Archive for 19 Junho, 2004

EURO 2004 – RESULTADOS E CLASSIFICAÇÕES

GRUPO A           Jg  V  E  D   G  Pt   Portugal-Grécia....1-2
1 Grécia     Grécia   2  1  1  -  3-2  4   Espanha-Rússia.....1-0
2 Espanha    Espanha   2  1  1  -  2-1  4   Grécia-Espanha.....1-1
3 Portugal   Portugal   2  1  -  1  3-2  3   Rússia-Portugal....0-2
4 Rússia     Rússia   2  -  -  2  0-3  -   Espanha-Portugal...
                                        Rússia-Grécia......

GRUPO B           Jg  V  E  D   G  Pt   Suíça-Croácia......0-0
1 França     França   2  1  1  -  4-3  4   França-Inglaterra..2-1
2 Inglaterra Inglaterra   2  1  -  1  4-2  3   Inglaterra-Suíça...3-0
3 Croácia    Croácia   2  -  2  -  2-2  2   Croácia-França.....2-2
4 Suíça      Suíça   2  -  1  1  0-3  1   Croácia-Inglaterra.
                                        Suíça-França.......

GRUPO C           Jg  V  E  D   G  Pt   Dinamarca-Itália...0-0
1 Suécia     Suécia   2  1  1  -  6-1  4   Suécia-Bulgária....5-0
2 Dinamarca  Dinamarca   2  1  1  -  2-0  4   Bulgária-Dinamarca.0-2
3 Itália     Itália   2  -  2  -  1-1  2   Itália-Suécia......1-1
4 Bulgária   Bulgária   2  -  -  2  0-7  -   Itália-Bulgária....
                                        Dinamarca-Suécia...

GRUPO D           Jg  V  E  D   G  Pt   Alemanha-Holanda...1-1
1 R. Checa   R. Checa   2  2  -  -  5-3  6   R. Checa-Letónia...2-1
2 Alemanha   Alemanha   2  -  2  -  1-1  2   Letónia-Alemanha...0-0
3 Holanda    Holanda   2  -  1  1  3-4  1   Holanda-R. Checa...2-3
4 Letónia    Letónia   2  -  1  1  1-2  1   Holanda-Letónia....
                                        Alemanha-R. Checa..

[1446]

19 Junho, 2004 at 10:20 pm

EURO 2004 – GRUPO D – 2ª JORNADA

LetóniaAlemanha0-0

Talvez de forma algo surpreendente, a Letónia entrou na partida disposta a .jogar o jogo., não se remetendo a uma defesa sistemática.

A Alemanha procurou impor desde cedo a sua força, evidenciando uma maior toada ofensiva, mas revelando sempre bastantes dificuldades em provocar situações de perigo para a baliza da Letónia.

A partir da meia hora, essa pressão alemã intensificou-se, parecendo os letões começar a denotar menor .frescura física., reduzindo as suas jogadas ofensivas.

Porém, aos 39 minutos, Verpakovskis, o .herói. da qualificação letã para o Europeu, isolou-se, aproximou-se da área, mas, depois de uma longa corrida, o remate (já algo em desequilíbrio) seria sustido por Kahn, na que constituía então a maior oportunidade para a .surpresa..

O pendor ofensivo alemão manteve-se no início da segunda parte, com os laterais a arriscarem mais e as jogadas de perigo começaram a suceder-se: aos 52, 55, 58, 64 e 66 minutos, a Alemanha ia-se sucessivamente aproximando do golo, na última das vezes com Bobic a chegar uma fracção de segundo atrasado ao que seria o desvio imparável da bola para dentro das redes da Letónia, já em plena pequena área.

No entretanto, duas tentativas de contra-ataque da Letónia, embora sem grande perigo; a Letónia apenas viria a ter nova oportunidade na sequência de um remate de cabeça, já em cima dos 90 minutos.

Mas a Letónia ia, pelo menos, conseguindo manter o nulo, à medida que se ia percebendo que as substituições realizadas pela equipa alemã não estavam a resultar, uma vez que as acções atacantes passavam a ter um carácter mais previsível, com notória falta de imaginação, facilitando a tarefa defensiva dos letões. Apenas aos 91 minutos, num remate de cabeça de Klose, a Alemanha voltaria a “ameaçar” chegar ao golo.

No final, um resultado .histórico. para a Letónia, apesar do .esmagador. domínio em termos de .posse de bola. (2/3 para os alemães), mas sem qualquer efeito prático… deixando também a Alemanha .a fazer contas de cabeça. (terá provavelmente de vencer o último jogo, frente à R. Checa).

Letónia Aleksandrs Kolinko, Aleksandrs Isakovs, Mihails Zemlinskis, Igor Stepanovs, Olegs Blagonadezdins, Imants Bleidelis, Valentins Lobanovs (69m – Juris Laizans), Vitalijs Astafjevs, Andrejs Rubins, Andrejs Prohorenkovs (67m – Marians Pahars), Maris Verpakovskis (92m – Dzintars Zirnis)

Alemanha Oliver Kahn, Arne Friedrich, Christian Worns, Frank Baumann, Philipp Lahm, Bernd Schneider (45m – Bastian Schweinsteiger), Dietmar Hamann, Michael Ballack, Torsten Frings, Fredi Bobic (67m – Miroslav Klose), Kevin Kuranyi (77m – Thomas Brdaric)

“Melhor em campo” – Michael Ballack (Alemanha)

Amarelos – Isakovs (1m), Astafjevs (78m); Friedrich (21m) e Hamann (42m) e Frings (53m)

Árbitro – Michael Riley (Inglaterra)

Estádio do Bessa Séc. XXI – Porto (17h00)


HolandaR. Checa2-3

Entrada mais dinâmica da R. Checa, com duas jogadas de ataque nos primeiros dois minutos… mas, aos 3 minutos, na primeira descida holandesa, na sequência de um livre, surgiu isolado a cabecear na área o central Bouma, inaugurando o marcador.

Embalada com o golo, a Holanda passou a controlar um jogo que começou bastante .vivo. de parte a parte.

E, aos 18 minutos, dois erros de arbitragem consecutivos: primeiro, um penalty a favor da Holanda por sancionar (um .encosto. na área, a desviar o avançado holandês da bola) e, logo de seguida, um fora-de-jogo não assinalado, de que beneficiaria Ruud van Nistelrooy para, na sequência da jogada, e com toda a facilidade, empurrar a bola para a baliza, fazendo aumentar o placard.

A R. Checa não desarmou e, apenas 5 minutos depois, num rápido contra-ataque, após várias simulações de Baros já dentro da área, Koller conseguiria introduzir a bola na baliza holandesa e reduzir para 1-2.

Aos 29 minutos, o árbitro espanhol voltou a .perdoar. uma grande penalidade contra a R. Checa, com Nistelrooy a ser compulsivamente agarrado dentro da área.

E o jogo continuaria bastante repartido entre os dois meios-campos, rondando o perigo ambas as balizas, até final da primeira parte, numa partida bastante intensa; o primeiro tempo terminaria com a Holanda a rematar ao poste e o árbitro a errar, novamente em prejuízo dos holandeses, interrompendo uma jogada de perigo, assinalando um fora-de-jogo inexistente.

Na segunda parte, não obstante uma ligeira redução de ritmo, o jogo manteve o seu interesse, com ambas as equipas a jogar o .jogo pelo jogo..

Aos 63 minutos, van der Sar negaria o golo do empate à R. Checa, com uma boa defesa… mas por pouco tempo, porque aos 70 minutos, Baros .enchia o pé. e com um remate estrondoso, colocava a bola no fundo da baliza da Holanda… que, na jogada seguinte, poderia ter alcançado nova vantagem!

O curso dos acontecimentos seria afectado aos 75 minutos com a expulsão de Heitinga; no minuto seguinte, numa só jogada, a R. Checa teria duas ocasiões soberanas para desempatar o jogo a seu favor, o que . mais uma vez . seria negado por van der Sar.

Os últimos minutos seriam naturalmente caracterizados por algum predomínio checo, com a Holanda a procurar preservar, pelo menos, o empate.

Aos 85 minutos, Nedved, do .meio da rua., faria um remate portentoso, que embateria estrondosamente na trave da baliza; mas 3 minutos depois, quase em cima do termo do tempo regulamentar, Smicer conseguiria o golo que faria da R. Checa a única selecção a conseguir duas vitórias nos dois primeiros jogos, tornando-a também no único país já apurado para os ¼ final, garantindo a vitória no grupo.

Haveria ainda tempo para a Holanda desperdiçar o golo do empate, que, em minha opinião, colocaria mais justiça num excelente jogo de futebol – até agora, o melhor da prova -, magnificamente disputado por ambas as equipas, sendo de realçar não obstante que a R. Checa teve o mérito, mesmo a perder por 2-0, de nunca .desistir. do jogo.

Holanda Edwin van der Sar, Johnny Heitinga, Jaap Stam, Wilfred Bouma, Giovanni van Bronckhorst, Clarence Seedorf (85m – Rafael van der Vaart), Philip Cocu, Edgar Davids, Andy van der Meyde (79m – Michael Reiziger), Arjen Robben (58m – Paul Bosvelt), Ruud van Nistelrooy

R. Checa Petr Cech, Zdenek Grygera (24m – Vladimir Smicer), Tomas Ujfalusi, Martin Jiranek, Marek Jankulovski, Tomas Galasek (62m – Marek Heinz), Karel Poborsky, Tomas Rosicky, Pavel Nedved, Milan Baros, Jan Koller (74 – David Rozehnal)

0-1 – Bouma – 3m
0-2 – Ruud van Nistelrooy – 18m
1-2 – Koller – 23m
2-2 – Baros – 70m
2-3 – Smicer – 88m

“Melhor em campo” – Pavel Nedved (R. Checa)

Amarelos – Seedorf (9m) e Heitinga (25m); Galasek (54m)

Vermelho – Heitinga (75m . acumulação de amarelos)

Árbitro – Manuel Mejuto González (Espanha)

Estádio Municipal de Aveiro (19h45)

[1445]

19 Junho, 2004 at 10:18 pm

CONSTITUIÇÃO EUROPEIA

Os integrantes do Conselho Europeu conseguiram finalmente chegar a acordo, visando a adopção formal da Constituição Europeia.

.Inspirando-se nas heranças culturais, religiosas e humanista da Europa, a partir das quais se desenvolveram os valores universais que constituem os direitos invioláveis e inalienáveis da pessoa humana, assim como a democracia, a igualdade, a liberdade e o Estado de direito…., o novo Tratado da União Europeia vem substituir todos as anteriores “bases constitucionais” da União (o Tratado de Roma, de 1957; o Acto Único, de 1986; o Tratado de Maastricht, de 1992; o Tratado de Amsterdão, de 1997; e o Tratado de Nice, de 2000).

O novo Tratado passa a definir as competências que são exclusivas da União e aquelas partilhadas com os países membros, alargando também o âmbito das deliberações que poderão ser adoptadas por maioria qualificada (deixando de ser requerida a anterior regra de unanimidade, limitando-se portanto o .direito de veto.).

A nível das instituições, o Conselho Europeu (agrupando os Chefes de Estado ou de Governo) torna-se uma instituição de pleno direito, passando as suas decisões a ter valor jurídico; passarão a ser designados um Presidente do Conselho Europeu e um Ministro Europeu dos Negócios Estrangeiros.

A Comissão Europeia passará a ter um único comissário por país, devendo posteriormente ver o seu número reduzido, numa base de rotatividade.

É um nova “etapa no longo processo de construção da União Europeia”, a qual, infelizmente, não foi minimamente debatida em Portugal, desconhecendo-se o conteúdo deste Tratado assim como, em termos gerais, as suas implicações futuras.

Inicia-se agora uma nova fase do processo, uma vez que – antes da sua entrada em vigor – o novo Tratado terá ainda de ser previamente ratificado por todos os Estados-membros, no que constituirá uma “última oportunidade” para a divulgação do seu conteúdo.

[1444]

19 Junho, 2004 at 9:30 am


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

  • RT @carmoafonso: o dia virá em q publicar capas assim arrasará quem o faz e não os visados. 11 hours ago
  • RT @RSolnado: De quem escolheu Roberto, do mesmo autor de Artur em vez de Oblak, chega... Helton, que ele quis dispensar, em vez de Odyssea… 11 hours ago
  • RT @bfarialopes: O Chega, por exemplo, conseguiu a proeza de em 12 horas votar três vezes de forma diferente a mesma norma do Novo Banco: A… 14 hours ago

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.