Archive for 22 Fevereiro, 2005

FUTURISMO EM PORTUGAL

Portugal tomou contacto com o Futurismo por intermédio de intelectuais portugueses que se encontravam em Paris, Mário de Sá-Carneiro e o pintor Guilherme Santa-Rita, que encararia o movimento com grande entusiasmo, vindo a assumir-se como o seu líder em Portugal, o que, contudo, se consubstanciava apenas na publicação, no 2º volume da Revista Orpheu (Julho de 1915), de quatro “trabalhos futuristas”.

Mais vincadamente, seria através dos poetas que surgiriam composições poéticas de cariz futurista, em particular, a “Ode Triunfal” e a “Ode Marítima”, de Fernando Pessoa; “Manucure”, de Mário de Sá-Carneiro e o “Manifesto Anti-Dantas”, de Almada Negreiros.

Em Abril de 1917, seria realizado um espectáculo “futurista”, desenvolvido por Almada Negreiros e Santa-Rita, em que o primeiro leria o seu “Ultimatum Futurista às Gerações Portuguesas do Século XX” – em que declarava: “Eu não pertenço a nenhuma das gerações revolucionárias. Eu pertenço a uma geração construtiva. (…) É preciso criar a pátria portuguesa do século XX. O povo completo será aquele que tiver reunido no seu máximo todas as qualidades e todos os defeitos. Coragem Portugueses, só vos faltam as qualidades”, adiantando ainda que, para cumprir este objectivo, seria necessário combater o romantismo, o saudosismo, o sentimentalismo sebastianista, o amadorismo e o derrotismo.

Seriam ainda apresentados o “Manifesto Futurista da Luxúria”, de Mme. de Saint-Point, e o texto “Music-Hall et Tuons le Clair de Lune”, de Marinetti. Esta apresentação não viria contudo a ter grande adesão.

Surgiria ainda, de seguida, a Revista “Portugal Futurista”, que seria todavia apreendida pela polícia.

O “Futurismo” teria consequentemente uma vida muito curta em Portugal, de pouco mais de 6 meses, sem prejuízo de ter deixado importantes influências particularmente em Almada Negreiros (poeta, dramaturgo, romancista, caricaturista, coreógrafo e… futurista), recorrendo nomeadamente ao “escândalo” (de que constitui melhor exemplo o “Manifesto Anti-Dantas”), o que levaria a que fosse considerado “louco”.

[2094]

22 Fevereiro, 2005 at 6:07 pm

"FREE MOJTABA AND ARASH"

“The global web blog community is being called into action to lend support to two imprisoned Iranian bloggers.” (ver mais aqui)

(Mojtaba e Arash são dois “bloggers” iranianos, que se encontram na prisão… por escreverem em “blogues”!).

(via Paulo Querido)

[2093]

22 Fevereiro, 2005 at 8:19 am


Autor – Contacto

Destaques

Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Fevereiro 2005
S T Q Q S S D
« Jan   Mar »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.