Archive for Março, 2006

MUNDIAL 2006 (XCVI) – 1990

Itália - 1990
Cerimónia de abertura – Mundial 1990 (Itália)

31 Março, 2006 at 1:45 pm Deixe um comentário

QUINTA DO BILL – DIAS DE CUMPLICIDADE

Dias Cumplicidade Dias de Cumplicidade

Gravado e misturado nos estúdios Trak (Madrid) Nov/Dez 97 por Juan Ignácio Cuadrado, Francisco Gude e José Peña.

Produção de Carlos Moisés/ Juan Ignácio Cuadrado.

Capa de Paradigma


– Voa (voa)

– Chamar-te a mim

– Dias de cumplicidade

– Calypso

– Dizer A-Deus

– Ter alguém (ter fé)

– Se és branco ou negro

– Dá-me a verdade

– Por ti, eu espero

– Assim no mar

– De 2ª a 6ª feira

– Falta de educação

– Diário de um não

– Tempo de partir

31 Março, 2006 at 8:30 am Deixe um comentário

MUNDIAL 2006 (XCV) – 1990

Grupo 5
Noruega – Escócia – 1-2 / 1-1
França – Noruega – 1-0 / 1-1
Escócia – Jugoslávia – 1-1 / 1-3
Chipre – França – 1-1 / 0-2
Chipre – Noruega – 0-3 / 1-3
Jugoslávia – França – 3-2 / 0-0
Jugoslávia – Chipre – 4-0 / 2-1
Chipre – Escócia – 2-3 / 1-2
Escócia – França – 2-0 / 0-3
Noruega – Jugoslávia – 1-2 / 0-1

1º Jugoslávia, 14; 2º Escócia, 10; 3º França, 9; 4º Noruega, 6; 5º Chipre, 1

Grupo 6
I. Norte – Malta – 3-0 / 2-0
I. Norte – Irlanda – 0-0 / 0-3
Hungria – I. Norte – 1-0 / 2-1
Espanha – Irlanda – 2-0 / 0-1
Malta – Hungria – 2-2 / 1-1
Espanha – I. Norte – 4-0 / 2-0
Malta – Espanha – 0-2 / 0-4
Hungria – Irlanda – 0-0 / 0-2
Irlanda – Malta – 2-0 / 2-0
Hungria – Espanha – 2-2 / 0-4

1º Espanha, 13; 2º Irlanda, 12; 3º Hungria, 8; 4º I. Norte, 5; 5º Malta, 2

Grupo 7
Luxemburgo – Suíça – 1-4 / 1-2
Luxemburgo – Checoslováquia – 0-2 / 0-4
Bélgica – Suíça – 1-0 / 2-2
Portugal – Luxemburgo – 1-0 / 3-0
Checoslováquia – Bélgica – 0-0 / 1-2
Portugal – Bélgica – 1-1 / 0-3
Portugal – Suíça – 3-1 / 2-1
Luxemburgo – Bélgica – 0-5 / 1-1
Suíça – Checoslováquia – 0-1 / 0-3
Checoslováquia – Portugal – 2-1 / 0-0

1º Checoslováquia, 12; 2º Bélgica, 12; 3º Portugal, 10; 4º Suíça, 5; 5º Luxemburgo, 1

30 Março, 2006 at 6:17 pm Deixe um comentário

"FALAR DE BLOGUES TEMÁTICOS"

Numa organização promovida por José Carlos Abrantes, continuam os debates sobre a blogosfera na Livraria Almedina (Atrium Saldanha – Lisboa); hoje, pelas 19 horas, o tema é do dos… blogues temáticos.

Com a participação de Leonor Areal (Doc Log), Vítor Relvas (Educar para os Media) e Pedro Magalhães (Margens de Erro).

Os blogues temáticos aparecem com forte credibilidade. Muitas vezes são feitos por especialistas que problematizam, em profundidade, um tema.”

Outras informações em www.josecarlosabrantes.net

30 Março, 2006 at 12:33 pm Deixe um comentário

QUINTA DO BILL – NO TRILHO DO SOL

Trilho do Sol No Trilho do Sol

– Parar o Tempo

– Gerónimo

– Se Te Amo

– Índios na Reserva

– (Que Será de Ti) Lisboa

– Mão na Consciência

– O Fogo Posto

– Quanto + Me Olho ao Espelho

– A Festa dos Vencidos

– Reunir aos Meus Amigos

– A Única das Amantes

– Donas de Bem

– Eles Ignoram

– Prece (Uma Canção)

30 Março, 2006 at 8:29 am Deixe um comentário

LIGA DOS CAMPEÕES – 1/4 FINAL

                                1ª mão      2ª mão      Total
Benfica - Barcelona               0-0        5/4         ---
Arsenal - Juventus                2-0        5/4         ---
Inter - Villarreal                2-1        4/4         ---
Lyon - AC Milan                   0-0        4/4         ---

29 Março, 2006 at 10:58 pm Deixe um comentário

MUNDIAL 2006 (XCIV) – 1990

Grupo 1
Grécia – Dinamarca – 1-1 / 1-7
Bulgária – Roménia – 1-3 / 0-1
Roménia – Grécia – 3-0 / 0-0
Dinamarca – Bulgária – 1-1 / 2-0
Bulgária – Grécia – 4-0 / 0-1
Dinamarca – Roménia – 3-0 / 1-3

1º Roménia, 9; 2º Dinamarca, 8; 3º Grécia, 4; 4º Bulgária, 3

Grupo 2
Inglaterra – Suécia – 0-0 / 0-0
Polónia – Albânia – 1-0 / 2-1
Albânia – Suécia – 1-2 / 1-3
Albânia – Inglaterra – 0-2 / 0-5
Suécia – Polónia – 2-1 / 2-0
Inglaterra – Polónia – 3-0 / 0-0

1º Suécia, 10; 2º Inglaterra, 9; 3º Polónia, 5; 4º Albânia, 0

Grupo 3
Islândia – URSS – 1-1 / 1-1
Turquia – Islândia – 1-1 / 1-2
RDA – Islândia – 2-0 / 3-0
URSS – Áustria – 2-0 / 0-0
Áustria – Turquia – 3-2 / 0-3
Turquia – RDA – 3-1 / 2-0
URSS – RDA – 3-0 / 1-2
Turquia – URSS – 0-1 / 0-2
RDA – Áustria – 1-1 / 0-3
Islândia – Áustria – 0-0 / 1-2

1º URSS, 11; 2º Áustria, 9; 3º Turquia, 7; 4º RDA, 7; 5º Islândia, 6

Grupo 4
Finlândia – RFA – 0-4 / 1-6
Holanda – P. Gales – 1-0 / 2-1
RFA – Holanda – 0-0 / 1-1
P. Gales – Finlândia – 2-2 / 0-1
P. Gales – RFA – 0-0 / 1-2
Finlândia – Holanda – 0-1 / 0-3

1º Holanda, 10; 2º RFA, 9; 3º Finlândia, 3; 4º P. Gales, 2

29 Março, 2006 at 6:15 pm Deixe um comentário

QUINTA DO BILL – OS FILHOS DA NAÇÃO

Filhos da Nação Os Filhos da Nação

– Gualdim Pais, Umas Vezes a Trote…

– Senhora Maria do Olival

– A Libertação

– Onde Sei Viver

– Basta

– Menino

– Mãe (Que Saudade)

– Por Quem Morres Maubere

– Um Barco ao Longe

– Goa, Damão e Diu

– Aljubarrota

29 Março, 2006 at 8:38 am Deixe um comentário

BENFICA, 0 – BARCELONA, 0

Ponto prévio: o Barcelona podia ter saído hoje do Estádio da Luz com um resultado histórico: beneficiou de 1, 2, 3, 4, 5 flagrantes oportunidades de golo (três delas proporcionadas pela intranquilidade / inexperiência de Moretto; outras três negadas por Moretto… e pelos postes).

Dito isto, o Benfica conseguiu o seu objectivo prioritário: levar a discussão da eliminatória para a 2ª mão, em Barcelona, para onde parte sem ter nada a perder, antes pelo contrário…

Mais, o Benfica poderia ter acabado por vencer o jogo, para tal tendo disposto também de 2 ou 3 oportunidades.

A equipa portuguesa entrou no jogo de forma muito intranquila, nervosa, temerosa, entregando ao adversário, logo no primeiro quarto de hora da partida, o controlo do jogo.

Essa intranquilidade foi bem patente no guarda-redes, mas também em Anderson e Luisão (sem a confiança que habitualmente denota); ao mesmo tempo que Laurent Robert, pela sua falta de dinâmica ou mesmo lentidão, dificultava a tarefa de controlo a meio-campo.

Mas, passado o período inicial de adaptação ao adversário – em que, depois de “oferecer” 3 oportunidades de golo, acabou por beneficiar da protecção da fortuna, que lhe permitiu manter inviolada a sua baliza – começaram a evidenciar-se três excelentes exibições: primeiro, a de Ricardo Rocha, impecável na marcação ao melhor jogador do mundo, Ronaldinho (durante 60 minutos, em que o brasileiro esteve encostado à linha lateral esquerda, foi praticamente eclipsado por Ricardo Rocha); depois, Léo, pleno de confiança, “secando” Larsson e libertando a equipa para acções mais ofensivas, permitindo aos seus colegas da defesa “respirar” um pouco; por fim, Beto (a fazer porventura uma das suas melhores exibições ao serviço do Benfica), com um muito bom controlo do “mágico” criativo do Barcelona, Deco – e, de forma talvez surpreendente, sem que os jogadores benfiquistas tivessem de recorrer a jogo faltoso.

Se, ao intervalo, o empate era claramente lisonjeiro para o Benfica, as coisas complicaram-se bastante entre os 60 e os 70 minutos, quando Ronaldinho começou, primeiro, por mudar de flanco, e, de seguida, passando a “vagabundear” no ataque do Barcelona; o Benfica sentiu-se então perdido e algo “desnorteado”, não acertando as marcações, também com Deco, Eto’o e Iniesta a girarem num estonteante “carrossel” que, só por sorte (e pela intervenção de Moretto), não se traduziu em golo(s).

Conseguindo readaptar-se novamente ao esquema do Barcelona, o Benfica pareceu, nos derradeiros 20 minutos, superiorizar-se fisicamente, começou a soltar-se (beneficiando do papel de distribuidor de jogo de Karagounis e da velocidade de Miccoli, em rápidos contra-ataques, também com o apoio de Simão)… e, com o jogo a assumir uma toada de “parada e resposta”, finalizaria a partida levando o perigo junto da baliza catalã, podendo ter chegado por 2 ou 3 vezes ao golo, nomeadamente com uma (dupla) perdida difícil de explicar e, com uma grande penalidade que ficou por assinalar.

Em resumo, acabou por ser um excitante espectáculo de futebol, em que os adeptos do Benfica sofreram bastante; em que, tendo a consciência do grau de favoritismo do Barcelona, subsiste a esperança de um bom comportamento da equipa no jogo da 2ª mão.

Na outra partida dos 1/4 final hoje disputada, o Arsenal, vencendo a Juventus por 2-0, adquiriu uma importante vantagem na disputa do acesso às 1/2 finais.


Benfica – Moretto; Ricardo Rocha, Luisão, Anderson, Léo; Laurent Robert (46′ – Miccoli), Petit, Manuel Fernandes, Beto, Simão; Geovanni (68′ – Karagounis)

Barcelona – Víctor Valdés; Juliano Belletti, Thiago Motta, Oleguer Presas, Giovanni van Bronckhorst; Henrik Larsson (76′ – Ludovic Giuly), Deco (76′ – Gabri García), Mark van Bommel, Ronaldinho; Andrés Iniesta, Samuel Eto’o

28 Março, 2006 at 11:05 pm Deixe um comentário

BENFICA – BARCELONA – "BENFICA AO ATAQUE"

28 Março, 2006 at 11:04 pm 2 comentários

Artigos Mais Antigos


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Março 2006
S T Q Q S S D
« Fev   Abr »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.