Archive for 27 Junho, 2006

MUNDIAL 2006 – 1/8 FINAL – 1/4 FINAL – 1/2 FINAIS – FINAL

     1/8 FINAL         1/4 FINAL          1/2 FINAIS          FINAL

AlemanhaSuécia2-0
AlemanhaArgentina
ArgentinaMéxico2-1 Vencedor do .............-.............Vencedor do .............-.............

ItáliaAustrália1-0 Vencedor do .............-.............
ItáliaUcrânia
SuíçaUcrânia0-0


InglaterraEquador1-0
InglaterraPortugal
PortugalHolanda1-0 Vencedor do .............-.............

BrasilGhana3-0 Vencedor do .............-.............Vencedor do .............-.............
BrasilFrança
EspanhaFrança1-3

27 Junho, 2006 at 10:30 pm 2 comentários

MUNDIAL 2006 – 1/8 FINAL – ESPANHA – FRANÇA

EspanhaFrança1-3

Espanha Iker Casillas, Mariano Pernia, Carlos Puyol, Raul (54m – Luis Garcia), Xavi (72m – Marcos Senna), Fernando Torres, Xabi Alonso, Sergio Ramos, Cesc Fabregas, David Villa (54m – Joaquin) e Pablo

França Fabien Barthez, Eric Abidal, Patrick Vieira, William Gallas, Claude Makelelé, Florent Malouda (74m – Sidney Govou), Zinedine Zidane, Thierry Henry (88m – Sylvain Wiltord), Lilian Thuram, Willy Sagnol e Frank Ribery

A Espanha entrou mais determinada na partida, assumindo o seu controlo e o predomínio em termos de posse de bola, não obstante o equilíbrio em termos globais.

A primeira grande oportunidade surgiria aliás para a França, aos 23 minutos, com a bola a cruzar toda a zona defensiva espanhola, sem que nenhum dos dois jogadores franceses posicionados na área conseguisse empurrar para o golo.

Cinco minutos depois, uma “ingenuidade” do experiente Thuram (um pouco à imagem de Costinha…) provocou uma grande penalidade, que David Villa, com um remate colocadíssimo (praticamente a embater no poste), rasteiro, sem hipóteses para Barthez, converteu no golo da Espanha.

Os franceses pareciam algo desestabilizados com a velocidade do jogo; não obstante, reagindo bem, aos 41 minutos, com a defesa espanhola a subir, para colocar (pela 6ª vez!) Henry em posição de fora de jogo, surgiu do lado oposto Ribéry a desmarcar-se… e foi nele que Patrick Vieira colocou o passe. O francês, com demasiada frieza, contornou Casillas (na expectativa de que este fizesse falta para grande penalidade) e, já com a baliza completamente “escancarada” empurrou a bola para a baliza, assim alcançando o golo do empate.

Depois de uma primeira parte de superioridade da equipa da Espanha, na segunda parte, a equipa da França, que se julgava antever quase “moribunda” (com alguns jogadores em “fim de carreira” – anunciava-se mesmo o eventual “jogo de despedida” de Zidane) surgiu mais confiante e assumiu o controlo do jogo, perante uma estranha “passividade” dos espanhóis.

Sinal da maior iniciativa francesa, Casillas fora obrigado a aplicar-se a fundo aos 50 minutos, para, cerca de 10 minutos depois, a França dispor de nova situação em que a bola cruzou a área espanhola… sem que surgisse nenhum atacante.

Quando, não obstante o predomínio francês, começava a reforçar-se a expectativa do empate, e do prolongamento, num lance de bola parada, na sequência de um livre, Patrick Vieira (o “homem do jogo”) surgiu na pequena área a cabecear para a baliza, com a bola a embater ainda contra o corpo de Sergio Ramos e a trair o guarda-redes espanhol.

Já depois de Barthez negar o empate à Espanha, aos 88 minutos, os espanhóis seriam ainda castigados com um terceiro golo, numa “maldade” de Zidane ao seu colega Casillas, já nos descontos do que terá sido uma das melhores partidas deste Campeonato Mundial.

Concluídos os jogos dos 1/8 Final, estão apurados para a fase seguinte da competição seis equipas europeias e 2 selecções sul americanas.

Portugal e Ucrânia (estreante) vêem-se extremamente “bem acompanhados” pelos seis Campeões do Mundo que participaram na prova (apenas o Uruguai – bi-campeão mundial, em 1930 e 1950 – não alcançou o apuramento para a Fase Final na Alemanha): Brasil (5), Alemanha e Itália (3 cada), Argentina (2), Inglaterra e França (1 cada) conquistaram 15 dos 17 Títulos Mundiais já disputados! Um verdadeiro elenco de luxo para os 1/4 Final, com 3 jogos a sobressaírem:

– Alemanha – Argentina (reedição das Finais de 1986 e 1990)
– Brasil – França (reedição da Final de 1998)
– Inglaterra – Portugal (com a equipa portuguesa a querer repetir as vitórias do Mundial de 1986 e dos Europeus de 2000 e 2004).

1-0 – David Villa – 28m (g.p.)
1-1 – Frank Ribery – 41m
1-2 – Patrick Vieira – 83m
1-3 – Zinedine Zidane – 90m

Melhor jogador – Patrick Vieira (França)

Amarelos – Carlos Puyol (82m); Patrick Vieira (68m), Frank Ribéry (87m) e Zinedine Zidane (90m)

Árbitro – Roberto Rosetti (Itália)

Hannover (20h00)

27 Junho, 2006 at 10:28 pm Deixe um comentário

MUNDIAL 2006 – 1/8 FINAL – BRASIL – GHANA

BrasilGhana3-0

Brasil Dida, Cafu, Lúcio, Juan, Emerson (46m – Gilberto Silva), Roberto Carlos, Adriano (61m – Juninho Pernambucano), Kaká (Ricardinho – 83m), Ronaldo, Ronaldinho e Zé Roberto

Ghana Richard Kingson, Asamoah Gyan, John Mensah, Emmanuel Pappoe, Illiasu Shilla, Stephen Appiah, Sulley Muntari, Matthew Amoah (70m – Alex Tachie-Mensah), John Pantsil, Eric Addo (60m – Derek Boateng) e Haminu Draman

E, aos 5 minutos de jogo (no primeiro remate à baliza… após se ter desmarcado em corrida (!) e, “na cara” do guarda-redes, fazendo uma simulação deliciosa, com o pé a rodopiar sobre a bola, desarmando completamente Kingson), Ronaldo entra na história, com o 15º golo em Campeonatos do Mundo, isolando-se como melhor marcador de todos os tempos!

A partir do quarto de hora, o Ghana reagiu e intensificou a pressão sobre o Brasil, que durante bastantes minutos esteve remetido ao seu meio-campo…

Só que, já no período de descontos, Adriano concretizava o segundo golo do Brasil (partindo de posição irregular…), um rude golpe nas aspirações da equipa africana.

Na segunda parte, o Ghana pareceu sentir dificuldades em aproximar-se da baliza brasileira.

Já algo descrente da possibilidade de poder inverter o rumo dos acontecimentos, a expulsão de Asamoah Gyan vem colocar termo às ilusões do último representante de África neste Mundial.

Pouco antes do final da partida, tempo ainda para o terceiro golo brasileiro, estabelecendo um resultado algo “pesado”.

Uma nota final para assinalar também o record batido por Cafu: com o 19º jogo, passa a ser o jogador brasileiro com mais partidas disputadas em Fases Finais de Campeonatos do Mundo.

Marcarão presença nos 1/4 Final duas equipas sul-americanas (Argentina e Brasil) e seis selecções europeias (Alemanha, Itália, Ucrânia, Inglaterra, Portugal e… Espanha ou França).

1-0 – Ronaldo – 5m
2-0 – Adriano – 45m
3-0 – Zé Roberto – 84m

Melhor jogador – Zé Roberto (Brasil)

Amarelos – Adriano (13m), Juan (44m); Stephen Appiah (7m), Sulley Muntari (11m), John Pantsil (29m), Eric Addo (38m), Asamoah Gyan (48m)

Vermelho – Asamoah Gyan (81m)

Árbitro – Lubos Michel (Eslováquia)

Dortmund (16h00)

27 Junho, 2006 at 5:49 pm Deixe um comentário


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Junho 2006
S T Q Q S S D
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.