EM BUSCA DO TEMPO PERDIDO – DO LADO DE SWANN (V)

2 Janeiro, 2004 at 8:20 am

“Durante todo o tempo em que estava longe de Gilberte, tinha necessidade de a ver, porque, procurando constantemente ter presente a sua imagem, acabava por já não o conseguir e por já não saber exactamente a que correspondia o meu amor. Além disso, ela ainda nunca me dissera que me amava. Muito pelo contrário, afirmara muitas vezes que tinha amigos que preferia, que eu era um bom companheiro com quem gostava de jogar embora um pouco distraído, não muito interessado no jogo; enfim, dera-me muitas vezes sinais ostensivos de frieza, que teriam abalado a minha crença de que era para ela um ser diferente dos outros se tal crença tivesse a sua origem num amor que Gilberte sentisse por mim, e não, como tinha, no amor que eu sentia por ela, o que tornava essa crença muito mais resistente, porque a fazia depender do próprio modo como era obrigado, por uma necessidade interior, a pensar em Gilberte. Mas os sentimentos que nutria por ela, nem eu lhos tinha declarado ainda. É certo que em todas as páginas dos meus cadernos escrevia indefinidamente o seu nome e a sua morada, mas, ao ver aquelas vagas linhas que traçava sem que por causa disso ela pensasse em mim, linhas que lhe faziam ocupar à minha volta tanto espaço aparente sem por isso estar mais dentro da minha vida, sentia-me desanimado porque elas não me falavam de Gilberte, que nem sequer as veria, mas do meu próprio desejo, que pareciam mostrar-me como algo de puramente pessoal, irreal, fastidioso e impotente. O mais imediato era que Gilberte e eu nos víssemos e que pudéssemos fazer um ao outro a confissão recíproca do nosso amor, que até então por assim dizer não havia começado ainda. É claro que as diversas razões que me tornavam tão impaciente de a ver teriam sido menos imperiosas para um homem maduro. Mais tarde, então mais hábeis na cultura dos nossos prazeres, acontece contentarmo-nos com aquele que sentimos ao pensar numa mulher como eu pensava em Gilberte, sem ficarmos inquietos por saber se essa imagem corresponde ou não à realidade, e também com o de amar sem necessidade da certeza de que ela nos ama; ou ainda renunciarmos ao prazer de lhe confessar a nossa inclinação por ela, a fim de conservarmos mais viva a inclinação que ela tem por nós, imitando aqueles jardineiros japoneses que, para obterem uma flor mais bela, lhe sacrificam várias outras.”

[879]

Entry filed under: Livro do mês.

UNIÃO EUROPEIA – 2001 "ANO NOVO, VIDA NOVA" (I)


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.


%d bloggers like this: