Archive for 7 Agosto, 2004

…6 DIAS – NOVA ZELÂNDIA

A Nova Zelândia é um país localizado na Oceania, no Sudoeste do Oceano Pacífico – nos antípodas de Portugal –, integrando duas ilhas principais – Ilha do Norte e Ilha do Sul, separadas pelo Estreito de Cook –, para além de diversas pequenas ilhas. Tem uma superfície total de cerca de 277 000 km2, equivalente à dimensão da Itália ou Grã-Bretanha, sendo que nenhum ponto do país dista mais de 180 km do mar.

Trata-se de uma nação independente, membro da Commonwealth, cujo chefe de Estado é a Rainha Isabel II.

Os primeiros colonizadores do território, os Maoris, aportaram nas ilhas cerca de 1100, espalhando-se por toda a Polinésia. Deram-lhes o nome de Aotearoa (Terra da Grande Nuvem Branca). À actual cidade de Auckland chamaram-lhe Tamaki Makau Rau (A Cidade dos Cem Amantes). Ainda hoje representam cerca de 10 % da população.

Em 1644, o navegador holandês Abel Tasman chegou às terras habitadas pelos Maori, dando-lhe o nome de Staten Landt e, posteriormente, de Nieuw Zeeland, encantando-se os europeus com a variedade das paisagens, as praias e montanhas (Alpes da Ilha do Sul, cobertos de neve). Mais de 100 anos depois, em 1769, seria o Capitão Cook a aportar a Waitemata Harbour.

Em 1839, quando o governo britânico decidiu incorporar a Nova Zelândia no Império Britânico, o capitão William Hobson designaria a nova capital como Auckland; contudo, em 1865, a capital seria transferida para Welligton. A Nova Zelândia viria a alcançar a independência em 1931.

Graças ao seu isolamento, o país teve oportunidade de preservar a sua fauna e flora, dispondo de espécies animais raras como o Kiwi – símbolo do país –, uma ave que perdeu as asas ao longo do seu processo evolutivo, dada a ausência de predadores na região.

As principais cidades são: Wellington, Auckland e Christchurch.

Wellington, a capital da Nova Zelândia, apresenta a sofisticação dos grandes centros mundiais, ao mesmo tempo que beneficia de uma bela baía, sendo rodeada por grandes montanhas. A cidade é também a capital cultural do país. A conhecer também o antigo Palácio do Governo, o maior edifício de madeira do Hemisfério Sul e a Catedral de Old St. Paul.

Auckland, a maior cidade do país, com 1,5 milhão de habitantes, localizada entre o mar da Tasmânia e o Oceano Pacífico, é conhecida como a cidade do “melhor de dois mundos”, sendo o seu “ex-libris” os veleiros (mais de 80 000, ancorados nas marinas, cobrindo o mar quando saem. É uma cidade moderna, com o maior edifício do Hemisfério Sul, a Sky Tower, com 328 metros, mas que, ao mesmo tempo, combina influências ocidentais, asiáticas e polinésias. Sendo a metrópole menos densamente povoada do mundo, foi mesmo considerada, em 2000, a 3ª cidade com maior qualidade de vida do mundo.

Christchurch é a maior cidade da Ilha do Sul, sendo conhecida como “A Cidade Jardim”, proporcionando visitas às planícies de Canterbury, assim como observação de baleias em Kairoura, um dos poucos locais do mundo onde é ainda possível fazê-lo, assim como esquiar no Tasmanc Glacier, no Mount Cook.

O Bungee Jump foi inventado na cidade de Queenstown, mas são vários os desportos “radicais” à disposição: mountain bike, jet boating, rafting, esqui, paraquedismo, balonismo…

Há 1 ano no Memória Virtual – Blogues em África

[1651]

7 Agosto, 2004 at 2:48 pm 1 comentário

JOGOS OLÍMPICOS – 1984 – LOS ANGELES

Los Angeles - 1984

No regresso dos Jogos a Los Angeles (52 anos depois), pela primeira vez (na sua XXIII edição da Era Moderna) foram realizados sem qualquer financiamento oficial do Estado, sendo patrocinados por instituições privadas, tendo a cadeia de televisão ABC pago 325 milhões de dólares pelos direitos de exclusividade.

A Cerimónia de Abertura foi um espectáculo dentro do grande espectáculo, com uma mega-produção “hollywoodesca”.

E continuou o boicote, desta vez dos países do bloco comunista, à excepção da Roménia e com a China a fazer a sua estreia.

Ainda assim, seria estabelecido um novo record de países participantes (140), reunindo um total de 6 829 atletas, disputando 221 provas, entre 28 de Julho e 12 de Agosto.

O herói desta Olimpíada seria Carl Lewis, que, com 4 medalhas de ouro (100m, 200m, estafeta 4 x 100m e salto em comprimento), repetia o feito de Jesse Owens de 48 anos antes.

O remador Pertti Karppinen venceria a prova de individual de “Sculls” pela terceira vez, enquanto que Sebastian Coe se tornava no primeiro atleta de sempre a repetir o título olímpico dos 1 500 metros.

Portugal, com uma comitiva de 39 atletas, conquistaria a sua primeira medalha de ouro da história das Olimpíadas, com Carlos Lopes a sagrar-se Campeão Olímpico da Maratona, numa histórica madrugada, percorrendo os 42,195 km da prova em 02h09m21s, ainda hoje (20 anos decorridos), record olímpico!

Na que seria a melhor participação de sempre de Portugal até hoje, também Rosa Mota e António Leitão, conquistariam medalhas, de bronze, respectivamente nas provas da Maratona feminina (a primeira da história dos Jogos, vencida pela americana Joan Benoît) e dos 5 000 metros.

Na tabela de medalhas, os primeiros países foram os seguintes:
(mais…)

7 Agosto, 2004 at 8:20 am


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Agosto 2004
S T Q Q S S D
« Jul   Set »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.