Archive for 9 Agosto, 2004

…4 DIAS – PRAGA

Uma das mais belas capitais da Europa, conhecida como “Pérola do Oriente”, Praga sobreviveu às duas Guerras Mundiais, representando hoje um renascimento cultural, conjugando a arquitectura de catedrais góticas, palácios do barroco e edifícios de arte nova, constituindo cada bairro ou até mesmo, cada rua, uma “obra de arte”.

A capital da R. Checa é atravessada pelo rio Vltava, podendo repartir-se em cinco partes, todas próximas, e visitáveis em passeios a pé: três delas na margem direita (Josefov – Bairro Judeu; Staré Mésto – “Cidade Velha”, incluindo a zona central; e Nové Mésto – “Cidade Nova”); na margem esquerda, encontram-se Malá Strana (cujas construções são anteriores ao século XIX) e Prazský Hrad a Hradcany (onde se localiza o Castelo de Praga, local onde foi fundada a cidade).

Destacam-se alguns principais motivos de interesse:

Praça Central – O centro de Praga, constituindo o ponto de partida ideal para explorar o resto da cidade. Ponto de paragem obrigatório nos inúmeros bares e restaurantes sob as arcadas.

Josefov – Um dos mais famosos bairros de Praga, o Bairro judeu, próximo da Praça Central, reunindo 6 das mais antigas Sinagogas da Europa, como a Staronová, a mais antiga da Europa (1270).

Portão de Pólvora – Um dos mais conhecidos símbolos de Praga, na “Cidade Velha”, tendo origem numa das 13 entradas da muralha que cercava a cidade.

Ponte Carlos – Ponte gótica, com 520 metros de comprimento, cuja construção foi iniciada em 1357, por Carlos IV, é um dos principais símbolos de Praga, unindo as duas margens do rio Vltava, sendo ornamentada com estátuas de diversos santos e, nas extremidades, por torres seculares.

Igreja Tyn – Um perfeito exemplo da arquitectura gótica, cuja construção se iniciou em 1461.

Castelo de Praga – Localizado no alto de uma colina, a sua construção original data do século IX, tendo sido objecto de várias remodelações. Tratava-se de uma fortificação que dominava a região, permitindo controlar as embarcações que navegavam no rio. É praticamente uma “cidade”. Foi residência oficial do Presidente da República desde 1918. Também Franz Kafka viveu algum tempo numa das casas do Castelo.

Catedral de São Vito – Integrada no conjunto do Castelo, trata-se da principal construção da cidade, de estilo gótico, iniciada em 1344, apenas concluída no século XIX. Destaca-se a grande Capela de São Venceslau (do século XIV), compreendendo mais de 1 000 pedras semi-preciosas, a par de frescos de temas bíblicos.

Palácio Real – Antiga residência dos príncipes e reis da Boémia entre os séculos XI e XVII, abrange efectivamente três palácios sobrepostos, construídos em épocas diferentes.

Basílica de São Jorge – Igreja ligada a um convento beneditino, reunindo arte gótica, barroca e renascentista.

Praça Venceslau – Não se trata efectivamente de uma verdadeira praça, mas de uma larga avenida (60 metros de largura e 750 metros de comprimento, com um jardim na faixa central), sendo hoje o “coração da cidade”, com os principais hotéis, lojas e restaurantes; famosa por ter sido o cenário de dois dos principais eventos da história recente: o final da “Primavera de Praga” e a “Revolução de Veludo”.

Praça de Kafka – Franz Kafka viveu grande parte da vida em Praga, tendo nascido junto às ruas Maislova e U Radnice, próximo da Praça Central. Numa casa reconstruída, mantendo apenas o portal original, pode ver-se uma exposição sobre o célebre escritor.

Igreja de São Nicolau – Antiga igreja jesuíta, construída em 1755, traduzindo um dos mais perfeitos exemplos do barroco em Praga.

Há 1 ano no Memória Virtual – Esperanto

[1656]

9 Agosto, 2004 at 1:58 pm

JOGOS OLÍMPICOS – 1992 – BARCELONA

Barcelona - 1992

Nesta XXV Olimpíada, seria estabelecido novo record de participantes, com 9 356 atletas, representando 169 países, disputando 257 provas, entre 25 de Julho e 9 de Agosto de 1992.

Foram os jogos da abertura ao profissionalismo, com os EUA a apresentarem, no Basquetebol, um verdadeiro “Dream Team”, com Magic Johnson, Michael Jordan, Larry Bird e Charles Barkley, entre outros. A equipa americana “arrasaria” todos os competidores – com uma média de 117 pontos por jogo, nos 8 jogos disputados –, vencendo sem dificuldade a medalha de ouro.

O ginasta soviético Vitaly Scherbo – agora já em representação da denominada “Comunidade de Estados Independentes”, na sequência do colapso político da União Soviética –, conquistaria 6 medalhas de ouro, 4 delas num único dia.

A etíope Derartu Tulu, vencendo a prova de 10 000 metros, tornou-se a primeira africana negra a sagrar-se Campeã Olímpica, comemorando o título com a vice-campeã, a sul-africana branca Elana Meyer, numa volta de honra de grande simbolismo para África e para o mundo.

Portugal, apesar de participar com a maior comitiva de sempre (89 atletas), não alcançaria qualquer resultado de realce, numa presença frustrante.

Os países / equipas que conquistaram mais medalhas foram os seguintes:
(mais…)

9 Agosto, 2004 at 8:58 am


Autor – Contacto

Destaques

Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Agosto 2004
S T Q Q S S D
« Jul   Set »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.