Archive for Maio, 2005

PABLO PICASSO (VI)

Viria a separar-se de Olga Koklova em 1935 (apesar de nunca se ter divorciado, mantendo legalmente o casamento até ao falecimento de Olga em 1955), passando, no ano seguinte, a viver com Marie-Therese Walter, de quem teria a filha Maya.

Em 1936, ao mesmo tempo que eclodia a Guerra Civil Espanhola, tinha uma exposição itinerante em Espanha. Chega a ser director do Museu do Prado, em Madrid, comprometendo-se politicamente com os Republicanos e com o Partido Comunista.

Picasso6Guernica.jpg

A 26 de Abril de 1937, vivendo já, novamente, em Paris, o bombardeamento da cidade basca de Guernica pela aviação alemã leva-o a pintar aquela que perduraria talvez como a maior das suas marcas, o quadro mural “Guernica”, uma condenação alegórica do fascismo e dos horrores da guerra, através de figuras contorcidas e disformes, em tons de cinza, negro e branco, simbolizando a destruição de vidas humanas e de uma civilização, o qual seria exposto no Pavilhão Espanhol na Exposição Universal de Paris de 1937.

[2343]

31 Maio, 2005 at 6:41 pm

A INTERNET E OS BLOGUES NO REFERENDO FRANCÊS

A Internet e os “blogues” desempenharam um papel não negligenciável na campanha do Referendo francês ao Tratado Constitucional Europeu, de que o “Le Monde” se faz eco.

(via Mediatic)

[2342]

31 Maio, 2005 at 12:30 pm

"LIVE JOURNAL FRIENDS"

Há praticamente um ano e meio, por aqui tive oportunidade de fazer uma primeira viagem por um outro mundo paralelo da imensa blogosfera, o do “Live Journal“.

Como então referi – e, agora com maior conhecimento de causa, posso reafirmar – trata-se de uma comunidade especial, com fortes laços entre os seus membros, em que, podendo dizer-se que predomina a expressão fotográfica, muita dela de grande qualidade, há também muito boa escrita.

Obviamente, muito haveria para descobrir, mas permito-me aqui referir hoje as páginas de alguns dos amigos que tive o privilégio de conhecer nessa comunidade:

O innersmile é o meu primeiro destaque – começando precisamente pela expressão escrita -, sendo um dos melhores “cronistas” que tive oportunidade de ler na blogosfera, desde a capacidade de nos descrever paisagens de uma forma que nos faz “visualizar” as correspondentes imagens (estou a recordar-me das magníficas “crónicas” de viagem ao Egipto), às pertinentes críticas e apreciações culturais, nas suas mais variadas vertentes, passando pela literatura, cinema, teatro, música e até ao bailado. Imperdível!

A Marília é um caso raro de carisma, com uma capacidade de atracção, congregando em torno de si um vasto grupo de amigos. Sempre com uma contagiante “energia positiva”, para além dos belos textos que nos vai ofertando, as suas fotos são magníficas, com uma impressionante sensibilidade, captando a expressividade “interior” dos seus “modelos” que se revelam sem reservas perante a sua objectiva. A sua página pessoal (onde podemos admirar as suas fotos) é uma visita obrigatória!

O doctorjazz é outro óptimo exemplo de uma incomum capacidade de expressão por via das excelentes fotos que, com uma incrível “produtividade”, nos oferece diariamente (e, em muitas casos, várias vezes ao dia!). Com a particularidade de, por (felizes) circunstâncias da vida, se encontrar temporariamente “emigrado” em Israel, proporcionando-nos uma sempre interessante e peculiar visão de uma realidade e quotidiano diferentes.

A Nautian (com actividades multifacetadas, desde a rádio ao teatro, passando pela leitura de poesia… para além de óptima “modelo” da Marília) presenteia-nos com alguns dos mais belos textos da blogosfera, ao mesmo tempo complementados com o recurso a fotos, numa perfeita harmonia.

O ulis, com um “journal” que privilegia mais os ‘posts’ com textos curtos mas incisivos, revela-nos sempre um olhar atento sobre o mundo que nos rodeia e sobre a actualidade. De quando em vez, não faltam também umas fotos para ilustrar alguns temas. E, claro, é uma página a visitar assiduamente.

O Guil – “last, but not least” (nesta pequena lista de amigos, não há “menos”, apenas “mais”!) – é também um “caso sério”, particularmente pela qualidade das suas fotos, mas também pela capacidade de articular, de uma forma bastante equilibrada, imagens e texto, não abdicando também de assumir, por via da sua escrita, um papel interventivo.

[2341]

31 Maio, 2005 at 8:40 am 7 comentários

PABLO PICASSO (V)

Picasso Em 1917, conhece Stravinsky e aquela que seria a sua futura esposa, Olga Koklova (bailarina russa), com quem casaria no ano seguinte, nascendo em 1921 o seu filho Paul, o que o leva a preparar inúmeras pinturas com “a mãe e o filho”.

Na sequência do primeiro “manifesto surrealista”, do poeta francês André Breton, de 1924 (que advoga o papel do inconsciente e do sonho na actividade criativa, livre de preocupações racionais, morais ou estéticas), toma parte na primeira exposição Surrealista, conhecendo então Miro, Salvador Dali e o fotógrafo Man Ray.

Em 1932, apresenta exposições retrospectivas em Paris, ao mesmo tempo que surgia nas suas pinturas uma nova modelo, Marie-Thérèse Walter (que conhecera já em 1927, então com 17 anos).

Viaja até Espanha para assistir a corridas de touros, um dos temas que abordou em diversos trabalhos, sob diversas técnicas.

[2340]

30 Maio, 2005 at 6:40 pm

"LILI", ILUSTRAÇÕES E GUINÉ

Há, por essa blogosfera fora, virtualmente infinita, milhares (milhões!) de páginas interessantes que – nem sempre fazendo parte do circuito “mainstream” das citações e referências cruzadas – acabam sendo do conhecimento de apenas um relativamente reduzido número de privilegiados.

Desses milhares de páginas, conheço apenas uma ínfima parte; tanto mundo por descobrir…

Esta semana por aqui farei referência a algumas (poucas) das que entretanto tive oportunidade de apreciar.

E, começo precisamente com duas novidades…

Primeiro, é com grande prazer que saúdo o regresso da “Lili“, novamente com direito a uma página autónoma para as suas “lilices (no “Eu é Mais Bolos”)“, que, apesar de se intitular “um blog para girls“, é uma visita obrigatória também para “boys”.

Imaginamos todos como é difícil escrever textos de género humorístico ou, mais apropriadamente, do género de sátira e crítica a algumas manifestações da sociedade actual. Não é nada fácil escrever neste registo; a Catarina (mais conhecida pela sua escrita noutros registos, desde o sedutor estilo “sem nada”, ao de “mãe”) tem a rara sensibilidade e capacidade de, “a brincar”, dizer coisas (muito) a sério.

É um desafio exigente para a Catarina (não seria necessário lembrar que “há vida para além dos blogues” – isto é, os “blogues” são mantidos como um hobby, com muita dedicação e “carolice”, por pessoas que, quantas vezes, têm vidas profissionais bastante absorventes), mas que será concerteza recompensador. Pela minha parte, a Catarina sabe como sou um fã incondicional e que aguardo sempre com grande expectativa novas crónicas das aventuras da “Lili”!

Uma descoberta recente, um novo “blogue” de um ilustrador, que, a avaliar pelas primeiras entradas, merecerá uma visita regular: Manuel Morgado – Ilustração; apresenta-nos o seu “blogue” com esta referência: “A utilização de ilustração na imprensa diária e na edição literária é uma relação que tem as suas raízes na época em que ainda a fotografia não tinha entrado nas redacções ou tipografias. Com o aparecimento da fotografia, a ilustração passou a ocupar o papel de exemplificadora de conceitos que não eram possíveis de mostrar na realidade, a fazer as vezes da película quando a máquina não pode estar presente.”

E, porque o mundo não é “cor-de-rosa”, nem tão azul como gostaríamos, a última referência de hoje vai para o Africanidades, onde Jorge Neto nos mostra um pouco dos dias agitados que se vão vivendo na Guiné-Bissau: “Vivências, imagens e relatos sobre o grande continente – África vista pelos olhos de um branco“.

[2339]

30 Maio, 2005 at 8:30 am 1 comentário

REFERENDO EM FRANÇA

O anunciado resultado do Referendo francês ao Tratado Constitucional Europeu tem, necessariamente, várias leituras, não podendo obviamente ser interpretado de forma absoluta como um “Não” à Europa.

Os franceses, exprimindo-se democraticamente, votaram em maioria (55 %) pelo “Não”; um “Não” a algumas políticas governamentais francesas; um “Não” a algumas políticas europeias; um “Não” a “este” Tratado Constitucional; um “Não” heterogéneo (desde a extrema-esquerda à extrema-direita); eventualmente um “Não”, ainda, e também, à falta de cabal esclarecimento sobre as suas implicações; concerteza um “Sim” a um novo debate sobre a melhor forma de construção da Europa.

No que respeita às consequências deste “Não” a nível europeu, é ainda cedo para antecipar o seu impacto sobre os referendos a realizar noutros países e, em termos mais gerais, sobre a futura Constituição Europeia e, no limite, sobre a própria União Europeia.

Por vezes, é necessário dar um passo ao lado (ou atrás), antes de dar dois passos em frente.

Já aqui o tinha escrito: sinto-me um europeísta convicto; o caminho já percorrido e as barreiras já quebradas ao longo de cerca de 50 anos são imensos; os europeus terão concerteza a capacidade, de uma forma serena e ponderada, de encontrar novos (e os melhores) caminhos para a Europa.

P.S. À medida que vão sendo conhecidos mais detalhes da votação (embora ainda com base em sondagens), podem tornar-se mais claras algumas das leituras e motivações do voto dos franceses; o voto “Não” concentra-se maioritariamente nos partidos de esquerda (projecção de 98 % “Não” nos votantes do Partido Comunista; 56 % “Não” nos votantes do Partido Socialista), com o “Sim” a ser mais vincado nos partidos de direita, nomeadamente da área governamental (com a “Frente Nacional”, logicamente em “contra-ciclo”, com 93 % de votos “Não”).

Na televisão francesa, o debate pós-eleitoral (e a procura de “justificação” para o resultado) centra-se agora no suposto cariz mais liberal, em detrimento da vertente social, do texto do Tratado Constitucional Europeu.

P.P.S. Continuando com as sondagens, as motivações para o voto “Não” hierarquizam-se (sem grande surpresa…) da seguinte forma:

– Situação económica e social actual em França – 52 %
– Tratado Constitucional Europeu “demasiado” liberal – 40 %
– Voto tendente a “pressionar” à renegociação do Tratado – 39 %

[2338]

29 Maio, 2005 at 9:40 pm 1 comentário

FINAL DA TAÇA

V. SetúbalBenfica2-1

Num jogo de “fim de estação” – essencialmente por responsabilidade do Benfica, com muitos jogadores já há algumas semanas a actuar para além dos seus limites -, o resultado ao intervalo era lisonjeiro para o Benfica, numa primeira parte em que o V. Setúbal, entrando em campo de forma determinada, foi claramente superior a todos os níveis (ataques, remates, cantos).

Na segunda parte, os novos Campeões nacionais ainda tentaram dar uma “sacudidela” no jogo, com o V. Setúbal a surgir mais retraído. Contudo, seria nessa fase, que os setubalenses chegariam ao golo que, logo aí, se depreendeu ser o da vitória, dada a nítida incapacidade dos benfiquistas em “dar a volta” ao jogo.

Parabéns ao V. Setúbal pela sua terceira vitória na prova, um vencedor inteiramente justo, culminando uma excelente campanha, em que afastara sucessivamente algumas das melhores equipas nacionais: Guimarães (que eliminara o FC Porto), Braga e Boavista.

P.S. De parabéns está também Tiago Monteiro! A Jordan tem um dos piores carros da actual Fórmula 1, apenas superando a Minardi, mas com ambas as equipas muito distantes das restantes 8; não obstante, o português alcançou hoje um feito que já “ninguém lhe tira” (o seu primeiro record): tornou-se o primeiro piloto de sempre (em mais de 50 anos de provas de Fórmula 1) a completar sucessivamente as suas primeiras 7 corridas, sem uma única desistência.

P.P.S. Parabéns ainda (com ligeiro atraso…) ao Barreirense, vencedor da Zona Sul do Campeonato da II Divisão, premiado com a promoção à Liga de Honra, que aqui personalizo no Campeão João Pedro Delgadinho.

[2337]

29 Maio, 2005 at 8:55 pm 1 comentário

TAÇA DE PORTUGAL – PALMARÉS

                    Vencedor  Finalista
BENFICABenfica           24          8
SPORTINGSporting          13         10
FC PORTOFC Porto          12         11
BOAVISTABoavista           5          1
BELENENSESBelenenses         3          4
SETÚBALSetúbal            2          6
BRAGABraga              1          3
ACADÉMICAAcadémica          1          3
LEIXÕESLeixões            1          1
BEIRA-MARBeira-Mar          1          1
E. AMADORAE. Amadora         1          -
GUIMARÃESGuimarães          -          4
MARÍTIMOMarítimo           -          2
 ATLÉTICO Atlético           -          2
U. LEIRIAU. Leiria          -          1
CAMPOMAIORENSECampomaiorense     -          1
 FARENSE Farense            -          1
RIO AVERio Ave            -          1
COVILHÃCovilhã            -          1
TORREENSETorreense          -          1
OLHANENSEOlhanense          -          1
ESTORILEstoril            -          1

29 Maio, 2005 at 11:26 am

TAÇA DE PORTUGAL – FINAIS

  Época     Vencedor     Finalista
2003-2004   Benfica      FC Porto        2-1
2002-2003   FC Porto     U. Leiria       1-0
2001-2002   Sporting     Leixões         1-0
2000-2001   FC Porto     Marítimo        2-0
1999-2000   FC Porto     Sporting        1-1   2-0
1998-1999   Beira-Mar    Campomaiorense  1-0
1997-1998   FC Porto     Sp. Braga       3-1
1996-1997   Boavista     Benfica         3-2
1995-1996   Benfica      Sporting        3-1
1994-1995   Sporting     Marítimo        2-0
1993-1994   FC Porto     Sporting        0-0   2-1
1992-1993   Benfica      Boavista        5-2
1991-1992   Boavista     FC Porto        2-1
1990-1991   FC Porto     Beira-Mar       3-1
1989-1990   E. Amadora   Farense         1-1   2-0
1988-1989   Belenenses   Benfica         2-1
1987-1988   FC Porto     Guimarães       1-0
1986-1987   Benfica      Sporting        2-1
1985-1986   Benfica      Belenenses      2-0
1984-1985   Benfica      FC Porto        3-1
1983-1984   FC Porto     Rio Ave         4-1
1982-1983   Benfica      FC Porto        1-0
1981-1982   Sporting     Sp. Braga       4-0
1980-1981   Benfica      FC Porto        3-1
1979-1980   Benfica      FC Porto        1-0
1978-1979   Boavista     Sporting        1-1   1-0
1977-1978   Sporting     FC Porto        1-1   2-1
1976-1977   FC Porto     Sp. Braga       1-0
1975-1976   Boavista     Guimarães       2-1
1974-1975   Boavista     Benfica         2-1
1973-1974   Sporting     Benfica         2-1
1972-1973   Sporting     V. Setúbal      3-2
1971-1972   Benfica      Sporting        3-2
1970-1971   Sporting     Benfica         4-1
1969-1970   Benfica      Sporting        3-1
1968-1969   Benfica      Académica       2-1
1967-1968   FC Porto     V. Setúbal      2-1
1966-1967   V. Setúbal   Académica       3-2
1965-1966   Sp. Braga    V. Setúbal      1-0
1964-1965   V. Setúbal   Benfica         3-1
1963-1964   Benfica      FC Porto        6-2
1962-1963   Sporting     Guimarães       4-0
1961-1962   Benfica      V. Setúbal      3-0
1960-1961   Leixões      FC Porto        2-0
1959-1960   Belenenses   Sporting        2-1
1958-1959   Benfica      FC Porto        1-0
1957-1958   FC Porto     Benfica         1-0
1956-1957   Benfica      Sp. Covilhã     3-1
1955-1956   FC Porto     Torreense       2-0
1954-1955   Benfica      Sporting        2-1
1953-1954   Sporting     V. Setúbal      3-2
1952-1953   Benfica      FC Porto        5-0
1951-1952   Benfica      Sporting        5-4
1950-1951   Benfica      Académica       5-1
1948-1949   Benfica      Atlético        2-1
1947-1948   Sporting     Belenenses      3-1
1945-1946   Sporting     Atlético        4-2
1944-1945   Sporting     Olhanense       1-0
1943-1944   Benfica      Estoril         8-0
1942-1943   Benfica      V. Setúbal      5-1
1941-1942   Belenenses   Guimarães       2-0
1940-1941   Sporting     Belenenses      4-1
1939-1940   Benfica      Belenenses      3-1
1938-1939   Académica    Benfica         4-3

28 Maio, 2005 at 10:30 am

PABLO PICASSO (IV)

Em 1906, conhece Matisse; no ano seguinte, conheceria Braque e Derain. Começa, em 1907, sob a influência de Cézanne e da arte negra, o “Cubismo” (inicialmente com um “Período Negro”, até 1908), com “Les Demoiselles d’Avignon” (quadro que apenas seria apresentado publicamente em 1925 e exposto pela primeira vez em 1937, a propósito da Exposição Universal de Paris).

Picasso

Na primeira fase, do “Cubismo Analítico” (até 1915), trabalha em estreita colaboração com Georges Braque. Apresentaria, em 1911, a primeira exposição nos EUA, em Nova Iorque.

A Fernande Olivier, seguir-se-lhe-ia Marcelle Humbert, a quem Picasso chamava “a minha Eva”. Em 1915, com 33 anos, era já um pintor famoso, com uma boa situação económica. Com a I Guerra Mundial, separa-se o grupo de amigos; os seus amigos Braque e Apollinaire seriam feridos.

[2334]

27 Maio, 2005 at 6:12 pm

Artigos Mais Antigos


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Maio 2005
S T Q Q S S D
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.