Archive for 3 Agosto, 2003

CALAMIDADE

Este é um assunto sério.

A calamidade parece não ter um fim à vista.

“O país está a arder”.

É aterrador.

Os bombeiros estão esgotados e não têm meios.

Será que ninguém pode fazer nada para evitar que isto continue?

[125]

3 Agosto, 2003 at 8:18 pm 1 comentário

“LÉXICO BLOG”

O tema tem sido já discutido neste “fórum”, em particular no que respeita à tradução de “Post” (tendo sido sugeridas nomeadamente as seguintes equivalências: “Poste”, “Posta” – sendo inequívoca a minha preferência por “Entrada” ou “Artigo”).

Aqui deixo também uma pequena “contribuição” para a constituição de um “Dicionário” dos “blogues”:

Arquivo” – Agrupamento, geralmente por ordem cronológica, de todas as “entradas” e “artigos” de um “blogue”. São geralmente acessíveis a partir da página principal. Podem ser também organizados com base em índices temáticos.

Artigo” – Texto publicado num “blogue”, tendo por característica ser mais longo que “Entrada” e reflectindo, de alguma forma, uma linha editorial ou opinião do autor.

Blogar” – Acção de editar um texto num “blogue”. Por extensão, acção de ler “blogues”. Em inglês, “blogging”.

Blogável” – Tema ou assunto que é susceptível de ser tratado num “Artigo” ou “Entrada” de um “blogue”.

Blogofobia” – “Aversão” ou reticência aos “blogues”.

Blogolista” – Relação de “links” para outros “blogues”. Em inglês, “blogroll”.

Blogosfera” – Conjunto de todos os “blogues”; os “blogues” enquanto “comunidade”.

Blogue” – Adaptação do inglês “blog” (contracção de “weblog”): forma de escrita “online”, caracterizada geralmente por um formato de coluna única, compreendendo um conjunto de textos / fotos, ordenados cronologicamente (geralmente por ordem cronológica inversa), frequentemente actualizada, normalmente com uma coluna lateral (de “links” ou outros destaques). Caracteriza-se pela “liberdade editorial” do autor “(bloguista”).

Bloguista” – Pessoa que publica um “blogue”. Por extensão, pessoa que visita “blogues”.

Categoria” – Forma de agrupamento de “artigos” ou “entradas”, com base no respectivo tema. Em inglês, “category”.

Comentário” – Funcionalidade disponível em alguns “blogues”, possibilitando ao leitor emitir uma opinião, apresentar uma sugestão ou responder a uma questão.

Contador” – Ferramenta que permite obter informações sobre o número de visitantes e páginas visitadas.

Datador” – Texto incluído na maior parte das “entradas” ou “artigos”, com referência à data e hora de edição.

Diarista” – Autor de um “diário” de carácter pessoal.

Entrada” – Texto publicado num “blogue”, tendo por característica ser mais curto que um “artigo”. Em inglês, “post” ou “entry”.

Fotoblogue” – “Blogue” cujas “entradas” são compostas essencialmente por fotografias.

Geolocalização” – Estudo “demográfico” da “localização dos “blogues”.

Hiperligação” – Ligação hipertexto (“link”).

Ligação cruzada” – Ligação hipertexto a outro “blogue” que faça também referência ao mesmo “blogue”.

Metablogue” – “Blogue” cuja temática é a actualidade da “blogosfera” e o estudo do fenómeno dos “blogues”.

[124]

3 Agosto, 2003 at 8:16 pm

TIMOR-LESTE

A primeira nação do século XXI atravessa naturais dificuldades, associadas ao início de uma longa .caminhada., no sentido da criação das infra-estruturas mínimas.

O Prémio Nobel e Ministro dos Negócios Estrangeiros, Ramos Horta, faz o diagnóstico da situação, apontando os pontos positivos e os aspectos a melhorar no desenvolvimento do seu país.

Do lado dos pontos positivos, destaque para a melhoria dos indicadores de saúde, a fixação das fronteiras marítimas e o avanço do processo de preparação da exploração de petróleo.

Nos aspectos a melhorar, salienta-se a ineficácia do sistema judicial (uma prioridade), para além da falta de um quadro legal relativamente ao investimento estrangeiro e às sociedades, do Código Comercial e lacunas a nível das leis laborais.

Para conhecer melhor a situação actual deste país, remeto para um bom .blogue., mantido por Paulo Gorjão.

[123]

3 Agosto, 2003 at 10:32 am

TEXTOS PRÉ-BLOGUES / “DN JOVEM” (II)

Outro texto seleccionado para publicação, o qual, contudo, por circunstancial “falta de espaço” acabou por ficar na “gaveta”… Até hoje! (Como não existe o conceito de “falta de espaço” na Internet, este texto velhinho de quase 15 anos, pode ser hoje divulgado ao mundo; obviamente, a título de curiosidade “histórica” pessoal).

Acabo de ler o DN Jovem e estou triste. Uma descarga de matéria poluente no Rio Nabão provocou a morte, na cidade, de Tomar, de inúmeros peixes, causando graves danos à fauna e flora do curso fluvial.

Assomam-me ao espírito, os casos da Ria Formosa ou do Alviela e continuo triste. A mesma tristeza que sinto ao olhar o Tejo, em Lisboa. Quem se recordará dos golfinhos do Tejo, hoje em dia? Infelizmente, os jovens não tiveram o prazer de os observar. Por culpa do Homem.

Por associação de ideias, lembro-me de Chernobyl e interrogo-me se os homens estarão conscientes do que está a acontecer.

É urgente reflectir e passar à acção. Cabe aos agentes económicos, a todos nós, a prevenção destes casos e a criação de condições que evitem a sua repetição.

Em primeiro lugar, o Estado, por via da sua faceta legislativa, é responsável pelo acautelar dos interesses do ambiente, devendo sensibilizar os indivíduos para estas questões e contribuir para a resolução dos problemas.

Contudo, o papel das empresas não pode ser o de remeter para o Estado, a criação de infra-estruturas despoluentes. São elas que têm de procurar novas formas de produzir, preservando a natureza, recorrendo a energias alternativas, como a energia solar, por exemplo. Por sua vez, os resíduos da produção deveriam se encaminhados, não para os nossos rios, mas para centrais de tratamento de detritos.

Um indicador positivo é o facto de, a nível empresarial, se começar a conceder relevo à defesa do ambiente, pelo menos em termos de promoção, em que, a par do realce da qualidade do produto, se destaca as suas características não poluentes, o que constitui uma nova fase, conhecida por “societal marketing concept”, ou seja o marketing que visa corresponder à responsabilidade para com o meio social em que a empresa se insere.

Também as famílias, no seu dia-a-dia, têm um papel importante na defesa do ambiente em que vivem. Até porque o reciclar de produtos já sem utilidade, terá dupla finalidade; além de preservar a vida na Terra, poderá trazer contrapartidas económicas (recordem-se as campanhas de recuperação do vidro e do papel).

Acima de tudo, é imperioso que se abandone a ideia de transferir as soluções dos problemas de hoje para amanhã, adiando-as “sine die”, indefinidamente.

Mais importante que pedirmos socorro, teremos de socorrer-nos a nós próprios. E, por vezes, seria tão fácil…

A esta distância, não me parece que esteja muito desactualizado…

P.S. Como bem lembra o Rui Branco, também “passaram” pelo “DN Jovem” (entre muitos outros, e para além do próprio), José Mário SilvaPedro LombaTiago Rodrigues.

[122]

3 Agosto, 2003 at 10:31 am

1902 – REFLEXO CONDICIONADO

“O fisiologista russo Pavlov apresenta em Madrid, durante o Congresso Médico Internacional, a noção de reflexo condicionado.”

[121]

3 Agosto, 2003 at 10:23 am


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Agosto 2003
S T Q Q S S D
« Jul   Set »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.