Archive for 20 Setembro, 2005

ÍCONES DO SÉCULO (LI) – 1987 – KIM BASINGER

20 Setembro, 2005 at 7:32 pm 1 comentário

RELATÓRIO "DESENVOLVIMENTO HUMANO" (IV)

No que respeita a um dos factores determinantes desta classificação – “Acesso a serviços de saúde e recursos” – destacam-se os seguintes indicadores, respectivamente, Nº de médicos por cada 100 000 habitantes; Gastos Públicos com Saúde (% PIB); Gastos Privados com Saúde (% PIB); Gastos com Saúde per capita (USD):

- Noruega:       356  /  8,0  /  1,6  /  3 409
- Islândia:      347  /  8,3  /  1,6  /  2 802
- Austrália:     249  /  6,5  /  3,0  /  2 699
- Luxemburgo:    255  /  5,3  /  0,9  /  3 066
- Canadá:        209  /  6,7  /  2,9  /  2 931
- Suécia:        305  /  7,8  /  1,4  /  2 512
- Suíça:         352  /  6,5  /  4,7  /  3 446
- Irlanda:       237  /  5,5  /  1,8  /  2 367
- Bélgica:       418  /  6,5  /  2,6  /  2 515
- EUA:           549  /  6,6  /  8,0  /  5 274
...
- Portugal:      324  /  6,6  /  2,7  /  1 702

Destaca-se o número de médicos por cada 100 000 habitantes na Bélgica, Noruega, Suíça e Islândia (“beneficiando” de se tratar de países com uma população relativamente reduzida); similarmente à classificação global, Portugal regista, neste indicador, a 26ª posição mundial), numa classificação liderada pela Itália, com um rácio de 606. Também acima do rácio da Bélgica, encontram-se: Cuba (591), EUA (549), Santa Lúcia (518), Bielorussia (450) e Grécia (440).

A nível de Gastos Públicos com Saúde, os primeiros lugares de entre os 10 países mais desenvolvidos pertencem à Islândia, Noruega e à Suécia; não obstante, a Alemanha regista um rácio de 8,6 % do PIB.

Relativamente aos Gastos Privados com Saúde, os EUA ocupam uma posição claramente destacada relativamente aos restantes países (nos primeiros 65, apenas o Uruguai, 7,1 %; Suíça, 4,7 %; Grécia, 4,5 %; Argentina, 4,4 %; Brasil, 4,3 %; e Chipre, 4,1 %; ultrapassam os 4 %). Os “recordistas mundiais” são, contudo, o Cambodja (com 9,9 % do PIB) e o Líbano, com 8,0 % (não devendo esquecer-se que se trata de uma medida da relação entre os gastos e a “riqueza” produzida pelo país).

Em termos de Gastos com Saúde per capita, os EUA lideram também de forma destacada, seguidos pela Suíça, Noruega e Luxemburgo; Portugal ocupa a 23ª posição (ultrapassando, em relação ao seu nível na tabela geral, a Espanha, Eslovénia e Singapura, não estando disponíveis dados relativos a Hong Kong).

20 Setembro, 2005 at 6:12 pm Deixe um comentário

RELATÓRIO "DESENVOLVIMENTO HUMANO" (III)

Ao longo dos anos, os países mais bem posicionados em termos de “Índice de Desenvolvimento Humano” apresentaram a seguinte tendência de evolução (nos estudos relativos, respectivamente, aos anos de 2003, conforme o estudo agora publicado; 2000; 1995; 1990; 1985; 1980; e 1975):

- Noruega:         /  3º  /    /  7º  /    /  1º  /  
- Suécia:          /  2º  /    / 10º  /    /  3º  /  
- Austrália:       /  1º  / 11º  / 14º  /    /  4º  /  
- Canadá:          /  nd  /    /  1º  /    /  8º  /  
- Holanda:      12º  /  9º  /    /  5º  /    /  5º  /  
- Bélgica:         /  4º  / 13º  / 12º  /    /  6º  /  
- Islândia:        /  6º  /    /  2º  /    /  2º  /  
- EUA:          10º  / 10º  /    /  3º  /    /  7º  /  
- Japão:        11º  / 11º  /    /  4º  /    /  9º  /  
- Irlanda:         / 16º  / 23º  / 22º  / 22º  / 12º  / 10º
- Suíça:           /  7º  /    /  6º  / 12º  / 10º  / 11º
- Luxemburgo:      / 15º  / 17º  / 18º  / 21º  / 20º  / 18º
…
- Portugal:     27º  / 27º  / 25º  / 26º  / 23º  / 23º  / 26º

A posição relativa de Portugal tem-se mantido estável, apresentado ligeiras flutuações, tendo contudo cedido algumas posições nos últimos 20 anos.

A Noruega recuperou nos três últimos anos a liderança, que já lhe havia pertencido em 1975 e 1980.

O Canadá, que fora o líder mundial entre 1985 e 1995 registou uma queda, ocupando actualmente a 5ª posição.

A Islândia tem conservado uma posição consistente no “pódio” ao longo das últimas duas décadas.

A Irlanda regista uma notável evolução nos 10 anos mais recentes; o Luxemburgo progrediu de forma muito significativa no último estudo. Inversamente, os EUA e Japão têm vindo a cair ligeiramente na tabela.

A nível global, nos últimos 15 anos, verifica-se que, em média, os países em desenvolvimento têm habitantes mais saudáveis (menos 3 milhões de óbitos de crianças, por ano), com mais instrução (menos 30 milhões de crianças sem frequentar a escola) e menos pobres (com cerca de 130 milhões de pessoas a escapar ao grau de pobreza absoluta), ao mesmo tempo que a esperança de vida aumentou em 2 anos.

20 Setembro, 2005 at 12:32 pm Deixe um comentário

BRANDENBURGER TOR

“Portas de Brandenburgo” (Berlim), anteontem, dia de eleições gerais na Alemanha. 48 horas depois – com os dois principais candidatos a reclamar o direito de formar Governo, fazendo recordar o que aconteceu na eleição presidencial dos EUA em 2000 -, começa a falar-se com alguma insistência na eventual necessidade de realização de novas eleições que permitam viabilizar uma solução governativa de estabilidade.

20 Setembro, 2005 at 8:47 am Deixe um comentário


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Setembro 2005
S T Q Q S S D
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.