Archive for 12 Julho, 2003

"TEXTOS PRÉ-BLOGUE"

A propósito do entusiasmo, volto ao texto de Pacheco Pereira no Abrupto, com o título supra: 

“Ter um blogue, já o disse, era uma coisa que eu queria ter no meu liceu. A expressão “no meu liceu” mostra já como é história antiga e o Liceu foi o Alexandre Herculano no Porto. No meu liceu havia um jornal, que formalmente pertencia à Mocidade Portuguesa (não podia haver quaisquer publicações que não fossem da Mocidade) e que tinha pretensões literárias, o Prelúdio. Régio tinha escrito um elogio do jornal e um dos seus directores antes de mim fora o Manuel Alberto Valente que agora também tem um blogue. 

… 

Era por estas e por outras que eu gostava de ter tido um blogue, preparei-me toda a vida para ter um blogue, mesmo quando eles não existiam e trago essa ancestral vontade intacta, sem um desvio de um milímetro. Por isso vão saber o que significa persistência, teimosia, purpose. Quem quer lê, quem não quer não lê. É a beleza da coisa.” 

Subscrevo a 100 %! 

[37]

12 Julho, 2003 at 8:38 am

PASTILHAS

Diz Miguel Esteves Cardoso no Pastilhas

“Na verdade, o impulso diário de ir ler os meus blogues – de ver o que diz X; como reagiu Y; o que se passa com Z – é mais parecido com a semana que se seguiu ao 25 de Abril de 1974. 

Eu estava em Évora e a minha principal actividade era fazer bicha nas poucas tabacarias da cidade, na ânsia de poder comprar um jornal de Lisboa ou do Porto que contasse o que estava a acontecer. Se acaso conseguisse aterrar as mãos planantes num rectângulo de papel impresso, levantava voo, como se aquelas folhas molhadas de tinta cheirosa fossem aeródromos. 

Ao fazer o meu longo “check-in” diário junto dos vários blogues, é essa a sensação que tenho. E tudo cada vez mais à margem dos jornais com que passei a minha vida, com menos pressa de atravessar a rua para comprá-los. 

A isto – e muito bem – chama-se uma revolução. 

Obrigado.” 

Subscrevo a 98 % no que respeita ao entusiasmo (no meu caso, o impulso de comprar o jornal mantém-se… a palavra impressa sempre exerceu um fascínio não mensurável; por outro lado, há que não perder a noção da realidade e reduzir as coisas à sua efectiva expressão: esta será apenas uma “mini-revolução”). 

[36]

12 Julho, 2003 at 8:36 am

O MEU PÉ DE LARANJA LIMA

Pronto! 

Para remediar a falha (mais uma absolutamente imperdoável) do José Mauro de Vasconcelos, não me resta outra solução senão apresentar alguns dos mais belos extractos de uma das obras-primas da literatura universal: “O Meu Pé de Laranja Lima” (de 1968, praticamente minha contemporânea…). 

Nos próximos dias… Porque haverá muita gente que não teve o privilégio de conhecer esta terna história de amizade… A seguir aos livros do Paul Auster…

[35]

12 Julho, 2003 at 8:33 am 2 comentários


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

  • RT @CurtaVermelha: Os jornalistas continuam a enganar se e a dar o nome de "conferência de imprensa" a estas coisas que o Lage faz. Conferê… 38 minutes ago
  • RT @alex_slwk: Mdr le LOSC jouait encore le maintien en mai 2018 et aujourd’hui on signe Renato Sanches du Bayern en claquant 90 millions d… 39 minutes ago
  • RT @tomasrdacunha: Fernando Torres entra em campo pela última vez. Esta é a despedida de Iniesta. "Cuando volviste a tu casa, al Atlético,… 3 hours ago

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.