Archive for 9 Julho, 2006

ITÁLIA TETRA-CAMPEÃ DO MUNDO

     1/8 FINAL         1/4 FINAL          1/2 FINAIS          FINAL

AlemanhaSuécia2-0
AlemanhaArgentina1-1
ArgentinaMéxico2-1 AlemanhaItália0-2

ItáliaAustrália1-0 Itália1
ItáliaUcrânia3-0
SuíçaUcrânia0-0


InglaterraEquador1-0
InglaterraPortugal0-0
PortugalHolanda1-0 França1

BrasilGhana3-0 PortugalFrança0-1
BrasilFrança0-1
EspanhaFrança1-3 AlemanhaPortugal3-1


1º ITÁLIA
2º França
3º Alemanha
4º Portugal


5º Brasil
6º Argentina
7º Inglaterra
8º Ucrânia


9º Espanha
10º Suíça
11º Holanda
12º Equador
13º Ghana
14º Suécia
15º México
16º Austrália


17º Coreia do Sul
18º Paraguai
19º Costa Marfim
20º R. Checa
21º Polónia
22º Croácia
23º Angola
24º Tunísia
25º Irão
25º EUA
27º Trinidad e Tobago
28º Japão
28º A. Saudita
30º Togo
31º Costa Rica
32º Sérvia e Montenegro

9 Julho, 2006 at 9:40 pm 1 comentário

MUNDIAL 2006 – FINAL – ITÁLIA – FRANÇA

ItáliaFrança1-1 (5-3 g.p.)

Itália Gianluigi Buffon, Gianluca Zambrotta, Fabio Cannavaro, Marco Materazzi, Fabio Grosso, Gennaro Gattuso, Andrea Pirlo, Mauro Camoranesi (86m – Alessandro Del Piero), Simone Perrotta (61m – Vincenzo Iaquinta), Francesco Totti (61m – Daniele de Rossi) e Luca Toni

França Fabien Barthez, Willy Sagnol, William Gallas, Lilian Thuram, Eric Abidal, Patrick Vieira (56m – Alou Diarra), Claude Makelelé, Frank Ribéry (100m – David Trézeguet), Florent Malouda, Zinedine Zidane e Thierry Henry (107m – Sylvain Wiltord)

0-1 – Zinedine Zidane – 7m (g.p.)
1-1 – Marco Materazzi – 19m

Desempate por pontapés da marca de grande penalidade
1-0 – Andrea Pirlo
1-1 – Sylvain Wiltord
2-1 – Marco Materazzi
David Trézeguet remata à trave
3-1 – Daniele de Rossi
3-2 – Eric Abidal
4-2 – Alessandro Del Piero
4-3 – Willy Sagnol
5-3 – Fabio Grosso

A Final da XVIII edição do Campeonato do Mundo de Futebol apenas tivera início há cinco minutos, ainda sem predominância definida, quando Materazzi se “encostou” a Malouda na área italiana, que, sentindo o contacto, caiu, beneficiando da grande penalidade.

Na conversão, Zidane, num remate “à Panenka” (ou “à Hélder Postiga” no EURO 2004), levando a bola a embater na face interior da trave e cair dentro da baliza, inaugurava o marcador.

De imediato, os franceses deram ideia de se irem remeter à defesa, procurando eventualmente explorar o contra-ataque.

A Itália, não desarmando, com uma boa dinâmica, assumiu as “despesas” da partida… e seria recompensada, pouco mais de 10 minutos depois, com o golo do empate, por Materazzi, com uma fulgurante entrada de cabeça, dando sequência a um canto apontado por Andrea Pirlo. Estava reposta a justiça no marcador.

Nos minutos imediatos, as equipas como que se reagruparam, adoptando maiores cautelas, mas, gradualmente, a Itália voltaria a assumir predomínio, expresso num remate de cabeça de Luca Toni, a embater com estrondo na barra da baliza de Barthez.

Na segunda parte, de alguma forma surpreendendo – e não obstante a substituição forçada por lesão, do poderoso Patrick Vieira -, a França pareceu surgir com mais reservas físicas, assumindo o controlo do jogo, com a Itália a não conseguir mais do que algumas situações de contra-ataque, não obstante continuasse a dominar em termos de tempo de posse de bola.

Apesar da maior iniciativa francesa no segundo tempo, o equilíbrio continuava a ser a nota dominante; o prolongamento acabaria por ser o desfecho lógico desta Final.

No prolongamento, seria a França a criar a primeira grande ocasião de perigo, aos 100 minutos, com Ribéry a rematar ligeiramente ao lado da baliza de Buffon… para, 3 minutos depois, o guarda-redes italiano corresponder com uma espectacular defesa a um excelente remate de cabeça de Zidane!

Zidane, que, iam decorridos 110 minutos, encerraria a sua carreira de futebolista da pior maneira: perdendo a cabeça, na sequência de uma troca de palavras com Materazzi – que aparentava, de início, ser “amigável” -, daria uma cabeçada no peito do adversário, sendo expulso!

A tensão era enorme e não parecia haver já serenidade para jogar futebol, e procurar, nos derradeiros minutos, evitar o desempate da marca de grande penalidade, não obstante a superioridade numérica da equipa italiana.

Praticamente na última jogada do prolongamento, Wiltord conseguia escapar-se pelo flanco direito, mas, sem ângulo, remataria muito por alto e desenquadrado da baliza.

Depois da bela partida das 1/2 Finais entre a Itália e a Alemanha, e mesmo, do competitivo encontro entre a França e Portugal, a Final acabaria por ficar um pouco aquém das expectativas (após a prometedora primeira parte), de qualidade inferior ao jogo de atribuição do 3º e 4º lugares.

Os pontapés da marca de grande penalidade tornar-se-iam uma “inevitabilidade”; pela segunda vez na história (e, novamente, com a presença da Itália, tal como na Final que perdera em 1994 frente ao Brasil), o Campeão do Mundo seria apurado desta forma!

Com 5-3, a Itália é CAMPEÃ DO MUNDO pela quarta vez na sua história, depois das vitórias em 1934, 1938 e 1982!


Foto – Associated Press

Melhor jogador – Andrea Pirlo

Amarelos – Gianluca Zambrotta (5m); Willy Sagnol (12m), Alou Diarra (76m), Florent Malouda (111m)

Vermelho – Zinedine Zidane (110m)

Árbitro – Horacio Elizondo (Argentina)

Berlin (19h00)

9 Julho, 2006 at 9:39 pm 1 comentário


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Julho 2006
S T Q Q S S D
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.