Archive for 17 Junho, 2006

MUNDIAL 2006 – RESULTADOS E CLASSIFICAÇÕES

GRUPO A             Jg  V  E  D   G  Pt   Alemanha-Costa Rica…4-2
1 Equador Equador 2 2 – – 5-0 6 Polónia-Equador…….0-2
2 Alemanha Alemanha 2 2 – – 5-2 6 Alemanha-Polónia……1-0
3 Polónia Polónia 2 – – 2 0-3 – Equador-Costa Rica….3-0
4 Costa Rica Costa Rica 2 – – 2 2-7 – Equador-Alemanha……—
Costa Rica-Polónia….—


GRUPO B             Jg  V  E  D   G  Pt   Inglaterra-Paraguai…1-0
1 Inglaterra Inglaterra 2 2 – – 3-0 6 Trinidad-Suécia…….0-0
2 Suécia Suécia 2 1 1 – 1-0 4 Inglaterra-Trinidad…2-0
3 Trinidad T. Trinidad Tobago 2 – 1 1 0-2 1 Suécia-Paraguai…….1-0
4 Paraguai Paraguai 2 – – 2 0-2 – Suécia-Inglaterra…..—
Paraguai-Trinidad…..—


GRUPO C             Jg  V  E  D   G  Pt   Argentina-C. Marfim…2-1
1 Argentina Argentina 2 2 – – 8-1 6 Sérvia Mont.-Holanda..0-1
2 Holanda Holanda 2 2 – – 3-1 6 Argentina-Sérvia Mont.6-0
3 C. Marfim C. Marfim 2 – – 2 2-4 – Holanda-C. Marfim…..2-1
4 Sérvia Mont. Sérvia e Montenegro 2 – – 2 0-7 – Holanda-Argentina…..—
C. Marfim-Sérvia Mont.—


GRUPO D             Jg  V  E  D   G  Pt   México-Irão………..3-1
1 Portugal Portugal 2 2 – – 3-0 6 Angola-Portugal…….0-1
2 México México 2 1 1 – 3-1 4 México-Angola………0-0
3 Angola Angola 2 – 1 1 0-1 1 Portugal-Irão………2-0
4 Irão Irão 2 – – 2 1-5 – Portugal-México…….—
Irão-Angola………..—


GRUPO E             Jg  V  E  D   G  Pt   Itália-Ghana……….2-0
1 Itália Itália 2 1 1 – 3-1 4 EUA-R. Checa……….0-3
2 R. Checa R. Checa 2 1 – 1 3-2 3 Itália-EUA…………1-1
3 Ghana Ghana 2 1 – 1 2-2 3 R. Checa-Ghana……..0-2
4 EUA EUA 2 – 1 1 1-4 1 R. Checa-Itália…….—
Ghana-EUA………….—


GRUPO F             Jg  V  E  D   G  Pt   Brasil-Croácia……..1-0
1 Austrália Austrália 1 1 – – 3-1 3 Austrália-Japão…….3-1
2 Brasil Brasil 1 1 – – 1-0 3 Brasil-Austrália……—
3 Croácia Croácia 1 – – 1 0-1 – Japão-Croácia………—
4 Japão Japão 1 – – 1 1-3 – Japão-Brasil……….—
Croácia-Austrália…..—


GRUPO G             Jg  V  E  D   G  Pt   França-Suíça……….0-0
1 Coreia Sul Coreia do Sul 1 1 – – 2-1 3 Coreia Sul-Togo…….2-1
2 França França 1 – 1 – 0-0 1 França-Coreia Sul…..—
2 Suíça Suíça 1 – 1 – 0-0 1 Togo-Suíça…………—
4 Togo Togo 1 – – 1 1-2 – Togo-França………..—
Suíça-Coreia Sul……—


GRUPO H             Jg  V  E  D   G  Pt   Espanha-Ucrânia…….4-0
1 Espanha Espanha 1 1 – – 4-0 3 Tunísia-A. Saudita….2-2
2 Tunísia Tunísia 1 – 1 – 2-2 1 Espanha-Tunísia…….—
2 A. Saudita A. Saudita 1 – 1 – 2-2 1 A. Saudita-Ucrânia….—
4 Ucrânia Ucrânia 1 – – 1 0-4 – A. Saudita-Espanha….—
Ucrânia-Tunísia…….—

17 Junho, 2006 at 9:57 pm Deixe um comentário

MUNDIAL 2006 – GRUPOS D / E – 2ª JORNADA

PortugalIrão2-0

Portugal Ricardo, Miguel, Fernando Meira, Ricardo Carvalho, Nuno Valente, Costinha, Maniche (67m – Petit), Figo (88m – Simão Sabrosa), Deco (80m – Tiago), Cristiano Ronaldo e Pauleta

Irão Ebrahim Mirzapour, Mehdi Mahdavikia, Yahya Golmohamaddi (88m – Sohrab Bakhtiarizadeh), Rahman Rezaei, Javad Nekounam, Ali Karimi (65m – Ferydoon Zandi), Vahid Hashemian, Hossein Kaabi, Andranik Teymourian, Mohammad Nosrati e Mehrzad Madanchi (66m – Rasoul Khatibi)

Com uma atitude determinada, Portugal teve uma forte entrada na partida, traduzida por um impressionante rácio de 70 % / 30 % em termos de posse de bola, por volta dos 20 minutos.

Não obstante, o Irão surpreendeu, não só pelo porte físico dos seus jogadores, mas também pelo bom “toque de bola” e pela forma como encarou o “jogo pelo jogo”, não se remetendo à defesa, proporcionando espaços à equipa portuguesa.

E, com Portugal a assumir, logo de início, a condução de uma partida, de que praticamente manteve sempre o controlo – não dispondo contudo de muitas oportunidades de golo, pese embora o ataque continuado e persistente -, os iranianos dariam um sinal de “pré-aviso” aos 30 minutos, rematando ao poste, num lance entretanto anulado pelo árbitro, por posição de “fora-de-jogo”.

Com dificuldade em manter o ritmo elevado com que entrara no encontro, e já no decorrer da segunda parte, as coisas pareciam poder vir a complicar-se, à medida que o Irão ia dando sinais de que o empate a zero lhe poderia servir e começava a bloquear os caminhos para a sua área.

Até que, numa boa jogada, Figo se escapou pelo flanco esquerdo, Nuno Valente “arrastou” consigo um defesa iraniano, abrindo espaço para a entrada de trás de Deco, na zona frontal, ainda longe da baliza; a espontaneidade do remate não deu possibilidade de defesa ao guarda-redes. Portugal chegava ao golo, cumprindo a tarefa mais difícil, a de quebrar a resistência psicológica iraniana.

Logo aí se anteviu que a vitória e o apuramento estavam alcançados, não obstante a pronta resposta iraniana, com um jogador a surgir isolado frente ao guarda-redes português, com o remate a sair ao lado. Aos 77 minutos, Ricardo seria ainda obrigado a “dizer presente”, defendendo com autoridade um perigoso remate de cabeça.

Na jogada imediata, surgiu a grande penalidade, a castigar um derrube de Figo, à entrada da área iraniana. Cristiano Ronaldo, que denotara sintomas de alguma ansiedade, na busca do golo, nem sempre com o discernimento necessário, “respirou fundo” e, convertendo irrepreensivelmente o castigo máximo, conseguia o 2-0, que dava tranquilidade absoluta à equipa portuguesa.


Foto – Associated Press

Uma palavra sobre o árbitro, que pareceu em má consição física, acompanhando os lances à distância, nem sempre ajuizando da melhor forma, denotando alguma dualidade de critérios, em particular na forma condescentente que adoptou relativamente a jogadas faltosas, a que os jogadores do Irão recorreram com alguma insistência.

Numa boa partida, em particular no que respeita à atitude positiva com que encarou o jogo, com Deco a assumir o seu papel de “maestro” (distinguido como melhor jogador em campo), a selecção portuguesa, embora algo em “esforço”, cumpre os “serviços mínimos”, atingindo o seu primeiro objectivo, garantindo desde já o apuramento para os 1/8 Final da prova, começando a “reconstruir” a história, 40 anos depois. E, se Portugal é o sexto país a conseguir o apuramento… por seu lado, a equipa do Irão é a sexta já eliminada nesta Fase Final do Mundial.

Resistindo e contornando a pressão de “não poder falhar” neste grupo teoricamente acessível, espera-se que a equipa portuguesa se liberte nos próximos jogos, espalhando o “perfume” do seu futebol, frente a adversários bem mais conceituados: no imediato, o México, numa partida sem pressão (Scolari deveria, em meu entender, dar oportunidade aos “suplentes” da selecção); e, depois, “a sério”, contra Argentina ou Holanda (duas das melhores selecções mundiais).

1-0 – Deco – 63m
2-0 – Cristiano Ronaldo – 80m (g.p.)

Melhor jogador – Deco (Portugal)

Amarelos – Pauleta (45m), Deco (48m) e Costinha (61m); Javad Nekounam (20m), Mehrzad Madanchi (32m), Hossein Kaabi (73m) e Yahya Golmohammadi (88m)

Árbitro – Eric Poulat (França)

Frankfurt (14h00)


R. ChecaGhana0-2

R. Checa Petr Cech, Zdenek Grygera, Marek Jankulovski, Jaroslav Plasil (68m – Libor Sionko), Tomas Rosicky, Pavel Nedved, Vratislav Lokvenc, Karel Poborsky (56m – Jiri Stajner), Tomas Galasek (46m – Jan Polak), Tomas Ujfalusi e David Rozehnal

Ghana Richard Kingson, John Mensah, Illiasu Shilla, Michael Essien, Otto Addo (46m – Derek Boateng), Stephen Appiah, Sulley Muntari, Habib Mohamed, John Pantsil, Matthew Amoah (80m – Eric Addo) e Asamoah Gyan (85m – Razak Pimpong)

Ao oitavo jogo, a primeira vitória de uma selecção africana pode vir “baralhar” bastante as contas do grupo e, eventualmente, provocar a surpresa da eliminação de uma das mais poderosas selecções da Europa, a da R. Checa (semi-finalista do EURO 2004), precisamente uma das que mais tinha “chamado a atenção” na jornada inaugural da competição, com a sua categórica vitória de 3-0 ante os EUA.

0-1 – Asamoah Gyan – 2m
0-2 – Sulley Muntari – 82m

Melhor jogador – Michael Essien (Ghana)

Amarelos – Vratislav Lokvenc (49m); Otto Addo (18m), Michael Essien (37m), Asamoah Gyan (66m), Derek Boateng (75m), Sulley Muntari (84m) e Habib Mohamed (90m)

Vermelho – Tomas Ujfalusi (65m)

Árbitro – Horacio Elizondo (Argentina)

Koln (17h00)


ItáliaEUA1-1

No termo de um jogo “esquisito”, com um auto-golo e 3 expulsões (primeiro, a Itália a ficar, desde muito cedo, em inferioridade numérica e, depois, no final da 1ª parte e, de imediato, no recomeço, dois jogadores estado-unidenses a serem expulsos), o empate será porventura o resultado mais ajustado, que leva a decisão do grupo para uma empolgante 3ª jornada, com todas as equipas ainda com hipóteses, em dois jogos que serão como que duas “finais” (Itália – R. Checa e Ghana – EUA).

Itália Gianluigi Buffon, Cristian Zaccardo (54m – Alessandro del Piero), Daniele de Rossi, Fabio Cannavaro, Luca Toni (61m – Vincenzo Iaquinta), Francesco Totti (35m – Gennaro Gattuso), Alberto Gilardino, Alessandro Nesta, Gianluca Zambrotta, Simone Perrotta e Andrea Pirlo

EUA Casey Keller, Carlos Bocanegra, Pablo Mastroeni, Steve Cherundolo, Clint Dempsey (62m – Marcus Beasley), Claudio Reyna, Bobby Convey (52m – Jimmy Conrad), Brian Mc Bride, Landon Donovan, Oguchi Oniyewu e Eddie Pope

1-0 – Alberto Gilardino – 22m
1-1 – Cristian Zaccardo (p.b.) – 27m

Melhor jogador – Kasey Keller (EUA)

Amarelos – Francesco Totti (5m) e Gianluca Zambrotta (70m); Eddie Pope (21m)

Vermelhos – Daniele de Rossi (28m); Pablo Mastroeni (45m) e Eddie Pope (47m)

Árbitro – Jorge Larrionda (Uruguai)

Kaiserslautern (20h00)

17 Junho, 2006 at 9:53 pm Deixe um comentário

PORTUGAL – IRÃO – "ANTES DO JOGO"

Não obstante a presente edição do Campeonato do Mundo de Futebol se encontrar ainda numa fase preliminar, algumas equipas começaram já a “colocar as cartas na mesa”, apresentando as suas “credenciais” como candidatas à conquista do troféu máximo do futebol mundial, em particular, nos casos da Argentina, Espanha, mas também Inglaterra e Alemanha (selecções que, à 2ª jornada, garantiram já o apuramento para os 1/8 Final).

Numa prova ainda relativamente longa como esta, as vitórias mais “impressivas” da Argentina e Espanha podem não significar necessariamente que os respectivos desempenhos em fases mais adiantadas da competição tenham a mesma sequência; é importante não “perder o gás”, mantendo uma constância no desempenho e resultados.

Portugal tem hoje uma oportunidade que não pode desperdiçar; a, de vencendo, garantir também, desde já, o apuramento… não deixando arrastar a decisão para um último jogo, de desfecho imprevisível.

A equipa do Irão, que conhecemos mal, será sem dúvida aguerrida, mas a realidade não pode ser escamoteada: Portugal é claramente favorito, deve assumir esse papel e – se pretende de facto deixar a marca da sua presença neste Mundial – vencer categoricamente, de preferência com uma boa exibição.

Portugal terá, necessariamente, de jogar mais e melhor que na estreia, frente a Angola. Mas tal está perfeitamente ao alcance da nossa equipa.

17 Junho, 2006 at 1:15 pm Deixe um comentário


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Junho 2006
S T Q Q S S D
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.