Archive for Maio, 2006

“TOMAR", DE JOSÉ-AUGUSTO FRANÇA (III)

“Rio e cabeço fronteiro foram certamente razões que determinaram D. Gualdim Pais a escolher o sítio para nele finalmente sediar a Ordem dos Templários, de que era o 4º ou 6º Mestre nacional, conforme a contagem, após ter sido comendador dela em Braga, e de nas suas hostes se ter batido na Palestina, durante cinco ou nove anos (discute-se o prazo) – rico – homem de Entre-Douro-e-Minho, da nobre estirpe dos Ramirões, criado junto do próprio rei, ao que se julga, e por ele armado cavaleiro em Ourique, como se julga também.

A opção de Tomar veio depois de o Mestre ter recebido as ruínas do castelo de Ceras (Castrum Caesaris, se supõe), junto à ribeira deste nome e, depois, do lugar de Alviobeira, a duas léguas para norte-nordeste. Impunha-se fundar ali, ou por ali, um forte castelo que, com outros em vizinhança, na Cardiga ou no ilhéu de Almourol, defendesse o acesso de Coimbra, pelo vale que subia de Santarém: seria ele em Ceras ou em Tomar, considerado seu território, por razões exactas que se ignoram, mas nas quais o rio muito provavelmente terá influído. Outras não deixam, todavia, de ser evocadas, de muito diferente categoria, ligadas à vida lendária do Templo.

E seria assim que o sítio de Tomar se verifica ser ponto de cruzamento de acreditadas forças telúricas, caras aos Templários, e encontra-se na linha que, em relação ao Meridiano de Paris, forma um ângulo de 34º, significativo nos esquemas das construções da Ordem, correspondendo à diagonal da relação 2/3 que se observa na constelação de Gémeos, signo templário por excelência.”

Tomar – «Thomar Revisited», José-Augusto França, Editorial Presença, 1994, pp. 11, 12

31 Maio, 2006 at 8:47 am Deixe um comentário

“TOMAR", DE JOSÉ-AUGUSTO FRANÇA (II)

“Discutido foi também o nome do rio: Nabanus, que deu verosimilmente Nabância, local senão região que, como Namba, parece vir de Nava, nome do território ou pagus por ali definido e documentado, quando da delimitação (divísio) dos bispados de Coimbra, Lisboa e Guarda (aliás, então, Idanha), em famoso documento do século VII, em topónimo pré-romano («talvez etrusco»), aventou-se); ou Tomar, por imaginosa origem árabe, que estaria em «Tamaramá», significando água com gosto de tâmara, doce por consequência.

É ideia, ao que parece, do Pe. Carvalho da Costa em sua Corografia… de 1712, apoiando-se na citação de terras «entre os rios Zêzere, Tomar (que seria, provavelmente, “de Tomar”) e ribeira de Bezelga» e em outros documentos de leitura incerta; e também um «portu(m) de Thomar» surge num documento já de 1159 que tanto pode referir curso de água como local de terra à sua beira.

Mas como local é iniludivelmente designado, quatro anos mais tarde, por D. Gualdim Pais ao dar foro aos povoadores pioneiros de um campo já certamente assim conhecido por ser referido na «Chronica Gothorum» da Portugaliae Monumenta Historica no passo que cita a derrota ali («in Thomar») sofrida pelos cristãos, em 1137. É de sítio de batalha e de povoação que, num caso e noutro, se trata – e não deixará de haver confusão entre o rio, documentado como Nabão pelo menos desde 1254, e a povoação fixada no nome de Thomar (Vieira Guimarães, 1927) – sem esquecer, porém, que, em 1465, um viajante estrangeiro, que Camilo traduziu, achou ser «anónimo» o rio que «regava» a vila, sendo apenas «o rio de Tomar».”

Tomar – «Thomar Revisited», José-Augusto França, Editorial Presença, 1994, p. 10

30 Maio, 2006 at 8:46 am Deixe um comentário

EUROPEU SUB-21 2006 – RESULTADOS E CLASSIFICAÇÕES

GRUPO A             Jg  V  E  D   G  Pt   Portugal-França…….0-1
1 França França 3 3 – – 6-0 9 Sérvia Mont.-Alemanha.0-1
2 Sérvia Mont. Sérvia e Montenegro 3 1 – 2 2-3 3 Portugal-Sérvia Mont..0-2
3 Alemanha Alemanha 3 1 – 2 1-4 3 França-Alemanha…….3-0
4 Portugal Portugal 3 1 – 2 1-3 3 França-Sérvia Mont….2-0
Alemanha-Portugal…..0-1


GRUPO B             Jg  V  E  D   G  Pt   Itália-Dinamarca……3-3
1 Ucrânia Ucrânia 3 2 – 1 4-3 6 Ucrânia-Holanda…….2-1
2 Holanda Holanda 3 1 1 1 3-3 4 Itália-Ucrânia……..1-0
3 Itália Itália 3 1 1 1 4-4 4 Dinamarca-Holanda…..1-1
4 Dinamarca Dinamarca 3 – 2 1 5-6 2 Dinamarca-Ucrânia…..1-2
Holanda-Itália……..1-0

29 Maio, 2006 at 10:23 pm 1 comentário

EURO SUB-21 2006 – GRUPO B – 3ª JORNADA

DinamarcaUcrânia1-2

Dinamarca Kevin Stuhr Ellegaard, Jonas Troest, Leon Andreasen, Daniel Agger, Michael Jakobsen, Jonas Kamper (71m – Johan Absalonsen), Rasmus Würtz, Martin Bergvold (62m – Morten Rasmusen), Jacob Sørensen, Thomas Kahlenberg e Nicklas Bendtner

Ucrânia Andriy Pyatov, Grigoriy Yarmash, Dmytro Chygrynskiy, Olexandr Yatsenko, Olexandr Romanchuk, Taras Mikhalik, Adrian Pukanych (67m – Andriy Oberemko), Yevgen Cheberyachko, Maksymov, Ruslan Fomin (78m – Olexandr Aliyev) e Artem Milevskiy

0-1 – Ruslan Fomin – 31m
1-1 – Thomas Kahlenberg – 43m
1-2 – Artem Milevskiy – 84m

Amarelos – Daniel Agger (55m), Jonas Troest (59m), Leon Andreasen (68m); Olexandr Maksymov (19m), Artem Milevskiy (58m)

Árbitro – Alberto Undiano (Espanha)

Águeda (19h45)


HolandaItália1-0

Holanda Kenneth Vermeer, Tiendalli, Vlaar, Gijs Luirink, Urby Emanuelson (60m – Edson Braafheid), Nicky Hofs (90m – Ramon Zomer), Stijn Schaars (72m – Daniël de Ridder), Ismaïl Aissati, Castelen, Klaas Jan Huntelaar e Demy de Zeeuw

Itália Gianluca Curci, Alessandro Potenza, Cesare Bovo, Michele Canini (78m – Giuseppe Scurto), Giorgio Chiellini, Alessandro Rosina (61m – Marino Defendi), Paolo Sammarco, Montolivo, Pasquale Foggia, Raffaele Palladino (69m – Davide Biondini) e Rolando Bianchi

1-0 – Daniël de Ridder – 73m

Amarelos – Nicky Hofs (78m), Edson Braafheid (90m), Demy de Zeeuw (90m); Paolo Sammarco (37m), Giorgio Chiellini (75m), Riccardo Montolivo (83m)

Árbitro – Martin Hansson (Suécia)

Aveiro (19h45)

29 Maio, 2006 at 10:19 pm Deixe um comentário

“TOMAR", DE JOSÉ-AUGUSTO FRANÇA (I)

“Nascida cristã de Reconquista junto do rio Nabão e tendo memória de um sítio romano de anterior designação, com passagem e estada de bárbaros, Tomar tem em sua história precedente três situações sabidas da ocupação do território muito disputado da Lusitânia, entre o Mondego e o Tejo.

Certo é que no conventus scalabitanus da jurisdição romana e junto e a meio do troço da estrada entre Olisipo e Bracara, que ligava Scalabis a Conimbriga, existia, mencionado no itinerário de Antonino, do século III, o município de Sellium, com «prova evidente» (J. Alarcão, 1987) de importantes achados arqueológicos (uma das três cabeças de Augusto encontradas em Portugal), além da Igreja de Santa Maria do Olival, junto ao sítio de Marmelais, na margem esquerda do rio. Mais do que villae rusticae, um fórum aponta para local proto-urbano de relevo.

Nabância, fundada primordialmente pelos Túrdulos em 480 a. C. e, seiscentos anos depois, pelos romanos de Trajano, na ideia simplista transmitida por Pinho Leal em 1873, foi, porém, nome que, tirado da designação do rio, perdurou na mitologia local, muito estimada (Vieira Guimarães, 1927), sobrepondo-se ao de Sellium, Sélio já, dos Suevos de c. 570, e mais ou menos usado pelos Visigodos que dominaram aqueles, poucos anos depois – afinal a mesma povoação com dois nomes diferentes, em diferentes e sucessivas épocas, com datas de fundação e denominação de impossível acerto. Tem sido isso tema de longa discussão mais ou menos erudita, que hoje pode considerar-se fixada.”

Tomar – «Thomar Revisited», José-Augusto França, Editorial Presença, 1994, p. 9

29 Maio, 2006 at 8:44 am Deixe um comentário

EUROPEU SUB-21 2006 – RESULTADOS E CLASSIFICAÇÕES

GRUPO A             Jg  V  E  D   G  Pt   Portugal-França…….0-1
1 França França 3 3 – – 6-0 9 Sérvia Mont.-Alemanha.0-1
2 Sérvia Mont. Sérvia e Montenegro 3 1 – 2 2-3 3 Portugal-Sérvia Mont..0-2
3 Alemanha Alemanha 3 1 – 2 1-4 3 França-Alemanha…….3-0
4 Portugal Portugal 3 1 – 2 1-3 3 França-Sérvia Mont….2-0
Alemanha-Portugal…..0-1


GRUPO B             Jg  V  E  D   G  Pt   Itália-Dinamarca……3-3
1 Itália Itália 2 1 1 – 4-3 4 Ucrânia-Holanda…….2-1
2 Ucrânia Ucrânia 2 1 – 1 2-2 3 Itália-Ucrânia……..1-0
3 Dinamarca Dinamarca 2 – 2 – 4-4 2 Dinamarca-Holanda…..1-1
4 Holanda Holanda 2 – 1 1 2-3 1 Dinamarca-Ucrânia…..—
Holanda-Itália……..—

28 Maio, 2006 at 10:20 pm 1 comentário

EURO SUB-21 2006 – GRUPO A – 3ª JORNADA

AlemanhaPortugal0-1

Impotência, raiva, desespero e desilusão.

Impotência revelada pela selecção portuguesa, nunca denotando capacidade para concretizar a “empreitada” que tinha pela frente, com a necessidade de vencer por 3-0… apesar das boas notícias que iam chegando de Braga, com a França a derrotar a Sérvia e Montenegro, o que voltava a colocar Portugal dependente de si próprio.

Raiva pela incapacidade, por tudo “sair mal”, pela postura da equipa alemã, com um futebol muito físico, de choque, sem procurar jogar o jogo pelo jogo, aproveitando para perder tempo… culminando no remate de João Moutinho, pleno de fúria, já com 95 minutos de jogo.

Desespero da selecção alemã, quando, com o golo português, se viu subitamente eliminada… depois de, durante toda a partida, pouco ter feito para procurar outro resultado que não o empate a zero.

Desilusão da equipa portuquesa, que tanto prometia, que tantas expectativas gerara, depois de uma triunfante disputa pela atribuição da organização da prova, visando a conquista do título de Campeão Europeu. Tal como os “destroçados” alemães, bastantes dos jogadores portugueses abandonaram o relvado em lágrimas.

A equipa portuguesa acabou por não reagir bem à pressão, teve sempre que competir em posição desvantajosa, psicologicamente fragilizada e algo desgastada em termos físicos…e, efectivamente, não terá chegado a acreditar que o “milagre” era possível no jogo de hoje.

… E talvez fosse! Já depois dos 95 minutos, e beneficiando então do desespero alemão, Portugal teria ainda mais duas oportunidades de golo!

Do árbitro não devia falar aqui… não fosse ter revelado não estar a altura de uma prova desta “dimensão”. Dez cartões amarelos exibidos traduzem a sua falta de autoridade e incapacidade de controlar o jogo. Mas o pior – possivelmente com influência no desfecho final do grupo – esteve nas duas grandes penalidades que ficaram por assinalar: aos 68 minutos, quando o guarda-redes alemão derrubou o avançado português (numa jogada típica, lançando-se à bola… mas não tocando nela, mas sim nos pés de Lourenço); e, de seguida, aos 82 minutos, quando, numa jogada em que Quaresma tocou acidentalmente com o pé no corpo do mesmo guarda-redes, e este, reagindo a quente, tentou agredi-lo com repetidos golpes a soco, apenas sendo detido por colegas e adversários (ao contrário da incompreensível “decisão salomónica” do árbitro, mostrando amarelo aos dois jogadores, o alemão deveria ter sido expulso, e, dado que o lance decorreu na área, teria de ser marcada a correspondente grande penalidade).

Portugal e Alemanha ficaram pelo caminho nesta prova. No outro jogo, a França continua a sua caminhada triunfal, revelando ser uma equipa poderosa, forte candidata ao título. A Sérvia e Montenegro (finalista vencida no Europeu anterior segue, para já, para as 1/2 Finais… onde pode voltar a encontrar a selecção que a derrotou em 2002, a Itália).

Uma palavra final, positiva, de apreço, para o comportamento inexcedível dos espectadores no Estádio em Guimarães (já com uma elevada “quota-parte de desilusões futebolísticas” este ano), incentivando a equipa portuguesa, e aplaudindo e gritando por Portugal, mesmo depois da partida terminada.

Alemanha Rensing (85 m – Fromlowits); Volz, Sinkiewicz (76m – Brzenska), Matip e Schulz; Lehmann, Niemeyer (70m – Castro) e Polanski; Hilbert, Kiessling e Nando Rafael

Portugal Daniel Fernandes; Nélson, Zé Castro, Rolando e Nuno Morais; Custódio; Manuel Fernandes (45m – Lourenço) e Raul Meireles; João Moutinho, Varela (73m – Nani) e Quaresma

0-1 – João Moutinho – 90m

Amarelos – Hilbert (13m), Schulz (66m), Sinkiewicz (74m), Rensing (82m); Manuel Fernandes (16m), Zé Castro (57m), Nuno Morais (62m), Custódio (67m), Quaresma (82m), João Moutinho (90m)

Árbitro – Alon Yefet (Israel)

Guimarães (19h45)


FrançaSérvia e Montenegro2-0

França Steve Mandanda, François Clerc, Jean-Michel Badiane, Jérémy Berthod, Lucien Aubey, Yohan Gouffran (82m – Florent Sinama-Pongolle), Jérémy Toulalan (56m – Rio Antonio Mavuba), Lassana Diarra, Olivier Veigneau, Bryan Bergougnoux, Anthony Le Tallec (61m – Yoann Gourcuff)

Sérvia e Montenegro Vladimir Stojković, Branislav Ivanović, Milan Stepanov, Milan Biševac, Marko Lomić, Dušan Basta (47m – Simon Vukčević), Ivan Todorović, Nenad Milijaš, Miloš Krasić, Boško Janković (65m – Duško Tošić), Milan Purović

1-0 – Bryan Bergougnoux – 32m
2-0 – Jérémy Toulalan – 53m

Amarelos – Bryan Bergougnoux (63m), Yoann Gourcuff (74m); Marko Lomić (42m), Duško Tošić (90m)

Árbitro – Gerald Lehner (Áustria)

Braga (19h45)

28 Maio, 2006 at 10:15 pm Deixe um comentário

"O SEGREDO DOS TEMPLÁRIOS" (VI)

“Mas isto não é surpreendente: não são muitas as vítimas de tortura que conseguem ranger os dentes e recusar concordar com as palavras que são postas na sua boca pelos carrascos. Mas, neste caso, há mais nesta história do que aquilo que é visível. Por um lado, tem havido sugestões de que todas as acusações apresentadas contra os Templários foram forjadas pelos que invejavam a sua riqueza e se sentiam exasperados pelo seu poder, e que essas acusações deram ao rei francês um bom pretexto para se libertar das suas conhecidas dificuldades económicas, apoderando-se da riqueza dos Templários. Por outro lado, embora as acusações possam não ser estritamente verdadeiras, há provas de que os Templários encontraram uma coisa misteriosa e talvez «secreta», no sentido ocultista. É evidente que estas duas ideias alternativas não se excluem mutuamente.

Muita tinta tem corrido sobre o debate das acusações feitas aos Templários e às suas confissões. Cometeram eles, de facto, os actos que confessaram ou os inquisidores inventaram, antecipadamente, as acusações e simplesmente torturaram os cavaleiros até que eles concordassem com elas? (Alguns cavaleiros declararam que lhes tinham dito que Jesus era um «falso profeta», por exemplo). É impossível afirmar uma coisa ou outra de forma conclusiva.

[…]

Nem todos os Templários foram aniquilados naquela sexta-feira, dia 13. A muitos foi-lhes permitido viver e voltar a reagrupar-se sob um nome diferente, e dois países, em particular, ofereceram refúgio seguro aos cavaleiros fugitivos – Escócia e Portugal. (Neste último, os cavaleiros tornaram-se conhecidos por Cavaleiros de Cristo).”

“O Segredo dos Templários – O Destino de Cristo”, Lynn Picknett e Clive Prince

27 Maio, 2006 at 9:40 am Deixe um comentário

EUROPEU SUB-21 2006 – RESULTADOS E CLASSIFICAÇÕES

GRUPO A             Jg  V  E  D   G  Pt   Portugal-França…….0-1
1 França França 2 2 – – 4-0 6 Sérvia Mont.-Alemanha.0-1
2 Alemanha Alemanha 2 1 – 1 1-3 3 Portugal-Sérvia Mont..0-2
3 Sérvia Mont. Sérvia e Montenegro 2 1 – 1 2-1 3 França-Alemanha…….3-0
4 Portugal Portugal 2 – – 2 0-3 – França-Sérvia Mont….—
Alemanha-Portugal…..—


GRUPO B             Jg  V  E  D   G  Pt   Itália-Dinamarca……3-3
1 Itália Itália 2 1 1 – 4-3 4 Ucrânia-Holanda…….2-1
2 Ucrânia Ucrânia 2 1 – 1 2-2 3 Itália-Ucrânia……..1-0
3 Dinamarca Dinamarca 2 – 2 – 4-4 2 Dinamarca-Holanda…..1-1
4 Holanda Holanda 2 – 1 1 2-3 1 Dinamarca-Ucrânia…..—
Holanda-Itália……..—

26 Maio, 2006 at 11:58 pm 1 comentário

EURO SUB-21 2006 – GRUPO B – 2ª JORNADA

DinamarcaHolanda1-1

Dinamarca Kevin Stuhr Ellegaard, Michael Jakobsen (45m – Martin Pedersen), Leon Andreasen, Daniel Agger (67m – Kildentoft), Jonas Troest, Jonas Kamper, Rasmus Würtz, Martin Bergvold, Jacob Sørensen, Thomas Kahlenberg e Nicklas Bendtner (60m – Morten Rasmusen)

Holanda Kenneth Vermeer, Paul Verhaegh, Zomer (86m – Medunjanin), Gijs Luirink, Urby Emanuelson, Nicky Hofs, Stijn Schaars, Ismaïl Aissati, Gerritsen (45m – Collins John), Klaas Jan Huntelaar e Daniël de Ridder (68m – De Zeeuw)

0-1 – Klaas Jan Huntelaar – 38m
1-1 – Thomas Kahlenberg – 48m

Amarelos – Thomas Kahlenberg (5m), Morten Rasmusen (65m); Paul Verhaegh (45m)

Árbitro – Serge Gumienny (Bélgica)

Aveiro (17h15)


ItáliaUcrânia1-0

Itália Gianluca Curci, Alessandro Potenza, Michele Canini, Cesare Bovo, Giorgio Chiellini, Pasquale Foggia (70m – Marino Defendi), Marco Donadel, Paolo Sammarco, Alessandro Rosina, Raffaele Palladino e Rolando Bianchi (62m – Gianpaolo Pazzini)

Ucrânia Andriy Pyatov, Grigoriy Yarmash, Olexandr Yatsenko (79m – Mykola Ischenko), Dmytro Chygrynskiy, Olexandr Romanchuk, Andriy Oberemko, Olexandr Aliyev, Yevgen Cheberyachko, Ivan Kryvosheyenko (46m – Taras Mikhalik), Maxym Feschuk (60m – Ruslan Fomin) e Artem Milevskiy

1-0 – Giorgio Chiellini – 90m

Amarelos – Grigoriy Yarmash (25m), Olexandr Romanchuk (90m); Paolo Sammarco (42m), Raffaele Palladino (51m), Marco Donadel (83m), Giorgio Chiellini (89m)

Árbitro – Howard Webb (Inglaterra)

Águeda (19h45)

26 Maio, 2006 at 11:55 pm Deixe um comentário

Artigos Mais Antigos


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Maio 2006
S T Q Q S S D
« Abr   Jun »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.