Archive for Abril, 2013

O pulsar do campeonato – 4ª jornada

Templario - 11-04-2013

(“O Templário”, 11.04.2013)

Está verdadeiramente ao rubro o Campeonato da Divisão Principal, como não há memória nos anos mais recentes.

Efectivamente, se o Riachense conquistou com confortável vantagem os campeonatos de 2009 e 2010, tendo os de 2011 (vencido pelo Cartaxo) e 2012 (em que se sagrou Campeão Distrital o Alcanenense) sido disputados “a dois” (em ambos os casos com o Torres Novas a quedar-se pela ingrata segunda posição), este ano temos uma cerrada competição “a quatro”!

Quase a chegar ao final da primeira volta desta segunda e decisiva fase, e, na sequência dos desfechos da última ronda, a liderança é agora partilhada por um trio, com Riachense, Mação e At. Ouriense a disporem de um escasso ponto de vantagem sobre o Amiense. O que se traduz, neste momento, numa absoluta imprevisibilidade sobre qual equipa acabará por impor-se na recta final e conquistar o título.

Tal é o resultado do empate entre os “inseparáveis” Mação e Riachense (que não passaram do nulo no marcador) e do triunfo, pela margem mínima, com um único tento, do Amiense, na recepção ao anterior comandante isolado, At. Ouriense. No outro desafio da jornada, os tranquilos Fazendense e Benavente, em tempo de cumprimento de calendário, empataram também, a uma bola.

Ocasião para clarificar – ao invés do que, por lapso, aqui referi na passada semana – que a turma do Fazendense foi entretanto já eliminada da Taça Ribatejo, ao perder a partida das 1/2 Finais, realizada na Sexta-feira Santa, com o Amiense (a Final desta competição, a disputar no feriado de 1 de Maio, terá como oponentes precisamente os grupos de Amiais de Baixo e de Ourém).

Regressando à série de apuramento de Campeão, a atestar o seu extremo equilíbrio, o facto de, nos doze encontros já realizados terem sido marcados apenas 17 golos, assim como a inaudita situação de, com quatro jornadas disputadas, apenas uma equipa (At. Ouriense) ter já bisado a vitória, ao mesmo tempo que apenas outra formação (Amiense) mantém a invencibilidade – tendo ganho pela primeira vez, depois de empates nas três primeiras rondas.

Passando à série que mais interessará aos tomarenses, a de disputa de manutenção, confirmaram-se as expectativas que aqui havia pressagiado, com os triunfos de Pontével ante o Coruchense (mercê de um solitário golo), e do União de Tomar na Moçarria – enquanto, no outro jogo, Glória do Ribatejo e U. Abrantina empatavam a um –, contribuindo para que se comece a assistir a alguma tendência de definição das posições finais.

Com uma exibição segura, com o grupo a ganhar confiança e serenidade, o União de Tomar assumiu, desde início, a iniciativa do jogo, tendo sido sempre quem mais procurou o golo. Que, não obstante ter tardado a chegar – tendo o primeiro sido obtido já para além da hora de jogo, e, o segundo, novamente em período de compensação (como sucedera no confronto anterior, frente ao Glória do Ribatejo) – revelou uma equipa que nunca abdicou do objectivo da vitória e de lutar por tal desiderato, perante uma formação do Moçarriense a apostar no erro do adversário, em busca de partir para o contra-ataque.

Curiosamente, tendo o União atacado com bastante maior insistência, sobretudo na segunda parte, com o vento a favor, acabaria por vir a obter os seus dois tentos… em duas situações de contra-ataque rápido, com dois juniores (que, agora, jogam ao Sábado e ao Domingo!) a marcar: Michel e Romário.

Em função dos resultados apurados, o Pontével, 100% vitorioso, continua a liderar, mantendo três pontos de vantagem sobre o U. Tomar, com a U. Abrantina a seis. O Coruchense, primeira equipa que poderá estar abaixo da “linha de água”, está agora já seis pontos do União de Tomar, o que traduz da melhor forma como, em apenas duas jornadas, tudo pode mudar (de forma inversa ao que, aliás, tinha acontecido nas duas primeiras rondas com a formação de Coruche).

Por outro lado, na perspectiva de uma eventual promoção do Alcanenense ao futuro Campeonato de Seniores – e a turma de Alcanena conseguiu, neste fim-de-semana, ascender ao 3.º lugar na sua série da III Divisão, posição que lhe poderá vir a conferir tal objectivo –, caso em que apenas seriam despromovidos os dois últimos classificados, a vitória do União no terreno do Moçarriense deverá ter sido determinante, dado que coloca um já certamente intransponível fosso de dez pontos entre estas duas equipas, com o Glória do Ribatejo a manter-se na cauda da tabela classificativa, ainda um ponto abaixo em relação ao conjunto da Moçarria.

Com a próxima jornada, última da primeira volta, teremos oportunidade para mais alguns jogos de grande interesse, com destaque para o Riachense – Amiense, com o At. Ouriense a receber o Fazendense, enquanto o Mação terá difícil saída até Benavente.

Por seu lado, cumprindo o último jogo de interdição do Estádio Municipal de Tomar, o União receberá, ainda em casa emprestada, o Pontével – guia até agora absolutamente vitorioso, mas que não está ainda completamente a salvo de algum eventual imprevisto –, em que será importante continuar a somar pontos, prosseguindo na conquista da tranquilidade. Até porque, nos outros jogos da ronda, U. Abrantina e Coruchense, recebendo, respectivamente, as formações do Moçarriense e da Glória do Ribatejo, poderão, em caso de triunfo, “empurrar” desde já estas duas equipas para um cenário de despromoção praticamente irreversível.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 11 de Abril de 2013)

14 Abril, 2013 at 10:30 am Deixe um comentário

Liga dos Campeões e Liga Europa – Sorteio das 1/2 Finais

Liga dos Campeões

Bayern – Barcelona
Borussia Dortmund – Real Madrid

Liga Europa

Fenerbahce – Benfica
Basel – Chelsea

Destaque para dois empolgantes duelos hispano-germânicos na Liga dos Campeões, enquanto o Benfica tem a possibilidade de, na sua 13.ª participação em 1/2 Finais das provas europeias, alcançar a nona Final.

As partidas das 1/2 Finais serão disputadas nos dias 23 e 24 de Abril (1.ª mão da Liga dos Campeões) e 30 de Abril e 1 de Maio (2.ª mão); no caso da Liga Europa, os jogos serão realizados nos dias 25 de Abril e 2 de Maio.

12 Abril, 2013 at 9:22 pm Deixe um comentário

Liga Europa – 1/4 Final (2ª mão)

                              2ª mão       1ª mão      Total

Rubin Kazan - Chelsea           3-2          1-3         4-5
Basel - Tottenham               2-2 (4-1 gp) 2-2         4-4
Lazio - Fenerbahce              1-1          0-2         1-3
Newcastle - Benfica             1-1          1-3         2-4

Embora não evitando alguns sustos, menores no caso do Chelsea e do Fenerbahce, grandes no caso do Benfica, estas três equipas confirmaram a vantagem que transportavam da 1ª mão, às quais se junta, nas 1/2 Finais, o Basel, que depois de ter afastado já o Zenit, eliminou, no desempate da marca de grande penalidade, o favorito Tottenham,

11 Abril, 2013 at 8:59 pm Deixe um comentário

Liga Europa – 1/4 Final (2ª mão) – Newcastle – Benfica

Newcastle – Tim Krul, Danny Simpson, Mike Williamson, Mapou Yanga-Mbiwa, Massadio Haïdara (67m – Sylvain Marveaux), Moussa Sissoko, Vurnon Anita (63m – Hatem Ben Arfa), Gaël Bigirimana (45m – Shola Ameobi), Jonas Gutiérrez, Yohan Cabaye e Papiss Cissé

BenficaBenfica – Artur Moraes, André Almeida, Luisão, Ezequiel Garay, Melgarejo, Nemanja Matić, Ola John (76m – Rodrigo), Eduardo Salvio (90m – Jardel), Enzo Peréz, Nico Gaitán e Lima (72m – Óscar Cardozo)

1-0 – Papiss Cissé – 71m
1-1 – Eduardo Salvio – 90m

Cartões amarelos – Papiss Cissé (67m), Yohan Cabaye (70m), Mapou Yanga-Mbiwa (81m) e Mike Williamson (87m); Enzo Peréz (31m), Artur (31m) e André Almeida (49m)

Árbitro – Ivan Bebek (Croácia)

O treinador da equipa inglesa já tinha “avisado”: o Newcastle não se ia precipitar na busca do(s) golo(s) de que necessitava para inverter a tendência da eliminatória; esperava marcar um golo até aos 70 minutos, para, depois, até final, ir em busca do outro golo que lhe faltaria.

“Avisado” estava também o Benfica de que um golo marcado em Inglaterra lhe garantiria praticamente o apuramento.

E, neste contexto, acabou por não surpreender que fosse a equipa portuguesa a entrar mais determinada no jogo, tendo criado mesmo, na primeira parte, as melhores oportunidades de marcar (depois de uma primeira tentativa, logo aos três minutos, por Lima), numa delas com um cruzamento remate de Melgarejo, a obrigar Tim Krul a defesa de recurso; o mesmo Krul que, depois, num falha a sair da baliza, junto à parte lateral da grande área, quase comprometia a sua equipa, tendo valido Haïdara, a substituir o seu guardião sobre a linha de golo, a deter o remate de Gaitán; e, depois, aos 36 minutos, Salvio a não conseguir acertar na baliza.

Na parte final do primeiro tempo, o Benfica baixou um pouco a intensidade do jogo, o que permitiu ao Newcastle começar a procurar subir no terreno, mas sem efectivos lances de perigo para a baliza de Artur.

Na segunda parte, o Newcastle intensificou, naturalmente, a sua pressão, e, já depois de dois lances invalidados por fora-de-jogo de Cissé, a equipa inglesa chegaria mesmo ao golo, numa jogada de grande passividade na zona defensiva do Benfica… aos 71 minutos, precisamente por intermédio de Cissé!

Uma autêntica vitamina para o Newcastle, que, nos minutos imediatos, com uma alta pressão, obrigaria o Benfica a momentos de grande sufoco, e algum desnorte, com a equipa a não conseguir acertar com as marcações, com os elementos da defesa a parecerem perdidos no terreno.

Só aos 82 minutos, o Benfica conseguiria respirar um pouco, tendo beneficiado de um livre em zona perigosa, mas sem efeitos práticos, com Garay a falhar o alvo. E, novamente, aos 85 minutos, com Gaitán a obrigar Krul a mostrar concentração; e, uma outra vez, ainda Gaitán, aos 89 minutos, muito cerimonioso, a rematar à figura do guardião adversário…

Para, no lance imediato, ser Ben Arfa a rematar por alto, numa grande ocasião de decidir a favor da sua equipa a eliminatória. E, logo de seguida, num livre contra o Benfica, seria Artur a evitar o golo.

Já em período de descontos, num excelente lance de Rodrigo, a descair pelo flanco esquerdo, com um cruzamento perfeito, a que Salvio deu a melhor sequência, surgia finalmente o golo do Benfica, assim garantindo – depois de um desnecessário período de grande sofrimento – a qualificação para as 1/2 Finais.

11 Abril, 2013 at 8:59 pm Deixe um comentário

1.º dia

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

10 Abril, 2013 at 9:15 pm Deixe um comentário

Liga dos Campeões – 1/4 Final (2ª mão)

                                2ª mão      1ª mão      Total

Borussia Dortmund - Málaga        3-2         0-0         3-2
Galatasaray - Real Madrid         3-2         0-3         3-5
Barcelona - Paris St.-Germain     1-1         2-2         3-3
Juventus - Bayern München         0-2         0-2         0-4

Numa noite de “Campeões”, os favoritos acabaram por se impor, com o Borussia Dortmund a conseguir inverter o desfecho da eliminatória com os dois golos obtidos já em período de compensação, enquanto o Real Madrid – que até começara por inaugurar o marcador – ainda passou por um susto, quando o Galatasaray, no espaço de menos de dois minutos, fez o 2-1 e, quase de imediato, o 3-1, num jogo marcado também por dois gestos fora das quatro linhas: os abraços de José Mourinho e Fatih Terim e, ainda de Mourinho, ao seu antigo pupilo Didier Drogba.

Na segunda noite desta eliminatória, confirmou-se um alinhamento das 1/2 Finais com duas equipas alemãs e outras duas espanholas, com o Bayern a repetir o triunfo da 1.ª mão, superiorizando-se por categóricos 4-0 em termos globais, enquanto o Barcelona passou por um susto bem maior do que o Real Madrid, tendo atravessado um período de cerca de 20 minutos em que se viu em desvantagem no jogo e na eliminatória (entre os 50 e os 70 minutos).

10 Abril, 2013 at 8:36 pm Deixe um comentário

Entidade das Contas e Financiamentos Políticos

Tendo tomado hoje posse como Vogal Revisor Oficial de Contas da Entidade das Contas e Financiamentos Políticos – «órgão independente que funciona junto do Tribunal Constitucional e que tem como atribuição coadjuvá-lo tecnicamente na apreciação e fiscalização das contas anuais dos partidos políticos e das contas das campanhas eleitorais para todos os órgãos do poder político de base electiva» – função que pressupõe obviamente uma posição de estrita e rigorosa independência, assim como, nos termos da respectiva lei orgânica, a interdição de desenvolvimento de quaisquer «actividades político-partidárias de carácter público», cessa naturalmente a publicação, neste blogue, de qualquer comentário de índole político-partidária.

9 Abril, 2013 at 9:00 pm Deixe um comentário

O pulsar do campeonato – 3ª jornada (2ª fase) – Actualiz.

Templario - 04-04-2013

(“O Templário”, 04.04.2013)

Do fim-de-semana de Páscoa, com o calendário a ditar uma pausa nos Campeonatos Distritais, vem, não obstante, uma importantíssima vitória do União de Tomar, pese embora pela margem mínima, mercê de um golo solitário, sobre a equipa da Glória do Ribatejo, em partida em atraso da 2.ª jornada da prova.

Tal permitiu aos tomarenses saltar do 4.º para o 2.º lugar na classificação, adquirindo uma vantagem de três pontos sobre a “linha de água”, representada nesta altura pelo Coruchense, formação que terá ainda de se deslocar a Tomar – e que, em determinadas condições (dependendo do desempenho do Alcanenense no Nacional da III Divisão), poderá ser tal vantagem eventualmente de 7 pontos –, e, principalmente, conferir confiança e maior serenidade ao grupo unionista, para abordar as próximas e decisivas jornadas.

É então oportunidade para novo balanço, intermédio, sensivelmente com o primeiro terço das rondas desta fase já disputadas.

Na série de disputa do título, o At. Ouriense, apesar de ter iniciado esta fase com uma derrota, passou – mercê de dois triunfos consecutivos – a liderar, mas apenas com um escasso ponto de vantagem sobre o par formado por Riachense e Mação – que, ao longo deste campeonato, tantas jornadas têm ombreado “lado a lado”, e assim prosseguindo nesta altura, tendo ambos registado já os três resultados possíveis (vitória, empate e derrota) em outras tantas jornadas realizadas.

Não obstante distar quatro pontos do guia, o Amiense – que, para já, averbou empates em todos os encontros disputados nesta fase – não está, ainda, arredado da luta pelo 1.º lugar e correspondente promoção ao Campeonato Nacional de Seniores da próxima temporada. Por fim, Fazendense e Benavente, respectivamente a dez e a onze pontos da equipa de Ourém, mais não poderão fazer do que procurar continuar a dignificar os emblemas que ostentam, sendo que a turma de Fazendas de Almeirim está ainda fortemente interessada na reconquista da Taça do Ribatejo, prova de se sagrou vencedora no ano passado, estando já apurada para as 1/2 Finais.

Na série de manutenção, o Pontével, até agora vitorioso em todos os jogos desta fase, comanda, mas dispõe agora de apenas três pontos de vantagem sobre o União de Tomar (que já ganhou, empatou e perdeu, nos três encontros que realizou), seguindo-se a U. Abrantina (que continua gradualmente a cair na tabela, não tendo ainda conseguido vencer, tendo obtido apenas um empate), com menos um ponto.

Abaixo da tal “linha de água”, a equipa do Coruchense (que começou esta fase com duas vitórias) passou a registar um atraso de três pontos em relação ao U. Tomar, dispondo, por outro lado, de uma vantagem de quatro pontos sobre o Moçarriense – factor que poderá eventualmente vir a adquirir maior relevância, dependendo, conforme referido, do desfecho da classificação do Alcanenense na III Divisão. A equipa da Glória do Ribatejo, também ainda sem conseguir triunfar, afunda-se na cauda da classificação, já a seis pontos do Coruchense.

Por falar em III Divisão, iniciou-se no passado fim-de-semana a segunda fase da competição, e, para as cores do conjunto de Alcanena, começou com bons auspícios, vencendo o anterior comandante, Caldas (3-2), ascendendo assim o Alcanenense ao 4.º lugar e, mais importante, estando agora a um mero ponto do 3.º classificado, posição que lhe conferiria a possibilidade de promoção (apenas o pior dos terceiros classificados das seis séries do Continente não será promovido).

O que, apesar de esta fase decisiva da prova apenas agora ter tido o seu arranque, não deixa de ser boa notícia também para o União de Tomar e restantes equipas envolvidas na disputa da manutenção na Divisão Principal do Distrital: nesse cenário mais optimista, poderão vir a ser apenas duas as equipas a despromover à II Divisão Distrital. Isto porque também o Fátima garantiu já matematicamente, na jornada do passado fim-de-semana do Nacional da II Divisão, a sua “manutenção”, ou, no caso, com maior propriedade, a transição para o futuro Campeonato Nacional de Seniores.

Voltando ao Distrital, a próxima jornada (4.ª) oferece, como (quase) sempre, aliciantes desafios. Assim, na série de promoção, enquanto o líder At. Ouriense tem difícil deslocação a Amiais de Baixo, num confronto em que o Amiense não poderá desperdiçar a oportunidade de procurar encurtar distâncias, o par Riachense e Mação poderá (ou não) desfazer-se, com os maçaenses a receberem a visita da formação de Riachos. O Fazendense recebe o Benavente, em mais um jogo de “rodagem”.

Já na série de manutenção, poderá começar a haver algumas definições de posições, nomeadamente caso o Pontével consiga vencer, no seu terreno, o Coruchense, o que colocaria a equipa do concelho do Cartaxo em posição privilegiada, com a manutenção praticamente garantida. O mesmo se aplica, em certa medida, ao União de Tomar, em deslocação até à Moçarria, que, em caso de triunfo unionista, passaria a dispor de margem de segurança praticamente decisiva em relação aos dois últimos classificados, podendo também – dependendo da conjugação de resultados desta ronda – distanciar-se do Coruchense. Por fim, a Glória do Ribatejo, recebendo a U. Abrantina terá a que será possivelmente a derradeira oportunidade de tentar continuar na luta… pela manutenção.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 4 de Abril de 2013)

7 Abril, 2013 at 10:30 am Deixe um comentário

Liga Europa – 1/4 Final (1ª mão)

Chelsea - Rubin Kazan                    3-1
Tottenham - Basel                        2-2
Fenerbahce - Lazio                       2-0
Benfica - Newcastle                      3-1

A meio da eliminatória, sem que, naturalmente, nada esteja ainda decidido, Chelsea, Fenerbahce e Benfica parecem bem encaminhados para alcançar as 1/2 Finais. Em dificuldades estão o Tottenham, e, sobretudo, a Lazio.

4 Abril, 2013 at 9:00 pm Deixe um comentário

Liga Europa – 1/4 Final (1ª mão) – Benfica – Newcastle

BenficaBenfica – Artur Moraes, André Almeida, Luisão, Ezequiel Garay, Melgarejo, Nemanja Matić, Ola John, André Gomes (61m – Enzo Peréz), Nico Gaitán, Rodrigo (61m – Lima) e Óscar Cardozo (77m – Maxi Pereira)

Newcastle – Tim Krul, Danny Simpson (83m – Dan Gosling), Ryan Taylor, Mapou Yanga-Mbiwa, Davide Santon, Jonas Gutiérrez, James Perch (62m – Vurnon Anita), Moussa Sissoko, Yohan Cabaye, Sylvain Marveaux (81m – Shola Ameobi) e Papiss Cissé

0-1 – Papiss Cissé – 12m
1-1 – Rodrigo – 25m
2-1 – Lima – 65m
3-1 – Óscar Cardozo (pen.) – 71m

Cartões amarelos – Rodrigo (28m) e Enzo Peréz (73m); James Perch (20m) e Shola Ameobi (87m)

Árbitro – Antony Gautier (França)

Entrando mal no jogo, o Benfica viu-se surpreendido pela forma acutilante como a equipa inglesa assumiu a iniciativa, obrigando Artur a duas intervenções logo nos primeiros três minutos. E, depois do(s) aviso(s), aos 12 minutos, o Newcastle chegaria mesmo ao golo, que era a sequência lógica da forma determinada como encarou este jogo logo desde o seu início.

Com o Benfica algo atordoado, primeiro pela forte pressão sofrida, e, de imediato, pelo golo sofrido, demorou algum tempo até que a equipa, algo ansiosa, conseguisse começar a assentar o seu jogo.

Valeu, nessa fase inicial da partida, alguma felicidade, para – depois de uma bola no poste da baliza de Artur Moraes -, numa das primeiras investidas, chegar ao empate, com Rodrigo, muito oportuno, a aproveitar a recarga a um remate de um companheiro, de meia distância.

Depois de mais uns minutos de domínio repartido, só nos derradeiros dez minutos do primeiro tempo o Benfica conseguiria então imprimir uma toada de ataque continuado, começando a ganhar cantos atrás de cantos.

Na segunda parte, o Benfica, mais confiante nas suas capacidades, assumiu as despesas do jogo, partindo decididamente em busca da vitória.

E, uma vez mais, seria feliz, com a obtenção de dois golos num intervalo de seis minutos, primeiro numa excelente execução de Lima, pleno de oportunidade, muito concentrado, a aproveitar da melhor forma um mau atraso de um defesa do Newcastle para o seu guarda-redes, interceptado pelo avançado benfiquista; depois, num lance escusado, um claro lance de braço na bola, a cortar um cruzamento na área, originando uma grande penalidade que Cardozo teve de converter… duas vezes (à primeira, o árbitro mandaria repetir, por entrada de vários elementos na área).

Com o triunfo garantido, o Benfica optou então por resguardar-se, visando preservar a sua baliza, e evitar um eventual segundo golo, que poderia tornar o resultado muito perigoso para a 2ª mão; o que o Newcastle tentaria, com bolas em profundidade e por alto, mas já sem muita convicção.

No final de um desafio em que a vitória do Benfica – não obstante não ter conseguido controlar o jogo da forma que esperaria – não oferece contestação, situação bem expressa na contagem final de pontapés de canto (12-0!), partindo assim com uma vantagem de dois golos, a chave da eliminatória passará por um golo benfiquista em Inglaterra.

4 Abril, 2013 at 8:57 pm Deixe um comentário

Artigos Mais Antigos Artigos mais recentes


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Abril 2013
S T Q Q S S D
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.