“RECORDAR É VIVER” (IV)

12 Maio, 2004 at 8:38 am 3 comentários

Mais ou menos pela mesma época, fazia furor um grego, nascido no Egipto em 1946, de nome Artemios Venturis Roussos, que viria a ser consagrado como Demis Roussos.

Ficaram famosas, sendo êxitos fenomenais, músicas como: Goodbye My Love Goodbye, Forever and Ever, We Shall Dance, entre muitas outras.

Numa altura, em que, por cá, Carlos Mendes imortalizava a “Amélia dos olhos doces“.

[1301]

Entry filed under: Tema livre.

SEM COMENTÁRIOS… “BLOGUES” DE DEPUTADOS

3 comentários

  • 1. Vi  |  12 Maio, 2004 às 6:35 pm

    Eu cá gostava mais quando o Demis Roussos era um dos Aprodite’s Childs (não sei bem se é assim que se escreve…) – menos meloso!

  • 2. Leonel Vicente  |  12 Maio, 2004 às 10:12 pm

    Reparei (ao visitar a página na net cujo link indico no texto) que, de facto, Demis Roussos tinha, antes da carreira a solo, integrado esse grupo; contudo, não tenho qualquer recordação dessa fase…

  • 3. Marco Oliveira  |  13 Maio, 2004 às 9:57 am

    Andaste a gravar o “Quando o Telefone Toca” e agora encontraste as cassetes?
    🙂
    Lembras-te pela primeira vez quando editaram um LP com os “16 super-exitos”? Lá em casa ouvimos aquilo vezes sem conta…
    🙂


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.


%d bloggers like this: