Archive for 26 Abril, 2005

INDEPENDÊNCIAS SUL-AMERICANAS (V)

Tendo presente o carácter regional ou local que o movimento político adquiriu desde o início, começou a exercer-se uma soberania em termos regionais, em torno das capitais dos vice-reinados.

A ideia da união defendida por Simão Bolívar, San Martín, Hidalgo, entre outros, evocando a Monarquia e o Império, viria a ser derrotada.

Bolívar defendia a união como forma de defesa do Continente, e sobretudo, devido aos interesses comuns e às afinidades culturais.

Em 1824, convidaria o Peru, Colômbia, México, Guatemala, Rio de la Plata e Chile a constituir uma Confederação. Os representantes dos 4 primeiros reuniram-se no Congresso do Panamá em Junho de 1825, mas os seus acordos não vingariam em termos históricos.

Ao contrário, assistir-se-ia a um processo de desagregação: nações confederadas durante a Guerra da Independência, como a “Grande Colômbia”, separar-se-iam em 1830, originando diferentes nações: Venezuela, Colômbia e Equador; ao mesmo tempo que Regiões unidas administrativamente desde os tempos da colonização, como a Capitania Geral e a Guatemala, converter-se-iam em 5 países independentes: Guatemala, El Salvador, Honduras, Nicarágua e Costa Rica.

[2227]

26 Abril, 2005 at 7:12 pm 1 comentário

JOGOS SEM FRONTEIRAS (II)

Ao longo da sua existência, muitos foram os países que foram aderindo a esta grande manifestação de convívio europeu, fazendo dela um grande sucesso de televisão em todos os países participantes: a Suíça e a Grã-Bretanha a partir de 1967; os Países Baixos em 1970; a Jugoslávia em 1978; Portugal em 1979; a Espanha em 1988; S. Marino em 1989; o País de Gales em 1991; a Tunísia e a Checoslováquia em 1992 (esta última dando lugar à R. Checa a partir de 1993); a Grécia e Hungria em 1993; e, finalmente, Malta e a Eslovénia em 1994.

Cada edição anual era realizada em cerca de 8 a 11 emissões, em geral durante o Verão, nas quais se defrontavam diferentes países (entre 4 a 9), participando em cerca de 10 divertidos e espectaculares jogos.

Cada um dos países participantes organizava anualmente, no seu território, a sua própria sessão, apresentada pelos seus apresentadores nacionais. As cidades mais pontuadas de cada um dos países concorrentes disputavam a grande Final anual.

Não obstante tratar-se de uma co-produção entre várias televisões nacionais, o programa seria suspenso pela primeira vez, em 1982, devido aos elevados custos de produção. Ainda seria tentada uma retoma, em moldes menos dispendiosos e envolvendo novos países participantes, entre 1988 e 1999, mas o esgotamento do modelo, com a natural quebra de audiências televisivas (principalmente nos “países-âncora”, a França e a Itália), numa envolvente de forte concorrência televisiva, ditariam – não obstante algumas tentativas ensaiadas pela RAI3 de Itália, e de televisões da R. Checa, Roménia e de Israel – o seu final.

[2226]

26 Abril, 2005 at 8:23 am


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Abril 2005
S T Q Q S S D
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

  • RT @jmmfernandes: Reportagem sobre os Médicos pela Verdade, na SIC. O omnipresente Ricardo Mexia justifica que eles galvanizam o descontent… 6 hours ago
  • Real Madrid a perder em casa, com o Alavés, por 0-2... 7 hours ago
  • RT @SkySportsNews: Is VAR making people 'fall out love' with football? 💔 What are your thoughts on it? 💭 7 hours ago

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.