ESTADO SOBREVIVE AO DECLÍNIO DA NAÇÃO (II)

23 Dezembro, 2003 at 8:55 am

.Essa fórmula do Estado-Nação recebeu forte alimento no rescaldo das duas guerras mundiais do século XX. Após a primeira guerra, é sobretudo o desmembramento dos grandes impérios, como o alemão, o austro-húngaro, o otomano e até o russo, que origina o fulgor e a multiplicação dos Estados-Nação no hemisfério Norte. Depois da Segunda Guerra Mundial, é o processo de auto-determinação encorajado pelas Nações Unidas que culmina com a descolonização e faz nascer o culto do Estado-Nação no hemisfério sul, no qual o Estado precede muitas vezes a construção da nação.

Mais perto do fim do século, o termo da Guerra Fria levou à unificação alemã e ao desmembramento de federações políticas como a URSS e a Jugoslávia, exacerbando nacionalismos e rivalidades étnicas e religiosas..

“Estado sobrevive ao declínio da nação” (José Medeiros Ferreira) . Notícias do Milénio

[818]

Entry filed under: Semana da História.

UNIÃO EUROPEIA – 1994 "BLOGUES" NO SAPO (III)


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.


%d bloggers like this: