Archive for 25 Maio, 2006

EUROPEU SUB-21 2006 – RESULTADOS E CLASSIFICAÇÕES

GRUPO A             Jg  V  E  D   G  Pt   Portugal-França…….0-1
1 França França 2 2 – – 4-0 6 Sérvia Mont.-Alemanha.0-1
2 Sérvia Mont. Sérvia e Montenegro 2 1 – 1 2-1 3 Portugal-Sérvia Mont..0-2
3 Alemanha Alemanha 2 1 – 1 1-3 3 França-Alemanha…….3-0
4 Portugal Portugal 2 – – 2 0-3 – França-Sérvia Mont….—
Alemanha-Portugal…..—


GRUPO B             Jg  V  E  D   G  Pt   Itália-Dinamarca……3-3
1 Ucrânia Ucrânia 1 1 – – 2-1 3 Ucrânia-Holanda…….2-1
2 Itália Itália 1 – 1 – 3-3 1 Itália-Ucrânia……..—
2 Dinamarca Dinamarca 1 – 1 – 3-3 1 Dinamarca-Holanda…..—
4 Holanda Holanda 1 – – 1 1-2 – Dinamarca-Ucrânia…..—
Holanda-Itália……..—

25 Maio, 2006 at 9:41 pm 1 comentário

EURO SUB-21 2006 – GRUPO A – 2ª JORNADA

PortugalSérvia e Montenegro0-2

Infeliz, a selecção portuguesa na partida de hoje. Frente a uma esforçada equipa da Sérvia e Montenegro, que soube aproveitar as oportunidades de que dispôes, Portugal cedo se viu a perder, em mais um golo “esquisito”, desta vez um auto-golo de Zé Castro.

A equipa portuguesa reagiu bem, procurou o golo, criou jogadas de perigo, mas falhou nos momentos decisivos.

O minuto decisivo surgiria quando Krasic (que, numa jogada individual, ameaçara já marcar poucos minutos antes, sendo então o remate detido por Bruno Vale, com os pés), se isolava novamente, obrigando Semedo a fazer falta para grande penalidade, vendo o cartão vermelho.

O guarda-redes português ainda defendeu o castigo máximo, numa espécie de “canto de cisne” da nossa selecção, que, algo desconcentrada, e sentindo a ausência do central expulso, concedeu na jogada imediata (na sequência de um pontapé de canto) o segundo golo.

A jogar com menos uma unidade e a perder por 0-2, o desespero invadiu, com alguma naturalidade, o espírito dos jovens jogadores portugueses, que procuraram ainda mais um par de vezes chegar à baliza sérvio-montenegrina, mas Stojkovic e o “gigante” central Stepanov (“omnipresente” na defesa) não permitiram que essas tentativas tivessem êxito.

Quase “a passar ao lado” deste Europeu, que organiza, Portugal depende agora de um “milagre” para poder prosseguir para as 1/2 finais da prova; apenas se qualificaria se, vencendo a Alemanha por (pelo menos) 3 golos de vantagem, a Sérvia e Montenegro perder com os franceses.

Portugal Bruno Vale; Filipe Oliveira, Semedo, Zé Castro e Diogo Valente; Raul Meireles e Manuel Fernandes; Quaresma, Nani (45m – João Moutinho) e Varela (45m – Lourenço); Hugo Almeida (70m – Ricardo Vaz Tê)

Sérvia e Montenegro Stojkovic; Ivanovic, Stepanov, Bisevac e Lomic; Krasic e Basta (90m – Milovanovic); Jankovic, Milijas e Todorovic; Purovic

0-1 – Zé Castro (16m) – p.b.
0-2 – Ivanovic (63m)

Amarelos – Filipe Oliveira (18m), João Moutinho (78m); Milijas (43m), Stojkovic (56m)

Vermelho – Semedo (62m)

Árbitro – Martin Hansson (Suécia)

Barcelos (19h45)


FrançaAlemanha3-0

França Mandanda, Sagna, Bourillon, Jacques Faty (64m – Badiane), Clerc, Faubert, Diarra, Mavuba, Toulalan (45m – Gourcuff), Gouffran e Sinama-Pongolle (62m – Briand)

Alemanha Michael Rensing, Moritz Volz, Lukas Sinkiewicz, Marvin Matip, Malik Fathi, Ochs (70m – Rafael), Riether, Niemeyer (64m – Castro), Christian Schulz, Meier e Stefan Kiessling (78m – Helmes)

1-0 – Sinama-Pongolle – 45m
2-0 – Gouffran – 71m
3-0 – Mavuba – 75m

Amarelos – Faty (61m); Castro (68m)

Árbitro – Alberto Undiano (Espanha)

Guimarães (17h15)

25 Maio, 2006 at 9:37 pm Deixe um comentário

"O TOM DOS BLOGUES"

Reflexões de Luís Carmelo sobre o “tom dos blogues”, no Miniscente, já no 16º “capítulo”. Fundamental!

P. S. Sobre a evolução da situação em Timor, indicação de dois blogues (via Público): Timor Verdade e Timor online.

25 Maio, 2006 at 1:44 pm Deixe um comentário

"O SEGREDO DOS TEMPLÁRIOS" (IV)

“Apesar dos seus melhores esforços, a Terra Santa caiu em poder dos sarracenos, pouco a pouco, até que, em 1291, o último território cristão, a cidade de Acre, passou para mãos inimigas. Não havia nada que os Templários pudessem fazer para além de regressar à Europa e planear a sua eventual reconquista, mas, infelizmente, nessa altura a motivação para tal campanha já desaparecera entre os vários reis que a podiam ter financiado. A sua principal razão de existir reduzira-se a nada. Sem ocupação, mais ainda ricos e arrogantes, eram alvo de ressentimento generalizado porque estavam isentos de pagamento de impostos e apenas deviam obediência ao papa e a mais ninguém.

Assim, em 1307, inevitavelmente, caíram em desgraça. O poderosíssimo rei francês Filipe, o Belo, começou a orquestrar a queda dos Templários com a conivência do papa, o qual, em todo o caso, o rei dominava. Foram emitidas ordens secretas aos representantes aristocráticos do rei e os Templários foram capturados a 13 de Outubro de 1307, sexta-feira, presos, torturados e condenados à morte pelo fogo.

Pelo menos, esta é a história contada na maioria das obras clássicas sobre este tema. Fica-se com a ideia de que toda a ordem encontrou o seu horrível fim naquele dia longínquo em que os Templários foram efectivamente varridos da face da Terra para sempre. Contudo, nada pode estar mais longe da verdade.”

“O Segredo dos Templários – O Destino de Cristo”, Lynn Picknett e Clive Prince

25 Maio, 2006 at 8:48 am Deixe um comentário


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Maio 2006
S T Q Q S S D
« Abr   Jun »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.