ELEIÇÕES PARLAMENTO EUROPEU – RESULTADOS

13 Junho, 2004 at 11:25 pm 1 comentário

A última informação de que disponho sobre os resultados das eleições para o Parlamento Europeu aponta os seguintes números:

PS – 44,5 % (12 mandatos)
PPD-PSD/CDS-PP – 33,2 % (9 mandatos)
PCP-PEV – 9,1 % (2 mandatos)
BE – 4,9 % (1 mandato)
PCTP-MRPP – 1,1 %
PND – 1,0 %

Como referiu o “cabeça de lista” da coligação derrotada, estas foram umas eleições que se realizaram num “contexto muito especial”: pelo acontecimento trágico do falecimento de Sousa Franco; com uma forte taxa de abstenção (61,2 %).

Independentemente destas condicionantes – que, acredito, não terão tido influência significativa nos resultados finais – objectivamente, constata-se:

(i) a mais clara vitória “de sempre” dos partidos “de esquerda”: mais de 60 % dos votos (!);

(ii) a mais baixa votação “de sempre” dos partidos coligados na “Força Portugal”;

(iii) neste contexto de forte abstenção, a coligação PCP-PEV consegue um “mínimo de resistência” (representando eventualmente os 9,1 % que obtém uma percentagem bastante superior ao seu actual “efectivo peso eleitoral”);

(iv) da mesma circunstância beneficiará o Bloco de Esquerda (com um eleitorado “mais militante”) para obter um muito bom resultado e conseguir eleger Miguel Portas para o Parlamento Europeu – podendo inclusivamente supor-se que a força política que representa terá hoje um peso eleitoral superior ao do partido do seu irmão Paulo Portas, o que não deixa de ser uma “novidade”;

(v) A “Nova Democracia” (1,0 %) não consegue uma “visibilidade mínima”, no que constitui uma derrota pessoal de Manuel Monteiro, embora numa conjuntura difícil (quedou-se mesmo atrás do PCTP-MRPP – que continuará, ainda hoje, a beneficiar da “confusão de símbolos” com o PCP (?)).

… Podendo depreender-se que, hoje por hoje, o “peso eleitoral do CDS-PP” será muito reduzido.

E, extrapolando, que a coligação governamental não traduzirá qualquer valor acrescentado ao PPD-PSD, antes pelo contrário, eventualmente penalizará mesmo os seus resultados.

Concluindo que, parece tornar-se notório, que a coligação sai muito abalada destas eleições – em que é claro o “cartão amarelo” mostrado ao governo -, dificilmente podendo “sobreviver” até à próxima legislatura.

A nível europeu, o Partido Popular Europeu mantém a maioria no Parlamento Europeu; o Partido Socialista Europeu não conseguiu atingir resultados nos “grandes países” que lhe permitissem inverter a composição da “Assembleia Europeia” (tendo o PS português obtido o melhor resultado de todos os socialistas na Europa).

Segundo as projecções disponíveis, o Partido Popular Europeu e os Democratas Europeus (PPE- DE), alcançará entre 247 a 277 eurodeputados (dos quais, 7 do PPD-PSD); o Partido dos Socialistas Europeus (PSE), entre 189 a 209 eurodeputados (12 do PS); a Esquerda Unitária Europeia, entre 30 a 40 deputados europeus (2 do PCP); e a União para a Europa das Nações, entre 22 e 30 deputados (2 do CDS-PP).

P. S. É a seguinte a composição final do Parlamento Europeu, por países e por “famílias partidárias”:

             PPE  PSE ELDR Verdes  EUE  UEN  EDD Outros Total
Alemanha      49   23    7    13     7    -    -     -    99
França        28   31    -     6     3    -    -    10    78
Itália        28   15    9     2     7    9    -     8    78
Reino Unido   28   19   12     5    -    -    12     2    78
Espanha       23   24    1     5     1    -    -     -    54
Polónia       18    8    4     -     -    7    -    17    54
Países Baixos  7    7    5     2     2    -    2     2    27
Bélgica        7    7    5     2     -    -    -     3    24
Grécia        11    8    -     -     4    -    -     1    24
Hungria       13    9    2     -     -    -    -     -    24
Portugal       7   12    -     -     2    2    -     1    24
R. Checa      11    2    -     -     6    -     -    5    24
Suécia         5    5    3     1     2    -    -     3    19
Áustria        6    7    -     2     -    -    -     3    18
Dinamarca      1    5    4     -     2    1    1     -    14
Eslováquia     8    3    -     -     -    -    -     3    14
Finlândia      4    3    5     1     1    -    -     -    14
Irlanda        4    2    -     1     -    4    -     2    13
Lituânia       3    2    3     -     -    -    -     5    13
Letónia        3    -    1     1     -    4    -     -     9
Eslovénia      4    1    2     -     -    -    -     -     7
Chipre         2    -    1     -     2    -    -     1     6
Estónia        1    3    2     -     -    -    -     -     6
Luxemburgo     3    1    1     1     -    -    -     -     6
Malta          2    3    -     -     -    -    -     -     5
             276  200   67    42    39   27   15    66   732

PPE . Partido Popular Europeu
PSE . Partido Socialista Europeu
ELDR . Liberais, Democratas e Reformistas
Verdes . Verdes / Aliança Livre Europeia
EUE . Esquerda Unitária Europeia / Esquerda Verde Nórdica
UEN . União para a Europa das Nações
EDD . Europa das Democracias e das Diferenças

[1415]

Entry filed under: Sociedade.

EURO 2004 – RESULTADOS E CLASSIFICAÇÕES COMEÇAR AGORA MESMO… (I)

1 Comentário

  • 1. O Raio  |  14 Junho, 2004 às 4:40 am

    E, segundo Pat Cox, o ainda Presidente do PE, 10% a 15% de deputados eurocepticos.


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Twitter

  • RT @NBCNews: Shortly after Portuguese soccer star Cristiano Ronaldo slid 2 Coca-Cola bottles away from him during a press conference, at le… 16 minutes ago
  • @filipitsch Sim, entre 15 de Janeiro e 15 de Abril 1 hour ago
  • Desde 24 de Fevereiro que não tínhamos tantos casos novos como hoje... 1 hour ago

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.


%d bloggers like this: