Archive for 18 Outubro, 2004

ESTADOS UNIDOS – NASCIMENTO DE UMA NAÇÃO (III)

Tea Party As Leis do Açúcar e do Selo viriam contudo a ser revogadas, devido às pressões dos colonos e comerciantes ingleses, que tinham passado a ser vítima de boicote pelos norte-americanos.

Entretanto, fora aprovada, também em 1765, a “Lei de Aquartelamento”, exigindo aos colonos norte-americanos que garantissem o alojamento e suportassem os custos com a alimentação das tropas inglesas na América, mais uma medida que não seria cumprida.

Perante a resistência dos norte-americanos a estes impostos internos, a Coroa britânica decide taxar os produtos importados.

A crise entre a colónia e a metrópole é irreversivelmente despoletada com a Lei do Chá (“Tea Act”), que atribui o monopólio do comércio do chá à Companhia das Índias Orientais (dominada por políticos ingleses), em detrimento dos comerciantes norte-americanos que, até então, serviam de intermediários na aquisição e transporte do chá desde a origem até ao território americano.

Em 1773, reagindo a essa Lei, dá-se a Revolta do Chá (“Tea Party”): comerciantes disfarçados de Índios, destroem no porto de Boston 300 caixas de chá transportadas por navios ingleses, episódio que constituiria o primeiro passo para a afirmação do nacionalismo norte-americano, iniciando assim o processo que haveria de conduzir à independência dos Estados Unidos.

[1788]

18 Outubro, 2004 at 6:05 pm 1 comentário

"CRÓNICA DE UM FIM-DE-SEMANA NO PORTO… BENFICA"

Não obstante as cores plúmbeas do céu (e, finalmente, não choveu!…), o Porto é sempre uma cidade bonita, acolhedora, que nunca nos cansamos de visitar e onde há sempre novas “descobertas” a fazer.

Desde a Foz até à Ribeira, com paragem obrigatória no Majestic; um jantar num ambiente especial no Cafeína; o regresso à Ribeira, para um café à beira-rio, com as caves do vinho do Porto em mira.

Um Domingo em Serralves, com a grandiosa exposição de Paula Rego – excepcional quantidade e qualidade, com pinturas e desenhos nem sempre de fácil “leitura”, mas a apelar à inteligência de quem vê. Quadros que “contam uma história”, que é necessário procurar saber “ler”. Com uma enorme (surpreendente?) afluência, de um público “ávido” de conhecer “ao vivo” a obra de uma das maiores artistas portuguesas.

Depois, o regresso, com essa lição que “portistas” e “benfiquistas” têm de dar aos seus dirigentes, com vários automóveis, na auto-estrada em direcção ao Sul, com cachecóis mistos, numa “fraterna união” de Porto e Benfica.

Ah, sobre o jogo: um Estádio magnífico, praticamente lotado; uma assistência calorosa, de parte a parte; um grande ambiente; a festa do futebol na sua plenitude.

O FC Porto, melhor dirigido, entrou melhor em campo, conquistou o controlo do jogo e acabou por merecer a vantagem, que traduzia a sua superioridade na primeira parte. Na segunda parte, os papéis inverteram-se: o Benfica, num assomo de personalidade, empurrou o FC Porto para a sua defesa e, com alguma naturalidade, chegou ao golo. Um “empate” justo!…

Há 1 ano no Memória Virtual – E agora?

[1787]

18 Outubro, 2004 at 8:22 am 2 comentários


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Outubro 2004
S T Q Q S S D
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.