Archive for 13 Novembro, 2022

O Pulsar do Campeonato – 8ª Jornada

(“O Templário”, 10.11.2022)

O campeonato está ainda no seu terço inicial, mas os candidatos perfilam-se já nos lugares de topo: com o Samora Correia como líder algo inesperado, os quatro primeiros estão agora, após a disputa da 8.ª jornada, separados – cada um entre si, em “escadinha” –, por um ponto, projectando-se o Fazendense, o U. Tomar e o Amiense como principais aspirantes ao título.

Mais abaixo, At. Ouriense (5.º) e Alcanenense distam, respectivamente, seis e sete pontos do guia, sendo que Ferreira do Zêzere (dez pontos) e Mação e Abrantes e Benfica (a onze pontos) registam já atrasos bem consideráveis. Claro que – num cenário hipotético em que ganhassem (todos ou quase todos) os 22 jogos que faltam – teriam ainda possibilidades de vir a arrebatar o 1.º lugar.

Destaques – O primeiro destaque vai para o Samora Correia-Mação, que constituiu sério teste ao comandante, do qual se saiu a contento, tendo o conjunto samorense triunfado por tangencial 1-0, com o golo da vitória a surgir já na parte final da partida, mantendo a condição de líder isolado, ampliando para seis uma já excelente série de êxitos consecutivos.

De entre os emblemas do pelotão da frente, também o Fazendense e o U. Tomar saíram vencedores – igualmente pela margem mínima, mercê de solitário(s) tento(s) –, reforçando, pois, as respectivas posições, aproveitando, em paralelo, os deslizes de Amiense e At. Ouriense.

No caso da turma das Fazendas, em deslocação ao terreno do agora “lanterna vermelha”, Benavente, o triunfo materializou-se por via da conversão de uma grande penalidade, a findar o primeiro tempo.

Ao invés, o U. Tomar colocou-se em vantagem bem cedo – estavam completados apenas os dez minutos iniciais –, traduzindo a maior iniciativa e assunção das rédeas do jogo logo desde o seu começo. Mas, frente a um adversário constituído por jogadores jovens e muito aguerridos, teria de sofrer bastante, em especial durante largo período da segunda parte, para manter essa posição de superioridade no marcador.

Muito solidário, com espírito de sacrifício, só no derradeiro quarto de hora o grupo unionista conseguiria, de alguma forma, voltar à “mó de cima”, assegurando que os preciosos três pontos não lhe escapariam, conseguindo, assim, voltar às vitórias em terreno alheio – depois do triunfo em Torres Novas, logo na 2.ª ronda –, superando assim uma fase negativa, com dois resultados desfavoráveis, em Samora e em Alcanena.

Surpresas – A principal surpresa registou-se em Amiais de Baixo, onde a turma local não conseguiu levar de vencida a equipa do Entroncamento AC (penúltimo da pauta classificativa), cedendo um empate a uma bola, em função do que perdeu a 3.ª posição, a favor dos tomarenses. O Amiense ainda chegou a estar em vantagem, mas deixou-se empatar aos 40 minutos, não tendo conseguido, daí até final, alterar o marcador.

Inesperado foi também o desfecho do Torres Novas-Ferreira do Zêzere, com os torrejanos a imporem-se por 3-1, passando os ferreirenses a contar mais desaires (quatro) do que triunfos (três) – tendo somado três derrotas nas três últimas rondas.

Surpreendendo o seu opositor, a formação da casa chegou a vantagem de dois golos à passagem da meia hora, tendo ainda os forasteiros reduzido para 1-2, pouco antes do intervalo. Porém, após o terceiro tento dos homens da casa, logo no reinício, a contenda ficou decidida.

Terá havido ainda surpresa em Águias de Alpiarça, onde uma equipa em crise de confiança foi batida (1-2) pelo Salvaterrense, que vinha de uma sucessão de quatro desaires; agora, são os alpiarcenses – igualados na tabela por Mação e Abrantes e Benfica, entre o 9.º e o 11.º posto – que registam idêntica série negativa em curso.

Confirmações – Mais expectáveis eram os desfechos dos restantes dois encontros, com o Alcanenense a ganhar ao At. Ouriense, pese embora não se previsse um “placard” tão desnivelado (4-1), enquanto Cartaxo e Abrantes e Benfica, empatando a um, repartiam os pontos, um resultado que não terá agradado plenamente a nenhum dos intervenientes, em termos classificativos.

II Divisão Distrital – Na série A realçam-se duas goleadas: do Forense, impondo-se por categórico 6-1, em terreno alheio, ao U. Almeirim; e do Moçarriense, também em reduto adverso, ganhando por 5-2 ao Espinheirense – com os vencedores a comandar a classificação, com curta vantagem de um ponto para a turma dos Foros de Salvaterra.

Estes dois resultados ainda mais contribuem para avolumar a estranheza pelo desfecho da partida de acerto de calendário, no feriado de 1 de Novembro, em que o U. Almeirim (penúltimo classificado) tinha ido golear à Moçarria por absolutamente imprevista marca de 5-0!

Na série B desfez-se o par de líderes, com o Riachense a isolar-se na 1.ª posição, fruto de triunfo tangencial (1-0) na recepção ao Alferrarede, beneficiando, por outro lado, da igualdade (1-1) cedida pelo Pego em Abrantes, ante a equipa de “sub-23” do clube local.

Aproveitou também o Caxarias, vencedor por 2-1 frente à U. Atalaiense, para se isolar no 3.º posto, agora um único ponto abaixo dos pegachos.

Campeonato de Portugal – Três clubes, três resultados distintos: vitória do Coruchense, por escasso 1-0, frente ao último classificado, Arronches e Benfica (que conta por derrotas todos os seis jogos até agora disputados); empate (1-1) do U. Santarém em Loures; e derrota (0-2) do Rio Maior na Sertã, perante o Sertanense.

O U. Santarém subiu ao 8.º posto, último acima da “linha de água”, com o Coruchense em 10.º, e o Rio Maior (13.º e penúltimo), sete pontos abaixo de tal linha, que começa já a parecer distante.

Antevisão – Na 9.ª jornada do escalão principal destacam-se os desafios: U. Tomar-Amiense, entre duas das mais fortes equipas; Abrantes e Benfica-Samora Correia, com o guia a ser, outra vez, colocado à prova; e Salvaterrense-Alcanenense. O Fazendense deverá, em condições normais, superiorizar-se na recepção ao Fátima, ficando à espreita de “escorregadelas” dos rivais.

Na II Divisão, com o Moçarriense a folgar, o realce vai para o Forense-Espinheirense e, necessariamente, para o “derby” Marinhais-Glória do Ribatejo. Mais a Norte, destacam-se os seguintes prélios: Pego-Ortiga e Goleganense-Riachense.

No Campeonato de Portugal o Coruchense volta a jogar em casa, com o Pêro Pinheiro (actual 7.º classificado), cabendo ao Rio Maior receber o União da Serra (9.º); por seu lado, o U. Santarém, também visitado, defronta o Alcains (que soma apenas três pontos, obtidos ante os riomaiorenses).

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 10 de Novembro de 2022)

13 Novembro, 2022 at 11:00 am Deixe um comentário


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Novembro 2022
S T Q Q S S D
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.