ESTADO SOBREVIVE AO DECLÍNIO DA NAÇÃO (I)

22 Dezembro, 2003 at 8:56 am

.A criação do Estado foi uma das obras-primas da civilização europeia e um dos seus produtos mais copiados em outras partes do mundo.
.
O elemento essencial dessa organização, ou dessa institucionalização, foi a progressiva centralização do poder, no sentido weberiano de .monopólio da força legítima., na instância do político, em desfavor das regalias de senhores feudais, ou de príncipes da Igreja, entre os séculos XIV e XVII.

Num segundo momento, o Estado desenvolve-se em luta contra a Igreja Católica e contra as várias reminiscências da ideia de império no continente europeu.

É na briga do Estado contra a forma imperial de organização dos povos, e de certa maneira contra a concepção monárquico-absolutista,que surge a fórmula do Estado-Nação. A Revolução Americana e a Revolução Francesa servem depois de matrizes para a emancipação colonial da América Latina e para a .revolução dos povos. de 1848..

“Estado sobrevive ao declínio da nação” (José Medeiros Ferreira) . Notícias do Milénio

[810]

Entry filed under: Semana da História.

UNIÃO EUROPEIA – 1993 "BLOGUES" NO SAPO (I)


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Twitter

  • RT @JotalbertoSilva: Era só para vos lembrar que o petróleo está a negociar nos $100 e a descer. Há 3/4 meses atrás os combustíveis com est… 2 hours ago
  • Nadal ganha 10-4 e está nas meias-finais, frente a Kyrgios! 3 hours ago
  • Nadal chega a 5-0 no tie-break... 3 hours ago

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.


%d bloggers like this: