Archive for 8 Junho, 2005

PICASSO – O PERÍODO NEGRO E O CUBISMO

Picasso13-Negro-Demoiselles.jpgPeríodo Negro – 1907 – 1908 – Período que marca o fascínio pela escultura negra e ibérica, com formas ousadas e expressivas, dando início ao cubismo.

Picasso14-Cubismo.jpgCubismo – Esta arte abstracta, também desenvolvida por Braque, inicia-se em 1907 com a pintura de “Les Demoiselles d’Avignon”, obra que anuncia o nascimento do Modernismo, sendo notórias as influências de Cézanne e das esculturas africanas (o quadro inspira-se nas “Baigneuses” de Cézanne, sobre as quais Picasso enxertou cabeças distorcidas de diferentes máscaras), com formas quase monstruosas, com as extremidades sobredimensionadas, constituindo o prenúncio do espaço fragmentado do Cubismo. Em 1920, Picasso iniciava a sua fase Surrealista.


Com o final destas breves notas sobre a vida e obra de Pablo Picasso, termina a (re)publicação de “entradas” inicialmente editadas no DA VINCI, entre Novembro de 2003 e Junho de 2004, aqui agregadas na categoria com a mesma designação (Da Vinci), compreendendo sucessivamente textos relativos a: Leonardo da Vinci; Albert Einstein; Vincent Willem van Gogh; Ludwig van Beethoven; Vasco da Gama; George Washington; Luís Vaz de Camões; Wolfgang Amadeus Mozart; Fernando Pessoa; Cristóvão Colombo; Almada Negreiros; Pedro Álvares Cabral; Simón Bolívar; e, por fim, Pablo Picasso.

O “DA VINCI” entra agora num período de pausa, esperando que possa vir a ser posteriormente retomado com novas vidas e obras de grandes figuras da história, quando para tal haja disponibilidade de tempo…

8 Junho, 2005 at 6:15 pm

MÚSICA NOS 80’S (IV)

Em 1984, surge em força Prince (When Doves Cry), a par da eterna Tina Turner (What’s Love Got To Do With It) e, com Paul McCartney a formar nova dupla de sensação, agora com Michael Jackson (Say, Say, Say). Foi também o ano de Against All Odds de Phil Collins e de Karma Chameleon dos Culture Club… e, de Forever Young (que pode ouvir aqui), dos Alphaville.

Purple Rain, de Prince, é o álbum do ano, seguido pela banda sonora de Footloose e Born In The USA, de Bruce Springsteen.

E, em 1985, irrompe o “furacão” Wham, com Careless Whisper a liderar o top de vendas do ano, secundado pela mediática Madonna (Like a Virgin) e por Wake Me Up Before You Go-Go, também dos Wham. Houve ainda tempo para grande destaque dos Foreigner (I Want To Know What Love Is – que pode também ouvir aqui) e dos históricos Dire Straits, com Money for Nothing.

Nos álbuns, destacou-se a banda sonora de Miami Vice, mas também os Brothers in Arms dos Dire Straits, Phil Collins (com No Jacket Required) e Tears for Fears (Songs from the Big Chair).

[2360]

8 Junho, 2005 at 12:35 pm


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Junho 2005
S T Q Q S S D
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.