Archive for 1 Março, 2005

PEDRO ÁLVARES CABRAL – A VIDA E A VIAGEM (II)

PACabralDepois dos preparativos, no Domingo de 8 de Março, a viagem iniciou-se a 9 de Março de 1500, partindo do Restelo, transpondo a barra do Tejo e entrando nas águas do Atlântico.

Seguindo as instruções náuticas de Vasco da Gama, começou por passar no arquipélago de Cabo Verde, tendo depois, devido aos ventos e correntes, de alargar a rota para Sudoeste, pelo Atlântico Sul.

E é nesse “desvio” de quase um mês, talvez ainda mais impulsionado para Oeste pelos fortes ventos alísios, que, dois dias depois da Páscoa, a 21 de Abril – não sendo definitivo se por mero acaso, ou se em resultado de uma iniciativa intencional pré-determinada de exploração de novas terras (eventualmente já antes descobertas, em 1498, por Duarte Pacheco Pereira –, se avista grande quantidade de algas no mar.

PACabral-Mapa.jpegNo dia seguinte, vêem-se aves no céu, indiciando a proximidade de terra firme. Quando, horas depois, nesse dia de 22 de Abril, a terra é avistada, é dado o nome de Monte Pascoal a uma elevação, chamando-se à terra, “Terra de Vera Cruz”.

Na manhã seguinte, a 23 de Abril de 1500, a armada aproxima-se da linha de costa, vindo Nicolau Coelho a desembarcar, vendo então os primeiros indígenas (índios Aymoré), que parecem ter uma atitude pacífica, não mostrando intenção de fazer uso dos arcos e setas que transportam.

No dia seguinte, toda a tripulação desembarcaria, 10 léguas a Norte, em Porto Seguro, ficando deslumbrados com o clima, paisagens, animais e com as gentes “pardos e todos nus”.

Mais tarde, saber-se-ia que Cabral não fora o primeiro europeu a chegar ao Brasil; anteriormente, já Américo Vespucci (em Julho de 1499) e o espanhol Vicente Yañez Pinzón, antigo tripulante da armada de Colombo (em Janeiro de 1500) haviam avistado essa nova terra.

O que nunca foi possível confirmar foi se os portugueses já conheceriam a sua existência antes e se tal teria sido o motivo de terem conseguido uma revisão da repartição original do mundo em duas zonas de exploração (Portuguesa e Espanhola), ajustando a linha de separação mais para ocidente, de forma a incluir o território do Brasil na zona portuguesa (Tratado de Tordesilhas de 1494), o que teria levado a que o mesmo não tivesse sido anteriormente explorado.

[2112]

1 Março, 2005 at 6:02 pm

"TOMAR" – 1º ANIVERSÁRIO

Janela CapítuloHá precisamente 1 ano, no dia 1 de Março de 2004, coincidindo com a comemoração do dia da cidade, nascia este “blogue”: Tomar.

Nasci lá… Vivi lá… Achei que era uma boa data para começar a escrever sobre “a minha terra”!

[2111]

1 Março, 2005 at 12:42 pm 1 comentário

LÍNGUAS MINORITRIAS NA EUROPA (II)

A maior parte dos países possuem tradicionalmente um certo número de línguas regionais ou minoritárias, tendo algumas delas obtido um estatuto oficial, como o basco, catalão e galego em Espanha, o galês no Reino Unido, o frison no País Baixo, ou o mirandês em Portugal. Estas línguas são faladas regularmente por cerca de 40 milhões de habitantes do espaço da União Europeia.

No decurso do século XX, cerca de metade das línguas do mundo ter-se-ão extinguido; no espaço de duas gerações, uma língua pode desaparecer por completo, se não for transmitida dos pais aos filhos; a causa mais frequente para esta perda de parte da riqueza da humanidade é a que decorre do domínio económico e cultural de línguas mais poderosas ou de maior prestígio.

Em defesa e promoção da riqueza proporcionada pela diversidade linguística e cultural na Europa, o Conselho da Europa criou em 1998 a Convenção-quadro para protecção das minorias nacionais e a Carta Europeia das Línguas Regionais ou Minoritárias, que define língua minoritária como: “línguas tradicionalmente utilizadas por uma parte da população de um Estado que não sejam dialectos das línguas oficiais desse Estado nem línguas de populações migrantes ou línguas criadas artificialmente”.

É de algumas destas línguas que aqui me vou ocupar, diariamente, ao longo do mês de Março, divulgando algumas conclusões de estudo desenvolvido por instituições europeias, legislação específica aplicável a algumas delas, culminando na apresentação de pequenos textos nessas mesmas línguas!

Links a consultar:
http://europa.eu.int/comm/education/policies/lang/languages/langmin/langmin_pt.html
http://europa.eu.int/comm/education/policies/lang/languages/langmin/regmin_pt.html
http://www.coe.int/T/E/Legal_Affairs/Local_and_regional_Democracy/Regional_or_Minority_languages/Charter/
http://europa.eu.int/comm/education/policies/lang/languages/langmin/euromosaic/index_en.html
http://www.tlfq.ulaval.ca/axl/europe/europeacc.htm

[2110]

1 Março, 2005 at 8:48 am

BLASFÉMIAS

Presumo que os nascidos a 29 de Fevereiro celebrem o seu aniversário – nos anos não-bissextos – a 1 de Março…

Parabéns ao Blasfémias pelo primeiro ano de vida!

Continuação de bom trabalho no segundo ano que agora se inicia…

[2109]

1 Março, 2005 at 8:30 am


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Março 2005
S T Q Q S S D
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

  • Agora o VAR já achou pertinente intervir. No lance na área do Marítimo não valia a pena... 20 minutes ago
  • RT @jorgeraa: Pizzi tem d ser titular e é capitão indiscutível. É um jogador perfeito? Não, longe disso, mas tem um histórico no clube q fa… 22 minutes ago
  • RT @benfica_fm: Assim que o Benfica aperta cai logo um gajo do Marítimo para quebrar o ritmo. É Lito Vidigal vintage, este gajo é uma vergo… 23 minutes ago

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.