Archive for 6 Agosto, 2004

VAN GOGH (VII)

VanGogh-Self-Portrait Em 27 de Julho de 1890, Vincent sai para um passeio e dispara sobre si mesmo no tórax com uma pistola. Consegue cambalear até casa durante a noite, nada dizendo sobre o seu estado. Acaba por ser encontrado ferido no seu alojamento, sendo chamado um médico, que, contudo, não consegue remover a bala.

As últimas horas de Vincent são muito semelhantes aos dois últimos anos da sua vida, variando desde a completa angústia mental até uma aparente satisfação. Depois de tentar o suicídio, Vincent passa o pouco tempo que lhe resta sentado na cama, fumando cachimbo, sempre com Theo a seu lado. Próximo da sua morte, Theo deita-se na cama ao seu lado, amparando-lhe a cabeça nos seus braços. Vincent diz-lhe: “Eu gostaria de morrer assim.”

Génio, autodidacta, marginalizado, sujeito a acessos de loucura, com uma carreira fulgurante, concentrada apenas nos seus últimos 5 anos de vida, Vincent morreria na manhã de 29 Julho, sendo a sua urna coberta com dúzias de girassóis, que ele tanto amara. Nunca se recuperando da morte do irmão, Theo morreria em Janeiro de 1891; repousam lado a lado em Auvers.

Em 1960, foi criada a Fundação Vincent van Gogh, com o objectivo de preservar os trabalhos que pertenciam à família; em 1973, foi inaugurado o Museu de van Gogh, contendo centenas de trabalhos de Vincent, assim como um enorme arquivo contendo cartas e documentos.

Em 1990, no centenário da sua morte, o Museu van Gogh apresenta uma exposição retrospectiva com mais de 120 pinturas. Vincent van Gogh, que apenas vendera uma pintura em vida (“O Vinhedo Vermelho”), acabaria por ter a sua obra “O Retrato do Dr. Gachet” vendido em leilão por 82,5 milhões de dólares, o preço mais alto até então jamais pago por uma pintura.

[1649]

Anúncios

6 Agosto, 2004 at 6:08 pm 3 comentários

BLOGOSFERA "REAL"

É um exercício curioso tentar imaginar como são as pessoas a partir do que escrevem.

É muito bom ver que os bloggers têm um “rosto”, que irradia simpatia, simplicidade, verdade e inteligência. Obrigado Rui, Catarina, Cláudia, António, Carlos, JCD e Paulo.

[1648]

6 Agosto, 2004 at 1:45 pm 7 comentários

JOGOS OLÍMPICOS – 1980 – MOSCOVO

Moscovo - 1980

Como grande manifestação universal, a política começou a ter um campo de intervenção nos Jogos Olímpicos, assistindo-se a novo boicote, liderado pelos EUA, seguido por diversos países ocidentais, em protesto contra a ocupação soviética do Afeganistão.

Nestes Jogos, da XXII Olimpíada, reduziu-se portanto o número de atletas participantes a 5 179, representando apenas 80 países (o menor número desde 1956), disputando 203 provas, entre 19 de Julho e 3 de Agosto.

Não obstante, a União Soviética faria um grandioso investimento, estimado em cerca de 3 000 milhões de dólares, dispondo de 68 estádios, 230 pavilhões de ginástica, 23 piscinas olímpicas e ainda outros 110 campos de futebol.

Um domínio avassalador da URSS (maior número de medalhas conquistadas de sempre), com apenas um único país a “dar alguma réplica”, a RDA.
O soviético Aleksandr Dityatin, alcançando medalhas em todas as provas de ginástica, tornou-se no único atleta de sempre a conseguir 8 (!) títulos de Campeão Olímpico numa única Olimpíada.

O pugilista cubano Teófilo Stevenson tornou-se no primeiro a conquistar três medalhas de ouro em Olimpíadas sucessivas. O nadador soviético Vladimir Salnikov venceria também três medalhas de ouro, mas nesta Olimpíada, tornando-se o primeiro homem de sempre a nadar os 1 500 metros em menos de 15 minutos (viria a repetir o triunfo 8 anos depois, em Seoul).

Os Jogos ficaram também marcados pela intensa rivalidade entre os britânicos Steve Ovett e Sebastian Coe, que repartiriam entre si as vitórias nas provas de 800 m e 1 500 m – apesar de serem respectivamente recordistas mundiais das provas em que… acabaram por não vencer.

Portugal apresentaria uma das mais reduzidas comitivas de sempre, apenas com 11 atletas, sem resultados a destacar.

Os países com mais medalhas foram os seguintes:
(mais…)

6 Agosto, 2004 at 12:31 pm

…7 DIAS – NOVA IORQUE

New York - Estátua da LiberdadeA “Big Apple” daria tema para um “blogue” inteiro e não apenas para uma “entrada”…

Considerada a capital cultural da América, Nova Iorque, “The City that Never Sleeps” reúne pessoas e culturas de todos os cantos do mundo, tenda uma oferta quase infinita de atracções, de que se destaca particularmente a grande variedade de museus.

É preciso viver a cidade de New York – a sua atmosfera, o cosmopolitismo, o “glamour” e energia, os arranha-céus que quase escondem o sol – para poder senti-la e avaliar a sua mítica capacidade de encanto e atracção.

A cidade de New York localiza-se no Estado com o mesmo nome, já designado por George Washington como o “Empire State”.

Tendo por centro a ilha de Manhattan, a cidade de Nova Iorque é como que um arquipélago, formado por vários “bairros” (“districts”) que são também ilhas, como Queens, Brooklyn e Staten Island, sendo o único “district” continental o do Bronx.

New York

Manhattan (verdadeira “capital do mundo”) – não obstante os seus apenas 21 km de comprimento e 3,7 km de largura (na parte mais larga) –, com pouco mais de 1,5 milhões de habitantes, congrega as mais luxuosas lojas (na famosa 5th Avenue), assim como o centro financeiro do mundo (Wall Street).

Uma cidade com uma infinidade de pontos de paragem “obrigatórios”: Estátua da Liberdade, Central Park, Empire State Building, Ellis Island, Ponte de Brooklin, Times Square, Battery Park, Wall Street, os teatros de Broadway, o edifício das Nações Unidas … mas também, o Harlem, a Chinatown, a Little Italy, o Soho, o Metropolitan Museum of Art, o MoMA – Museu de Arte Moderna, Museu Guggenheim…

Central Park – O “pulmão” da cidade, um vasto jardim com lagos, espaços para atracções culturais e área de prática de desporto.

Empire State Building – Construído na primeira metade do século XX, com 102 andares e mais de 400 metros de altura, dispõe de observatórios a partir do 86º andar (a 320 metros), proporcionando uma magnífica vista panorâmica da cidade, já experimentada por mais de 110 milhões de visitantes, desde 1931.

Ellis Island – Abriga o museu dedicado à história da imigração e ao papel fundamental desempenhado pela ilha durante as migrações em massa, no século XIX.

Estátua da Liberdade – Inaugurada em 1886, localiza-se na Ilha da Liberdade, frente ao Porto de Nova Iorque, a estátua foi doada pela França como prova da amizade entre os dois países, constituindo-se hoje como o próprio símbolo dos EUA. As 25 janelas da coroa simbolizam as jóias da terra; os sete raios representam os sete mares e continentes. No percurso a partir de Battery Park até à ilha (e no regresso), uma sumptuosa visão do “skyline” de Manhattan. Reabriu esta semana!

Time Square – A praça mais famosa de Nova Iorque, onde se concentram cinemas, teatros e fabulosos placards luminosos.

Battery Park – Situado no extremo sul de Manhattan, apresenta como atractivo principal o Castelo Clinton, servindo como ponto de partida para a Ilha da Liberdade e para a Ellis Island.

Ponte de Brooklin – Concluída em 1883, a ponte é uma obra prima da engenharia, ligando Manhattan a Brooklin, passando sobre o East River, proporcionando também uma magnífica vista da cidade.

Museu Guggenheim– Fantástico edifício de forma cónica, em que, numa espiral ao longo de 7 andares, podem ser vistas algumas das mais importantes obras de arte dos séculos XIX e XX.

Guggenheim - New York

Metropolitan Museum of Art – Maior museu de arte da América, alberga mais de 2 milhões de obras.

MoMA – The Museum of Modern Art

Metropolitan Museum of Art - New York

Há 1 ano no Memória Virtual – Volta a Portugal em Bicicleta

[1646]

6 Agosto, 2004 at 8:58 am


Autor – Contacto

Destaques

Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Agosto 2004
S T Q Q S S D
« Jul   Set »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.