Archive for 4 Julho, 2006

MUNDIAL 2006 – 1/8 FINAL – 1/4 FINAL – 1/2 FINAIS – FINAL

     1/8 FINAL         1/4 FINAL          1/2 FINAIS          FINAL

AlemanhaSuécia2-0
AlemanhaArgentina1-1
ArgentinaMéxico2-1 AlemanhaItália0-2

ItáliaAustrália1-0 Itália
ItáliaUcrânia3-0
SuíçaUcrânia0-0


InglaterraEquador1-0
InglaterraPortugal0-0
PortugalHolanda1-0 Vencedor do .............-.............

BrasilGhana3-0 PortugalFrança
BrasilFrança0-1
EspanhaFrança1-3

4 Julho, 2006 at 10:32 pm Deixe um comentário

MUNDIAL 2006 – 1/2 FINAIS – ALEMANHA – ITÁLIA

AlemanhaItália0-2

Alemanha Jens Lehmann, Arne Friedrich, Sebastian Kehl, Miroslav Klose (111m – Oliver Neuville), Michael Ballack, Philipp Lahm, Per Mertesacker, Tim Borowski (73m – Bastian Schweinsteiger), Bernd Schneider (83m – David Odonkor), Lukas Podolski e Christoph Metzelder

Itália Gianluigi Buffon, Fabio Grosso, Fabio Cannavaro, Gennaro Gattuso, Luca Toni (74m – Alberto Gilardino), Francesco Totti, Mauro Camoranesi (91m – Vincenzo Iaquinta), Gianluca Zambrotta, Simone Perrotta (104m – Alessandro Del Piero), Andrea Pirlo e Marco Materazzi

Uma primeira parte muito intensa, jogada a grande velocidade, com a Itália a surpreender a Alemanha pela atitude adoptada neste jogo, assumindo a iniciativa, vendo-se os alemães remetidos a jogar em contra-ataque, numa toada de “parada e resposta”… ou como um jogo com resultado de zero a zero pode ser um bom espectáculo.

A Itália dera o primeiro sinal logo aos 4 minutos, com um livre apontado por Francesco Totti, a que Ballack responderia aos 8 minutos.

Perrotta voltava a dar sinal de perigo, aos 16 minutos, ameaçando o guarda-redes alemão, Lehmann. Cinco minutos depois, seria Podolski a tentar a sua sorte, para, três minutos volvidos, Materazzi rematar também à baliza alemã.

Após mais um remate da Itália, pelo “bota-de-ouro” europeu, Luca Toni (aos 31 minutos) e uma boa oportunidade de Schneider, três minutos de seguida, entrar-se-ia numa fase, nos minutos finais da primeira parte em que, com a Alemanha a procurar contrariar a técnica italiana recorrendo ao “físico”, começou a assistir-se a algumas “picardias” entre os jogadores, quebrando o ritmo da partida, que decaíu ligeiramente de qualidade.

Na segunda parte, as equipas adoptariam uma toada de jogo mais pausada, de maior contenção, com Podolski a fazer o primeiro remate à baliza, já com 63 minutos. A Itália apenas chegaria com algum perigo à baliza alemã, iam decorridos já 78 minutos, por intermédio de Andrea Pirlo, num remate de fora da área.

Aos 82 minutos, o árbitro tem um lapso grave, transformando uma falta à entrada da área italiana num livre directo (não assinalando a devida grande penalidade); Ballack remataria por alto. Dois minutos depois, Perrotta desmarca-se perigosamente, obrigando Lehmann a antecipar-se a soco, num movimento acrobático.

Seriam as duas últimas oportunidades do tempo regulamentar, antes de se chegar a mais um prolongamento…

Não obstante alguma supremacia italiana durante a partida, o empate acaba por aceitar-se como um resultado justo.

E, no primeiro minuto do prolongamento, uma entrada absolutamente fulgurante da Itália, com um remate ao poste (por Gilardino, com a bola a percorrer a linha de golo) e outro à trave (por Zambrotta)!

Os italianos parecem determinados a evitar o desempate da marca de grande penalidade… que nunca ganharam!

A Alemanha reagiria bem, procurando reequilibrar a partida, que passaria a ser jogada mais a meio-campo… até que, no último minuto da primeira parte do prolongamento, Podolski desperdiçaria uma soberana oportunidade de golo, surgindo isolado na área, a responder a um centro de Odonkor com um cabeceamento defeituoso, ao lado da baliza de Buffon.

Na segunda parte do prolongamento, aos 111 e 112 minutos, mais duas jogadas de perigo, uma para cada lado, primeiro com Del Piero a não conseguir desembaraçar-se do opositor, e, de imediato, Podolski a rematar à baliza.

E, a fechar, aos 118 minutos, Pirlo a obrigar Lehmann a aplicar-se, na defesa de um forte remate de longe. Na sequência do canto, Fabio Grosso, com um belo golo – evitando as grandes penalidades… -, colocava a Itália na final, numa das melhores partidas deste Campeonato do Mundo (a par do Espanha-França).

Só que, com a Alemanha balanceada para o ataque, haveria ainda tempo para, num rápido contra-ataque, Del Piero fazer o segundo golo!!!

Terminava o “sonho” alemão, perante uma poderosa selecção italiana, com uma excelente demonstração da sua classe.

0-1 – Fabio Grosso – 119m
0-2 – Alessandro Del Piero – 120m

Melhor jogador – Andrea Pirlo (Itália)

Amarelos – Tim Borowski (40m), Christoph Metzelder (56m); Mauro Camoranesi (90m)
Árbitro – Benito Archundia (México)

Dortmund (20h00)

4 Julho, 2006 at 10:28 pm Deixe um comentário

BLOGUITICA – 3 ANOS

Parabéns ao Paulo Gorjão – um dos bloggers individuais mais activos e dedicados – pelo 3º aniversário do Bloguitica, um blogue que ocupa um espaço próprio e imprescindível no seio da blogosfera portuguesa.

Obrigado pelo “jornal diário” que nos oferece, sempre “em cima” da actualidade, com novas pistas para reflexão, a par do pertinente comentário político.

4 Julho, 2006 at 8:20 am 1 comentário


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Julho 2006
S T Q Q S S D
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.