Archive for 18 Fevereiro, 2005

VOTAR É PRECISO

Como antevi na “entrada” anterior, o PS estará no limiar da maioria absoluta, que pode alcançar / “escapar-lhe” por um ou dois deputados.

Na conjuntura actual, Portugal não pode continuar a viver na instabilidade por que se têm caracterizado os últimos anos; desde 1999, os Governos cumpriram pouco mais de metade da duração dos mandatos para que foram eleitos, situação agravada com um claro erro de “casting” na sucessão de Durão Barroso.

Apesar da “campanha (pouco) alegre” a que assistimos, insuficientemente clarificadora; não obstante o desencanto generalizado dos portugueses perante a “política” e os políticos, ganha particular acuidade neste momento o tradicional slogan de que “votar é um direito, mas também um dever cívico”.

E votar no único partido que pode alcançar uma maioria absoluta, o PS; e, subsequentemente, ser exigentes e pedir responsabilidades no termo da legislatura.

Porque, caso tal não aconteça, dificilmente o país deixará de se ver envolvido, a curto prazo, em novo processo eleitoral.

O que não seria necessariamente uma situação grave, não fosse o caso de tal significar que Portugal continuaria – uma vez mais – adiado, perdendo tempo precioso no seu desenvolvimento e atrasando o processo de recuperação e convergência com o espaço europeu em que nos inserimos.

[2082]

Anúncios

18 Fevereiro, 2005 at 7:03 pm 1 comentário

PREVISÃO DE DEPUTADOS A ELEGER POR DISTRITO

                  PS     PSD     CDS     CDU     BE     TOTAL
 Aveiro            7       6       2       -       -      15
 Beja              2       -       -       1       -       3
 Braga           9,5       7     1,5       -       -      18
 Bragança          2       2       -       -       -       4
 C. Branco         3       2       -       -       -       5
 Coimbra         5,5       4     0,5       -       -      10
 Évora             2     0,5       -     0,5       -       3
 Faro            4,5       3     0,5       -       -       8
 Guarda            2       2       -       -       -       4
 Leiria            4       5       1       -       -      10
 Lisboa         22,5    13,5       4       4       4      48
 Portalegre        2       -       -       -       -       2
 Porto          19,5      12     3,5     1,5     1,5      38
 Santarém          5       3       1       1       -      10
 Setúbal         8,5       3       1       3     1,5      17
 V. Castelo        3     2,5     0,5       -       -       6
 Vila Real         2       3       -       -       -       5
 Viseu             4       4       1       -       -       9
 Açores            3       2       -       -       -       5
 Madeira           2     3,5     0,5       -       -       6
 Europa            1       1       -       -       -       2
 Fora Europa       -       2       -       -       -       2

Total 114 81 17 11 7 230

Prever resultados eleitorais no actual contexto é um exercício com bastante propensão ao erro: é imprevisível o efeito que o nível de abstenção poderá ter sobre as votações dos partidos com eleitorado “mais militante”; uma parte importante dos eleitores PSD continuarão indecisos; o grau de “voto útil” no PS do eventual eleitorado do Bloco de Esquerda, ou, inversamente, o nível de descontentes com a campanha socialista que poderão fluir para o Bloco de Esquerda, são variáveis de difícil estimativa.

Aceitando correr o risco do erro, as previsões de repartição de deputados por círculo eleitoral que acima indico baseiam-se nas tendências apresentadas por variadas sondagens, com uma ponderação sobre a minha visão nomeadamente de como decorreu a campanha eleitoral, com base nas seguintes percentagens estimadas: PS, 44,5 %; PSD, 30 %; CDS, 10 %; CDU, 7 %; BE, 5,5 %.

Há círculos eleitorais em que é manifestamente impossível apontar com razoável certeza a distribuição dos deputados por cada força política; nesses casos, optei por indicar valores intermédios.

O somatório global de deputados de cada partido é, portanto, apenas um valor indicativo; não é possível a sua extrapolação para obter a resposta à grande incógnita destas eleições: se o PS terá ou não maioria absoluta.

Assim, se o número médio indicativo de deputados a eleger pelo PS poderá ser de 114, deverá situar-se, com maior probabilidade, num intervalo entre 111 e 117 deputados. O PS deverá situar-se no limiar da maioria absoluta – a qual, como aqui escrevi há dias, poderá depender das votações do CDS, nomeadamente em Braga, Coimbra, Faro, Porto e Santarém -, podendo eventualmente ficar ainda suspensa, durante mais alguns dias, dos resultados da emigração.

De forma similar, para um número médio indicativo de 81 eleitos pelo PSD, estimo um intervalo entre 79 e 83 deputados.

Analogamente, o CDS-PP, com um número médio indicativo de 17 deputados, poderá oscilar entre 14 e 20 eleitos.

No que respeita à CDU, sendo o valor médio estimado de 11 eleitos, os deputados a eleger deverão situar-se entre 10 a 12.

Por fim, o BE, com um valor médio de 7 eleitos, poderá eleger entre 6 a 8 deputados.

[2081]

18 Fevereiro, 2005 at 5:10 pm

DEPUTADOS ELEITOS POR DISTRITO – PPD/PSD

                1975 1976 1979 1980 1983 1985 1987 1991 1995 1999 2002
Aveiro 7 6 6 6 6 6 11 9 6 6 8
Beja – – 1 1 2 1 1 1 1 – –
Braga 7 5 5 4 5 6 10 10 7 7 9
Bragança 3 2 2 2 2 2 3 3 2 2 3
C. Branco 2 2 2 2 2 3 4 3 2 2 2
Coimbra 4 4 5 5 3 4 6 6 4 4 5
Évora – – 1 1 1 1 2 2 1 1 1
Faro 1 2 3 3 2 3 5 5 3 3 4
Guarda 3 2 2 2 2 2 4 3 2 2 2
Leiria 5 4 5 5 4 5 9 7 5 5 6
Lisboa 9 10 12 12 13 15 28 25 15 14 18
Portalegre – – 1 1 1 1 1 2 1 1 1
Porto 12 11 12 12 10 12 22 21 14 13 16
Santarém 3 3 3 3 3 4 7 6 3 3 4
Setúbal 1 1 3 3 2 3 6 6 3 3 5
V. Castelo 3 3 2 3 2 3 5 4 3 2 3
Vila Real 4 4 3 4 2 3 5 4 3 3 3
Viseu 6 4 3 3 4 5 8 7 4 4 5
Açores 5 4 3 4 3 3 4 4 3 2 3
Madeira 5 4 4 4 4 4 4 4 3 3 4
Europa 1 1 1 1 1 1 1 1 1 – 1
Fora Europa – 1 1 1 1 1 2 2 2 1 2


Total 81 73 80 82 75 88 148 135 88 81 105

[2080]

18 Fevereiro, 2005 at 2:35 pm

DEPUTADOS ELEITOS POR DISTRITO – PS

                1975 1976 1979 1980 1983 1985 1987 1991 1995 1999 2002
Aveiro 5 5 5 3 6 4 4 4 6 7 5
Beja 3 2 1 1 – 1 1 1 2 2 2
Braga 5 6 5 4 7 4 5 5 8 8 8
Bragança 1 1 1 1 1 1 1 1 2 2 1
C. Branco 5 3 2 2 3 1 2 2 3 3 3
Coimbra 7 6 5 5 6 3 4 4 6 6 5
Évora 3 2 1 1 1 1 – 1 2 2 1
Faro 6 6 3 3 4 2 3 3 5 5 4
Guarda 2 2 1 1 2 2 1 1 2 2 2
Leiria 5 4 3 3 4 2 2 3 4 4 3
Lisboa 29 25 15 14 19 12 12 16 24 23 20
Portalegre 3 3 1 1 2 1 1 1 2 2 2
Porto 18 18 14 13 16 10 11 13 18 19 17
Santarém 8 6 3 3 4 2 3 3 5 5 4
Setúbal 7 7 4 4 5 3 3 5 9 8 7
V. Castelo 2 2 2 1 3 1 1 2 3 3 3
Vila Real 2 2 2 1 3 2 1 2 2 2 2
Viseu 2 3 2 2 4 2 2 2 4 4 3
Açores 1 2 2 1 2 1 1 1 2 3 2
Madeira 1 1 1 1 1 – 1 1 2 2 1
Europa – 1 1 1 1 1 1 1 1 2 1
Fora Europa 1 – – – – 1 – – – 1 –


Total 116 107 74 66 94 57 60 72 112 115 96

[2079]

18 Fevereiro, 2005 at 12:35 pm

DEPUTADOS ELEITOS POR DISTRITO – CDS-PP

                1975 1976 1979 1980 1983 1985 1987 1991 1995 1999 2002
Aveiro 2 4 3 3 2 2 – 1 2 2 2
Beja – – – – – – – – – – –
Braga 3 4 4 4 3 2 1 1 1 1 1
Bragança – 2 1 1 1 1 – – – – –
C. Branco – 2 2 2 1 – – – – – –
Coimbra – 1 1 1 1 1 – – – – –
Évora – – – – – – – – – – –
Faro – – 1 1 – – – – – – –
Guarda 1 2 2 2 1 1 – – – – –
Leiria 1 2 1 2 2 1 – – 1 1 1
Lisboa 3 8 11 11 7 4 2 2 5 4 4
Portalegre – – 1 1 – – – – – – –
Porto 3 6 6 6 5 4 1 1 3 3 3
Santarém – 2 2 3 1 1 – – 1 1 1
Setúbal – – 1 1 1 – – – 1 1 1
V. Castelo 1 2 1 2 1 1 – – – 1 –
Vila Real – 1 1 1 1 1 – – – – –
Viseu 2 4 4 4 2 2 – – 1 1 1
Açores – – – – – – – – – – –
Madeira – 1 – – – 1 – – – – –
Europa – – – – – – – – – – –
Fora Europa – 1 1 1 1 – – – – – –


Total 16 42 43 46 30 22 4 5 15 15 14

[2078]

18 Fevereiro, 2005 at 10:33 am

DEPUTADOS ELEITOS POR DISTRITO – PCP

                1975 1976 1979 1980 1983 1985 1987 1991 1995 1999 2002
Aveiro – – 1 1 1 1 – – – – –
Beja 3 4 3 3 3 3 3 2 1 1 1
Braga – – 1 1 1 1 1 – – 1 –
Bragança – – – – – – – – – – –
C. Branco – – – – – – – – – – –
Coimbra 1 1 1 1 1 1 1 – – – –
Évora 2 4 3 3 3 2 2 1 1 1 1
Faro 1 1 1 1 2 2 1 – – – –
Guarda – – – – – – – – – – –
Leiria – 1 1 1 1 1 – – – – –
Lisboa 11 14 15 12 14 11 9 5 5 5 3
Portalegre 1 1 1 1 1 1 1 – – – –
Porto 2 3 5 4 4 4 4 2 2 2 1
Santarém 2 2 3 2 3 2 1 1 1 1 1
Setúbal 7 9 9 9 7 6 6 4 3 4 3
V. Castelo – – – – – – – – – – –
Vila Real – – – – – – – – – – –
Viseu – – – – – – – – – – –
Açores – – – – – – – – – – –
Madeira – – – – – – – – – – –
Europa – – – – – – – – – – –
Fora Europa – – – – – – – – – – –


Total 30 40 44 39 41 35 29 15 13 15 10

[2077]

18 Fevereiro, 2005 at 8:34 am

PRÉMIO CORRENTES D’ESCRITA

António Franco Alexandre foi designado vencedor do “Prémio Correntes d’Escrita”, pela obra “Duende”, editada pela Assírio & Alvim.

[2076]

18 Fevereiro, 2005 at 8:18 am


Autor – Contacto

Destaques

Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Fevereiro 2005
S T Q Q S S D
« Jan   Mar »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.