Archive for 6 Novembro, 2022

O Pulsar do Campeonato – 7ª Jornada

(“O Templário”, 03.11.2022)

Pela primeira vez neste campeonato, à 7.ª jornada, os cinco primeiros da tabela venceram, abrindo uma vantagem (quatro pontos) face ao(s) mais imediato(s) perseguidor(es) (Alcanenense e Ferreira do Zêzere), já superior à diferença (três pontos) que separa agora o 1.º do 5.º classificado.

O líder, Samora Correia, somou quinta vitória consecutiva (após dois empates a abrir a época), consolidando o seu estatuto; sendo que a segunda melhor sequência em curso é a do Mação (terceiro triunfo, depois de ter começado por sofrer quatro desaires sucessivos – subindo já ao 8.º lugar). Ao invés, o Ferreira do Zêzere perdeu pela segunda semana, tendo o Águias de Alpiarça somado terceira derrota, enquanto o Salvaterrense foi batido em todos os quatro últimos desafios.

Outras curiosidades são, em especial, a dos ataques menos concretizadores (Ferreira do Zêzere, Abrantes e Benfica e Benavente, apenas com 7 golos cada), face aos 17 tentos já apontados pelo Mação (Fazendense e At. Ouriense seguem com 16; Amiense e U. Tomar, com 15). O Samora mantém a defesa menos batida (só 4 golos consentidos), em contraponto aos 23 do Torres Novas.

Não obstante o campeonato se apresente pautado pelo equilíbrio, tem sido, até agora, uma prova com poucas igualdades (apenas 9, no total de 56 partidas já disputadas); U. Tomar, Mação e Águias de Alpiarça ainda não empataram, sendo de dois o máximo de empates por clube (5 casos).

Destaques – O principal realce da jornada vai para o triunfo (1-0) do Amiense em Ferreira do Zêzere, a conformar as suas credenciais de sólido candidato aos lugares de topo. Ao contrário, os ferreirenses, nesta fase aquém das expectativas, tardam em encarrilar, até agora com igual número (três) de vitórias e derrotas, apresentando mesmo diferença global de golos negativa (7-8).

O Samora Correia deu boa sequência à notável campanha que vem realizando, aproveitando também um ciclo de maus resultados do Salvaterrense, tendo vencido em Salvaterra de Magos, igualmente por tangencial 1-0.

Depois de duplo 3-1 no embate entre Entroncamento AC e Fátima, na cidade ferroviária, na última temporada (então, em encontros do escalão secundário), o “placard” repetiu-se, mas, desta feita, a favor dos fatimenses, que obtiveram apenas o segundo triunfo no campeonato, repartindo agora a 11.ª a 13.ª posições com o Salvaterrense e Cartaxo, com atraso de dez pontos face ao guia.

Surpresa – A surpresa chegou, desta vez, de Abrantes, onde o emblema local se deixou surpreender pelo ainda “lanterna vermelha”, Torres Novas: depois de os torrejanos terem começado por inaugurar o marcador, os abrantinos conseguiriam operar a reviravolta, para virem a consentir, já em cima do minuto 90, o tento da igualdade (2-2). O Abrantes e Benfica é, por ora, 10.º classificado, um único ponto acima do trio antes referido.

Confirmações – Os desfechos dos outros quatro prélios enquadram-se dentro das expectativas.

Começando pelo At. Ouriense-Águias Alpiarça, o conjunto de Ourém confirmou o bom campeonato que está a realizar (mantém o 5.º posto – beneficiando também de ter disputado já cinco jogos em casa e apenas dois em terreno alheio), ganhando por 2-0 ao Águias de Alpiarça, num confronto que terá sido mais equilibrado do que o que o marcador final poderá indiciar, tendo o golo da confirmação da vitória surgido já na sua fase derradeira.

Também o Fazendense, um dos concorrentes de maior potencial, mantém forte cadência, impondo-se ao Alcanenense (que vinha de um inesperado triunfo sobre o U. Tomar), igualmente por 2-0, continuando a pressionar a liderança.

O Mação recebeu e bateu o Cartaxo por 3-1, prosseguindo a sua recuperação na pauta classificativa, agora somente um ponto atrás do Alcanenense e Ferreira do Zêzere.

Por fim, o U. Tomar cumpriu, ganhando, não sem dificuldade, por tangencial 2-1, frente ao Benavente (repetindo o resultado da época anterior). O grupo unionista é já o único a manter-se 100% vitorioso em casa (em quatro partidas realizadas), tendo ampliado para 10 o número de triunfos consecutivos em Tomar, tendo vencido todos os desafios ali disputados desde o mês de Março, com um fantástico “score” agregado de 37-7 em golos marcados e sofridos.

Num encontro em que o guardião adversário esteve em particular evidência, com, pelo menos, três defesas de muito elevado grau de dificuldade, a negar o que poderiam ter sido outros tantos golos, os tomarenses traduziram o seu maior domínio com um primeiro tento, obtido apenas aos 35 minutos. Porém, tal como tinha sucedido na semana anterior, consentiram um golo ao rival mesmo a findar a primeira parte, tendo de porfiar, até repor a vantagem a meio do segundo tempo.

Daí até final o U. Tomar manteve a supremacia, mas o resultado não sofreria alteração.

II Divisão Distrital – De forma diversa do que se tem constatado na divisão principal, o escalão secundário vai dando mostras de algum desequilíbrio de forças entre os vários concorrentes, assinalando-se, em especial, três goleadas (num total de nove jogos realizados) na 4.ª ronda: o Forense bateu o At. Pernes por pesada marca de 9-1, enquanto o Tramagal goleou, por 7-1, o Vilarense, tendo a U. Atalaiense derrotado o Alferrarede por 5-1.

A nota mais relevante vai, não obstante, para o empate (2-2) no duelo de líderes (Pego-Riachense), únicos emblemas que, até então, contavam por vitórias os jogos disputados. Subsistem no comando, agora com a U. Atalaiense (com um jogo a menos) e o Caxarias somente a três pontos.

A Sul, o adiamento do Moçarriense-U. Almeirim para o dia 1 de Novembro foi aproveitado pelo Forense, para se isolar na liderança, com 8 pontos, um a mais que Moçarriense e Espinheirense.

Campeonato de Portugal – Não são animadores os indícios que os clubes do Distrito vêm denotando nesta fase inicial da época, após a disputa das cinco primeiras jornadas: em 15 jogos contam só três triunfos, ocupando os três posições abaixo da “linha de água”, com o Coruchense (com quatro pontos) já a quatro pontos dessa linha… e o Rio Maior, penúltimo, a seis.

Ainda assim, o U. Santarém obteve resultado positivo, ganhando por 2-1 ao então vice-líder, Pêro Pinheiro, sendo 9.º classificado, em igualdade pontual com Sertanense (7.º) e Marinhense (8.º).

Pior estiveram Coruchense (derrotado pelo Sintrense, por 2-0), e, sobretudo, o Rio Maior, que não só não conseguiu ainda estrear-se a ganhar, como foi inclusivamente desfeiteado (0-2), em casa, pelo Alcains, equipa que somou os seus primeiros pontos no campeonato.

Antevisão – Na 8.ª ronda da I Divisão destacam-se os seguintes desafios: Samora Correia-Mação, Benavente-Fazendense e Fátima-U. Tomar; o Amiense é claro favorito, ante o Entroncamento.

Na II Divisão as atenções estarão focadas no Espinheirense-Moçarriense e Riachense-Tramagal.

No Campeonato de Portugal o Coruchense recebe o último classificado, Arronches e Benfica, ainda a zero; o U. Santarém desloca-se a Loures (antepenúltimo); e o Rio Maior visita a Sertã.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 3 de Novembro de 2022)

6 Novembro, 2022 at 11:00 am Deixe um comentário


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Novembro 2022
S T Q Q S S D
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.