PORTUGAL – NASCIMENTO DE UMA NAÇÃO (XIII)

5 Maio, 2004 at 8:55 am

“O que existe é uma carta enviada em Dezembro desse mesmo ano por D. Afonso Henriques ao papa, na qual afirma que se constituía a ele e a todos os seus sucessores, «censual» da Igreja de Roma e se declarava a si próprio «homem e cavaleiro do papa e de S. Pedro, sob a condição de a Santa Sé o defender de quaisquer outros poderes eclesiásticos ou civis».

O último acto do processo é o reconhecimento formal, por parte da Igreja de Roma, da realeza de D. Afonso Henriques. Isso só veio a acontecer muito mais tarde, em 1179, perto do fim do reinado; até então, os diplomatas de Roma evitaram habilmente chamar-lhe rei. A concessão foi arrancada por um presente de mil moedas de ouro, mas na verdade não parece que tenha tido muita influência na consolidação de uma independência que era já então facto consumado. Em Espanha já não havia «imperador». A força que momentaneamente parecera impelir para uma unidade peninsular não evitara a fragmentação, de acordo com as ideias feudais. Afonso Henriques era um dos vários reis existentes na Península e em 1179 já tinha comprovado, com um longo e sábio reinado, que era um grande monarca.”

“História concisa de Portugal”, José Hermano Saraiva

[1276]

Anúncios

Entry filed under: Semana da História.

UMA "EQUIPA"… EURO 2004 (XXVIII) – 1984


Autor – Contacto

Destaques

Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.


%d bloggers like this: