Archive for 11 Agosto, 2004

JOGOS OLÍMPICOS – 2004 – ATENAS

Atenas - 2004

A Grécia foi o berço das Olimpíadas originais da antiguidade, tendo celebrado também os primeiros Jogos Olímpicos da Era Moderna, em 1896.

108 anos depois, os Jogos Olímpicos “regressam a casa”, com a realização dos Jogos da XVIII Olimpíada, depois de Atenas ter conseguido suplantar as candidaturas de Buenos Aires, Cape Town, Roma e Estocolmo.

Ao longo de 16 dias (entre 13 e 29 de Agosto – efectivamente, com o torneio de Futebol a ter início hoje), em 28 modalidades desportivas, serão disputadas 301 provas, com mais de 10 500 atletas, representando 201 Comités Olímpicos Nacionais.

Portugal participará com uma delegação de cerca de 80 atletas, a terceira maior de sempre.

E, à partida, embora seja necessário ter os “pés assentes na terra” quanto às hipóteses de medalhas, espera-se uma participação com um nível qualitativo elevado, com expectativas de boas classificações no Futebol (em teoria, apenas Itália e Argentina terão um potencial à altura da equipa portuguesa), Judo (Nuno Delgado e João Pina), Vela (Álvaro Marinho, Miguel Nunes, João Rodrigues, Gustavo Lima, Diogo Cayola e Nuno Barreto), Hipismo (Carlos Grave), Ginástica (Trampolim, por intermédio do “tomarense” Nuno Merino), Heptatlo (Naide Gomes), Tiro (João Costa) e Triatlo (Vanessa Fernandes).

No Atletismo, as “principais figuras” poderão ser (para além de Naide Gomes), Alberto Chaíça, Ana Dias e Helena Sampaio (Maratona), Rui Silva (1 500m), Susana Feitor (20 km marcha), Francis Obikwelu (100m e 200m) e Fernanda Ribeiro (10 000m).

Uma surpresa poderá vir ainda do Voleibol de praia (João Brenha e Miguel Maia, 4º classificados nas 2 anteriores Olimpíadas) e do Ciclismo (com Nuno Ribeiro, Sérgio Paulinho e Gonçalo Amorim procurando apoiar Cândido Barbosa). Boa sorte a todos!

P. S. Ao longo das últimas semanas, aqui fui apresentando breves resumos dos principais factos relativos a cada edição dos Jogos Olímpicos, principalmente com base na página http://www.olympic.org/uk/games/index_uk.asp (de onde provêm igualmente as imagens dos posters relativos a cada Olimpíada).

[1665]

11 Agosto, 2004 at 11:25 am 8 comentários

TORNEIO OLÍMPICO FUTEBOL

GRUPO A
11.08.04 – Mali – México
11.08.04 – Grécia – Coreia do Sul
14.08.04 – Grécia – Mali
14.08.04 – Coreia do Sul – México
17.08.04 – Grécia – México
17.08.04 – Coreia do Sul – Mali

GRUPO B
12.08.04 – Ghana – Itália
12.08.04 – Paraguai – Japão
15.08.04 – Japão – Itália
15.08.04 – Paraguai – Ghana
18.08.04 – Japão – Ghana
18.08.04 – Paraguai – Itália

GRUPO C
11.08.04 – Argentina – Sérvia e Montenegro
11.08.04 – Tunísia – Austrália
14.08.04 – Argentina – Tunísia
14.08.04 – Sérvia e Montenegro – Austrália
17.08.04 – Sérvia e Montenegro – Tunísia
17.08.04 – Argentina – Austrália

GRUPO D
12.08.04 – Iraque – Portugal
12.08.04 – Costa Rica – Marrocos
15.08.04 – Marrocos – Portugal
15.08.04 – Costa Rica – Iraque
18.08.04 – Marrocos – Iraque
18.08.04 – Costa Rica – Portugal

Acompanhe a evolução do Torneio Olímpico de Futebol, dia a dia, aqui!

[1664]

11 Agosto, 2004 at 11:00 am

JOGOS OLÍMPICOS – FUTEBOL

1908 – (1º) Grã-Bretanha – (2º) Dinamarca – 2-0 / (3º) Holanda – (4º)Suécia – 2-0
1912 – (1º) Grã-Bretanha – (2º) Dinamarca – 4-2 / (3º) Holanda – (4º) Finlândia – 9-0
1920 – (1º) Bélgica – (*) Checoslováquia – 2-0 / (2º) Espanha – (3º) Holanda – 3-1
1924 – (1º) Uruguai – (2º) Suíça – 3-0 / (3º) Suécia – (4º) Holanda – 1-1 e 3-1
1928 – (1º) Uruguai – (2º) Argentina – 1-1 e 2-1 / (3º) Itália – (4º) Egipto – 11-3
1936 – (1º) Itália – (2º) Áustria – 2-1 / (3º) Noruega – (4º) Polónia -3-2
1948 – (1º) Suécia – (2º) Jugoslávia – 3-1 / (3º) Dinamarca – (4º) Grã-Bretanha – 5-3
1952 – (1º) Hungria – (2º) Jugoslávia – 2-0 / (3º) Suécia – (4º) RFA – 2-0
1956 – (1º) URSS – (2º) Jugoslávia – 1-0 / (3º) Bulgária – (4º) Índia – 3-0
1960 – (1º) Jugoslávia – (2º) Dinamarca – 3-1 / (3º) Hungria – (4º) Itália – 2-1
1964 – (1º) Hungria – (2º) Checoslováquia – 2-1 / (3º) RFA – (4º) Egipto – 3-1
1968 – (1º) Hungria – (2º) Bulgária – 4-1 / (3º) Japão – (4º) México – 2-0
1972 – (1º) Polónia – (2º) Hungria – 2-1 / (3º) URSS – (3º) RDA – 2-2
1976 – (1º) RDA – (2º) Polónia – 3-1 / (3º) URSS – (4º) Brasil – 2-0
1980 – (1º) Checoslováquia – (2º) RDA – 1-0 / (3º) URSS – (4º) Jugoslávia – 2-0
1984 – (1º) França – (2º) Brasil – 2-0 / (3º) Jugoslávia – (4º) Itália – 2-1
1988 – (1º) URSS – (2º) Brasil – 2-1 / (3º) RFA – (4º) Itália – 3-0
1992 – (1º) Espanha – (2º) Polónia – 3-2 / (3º) Ghana – (4º) Austrália – 1-0
1996 – (1º) Nigéria – (2º) Argentina – 3-2 / (3º) Brasil – (4º) Portugal – 5-0
2000 – (1º) Camarões – (2º) Espanha – 2-2 (5-3 g.p.) / (3º) Chile – (4º) EUA – 2-0

(*) Checoslováquia desclassificada por abandono do campo

[1663]

11 Agosto, 2004 at 10:05 am 2 comentários

…2 DIAS – TAILÂNDIA

Desde o confuso cosmopolitismo de Banguecoque até às praias e à natureza selvagem do Sul, a Tailândia proporciona-nos também “imagens do Paraíso”, por via das suas águas cristalinas e da sua exuberante vegetação, saindo mesmo de enormes rochas / penhascos surgindo do meio do mar.

Destacam-se as praias das ilhas Phi Phi (Phi Phi Ley e Phi Phi Don), de fina areia branca, tépidas águas transparentes e muitos corais, com inúmeras palmeiras, mais um lugar de eleição para a prática do mergulho, num cenário idílico, onde Leonardo di Caprio filmou “A Praia”.

Não muito longe, a praia de Ko Khao Phing Kan, celebrizada como a ilha de James Bond, por nela ter sido rodado o filme “007 – O Homem da Pistola Dourada”.

Estas ilhas são acessíveis através de lanchas, partindo de Phuket, a “Pérola do Sul”, maior ilha da Tailândia, no mar de Andaman, no Sudoeste da Tailândia (ligada ao continente por uma ponte), com a sua exuberante paisagem tropical, com praias rochosas.

A cultura da ilha – diferente do restante país – decorre da mistura de influências chinesas e portuguesas, combinada com a cultura dos Chao Naam, população indígena que vivia no mar, sendo de destacar as construções de arquitectura sino-portuguesa.

Em Phuket, destacam-se as estâncias turísticas de Patong, Karon e Kata. No interior, podem visitar-se plantações de borracha e fazer safaris pela selva tropical. Imperdível: um passeio de Elefante!

Banguecoque (“A Cidade dos Anjos”) é a capital da Tailândia desde 1782, sendo hoje uma das cidades mais cosmopolitas da Ásia, com uma incomparável vida nocturna.

Uma cidade que proporciona também uma viagem por traços de uma cultura milenar, patente nos seus inúmeros templos e palácios, coabitando com arranha-céus de diversos estilos.

Banguecoque é uma mega-metrópole (cerca de 10 milhões de habitantes) em que, em paralelo a uma oração a Buda, se podem “ver outros prazeres” de grande exotismo, numa das mais excitantes cidades da Ásia.

Localiza-se na leste do rio Chao Phraya, sendo dividida em duas áreas distintas pela linha ferroviária que faz a ligação Norte-Sul. A antiga Banguecoque espraia-se entre o rio e a linha férrea, albergando a maioria dos templos mais antigos e o palácio original. A nova Banguecoque encontra-se a leste da linha férrea.

Visitas imperdíveis são: o Wat Phra Kaew, o Grande Palácio e os templos Wat Pho e Wat Traimit (Templo do Buda de ouro).

[1662]

11 Agosto, 2004 at 8:55 am


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Agosto 2004
S T Q Q S S D
« Jul   Set »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.