Archive for 3 Outubro, 2003

O VÍCIO DOS “BLOGUES” (III)

Finalmente, temos a outra faceta (o “reverso da medalha”): o “vício” de ler os outros “blogues”, nomeadamente no sentido da necessidade de conhecimento dos outros e da procura de partilha da pertença a um grupo. Para que o “bloguista” possa sentir-se integrado nesta espécie de “comunidade”, tem absoluta necessidade de saber quais os temas que se “discutem” em cada dia, de forma a que lhe seja possível fazer o intercâmbio de ideias e participar de forma activa nesse debate.

Acaba por se formar (implicitamente) um género de “tertúlia”, a que não queremos faltar; não obstante o anonimato de muitos “blogues”, vamos criando, aqui e ali, “amizades virtuais” com os autores com que mais nos identificamos e que, quase sem darmos por isso, acabamos por sentir a necessidade de visitar a cada dia que passa.

Cada vez mais (e à medida que a lista de “favoritos” se vai “adensando”), o “ovo de Colombo” traduzir-se-ia na “invenção” de uma forma de conciliar o “vício” com o (escasso) tempo disponível (isto para além de todas as outras actividades prioritárias, desde logo as profissionais, mas também o tempo para a família, para os amigos, para ler, para ir ao cinema ou ao futebol, finalmente, até para ver televisão…).

P. S. A propósito do “vício”, leia-se esta “entrada” do Desejo Casar!!!

[342]

3 Outubro, 2003 at 8:37 pm 1 comentário

O VÍCIO DOS “BLOGUES” (II)

O “bloguista” acaba por – mesmo de forma inconsciente – impor-se uma auto-disciplina “férrea” para escrever diariamente; sendo verdade que escreve, em primeira análise, para si próprio, espera, complementarmente, poder criar um “ciclo virtuoso”, ver o nível de “feed-back” (avaliado em função do número de “visitantes”) aumentar a cada dia, constituindo paralelamente uma motivação extra para se “dedicar a novas pesquisas” de outros temas que possam interessar aos seus leitores e trazer novas visitas (em oposição ao “ciclo vicioso” da falta de temas de interesse, quebra do número de visitantes e eventual desmotivação do autor, com o fim do “blogue”).

Ao escrever diariamente sobre os mais variados temas, tal implica um “trabalho de casa” preparatório, passando particularmente pela necessidade de se manter permanentemente informado; não é possível manter um “blogue” sem ler jornais!

Mas, como dizia Pacheco Pereira no Abrupto, trata-se de um “monstro insaciável”, de “combustão imediata” e que pode tornar-se muito desgastante, levando a uma necessidade de “sacudir esta dependência”: não será por acaso que vários dos “bloguistas” mais activos sentiram a necessidade de suspender temporariamente a “actividade” (por exemplo, Pedro Lomba / Flor de Obsessão, mas também Francisco José Viegas / Aviz ou João Nogueira /Socioblogue), ou mudar de rumo “editorial” (Pedro Mexia / Dicionário do Diabo) ou, de forma mais radical, acabar mesmo com o “blogue” (Guerra e Pas, Catarina Campos /100nada) – não obstante se poder advogar que essas decisões foram bastante determinadas por questões de disponibilidade de tempo.

[341]

3 Outubro, 2003 at 5:07 pm

"AVISO À NAVEGAÇÃO"

Recebido por e-mail do Martin Pawley, a propósito da quebra do sistema “Blogalia” (“blogues” espanhóis) durante esta semana; um alerta para a dependência generalizada dos “blogues” portugueses do sistema Blogger (que, como todos os sistemas, não estará absolutamente imune a falhas…):

“O que pasou foi simplesmente que se corrompeu a base de dados que posúe Víctor Ruiz, o creador de Blogalia, e que almacenaba todos os contidos dos blogs. A empresa que alberga o espacio web debería (supostamente) facer copias de seguridade a diario, e unha a maiores cada semana, pero polo que se ve non foi así… Ao final, resultou que a última copia íntegra era de hai unhas semanas, e o resto de historias houbo que recuperalas vía Google, tirándoas da memoria caché. Eses labores leváronlhe varios días, pero ao final conseguiu restablecer a situación. Hai algunhas cousas que se perderon (os comentarios das últimas semanas, case por completo), e no meu caso tiven que volver a retocar un pouco a plantilha do blog porque o formato que estaba gravado é de finais de agosto ou así (se notas que desapareceu algún enlace, débese a iso). Pero, vaia, puido ser peor! Nalgún momento cheguei a baralhar a hipótese de que se perderan moitas das historias, pero por sorte non sucedeu iso.”

[340]

3 Outubro, 2003 at 8:16 am

MODERNIDADE NASCEU NA IDADE MÉDIA (V)

.. Há efectivamente incontornáveis referências de personalidades, cujas obras passaram a ser determinantes para o futuro: Santo Agostinho (século V) . na charneira entre a Antiguidade e a Idade Média, prolongando-se na Modernidade ., cuja vasta produção literária tematizou a questão da verdade, da liberdade, da subjectividade e da história; Boécio (século VI), tradutor . do grego para latim . e comentador das obras gregas, a quem se deve a fixação de uma boa parte da terminologia filosófica e teológica latinas; . Santo Anselmo (século XII), bispo de Cantuária, teólogo e filósofo, pré-escolástico, autor do depois designado argumento ontológico, que procura ser um itinerário puramente racional para Deus; Avicena (nascido no Turquestão, século XI) e Averróis (século XII), pensadores árabes cuja obra foi decisiva para o acolhimento e comentário da herança filosófica grega, principalmente a de Aristóteles, e que tentaram conciliar o Alcorão, vindo a tornar-se referência insubstituível, por adesão ou rejeição, da especulação escolástica; . São Tomás de Aquino (século XIII), dominicano, uma das maiores referências, ainda na nossa época, da teologia e filosofia cristãs; . Guilherme de Ockham (século XIV), prefigurador do mundo moderno, passando a ser, posteriormente, referência obrigatória, na política, na filosofia da linguagem e na teologia..

“Modernidade nasceu na Idade Média” (Joaquim Cerqueira Gonçalves) . “Notícias do Milénio”

[339]

3 Outubro, 2003 at 7:14 am

1945 – AVANÇO E RENDIÇÃO

“Em Abril, forças da URSS, Inglaterra e EUA avançam em força para a Alemanha. Na Itália, Mussolini tenta fugir para a Suíça, mas é morto a 28 de Abril, com a sua amante Clara Petacci, por guerrilheiros da resistência. Hitler suicida-se dois dias depois, no bunker da Chancelaria, em Berlim, juntamente com Eva Braun, a “eterna noiva” do ditador. Entre 7 e 9 de Maio, as forças do III Reich rendem-se incondicionalmente, primeiro em Reims (França), depois em Berlim. Os Aliados assumem, a 5 de Junho, o controlo total da Alemanha e dividem o país em quatro zonas de ocupação: americana, soviética, britânica e francesa.”

[338]

3 Outubro, 2003 at 7:13 am


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

  • RT @ConstancaSa: E a comunicação social, Paulo, tira as devidas consequências? Ou ele são todos iguais e nós somos os arautos dos boas prát… 8 hours ago
  • RT @MundoMaldini: Justo triunfo del Valencia. Por muchas cosas. Sobre todo premio a la paciencia por aguantar a Marcelino en el momento crí… 8 hours ago
  • RT @pedro_sales: @jcaetanodias errado. dois para sporting, um para benfica e hipótese de um destes clubes vencer ainda a supertaça 2018/19. 8 hours ago

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.