Archive for Janeiro, 2005

SANTA LÚCIA

StaLuciaA ilha de Santa Lúcia situa-se no extremo do arco das pequenas antilhas, próximo da costa da Venezuela, tendo a norte a Martinica (território francês) e, a sul, S. Vicente e Grenadinas.

Apresenta alguns vulcões extintos, em particular os famosos Pitons, dois cones vulcânicos gémeos, emergindo do mar, com cerca de 800 metros de altitude; sendo localizada numa zona tropical, é frequentemente assolada por furacões. É uma das mais luxuriantes e belas ilhas das Caraíbas, com grandes planícies e enseadas abrigadas.

O porto da capital, Castries, é escala regular dos cruzeiros pelo mar das Caraíbas. O país tem um território de 616 km2, com uma população de cerca de 140 000 habitantes.

Os ingleses e franceses lutaram continuadamente pelo domínio da ilha, entre 1674 e 1814, tendo “mudado de mãos” pelo menos 14 vezes. Foi administrada pelo Reino Unido até 1979, data em que se tornou independente, mas subsiste todavia alguma influência francesa.

A cultura tradicional é a da banana.

[2026]

Anúncios

31 Janeiro, 2005 at 6:18 pm

ELEIÇÕES ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA – 1987

A 19 de Julho de 1987 fechava-se o ciclo de transferência dos votantes no PS, iniciado dois anos antes: em 1985, quase metade do tradicional eleitorado socialista havia trocado o seu voto histórico pela aposta no “desconhecido”, votando PRD; agora, esses votos eram (praticamente na íntegra) transferidos para o PSD.

Que, reduzindo igualmente o CDS à sua mais “ínfima” expressão, conquistando-lhe também cerca de 2/3 do eleitorado, alcançava uma histórica maioria absoluta de um só partido.

Cavaco Silva e o PSD atingiam uma votação (até então) inédita em democracia para um partido europeu, acima da barreira dos 50 %, subindo de 88 para 148 deputados (praticamente 60 % do total do hemiciclo), uma surpreendente e esmagadora “maioria (quase) impossível”, fruto de uma palavra de ordem essencial, repetida até à exaustão durante a campanha eleitoral: “estabilidade” (depois de 13 anos de sucessivos governos que quase nunca ultrapassaram uma vida de 2 anos).

O PS, agora liderado por Vítor Constâncio, buscando um início de recuperação (que ainda viria bastante longe no tempo…) não conseguia melhor que subir de 20,8 % para 22,2 %, praticamente estabilizando em número de deputados (de 57 para 60), com a magra consolação de, definitivamente, se afirmar como única “grande força” à esquerda.

A coligação liderada pelo PCP, cuja denominação – adaptando-se aos “novos tempos” – passou de APU – Aliança Povo Unido para CDU – Coligação Democrática Unitária (tendo como novo parceiro o PEV – Partido Ecológico Os Verdes) -, continuava o seu percurso descendente, de 15,5 % para 12 % e com mais um importante “corte” no número de deputados eleitos (de 38 para 31).

O “meteórico” PRD, não obstante liderado pessoalmente pelo próprio Ramalho Eanes, apenas a custo sobreviveria ao “furacão” que ele próprio havia provocado, penalizado pela iniciativa que originara a queda do governo (uma moção de censura “incompreendida” pela opinião pública): baixou o seu número de votantes de mais de um milhão para menos de 280 000, caindo de 18 % para menos de 5 % e reduzindo a sua representação parlamentar, de 45 para apenas 7 deputados.

Nas eleições seguintes, levando ao extremo a evidente ausência de coesão e consequente pulverização do seu eleitorado, “desapareceria” por completo do mapa parlamentar, até acabar por ser extinto.

A “vaga de fundo cavaquista” quase submergia por completo o CDS, agora sob a liderança de Adriano Moreira, reduzido a apenas 4 % dos votos e com o grupo parlamentar do “táxi”, formado por apenas 4 deputados.

[2025]

31 Janeiro, 2005 at 8:20 am

"A BOLA" – 60 ANOS

Outrora conhecido como “A Bíblia” (do desporto!), o jornal “A Bola” – pelo qual muitos milhares portugueses terão aprendido a ler, nos anos 50 e 60 do século XX – contando com grandes figuras do jornalismo português, como Cândido de Oliveira, Vítor Santos, Carlos Pinhão, Carlos Miranda, Homero Serpa, Alfredo Farinha, Aurélio Márcio (só para referir os “consagrados”) – completa hoje o seu 60º aniversário.

Parabéns e votos de longa vida!

[2024]

29 Janeiro, 2005 at 9:14 am

R. DOMINICANA

A República Dominicana ocupa a parte oriental da ilha de São Domingos (Hispaniola), fazendo fronteira com o Haiti, tendo a norte o Oceano Atlântico e, a sul, o mar das Caraíbas.

Foi descoberta por Cristóvão Colombo em 1492, tendo-se tornado independente em 1865.

Em Outubro de 1538, fora fundada a primeira Universidade da América, a Universidade de São Tomás de Aquino.

A capital localiza-se em Santo Domingo. O país tem um território de 48 442 km2, dispondo de uma população de cerca de 8 milhões de habitantes.

O território é atravessado por quatro cadeias paralelas de montanhas, a principal das quais é a cordilheira central, na qual se situam os picos mais altos das Caraíbas, como o Pico Duarte e La Pelona (3 087 metros de altitude).

O lago Enriquillo situa-se 40 metros abaixo do nível do mar.

Nos seus férteis vales, cultivam-se vegetais, frutos, cacau, para além da principal cultura do país, a cana-de-açúcar.

[2023]

28 Janeiro, 2005 at 6:25 pm

20 ANOS DE "WE ARE THE WORLD"

Faz hoje 20 anos – inspirada na “Band-Aid” e com o objectivo de angariar fundos para apoiar os países africanos (mais de 60 milhões de dólares foram distribuídos, por países carenciados como a Etiópia e o Sudão) -, era gravada a música “We are the world”, escrita e composta por Michael Jackson e Lionel Ritchie e produzida por Quincy Jones:
(mais…)

28 Janeiro, 2005 at 1:54 pm 2 comentários

ELEIÇÕES ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA – 1985

Com o Partido Socialista praticamente “destroçado”, Mário Soares partiria para a campanha eleitoral às eleições presidenciais com sondagens que lhe creditavam intenções de voto de apenas 6 % (bastante longe dos seus opositores da área de esquerda, Lurdes Pintasilgo e Salgado Zenha, e do candidato da área política de centro-direita, Freitas do Amaral).

O lançamento – impulsionado por Ramalho Eanes – da candidatura de Salgado Zenha viria contudo a provocar uma divisão do eleitorado que se aprestava a eleger como Presidente da República uma mulher.

Deste facto beneficiaria Mário Soares para, na primeira volta das presidenciais, se impor nas “primárias da esquerda”, com cerca de 25 % dos votos. Na segunda volta, aparentemente contra todas as expectativas, Soares faria o “pleno” da esquerda, alcançando 51,3 % dos votos e assim derrotando Freitas do Amaral (que não conseguiria melhor do que subir dos 46 % até aos 48,7 %, da primeira para a segunda volta).

Num Parlamento tão dividido, repartido como nunca, complexa se augurava a tarefa de Cavaco Silva e curta a duração expectável do seu governo.

Na ausência de uma maioria estável, e inviabilizada a possibilidade de uma coligação de índole parlamentar – assumindo o PRD o papel de “árbitro” ou de “fiel da balança” (como, simbolicamente, traduzia o seu logotipo) –, cedo as previsões se concretizariam, quando os partidos da oposição votaram uma moção de censura proposta pelo PRD que, em 1987 (no que se revelaria um crasso erro estratégico), derrubaria o primeiro Governo de Cavaco Silva, o que viria a constituir-se num verdadeiro “trampolim” para uma carreira política fulgurante, consagrada com duas maiorias absolutas sucessivas.

[2021]

28 Janeiro, 2005 at 8:50 am

TUGIR – 1º ANO

Um abraço de Parabéns ao Luís Tito e ao Carlos Castro, pelo primeiro aniversário do Tugir, uma visita obrigatória diária.

Desejo-vos uma óptima continuação.

P. S. O Paulo Gorjão “entreabre a porta” à continuação do Bloguitica, desde que para tal tenha alguma colaboração. “Nós” (os “especialistas” da área política) vamos querer colaborar com o Paulo, não vamos?

P. P. S. A ler o interessante estudo de João Canavilhas: “Blogues políticos em Portugal: O dispositivo criou novos actores?

(via Causa Nossa)

[2020]

28 Janeiro, 2005 at 8:01 am 1 comentário

MONTSERRAT

Montserrat situa-se nas Pequenas Antilhas, 43 km a sudoeste de Antígua, tendo sido descoberta por Cristóvão Colombo durante a sua segunda viagem à América, que a “baptizou” com o nome do famoso mosteiro catalão.

Apresenta um litoral escarpado, com três picos vulcânicos, encontrando-se as encostas cobertas por uma verdejante vegetação.

A ilha constitui um pequeno Estado ainda dependente do Reino Unido.

A capital localiza-se em Plymouth. O território tem 102 km2, dispondo de cerca de 12 000 habitantes.

Foi, em tempos, refúgio de piratas, tendo assistido a combates navais entre franceses, ingleses e espanhóis.

A título de curiosidade, Montserrat ocupa o último lugar (203º) no “ranking da FIFA”, cotando-se como a “pior selecção do mundo” a nível futebolístico, tendo chegado mesmo a disputar um jogo contra a penúltima selecção desse ranking, a do Butão!

P. S. Obrigado “Lili“! Os teus “artigos” têm sempre a extraordinária capacidade de dizer tudo o que é preciso ser dito… E é impossível serem fechados aos comentários dos teus amigos!

[2019]

27 Janeiro, 2005 at 6:18 pm

Artigos Mais Antigos


Autor – Contacto

Destaques

Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Janeiro 2005
S T Q Q S S D
« Dez   Fev »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.