em partida da Taça do Ribatejo), impondo-se, desta feita, por 3-1, numa clara demonstração de que não há dois jogos iguais, ainda para mais quando as competições e as circunstâncias são distintas.

O outro realce da ronda vai para a vitória do Torres Novas em Samora Correia, por 1-0, somando o sétimo resultado favorável nos últimos 11 jogos (tendo empatado os outros quatro), numa excelente fase, apenas tangencialmente superada pelo líder (com o Coruchense a somar um ponto mais que os torrejanos em igual período); apenas o Riachense mantém série invicta de maior extensão (desde a 2.ª jornada). Ao invés, os samorenses parecem, gradualmente, ir “perdendo gás” (três derrotas nas últimas cinco jornadas, em que apenas venceram por uma única vez), começando a baixar paulatinamente na pauta classificativa, repartindo agora o 4.º posto com o União de Tomar.

Por fim, noutro jogo grande do passado fim-de-semana, referência ao tal empate (1-1) entre 3.º e 2.º classificados, em Amiais de Baixo, que, para além de ter afastado ainda mais o Riachense do comando, distanciou também o Amiense, agora já com um irremediável atraso de dez pontos face ao Coruchense, mantendo-se cinco pontos abaixo do seu oponente.

Confirmações – Numa jornada em que acabou por não haver surpresas a assinalar, confirmaram-se as expectativas nos restantes desafios, desde logo com a goleada do U. Tomar sobre o Pego (4-1), grupo que somou a quarta derrota em outros tantos jogos nesta segunda volta, pese embora, uma vez mais – tal como sucedera ante a U. Abrantina – os unionistas até tenham começado por se ver em desvantagem, consentindo o tento inaugural ao adversário, mas reagindo bem, com dois golos a findar a primeira metade, para sentenciar o desfecho da partida com outros dois tentos no culminar do jogo.

Também o Mação venceu, na recepção ao Cartaxo, apesar do tangencial desfecho (2-1), agravando ainda mais os sintomas de crise nos cartaxeiros (que sofreram o sétimo desaire nos últimos nove jogos na prova), tendo a equipa vice-campeã da época anterior voltado a cair numa tão inesperada quão delicada posição, novamente abaixo da “linha de água”, carecendo urgentemente de pontos para a acesa disputa que se antecipa, entre quatro clubes (com o At. Ouriense, Empregados do Comércio e Pego), para procurar evitar um lugar de despromoção (a outra “vaga” parece, cada vez mais em definitivo, estar já reservada para o Benavente).

Precisamente, nessa luta, o At. Ouriense, ganhando por igual marca (2-1) ao Benavente, parece pretender começar a afastar-se da zona perigosa, dispondo agora de uma vantagem já de quatro pontos em relação ao Cartaxo.

Por seu lado, os “Caixeiros”, também a jogar em casa, não foram além do nulo frente ao U. Almeirim, o que, de qualquer forma, lhes proporcionou descolar ligeiramente do Cartaxo, ao mesmo tempo que igualavam o Pego na pontuação, com a aparente vantagem de virem em trajectórias de sentido inverso: os escalabitanos com um único desaire nas seis rondas mais recentes, contrariamente aos pegachos, que não conseguem ganhar desde a 9.ª jornada.

II Divisão Distrital – Na série A, a grande sensação foi a goleada imposta pela U. Abrantina (que, não obstante, se mantém no 4.º lugar), batendo o líder Ferreira do Zêzere por categórico 4-0. O mesmo marcador se registou no Rio Maior-Aldeiense, o que deve ter afastado os visitantes de eventuais aspirações que pudessem acalentar no apuramento para a fase de disputa do título e da promoção à I Divisão Distrital, agora com cinco candidatos para três vagas: Ferreira do Zêzere, ainda com três pontos de vantagem sobre Caxarias e U. Atalaiense, com a U. Abrantina um ponto atrás, e o Rio Maior, ainda outro ponto mais abaixo.

Na série B, para além dos triunfos do Moçarriense no terreno do Vale da Pedra (3-1) e do U. Santarém no campo do Forense (2-0), que lhes permitem manter os dois lugares da frente, o destaque vai para o empate (1-1) consentido por outro candidato, Benfica do Ribatejo, na recepção ao Glória do Ribatejo, a atrasar-se, agora a dois pontos do Marinhais (isto, contando que será atribuída a vitória ao clube do município de Salvaterra de Magos, numa partida que foi interrompida a escassos minutos do final, quando ganhava por 1-0 ao Porto Alto).

Campeonato de Portugal – Terminou a 1.ª fase da prova, com o Fátima, que confirmara já o 1.º lugar da sua série na ronda anterior, a ganhar, na derradeira jornada, ao Sertanense (2-1), assim afastando os sertaginenses da disputa da promoção, em prol do Operário de Lagoa (Açores). Por seu lado, o Alcanenense, empatando a zero na recepção ao Caldas, garantiu o 4.º lugar da sua série (na qual se apuraram para a fase de disputa da promoção, o Praiense e o Torreense); contudo, em função da nova regulamentação da prova, partirá para a 2.ª fase com uma margem de apenas quatro pontos em relação à “linha de água” (dado serem agora retidos somente 25% dos pontos que somara no decurso da 1.ª fase).

Antevisão – Os campeonatos distritais voltam a sofrer nova interrupção, para disputa dos 1/8 de final da Taça do Ribatejo, em que se destacam os seguintes desafios: como “cabeça de cartaz”, o “derby” Riachense-Torres Novas (um reencontro, depois de se terem defrontado já na ronda inaugural da fase de grupos, então com triunfo da turma de Riachos por 1-0); de imediato, o Amiense-Fazendense, entre dois tradicionais candidatos à presença na final; e, ainda, o Cartaxo-U. Tomar (que se defrontaram na mesma fase da competição, na época passada, em Tomar).

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 2 de Fevereiro de 2017)

5 Fevereiro, 2017 at 11:00 am Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – Taça do Ribatejo – 3ª Jornada

pulsar-tribatejo-3

(“O Templário”, 26.01.2017)

Em mais uma breve interrupção nos campeonatos distritais, disputou-se no passado fim-de-semana a 3.ª e última jornada da fase de grupos da Taça do Ribatejo, em função do que foram preenchidas as oito vagas que restavam na qualificação para os 1/8 de final da prova. Assim, as equipas do Amiense, Mação, At. Ouriense, Riachense, Torres Novas, Benavente, U. Santarém e Fazendense, juntam-se aos clubes já anteriormente apurados: U. Tomar, Pego, U. Abrantina, U. Almeirim, Glória do Ribatejo, Cartaxo, Moçarriense e Coruchense.

Destaques – O primeiro destaque desta jornada vai para outra estrondosa goleada, desta feita imposta pelo Riachense – replicando a marca com que o At. Ouriense “brindara” anteriormente o Alferrarede –, ganhando, na recepção ao histórico Tramagal, por 10-0!

Nos três confrontos entre equipas da I Divisão, o empate a uma bola entre Mação e At. Ouriense possibilitou aos oureenses acompanhar o seu adversário, avançando ambos na competição; por seu lado, no Cartaxo-Benavente, a equipa “lanterna vermelha” do campeonato, mesmo tendo sido derrotada por 1-0, alcançou também o objectivo da qualificação (beneficiando da igualdade, 1-1, entre os Empregados do Comércio e o Marinhais); por fim, em Fazendas de Almeirim, o Fazendense conseguiu a proeza de derrotar o líder do campeonato, Coruchense (cujo último desaire datava já de 30 de Outubro do ano passado, no desafio em que recebera o U. Tomar), vencendo por 2-0, garantindo assim igualmente o apuramento para a fase a eliminar.

Por seu lado, nos encontros entre conjuntos da II Divisão, realce para o triunfo do U. Santarém sobre o Vale da Pedra (3-1), como que numa espécie de “final” entre ambos, possibilitando aos escalabitanos confirmar o 2.º lugar na sua série e consequente qualificação.

Surpresas – Tendo os favoritos seguido em frente, num lote de 16 apurados, integrando apenas quatro clubes do escalão secundário – qualificados na série 7 (Moçarriense e U. Santarém), em que todos os quatro concorrentes militam na II Divisão; e nas séries 3 (U. Abrantina) e 5 (Glória do Ribatejo), que integravam três equipas desta divisão –, pelo que apenas foram eliminadas duas turmas da I Divisão (Empregados do Comércio, na série 6, e Samora Correia, na série 8, ambas compostas por 3 clubes do principal escalão), há, não obstante, algumas surpresas a assinalar.

Desde logo, precisamente, o empate do Samora Correia frente ao Barrosense, também por 1-1; assim como a já antes referida igualdade entre “Caixeiros” e Marinhais, pela mesma marca; ou, ainda a um golo, outro empate, entre Rio Maior e Pego, resultado que, não obstante, ditou o afastamento dos “donos da casa” (em favor do Amiense); e, por fim, igualmente a uma bola, a igualdade, em Tomar, numa partida entre duas formações já apuradas, com a disputa do 1.º lugar no grupo a ficar definida apenas do desempate por pontapés da marca de grande penalidade (fórmula em que os tomarenses viriam a sair vencedores).

Os nabantinos, com um “onze” bastante remodelado, fazendo “rodar” alguns jogadores habitualmente menos utilizados, entraram com boa atitude, assumindo desde cedo a iniciativa e o controlo do jogo, mas, com o decorrer do tempo, não tendo conseguido inaugurar o marcador, viriam a permitir aos abrantinos começar a libertar-se mais da sua zona defensiva, ensaiando alguns lances de contra-ataque, tendo conseguido mesmo colocar-se em vantagem. No segundo tempo, continuando a porfiar, os visitados acabariam por chegar ao tento da igualdade.

Também inesperada, sobretudo pela expressão do marcador (3-0), seria a vitória do Alferrarede sobre a U. Atalaiense, o que custou aos visitantes a possibilidade de apuramento.

Confirmações – Nos restantes desafios entre equipas de escalão diferente, os conjuntos da I Divisão confirmaram o seu favoritismo, de forma mais vincada no caso do Torres Novas, com uma goleada (6-0, face ao Espinheirense), com o Amiense a ganhar fora de casa, ao Aldeiense (2-0), tendo o U. Almeirim vencido o jogo ante o Glória do Ribatejo por tangencial 1-0.

Por fim, nos jogos entre conjuntos da II Divisão Distrital, o Caxarias bateu o Ferreira do Zêzere por 2-0 (ambas as equipas estavam já afastadas da possibilidade de apuramento), tendo o Moçarriense (já qualificado) ido ganhar por 2-1 ao terreno do Forense, enquanto Porto Alto e Benfica do Ribatejo (ambos também já virtualmente eliminados) empataram a duas bolas.

Campeonato de Portugal – Na penúltima jornada da primeira fase da prova, o Fátima, empatando (também 2-2) em Cernache do Bonjardim, garantiu a conquista do 1.º lugar na sua série; por seu lado, o Alcanenense confirmou o favoritismo, ganhando em Gáfete por 1-0, isolando-se no 4.º posto, agora já com confortável margem de 13 pontos face à “linha de água”.

Antevisão – No próximo fim-de-semana, regressam os campeonatos distritais, com a curiosidade de uma imediata “reedição” do confronto entre Fazendense e Coruchense, certamente com o líder da I Divisão a procurar rectificar a desfeita sofrida na Taça. Mas, se o guia não terá tarefa fácil, menos difícil não deverá ser a deslocação do 2.º classificado, Riachense, a Amiais de Baixo, ao terreno do 3.º classificado, Amiense. Dois jogos de grande aliciante em perspectiva. Quanto ao União de Tomar, recebe o Pego, que vem de três desaires sucessivos para o campeonato, esperando-se que possa confirmar o seu favoritismo.

Na II Divisão, realce para os seguintes encontros: U. Abrantina-Ferreira do Zêzere e Rio Maior-Aldeiense, a Norte; e Forense-U. Santarém e Benfica do Ribatejo-Glória, na série mais a Sul.

O Campeonato de Portugal atinge a sua derradeira ronda desta fase, com o Fátima, já vencedor da série, a receber, em jogo vital para a qualificação para a série de disputa da promoção, o Sertanense, que deverá necessitar imperiosamente de vencer, para evitar ser ultrapassado, sobre a “linha de meta”, pelos seus mais imediatos perseguidores. O Alcanenense recebe o Caldas, estando directamente em jogo a disputa da 4.ª posição final na respectiva série.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 26 de Janeiro de 2017)

29 Janeiro, 2017 at 11:00 am Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 16ª Jornada

pulsar-16

(“O Templário”, 19.01.2017)

Recebendo os Empregados do Comércio, o Riachense, que perdera a liderança na ronda anterior, viu o Coruchense ampliar a sua vantagem no comando para três pontos, decorrendo do terceiro empate sucessivo da turma de Riachos em outros tantos jogos da segunda volta.

Destaques – O primeiro destaque da 16.ª jornada vai portanto para o empate cedido pelo Riachense na recepção aos “Caixeiros”, não tendo conseguido ir além da igualdade a uma bola. Depois do empate caseiro no “derby” com o Torres Novas, e de, “in extremis”, ter evitado a derrota em Samora Correia, este foi já o terceiro encontro consecutivo sem conseguir vencer para o grupo dos Riachos. Um desfecho surpreendente se atendermos a que o adversário tem ocupado sempre a parte mais baixa da tabela classificativa (é, agora, o penúltimo classificado).

O outro realce da ronda vai para a vitória do U. Almeirim, precisamente sobre o Samora Correia (anterior 3.º classificado), por 2-1, com os almeirinenses a confirmarem a sua brilhante campanha em casa, onde somaram o sétimo triunfo consecutivo, apenas tendo consentido um empate, logo na primeira partida da temporada no seu reduto, ante a formação torrejana.

Surpresa – Para além do empate dos Empregados do Comércio em Riachos, temos outra “meia-surpresa” a assinalar: a vitória do Cartaxo frente ao Fazendense (2-1), com os cartaxeiros por fim a reencontrar-se com o êxito, após seis desaires consecutivos e um empate na jornada anterior. Dois resultados que lhes poderão dar maior alento para a parte restante do campeonato, em que, em função dos desfechos desta ronda, temos agora quatro clubes na zona de risco, de que, previsivelmente, apenas um deles acabará por vir a ser penalizado com a despromoção: para já At. Ouriense e Pego dispõem de magra vantagem de um ponto, curiosamente sobre as duas equipas surpresa do passado fim-de-semana, Cartaxo e Empregados do Comércio.

Confirmações – Nos outros quatro encontros confirmaram-se as tendências expectáveis, desde logo com o União de Tomar a impor um nulo na deslocação a Torres Novas, no grande clássico do Distrito, na sua 88.º edição, o que, por um lado, permitiu à turma do Almonda manter a senda de invencibilidade, já com uma excelente sequência de dez jogos sem perder, enquanto os unionistas igualaram o Fazendense no 5.º posto, pese embora agora a cinco pontos do 3.º classificado, Amiense.

E isto porque a turma de Amiais de Baixo fez valer a sua superioridade na deslocação a Benavente, impondo-se por tangencial 1-0, o que, paralelamente, quase condena os benaventenses à despromoção, após seis derrotas consecutivas, que fizeram ampliar para dez pontos o seu atraso em relação à “linha de água”.

Em queda progressiva tem vindo o Pego, sem conseguir vencer há sete jornadas, desfeiteado no seu terreno pelo Mação, também mercê de um solitário tento sofrido.

E, como, por vezes, os últimos são os primeiros, o Coruchense não terá tido, aparentemente, grandes dificuldades para se desembaraçar do At. Ouriense, ganhando por 2-0, somando quarto triunfo sucessivo, reforçando assim a posição de guia, e a sua inerente candidatura ao título.

II Divisão Distrital – Na série A, para além do regresso aos triunfos do líder Ferreira do Zêzere, batendo o Rio Maior, por 3-2, depois de ter operado a reviravolta no marcador, destaque para a vitória do Aldeiense sobre o U. Atalaiense (2-1), que, de forma inesperada, mantém o clube vencedor na disputa pelo acesso à fase final, destinado aos três primeiros classificados. Os ferreirenses, com sete pontos de vantagem sobre o 4.º classificado parecem ter tal posição garantida, subsistindo duas vagas, a definir entre um lote de cinco candidatos: Caxarias e U. Atalaiense, ambos apenas um ponto acima de U. Abrantina e U. Atalaiense, com o Rio Maior, outro ponto mais abaixo.

Na série B, a vitória do Moçarriense sobre o Benfica do Ribatejo (3-1) proporcionou-lhe reassumir a liderança, beneficiando também do facto de o U. Santarém ter folgado. Aqui as coisas parecem mais fechadas, com apenas quatro candidatos às três vagas de apuramento, numa luta que se antecipa bastante acesa até final: à turma da Moçarria segue-se o U. Santarém, a um ponto, e o par formado por Marinhais e Benfica do Ribatejo, ambos somente a dois pontos do novo comandante.

Campeonato de Portugal – Ganhando a um adversário directo, B. C. Branco (1-0), o Fátima, com excelente campanha, garantiu desde já, ainda com duas jornadas por disputar, a qualificação para a fase de promoção e apuramento de Campeão, liderando a sua série de forma destacada, com quatro pontos de avanço sobre o Sertanense. O Alcanenense não foi além do nulo na recepção ao Angrense, mantendo não obstante o 4.º posto, a par do Caldas, e os dez pontos de “margem de segurança” sobre a “linha de água” (que, na 2.ª fase, se reduzirão a 75%).

Antevisão – Os campeonatos distritais estarão em pausa no próximo fim-de-semana, para disputa da última jornada da fase de grupos da Taça do Ribatejo, em que se destacam nomeadamente os seguintes encontros, para definição das oito vagas restantes de acesso aos 1/8 de final da prova: Aldeiense-Amiense, Rio Maior-Pego, Mação-At. Ouriense, Alferrarede-U. Atalaiense, Torres Novas-Espinheirense, Riachense-Tramagal, Cartaxo-Benavente, Empregados do Comércio-Marinhais, U. Santarém-Vale da Pedra, Fazendense-Coruchense e Barrosense-Samora Correia. O U. Tomar recebe a U. Abrantina, estando ambos os clubes já apurados.

No Campeonato de Portugal, o Fátima visita Cernache do Bonjardim, para defrontar o 7.º classificado, visando confirmar o seu 1.º lugar, o que conseguirá se vencer. O Alcanenense desloca-se a Gáfete, onde, por curiosidade, encontrará igualmente o 7.º posicionado da sua série.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 19 de Janeiro de 2017)

22 Janeiro, 2017 at 11:00 am Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 15ª Jornada

pulsar-15

(“O Templário”, 12.01.2017)

Sem vacilar na difícil deslocação a Amiais de Baixo, somando terceiro triunfo sucessivo, e beneficiando do segundo empate seguido do Riachense, o Coruchense voltou a ascender ao comando do campeonato distrital da I Divisão, posição que ocupara já até à derrota sofrida no seu terreno, ante o União de Tomar, na 8.ª jornada.

Destaques – O principal destaque desta 15.ª ronda vai para o triunfo averbado pela formação do Sorraia em Amiais de Baixo, impondo-se por categórica marca de 3-1, perante o Amiense, clube que, curiosamente, se seguia de imediato na classificação. Ancorado numa sólida defesa, que, com apenas 8 tentos sofridos, regista praticamente metade dos golos já encaixados pelos perseguidores da primeira metade da tabela, a equipa de Coruche deixou bem evidenciadas as credenciais que a perfilam como um dos (dois) candidatos ao título.

Numa jornada que ficou assinalada pela particularidade de se defrontarem entre si os quatro primeiros classificados, o anterior guia, Riachense, não conseguiu levar a melhor na visita a Samora Correia, tendo de contentar-se com um empate a três bolas, obtido “in-extremis”, depois de ter chegado a estar em posição de desvantagem por 1-3. Os samorenses quase conseguiam repetir a proeza da primeira volta, dado serem, até ao momento, o único grupo que bateu a turma de Riachos.

Efectivamente, em função destes dois desfechos, Coruchense e Riachense passaram a dispor de vantagem de sete e seis pontos, respectivamente, sobre o mais directo rival, agora o clube de Samora, com o Amiense já com oito pontos de atraso em relação ao líder.

Quem prossegue a sua excelente recuperação é o Torres Novas, atingindo já nove jogos consecutivos sem perder (apenas o Riachense mantém uma série mais exuberante, com 13 desafios de invencibilidade), tendo recebido e vencido o U. Almeirim por 1-0, o que lhe proporciona ascender ao 7.º posto, mas, afinal, “apenas” a seis pontos do 3.º lugar.

Surpresa – Não houve, mas quase ia havendo, em Fazendas de Almeirim, onde, apenas no termo do encontro, o Fazendense conseguiu desbloquear o acesso à baliza do Pego, com um golo tardio, o suficiente para garantir a vitória, mantendo assim a 5.ª posição, agora somente a três pontos do último lugar do pódio. Ao invés, e pese embora a forma esforçada como vem percorrendo esta caminhada, os pegachos começam a aproximar-se da zona perigosa da pauta classificativa, tendo baixado ao 11.º lugar, com a margem de segurança face à “linha de água” a reduzir-se a quatro pontos.

Confirmações – Nos restantes três desafios, os resultados foram de alguma foram os esperados, nomeadamente com o União de Tomar, não sem dificuldade, a conseguir regressar aos triunfos, ganhando ao Mação, mercê de um solitário golo, colocando termo a um ciclo de quatro jogos sem derrota do adversário, voltando assim a subir na classificação, até ao 6.º posto.

Nas duas partidas em que se defrontavam os quatro clubes do fundo da tabela, em Ourém, At. Ouriense e Cartaxo “empataram-se”, não tendo desfeito o nulo, o que, tendo possibilitado aos cartaxeiros, colocar fim a uma terrível série de seis desaires sucessivos, não evitou que, desta forma, tivessem, inesperadamente, caído em zona de despromoção, pelo que se adensam os motivos de preocupação.

Isto porque, no confronto entre os dois últimos, os Empregados do Comércio levaram a melhor (2-1) sobre o Benavente, ultrapassando o Cartaxo na classificação, e afundando o rival, com os benaventenses – agora já a nove pontos da “linha de água”, posição ocupada precisamente pelos “Caixeiros” – a caminho do regresso ao segundo escalão, salvo alguma espécie de “milagre”…

II Divisão Distrital – Na série A, a U. Atalaiense surpreendeu o líder Ferreira do Zêzere, ganhando por 2-1, intrometendo-se também na disputa dos lugares cimeiros, partilhando agora com o Caxarias (com uma boa goleada, por 4-1, ante o Espinheirense) a vice-liderança, ambos a três pontos dos ferreirenses, mas com uma série de outras equipa ainda à espreita de uma oportunidade: Rio Maior, U. Abrantina e até o imprevisto Aldeiense, por agora, a quatro pontos do duo que reparte a 2.ª posição. Na série B, os favoritos venceram: o U. Santarém mantém a liderança destacada, ao ganhar ao Glória do Ribatejo (2-1), seguido de imediato, apenas a um ponto, pelo Benfica do Ribatejo (1-0 sobre o Porto Alto), e, um ponto mais atrás, o Moçarriense (goleou por 4-1 no terreno do Forense).

Campeonato de Portugal – O Fátima, obtendo um sensacional triunfo por 3-0 em Leiria, ante o União local, reforçou a sua posição de líder, com seis pontos de vantagem sobre o B. C. Branco (seu próximo adversário), quando faltam disputar apenas três rondas nesta fase inicial da prova. Por seu lado, o Alcanenense obteve também um resultado positivo (empate a uma bola) na deslocação a Vila Franca de Xira, mantendo o 4.º lugar na sua série, agora com dez pontos de vantagem em relação à “linha de água”.

Antevisão – No principal escalão do futebol distrital, o jogo de maior cartaz da próxima jornada é o clássico Torres Novas-União de Tomar, que se cruzam pela 88.ª vez, em desafios de Campeonatos nacionais e distritais e Taças (de Portugal e do Ribatejo). Nos anteriores encontros, os torrejanos ganharam por 34 vezes, face a 37 dos unionistas. Atenta a campanha que o Torres Novas vem realizando, uma partida de elevado grau de dificuldade, com tendência de equilíbrio. Os dois primeiros da classificação são amplamente favoritos nos seus compromissos, com o Coruchense a receber o At. Ouriense, enquanto o Riachense terá a visita dos Empregados do Comércio. De interesse, será também o U. Almeirim-Samora Correia.

Na II Divisão Distrital, a Norte, destaque para o Ferreira do Zêzere-Rio Maior e Aldeiense-U. Atalaiense; a Sul, o realce vai para o Moçarriense – Benfica do Ribatejo.

No Campeonato de Portugal, o Fátima pode garantir desde já o apuramento para a fase de disputa da promoção, se vencer os albicastrenses. O Alcanenense é favorito ante o Angrense.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 12 de Janeiro de 2017)

15 Janeiro, 2017 at 11:00 am Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 14ª Jornada

pulsar-14

(“O Templário”, 22.12.2016)

Na abertura da segunda volta, no “derby” torrejano, o líder, Riachense, não conseguiu travar a série de resultados positivos do Torres Novas, vendo assim o Coruchense recolar, agora somente a um ponto, permitindo igualmente alguma reaproximação do duo formado por Amiense e Samora Correia, ambos a seis pontos do guia.

Destaque – O grande destaque desta jornada vai precisamente para o empate (1-1) que o Torres Novas impôs em Riachos – depois de, inclusivamente, ter chegado a estar em vantagem no marcador –, no que constitui já o oitavo jogo consecutivo a pontuar por parte dos torrejanos, agora apenas a três pontos do 5.º lugar. Por seu lado, o Riachense completou terceira série consecutiva de três triunfos, seguidos de empate, não tendo ainda conseguido alinhar quatro vitórias sucessivas, o que apenas foi alcançado por Coruchense, Amiense e… Torres Novas.

Realce para mais uma vitória “fora de portas” do Amiense – que já não vencia há três jogos –, a segurar a partilha do 3.º posto, ganhando no Cartaxo por 2-0, continuando a aprofundar a crise de resultados dos cartaxeiros, já com uma muito preocupante sucessão de seis desaires (ainda ninguém fez pior neste campeonato, sendo este registo igualado por Empregados do Comércio e Benavente, precisamente o trio da cauda da tabela), a atrasar-se ainda mais, agora a quatro pontos de distância do adversário mais próximo.

Numa ronda em que apenas dois visitados venceram, é de assinalar também o triunfo do At. Ouriense no Pego (1-0), a colar-se a esse rival, do qual está agora separado por um único ponto, tendo paralelamente aberto um pequeno “fosso” de quatro pontos em relação à “linha de água”, em busca da tranquilidade. Ao invés, os pegachos desperdiçaram a oportunidade de dar um grande passo em frente no trilho da manutenção, uma vez que poderiam ter ampliado para oito pontos a vantagem face à zona perigosa da pauta classificativa, o que, contudo, não sucedeu.

Surpresa – Pelo desempenho que a formação do U. Almeirim vem realizando no seu reduto, não se poderá caracterizar de verdadeiramente surpreendente a vitória averbada frente ao União de Tomar (3-1), que sofreu a sua terceira derrota nos últimos quatro jogos; surpreendendo, isso sim, que, inclusivamente, tivesse chegado a dispor de vantagem por 3-0.

Entrando novamente bem no jogo, a pressionar o adversário, os nabantinos viriam a ser surpreendidos em lance de “contra-golpe”, que proporcionou aos almeirinenses abrir a contagem a seu favor, passando, a partir daí, a dispor de posição bastante confortável, de gestão do resultado, obrigando os tomarenses a correr (ainda mais) riscos. Fazendo lembrar um pouco o que se passara no Cartaxo, o União de Tomar procurava jogar, enquanto o U. Almeirim ia aproveitando as falhas de desconcentração defensiva do opositor, para dilatar o marcador, até aos referidos 3-0, vindo o resultado final a ser fixado, próximo do termo do encontro, na conversão de uma grande penalidade, com a obtenção do “ponto de honra”.

Confirmações – Nos restantes três desafios, os desfechos registados confirmaram as expectativas: o Coruchense bateu os Empregados do Comércio por 3-1 (tal como esperado, um resultado bastante menos desequilibrado do que o verificado na ronda inaugural, na Ribeira de Santarém), enquanto o Samora Correia venceu o outro “derby” da jornada, em Benavente (2-1), perante o cada vez mais “lanterna vermelha”; por seu lado, num confronto entre dois históricos do futebol distrital, em Mação, a partida ante o Fazendense resultou numa igualdade a um golo, que traduz o equilíbrio entre as duas formações.

II Divisão Distrital – Na série A, o realce vai para a imprevista derrota caseira da U. Abrantina ante o Rio Maior (1-2), a proporcionar também um reagrupamento nos lugares da frente, com dois pontos a separar o 2.º do 5.º classificado, pese embora o Ferreira do Zêzere se tenha destacado, fruto da vitória (3-0) ante o Tramagal, ampliando a sua vantagem sobre os mais directos perseguidores para seis pontos, beneficiando dos também inesperados desaires do Caxarias no terreno do Aldeiense (por categórico 0-3) e da U. Atalaiense em Alferrarede (2-3). Na série B, noutro “derby”, o anterior líder, Moçarriense, foi batido no seu reduto pelo U. Santarém (2-3), assim lhe cedendo a posição de comando, com um ponto de vantagem sobre Marinhais (goleando por 4-0 o Vale da Pedra) e Benfica do Ribatejo (vencedor na Barrosa por 2-0), com a turma da Moçarria a baixar à 4.ª posição, a dois pontos do guia.

Campeonato de Portugal – O Fátima, vencendo o Carapinheirense por tranquilo 2-0, mantém a liderança da sua série, agora com três pontos de avanço em relação ao B. C. Branco (contando com a sua vitória num jogo que não chegou ao fim, por inferioridade numérica do adversário). O Alcanenense obteve excelente triunfo na recepção ao Torreense (2-1), destacando-se no 4.º lugar, novamente com nove pontos de vantagem em relação à “linha de água”, quando faltam disputar apenas quatro jornadas até ao termo da primeira fase da competição.

Antevisão – Os campeonatos entram agora em pausa durante dois semanas, a propósito da quadra festiva, de Natal e Ano Novo, apenas sendo retomados a 8 de Janeiro de 2017. Fica, de qualquer forma, a referência à curiosidade de, na 15.ª ronda, se defrontarem os quatro primeiros (Samora Correia a receber o Riachense, enquanto o Amiense tem a visita do Coruchense), o que, em caso de vitória dos visitados, recolocaria o campeonato “ao rubro”… Também as quatro equipas do fundo da tabela se encontram: At. Ouriense-Cartaxo e Empregados do Comércio-Benavente, em desafios em que estará bastante em jogo. Por seu lado, o União de Tomar receberá o Mação, que, depois de quatro desaires sucessivos, não perde há… quatro jogos.

Na II Divisão Distrital, o destaque vai para os seguintes confrontos: U. Atalaiense – Ferreira do Zêzere, Forense – Moçarriense e U. Santarém – Glória do Ribatejo.

No Campeonato de Portugal, o Fátima terá uma determinante deslocação a Leiria, para defrontar o União local, actual 4.º classificado; enquanto o Alcanenense visita Vila Franca de Xira, para jogar com o Vilafranquense (7.º classificado), a procurar fugir da zona perigosa.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 22 de Dezembro de 2016)

24 Dezembro, 2016 at 4:04 pm Deixe um comentário

1.ª edição sobre o livro da MATRENA esgotada

o-templario-22-12-2016

(clicar na imagem para ler o artigo completo – O Templário – 22.12.2016)

23 Dezembro, 2016 at 12:55 pm Deixe um comentário

Artigos Mais Antigos


Autor – Contacto

Destaques

Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Fevereiro 2017
M T W T F S S
« Jan    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.