Archive for 14 Setembro, 2004

BEETHOVEN – OS CONCERTOS

Beethoven compôs cinco concertos para piano, um para violino e um tríplice, para violino, violoncelo e piano.

Os dois primeiros concertos para piano são bastante característicos da sua juventude, devendo grande parte da sua linguagem musical a Mozart.

O terceiro, composto em 1800, é uma obra de transição, com carácter mais sinfónico, sendo sério e pesado.

O Concerto no. 4, composto em 1806, daria um salto ainda maior; o seu movimento central, Andante con moto, alterna o lirismo romântico do piano com intervenções vigorosas da orquestra.

O último concerto para piano, conhecido como Imperador, viria a tornar-se o mais célebre; é uma obra majestosa, de carácter tão sinfónico como o terceiro concerto, mas menos trágico.

O concerto mais popular que escreveu foi o de Violino, uma das obras mais perfeitas escritas para esse instrumento.

Já antes o havia incluído no Concerto Tríplice, para piano, violino e violoncelo, herdeiro da sinfonia de concerto de Haydn e Mozart e percursor do Concerto Duplo de Brahms.

[1717]

Anúncios

14 Setembro, 2004 at 6:14 pm

SANTORINI (II)

O momento em que o visitante se aproxima da ilha – num navio que, é já de si, esplendoroso, um verdadeiro hotel de luxo, tranquilamente sulcando as águas do mar, percorrendo as 128 milhas que a separam do porto do Pireu em Atenas -, deixando atrás de si o ilhéu de Aspronisi e atravessando a Caldera, traduz-se numa experiência única!

A imensa ravina vermelha e negra impõe-se majestosamente perante os nossos olhos, numa imagem de uma rara e imponente beleza “selvagem”.

No topo da ravina, apercebemo-nos de uma faixa branca, a cidade de Phira, a capital da ilha, “suspensa entre o céu e o mar”, com o seu famoso teleférico, que transporta o visitante até ao “porto velho” (cujo percurso pode ser também feito a pé, por uma escadaria com 600 degraus… ou no dorso de um burro!), e as suas pequenas e estreitas ruelas, conduzindo ao típico mercado.

Depois de acostar, a impressionante subida da ravina, numa estrada serpenteante que parece não ter fim, com a “recompensa” da beleza da cidade de Oia (a 10 km de Phira), a mais bela da ilha, onde o pôr-do-sol – mergulhando sobre o mar – é outra experiência “imperdível”.

De visita obrigatória são também as inúmeras igrejas que povoam a ilha, com as suas cúpulas azuis, outra “imagem de marca” de Santorini.

Uma particularidade da ilha, com as suas construções implantadas na ravina, é que os edifícios “não têm altura, mas sim profundidade”.

Também a cerca de 10 km de Phira, a cidade de Kamari, com a sua bela praia, de areia negra, integrada num complexo turístico em contínuo desenvolvimento.

O ponto mais alto da ilha localiza-se em Pyrgos, a 8 km a sul de Phira, com a sua imponente fortaleza. No topo da montanha, o Convento do Profeta Ilias, construção do início do século XVIII.

Há 1 ano no Memória Virtual – Fernando Pessoa e os seus heterónimos / “Tabacaria”

[1716]

14 Setembro, 2004 at 8:40 am


Autor – Contacto

Destaques

Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Setembro 2004
S T Q Q S S D
« Ago   Out »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.