Archive for Março, 2013

O pulsar do campeonato – 3ª jornada (2ª fase)

Templario - 28-03-2013

(“O Templário”, 28.03.2013)

Afinal, o avançar do campeonato parece fazer com que as coisas fiquem cada vez mais “embrulhadas”. Numa prova marcada por grande equilíbrio competitivo entre as equipas da frente, sem nenhuma a conseguir descolar, a definição do Campeão poderá prolongar-se até perto do final.

Na ronda do passado fim-de-semana, a terceira desta segunda fase, em que o reduzido número de golos na série de promoção (apenas quatro, em três partidas) é também reflexo de tal competitividade, a derrota do Riachense em Ourém, não obstante pela margem mínima, permitiu ao At. Ouriense assumir a liderança isolada, agora com um (ainda muito escasso) ponto de vantagem sobre o duo formado pela turma de Riachos e pelo Mação, que voltam a emparceirar, depois do triunfo dos maçaenses sobre o Fazendense (por igual marca, de um a zero).

No outro encontro da jornada, o Benavente impôs ao Amiense um empate a uma bola, assim atrasando novamente a formação de Amiais de Baixo – que tem feito toda a época em esforço, procurando “agarrar-se” aos lugares de topo –, agora a quatro pontos do novo comandante, após ter somado a terceira igualdade em outros tantos encontros disputados nesta fase. Uma desvantagem que não se poderá ainda considerar definitiva, atento tal nivelamento entre os concorrentes, dado que, curiosamente, é também a única equipa ainda invicta.

Na série de disputa da manutenção, o União de Tomar teve o “pássaro na mão” e deixou-o fugir: a ganhar por 2-0 ao intervalo, jogando contra dez, e, depois, contra apenas nove elementos da U. Abrantina, viria a conceder dois tentos que acabaram por se traduzir no empate, no final da partida, com os nabantinos a deixar assim escapar um triunfo que poderia ter sido determinante para devolver a tranquilidade à equipa.

Mas a grande surpresa da jornada veio de Coruche, com o grupo da casa a ser derrotado pelo até agora “lanterna vermelha” Moçarriense, por 1-2. Um resultado que só mais adiante será possível avaliar se terá sido ou não conveniente para o U. Tomar. Para já, provoca que, mesmo com um jogo ainda em atraso, o União voltasse a igualar o Coruchense em termos de pontos, beneficiando ainda, pelo menos em teoria, do facto de receber a sua visita em Tomar, na segunda volta.

De “vento em popa” vai o Pontével, que, vencendo por 3-2 na Glória do Ribatejo, somou o terceiro triunfo consecutivo, portanto com aproveitamento integral dos pontos. Reforçou assim a sua liderança nesta série, dispondo agora de quatro pontos de vantagem sobre a U. Abrantina e já seis face a Coruchense e União de Tomar. O que, porém, não significa que se possa considerar desde já, a salvo de qualquer imprevisto. Há ainda muito campeonato por disputar…

Também a equipa da Moçarria, com a vitória alcançada em Coruche, pode ter ganho novo alento, registando agora um atraso de quatro pontos face à “linha de água”. Ao invés, o Glória do Ribatejo, tendo caído na última posição, com seis pontos a menos que União de Tomar e Coruchense poderá ver definido, nas próximas partidas, o desfecho do campeonato para as suas cores.

Ora, tendo o calendário da prova determinado uma interrupção para o próximo fim-de-semana, de Páscoa, há contudo um jogo em atraso, a disputar na Sexta-feira Santa, com o União de Tomar a receber a visita (na Golegã…), precisamente, da turma da Glória do Ribatejo. Como se depreende, um desafio de grande importância para ambos os clubes, em que o União tem uma oportunidade de, vencendo, dar um pulo na tabela classificativa, assim como adquirir confiança para a parte restante do campeonato.

Na Divisão Secundária – à semelhança do que se verifica na série de disputa do título na Divisão Principal –, também as coisas surgem agora mais indefinidas, após a realização da 4.ª jornada. A derrota sofrida pelo líder U. Chamusca no Pego (1-2) resultou num reagrupamento dos quatro primeiros, com um trio formado pelas equipas do Pego, Empregados do Comércio e Assentiz (que empataram entre si a duas bolas) a apenas dois pontos do comandante. Nos postos da cauda da tabela, o Caxarias foi vencer a Samora Correia (2-1), com ambas as formações, para já, relativamente distantes dos lugares de promoção, respectivamente a quatro e a seis pontos.

Com os campeonatos Distritais em pausa – à excepção do tal jogo em atraso do União de Tomar – o próximo Sábado regista a retoma do Campeonato Nacional da III Divisão, que entra na sua segunda fase, com o Alcanenense a receber o líder Caldas, num encontro que poderá ser também decisivo para as eventuais aspirações do conjunto de Alcanena à promoção ao futuro Campeonato Nacional de Seniores da próxima temporada, de que arranca com um atraso de quatro pontos. De recordar que o desempenho do Alcanenense afectará directamente o número de equipas a despromover da Divisão Principal do Distrital.

Por fim, o Torres Novas, integrado no grupo dos seis últimos, não obstante partir como líder, e tendo já o seu destino traçado – regresso ao Distrital – terá nesta segunda fase apenas a motivação de lutar por um dos dois lugares que darão acesso à próxima edição da Taça de Portugal; no reinício da competição, visita o “lanterna vermelha” Mortágua.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 28 de Março de 2013)

30 Março, 2013 at 10:30 am Deixe um comentário

Azerbaijão – Portugal (Mundial-2014 – Qualif.)

Azerbaijão Azerbaijão – Kamran Agayev, Rasim Ramaldanov, Mahir Shukurov, Elvin Mammadov (69m – Pardis Fardzhad-Azad), Rauf Aliyev, Rashad Sadigov, Ruslan Abishov, Javid Huseynov, Maksim Medvedev, Vugar Nadirov (62m – Volodimir Levin) e Afran Ismailov

Portugal Portugal – Rui Patrício, João Pereira, Bruno Alves, Pepe, Fábio Coentrão, Raul Meireles (58m – Hugo Almeida), Vieirinha, João Moutinho, Danny (73m – Silvestre Varela), Miguel Veloso e Hélder Postiga (82m – Custódio)

0-1 – Bruno Alves – 63m
0-2 – Hugo Almeida – 79m

Cartões amarelos – Rashad Sadigov (38m), Mahir Shukurov (48m), Vugar Nadirov (51m) e Rauf Aliyev (51m); Pepe (33m)

Cartão vermelho – Rauf Aliyev (55m)

Árbitro – Andre Marriner (Inglaterra)

Depois do “aviso” sofrido em Israel, a selecção de Portugal entrou em campo denotando uma atitude mais empreendedora, assumindo, logo desde início, a iniciativa do jogo, e procurando imprimir à partida o ritmo que mais lhe convinha, em busca do golo.

Porém, continuando bastante perdulário, falhando na concretização, acabaria por desperdiçar, no primeiro tempo, três flagrantes ocasiões de golo, não obstante, à medida que o tempo ia decorrendo, fosse baixando a intensidade do jogo, com a equipa do Azerbaijão a procurar sair do seu meio-campo.

Receava-se que, na segunda parte, depois dos esforços desenvolvidos e das oportunidades perdidas, o jogo se pudesse complicar para a equipa portuguesa. Só que, a expulsão de Aliyev, após ter visto o cartão amarelo por duas vezes no curto espaço de quatro minutos, acabaria por vir facilitar bastante a tarefa da selecção nacional.

Tal como sucedera em Israel, seria também na sequência de um pontapé de canto, novamente com Bruno Alves a elevar-se mais alto que os defesas contrários, desviando a bola para a baliza, que Portugal inauguraria o marcador.

Encontrando-se em vantagem no marcador e em superioridade numérica, a partida estava decidida. Portugal continuava a dominar, pelo que seria com naturalidade que Hugo Almeida fixaria o marcador, com novo tento.

Sem deslumbrar, uma exibição segura da equipa portuguesa, justificando plenamente a vitória, que poderia ter atingido amplitude bem mais expressiva.

Com o triunfo de Israel na Irlanda do Norte, Portugal continua porém a ocupar a terceira posição, e, se o primeiro lugar parece inviável, a margem de erro na disputa pelo segundo posto vai-se também estreitando.

A selecção portuguesa apenas regressará à liça em Junho, para receber a visita do líder do Grupo, Rússia.

GRUPO F                Jg   V   E   D     G     Pt
1º Rússia               4   4   -   -    8- 0   12
2º Israel               6   3   2   1   15- 8   11
3º Portugal             6   3   2   1   11- 6   11
4º I. Norte             5   -   3   2    3- 7    3
5º Azerbaijão           6   -   3   3    2- 8    3
6º Luxemburgo           5   -   2   3    2-12    2

6ª jornada
26.03.13 – Azerbaijão – Portugal – 0-2
26.03.13 – I. Norte – Israel – 0-2
(mais…)

26 Março, 2013 at 6:53 pm Deixe um comentário

O pulsar do campeonato – 2ª jornada (2ª fase)

Templario-21-03-2013

(“O Templário”, 21.03.2013)

Não obstante esta fase complementar do Campeonato distrital estar ainda no seu início, com apenas duas rondas disputadas, do total de dez jornadas que a compõem – e pese embora, também, o ainda grande equilíbrio que se verifica nos primeiros lugares de cada uma das duas séries –, poderemos estar a começar a assistir a alguma definição de posições.

Nesta altura de decisões, qualquer deslize poderá vir a ter consequências eventualmente irreversíveis. Em relação à segunda jornada tal poderá ter sido de alguma forma o caso no empate cedido pelo Amiense, em casa, ante o Fazendense (2-2), assim como do desaire sofrido pelo Mação em Ourém (0-1), numa partida entre dois potenciais candidatos ao título.

Ao invés, e apesar de um triunfo tangencial, que indicia as dificuldades sofridas, o Riachense, vencendo o Benavente (2-1), aproveitou para descolar do parceiro de liderança, que, ao longo de tantas jornadas, o vinha acompanhando.

Desta forma, a turma de Riachos regista agora uma vantagem de dois pontos sobre o At. Ouriense, com o Mação a atrasar-se, passando a distar três pontos do guia, enquanto o Amiense está um ponto mais abaixo. As formações do Fazendense e Benavente continuam bastante distantes, respectivamente a nove e a onze pontos do comandante, portanto já sem maiores aspirações.

Na série em que se disputam os lugares de manutenção na I Divisão Distrital da próxima temporada, o União de Tomar teve o seu encontro adiado (para dia 29 de Março, feriado de Sexta-feira Santa), devido ao funesto acontecimento, com a fatalidade do falecimento de um dirigente do Glória do Ribatejo, parceiro que o sorteio lhe ditara para a ronda agendada para o passado fim-de-semana; naturalmente, ambos os clubes entenderam e acordaram respeitar a sua memória, assim rendendo a devida homenagem ao malogrado responsável.

O desfecho das duas outras partidas não terá sido eventualmente o mais conveniente para as cores unionistas, situação que, porém, apenas mais adiante será passível de confirmação. Efectivamente, o grupo de Pontével, em deslocação à Moçarria, vencendo (1-0), não só terá colocado ponto final nas esperanças da equipa do Moçarriense, como aproveitou para, de forma inesperada, ascender à liderança isolada da série!

Para tal beneficiou também do contributo dado pelo imprevisto triunfo do Coruchense em Abrantes (2-1). O que proporciona que, dadas as regras de disputa da competição (redução dos pontos da primeira fase a metade) – de todos os concorrentes antecipadamente conhecidas, como é óbvio – a turma de Coruche, que terminara aquela primeira fase com um atraso de dez pontos face ao União de Tomar, esteja agora (mercê de duas vitórias), à frente dos nabantinos!

O Pontével (também com dois triunfos nesta fase) passou portanto a ser o novo líder, com dois pontos de vantagem sobre a U. Abrantina (que soma duas derrotas consecutivas), com o Coruchense a três pontos. O União de Tomar, com o referido jogo em atraso, baixou à quarta posição, agora já a quatro pontos do Pontével. Mais atrasada está a equipa do Glória do Ribatejo, a cinco pontos dos tomarenses, enquanto o Moçarriese, conforme referido, se afunda na cauda da tabela classificativa, com a possibilidade de manutenção a parecer não ser mais do que uma quimera.

Na próxima jornada (terceira), prosseguem os “choques de titãs” na série de disputa do título, com o At. Ouriense (segundo classificado) a receber a visita do líder Riachense, num confronto de desfecho imprevisível. Por seu lado, o Mação, jogando em casa, tem a responsabilidade de não poder falhar, perante o tranquilo Fazendense. Finalmente, na partida que oporá Benavente e Amiense, a formação de Amiais de Baixo, com um campeonato sempre na perseguição dos primeiros, terá também mais um difícil desafio às suas capacidades e efectivas aspirações. Uma ronda que poderá (ou não) confirmar algumas tendências…

Já no que respeita à série dos últimos, na sequência do adiamento do seu jogo da ronda anterior, e perante os resultados da concorrência (em particular, Pontével e Coruchense), o União de Tomar, recebendo – ainda em “casa emprestada” – a U. Abrantina (esta também com o mau arranque já mencionado), terá igualmente uma partida de grande responsabilidade, em que pontuar (se possível vencer) se afigura como fulcral.

Até porque as duas referidas equipas da zona sul do Distrito poderão muito bem continuar na senda dos triunfos, assim colocando pressão acrescida nos adversários: no caso do Coruchense, recebendo o Moçarriense, tal será o desfecho mais previsível; em relação ao Pontével, com uma curta deslocação, até à Glória do Ribatejo, a vitória dos agora novos líderes de série não constituiria propriamente uma surpresa.

Uma última referência à Divisão Secundária, na fase de apuramento de Campeão, já com três jornadas disputadas, com a formação do U. Chamusca (100% vitoriosa), a destacar-se, já com cinco pontos de vantagem sobre o quarto classificado, portanto em boa posição para garantir a promoção à I Divisão Distrital. As equipas dos Empregados do Comércio e Assentiz seguem-se-lhe na classificação, com seis pontos, com o Pego com quatro. Por fim, Samora Correia, com apenas um ponto, e Caxarias (somando três derrotas noutras tantas partidas), parecem começar a ficar longe de tal objectivo.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 21 de Março de 2013)

24 Março, 2013 at 10:30 am Deixe um comentário

Israel – Portugal (Mundial-2014 – Qualif.)

Israel Israel – Dudu Aouate, Yuval Shpungin, Tal Ben Haim, Maor Melicsohn (73m – Lior Refaelov), Bebras Natcho, Beram Kayal, Eden Ben Basat (81m – Yossi Benayoun), Tomer Hemed (63m – Eliran Atar), Shiran Yeiny, Null Gershon e Eytan Tibi

Portugal Portugal – Rui Patrício, João Pereira, Bruno Alves (74m – Hugo Almeida), Pepe, Fábio Coentrão, Raul Meireles, Silvestre Varela (60m – Vieirinha), João Moutinho, Cristiano Ronaldo, Miguel Veloso (60m – Carlos Martins) e Hélder Postiga

0-1 – Bruno Alves – 2m
1-1 – Tomer Hemed – 24m
2-1 – Eden Ben Basat – 40m
3-1 – Null Gershon – 70m
3-2 – Hélder Postiga – 72m
3-3 – Fábio Coentrão – 90m

Cartões amarelos – Beram Kayal (28m), Tomer Hemed (44m) e Maor Melicsohn (58m); Fábio Coentrão (58m), Carlos Martins (65m) e Cristiano Ronaldo (71m)

Árbitro – Stéphanne Lannoy (França)

Em mais uma sofrível exibição, a selecção de Portugal acabaria por ser feliz, ao obter o golo da igualdade já em tempo de compensação, depois de, a 20 minutos do termo, se ter visto a perder por 1-3!

Paradoxalmente, depois de ter entrado em campo praticamente a ganhar, com um golo, logo aos dois minutos, na sequência de um canto, a equipa portuguesa em vez de fazer dessa vantagem o ponto de partida para uma exibição convincente, foi deixando cair o ritmo, concedendo oportunidades à selecção de Israel para ir avançando no terreno e, um, após outro, aproveitando falhas de concentração da formação nacional, marcar três golos!

Para além das falhas de concentração, os jogadores portugueses revelaram-se excessivamente quezilentos, reclamando em demasia com a arbitragem, ao mesmo tempo que se exibiram em ritmo lento, extremamente denunciado, muito cerimoniosos no remate, contrariamente aos israelitas, que revelaram grande eficácia.

Valeu a Portugal o ter reduzido para 2-3, logo após o terceiro tento de Israel, para, nos derradeiros 20 minutos, mais com o coração que com a cabeça, num assomo final de dignidade, ir à procura do tento da igualdade, obtido “in-extremis”, no terceiro minuto dos quatro de tempo de compensação, com Hugo Almeida a antecipar-se, de cabeça, ao guarda-redes, e Fábio Coentrão, oportuno, a conseguir desviar para a baliza.

Um empate que, pelo menos, minimiza os efeitos negativos do desempenho português, continuando tudo em aberto na disputa do 2º lugar e possível apuramento para o “play-off”… ao mesmo tempo que o 1º lugar do Grupo passou a ser pouco mais do que uma quimera.

GRUPO F                Jg   V   E   D     G     Pt
1º Rússia               4   4   -   -    8- 0   12
2º Israel               5   2   2   1   13- 8    8
3º Portugal             5   2   2   1    9- 6    8
4º I. Norte             4   -   3   1    3- 5    3
5º Azerbaijão           5   -   3   2    2- 6    3
6º Luxemburgo           5   -   2   3    2-12    2

5ª jornada
22.03.13 – Israel – Portugal – 3-3
22.03.13 – Luxemburgo – Azerbaijão – 0-0
22.03.13 – I. Norte – Rússia – (Adiado devido ao mau tempo)
(mais…)

22 Março, 2013 at 11:47 pm Deixe um comentário

Musée d’Orsay

19 Março, 2013 at 12:12 pm Deixe um comentário

O pulsar do campeonato – 1ª jornada (2ª fase)

Templario - 14-03-2013

(“O Templário”, 14.03.2013)

Teve início no passado fim-de-semana a segunda fase da Divisão Principal do Campeonato Distrital, com os jogos da primeira ronda a revelarem que agora “é mesmo a sério”, que chegou a hora das decisões, com as equipas a denotarem particulares cautelas.

Tal foi especialmente notório nas partidas da série de disputa do título e consequente direito à promoção ao futuro Campeonato Nacional de Seniores da próxima temporada, com dois empates a zero nos confrontos que opuseram Fazendense e Riachense, por um lado, e Mação e Amiense, por outro; efectivamente, apenas um dos concorrentes conseguiu marcar golos nesta jornada inicial, com o Benavente a obter um, de alguma forma surpreendente, triunfo sobre o At. Ouriense, por 2-0.

O que se traduz, em termos pontuais, num compactar do quarteto da frente, agora agrupado em dois pares, separados entre si por apenas dois pontos: Riachense e Mação prosseguem a sua disputa, “corpo a corpo”, continuando a partilhar o comando; o At. Ouriense viu-se alcançado pelo Amiense. As formações do Fazendense e Benavente continuarão “a correr por fora”, respectivamente a 7 e a 8 pontos dos guias, mas, como ficou já demonstrado na ronda inaugural, terão certamente um papel decisivo nas contas finais dos pretendentes ao título.

Com os 12 clubes agora repartidos em duas séries, a que mais directamente interessará aos tomarenses será a série de disputa da manutenção. Na qual as coisas não começaram nada bem para o União de Tomar.

De facto, em nova deslocação a Coruche, onde triunfara na primeira fase – desta feita numa tarde não tão ventosa como nesse outro encontro, mas bastante fria –, a turma unionista começaria por sofrer o primeiro golo logo aos cinco minutos, numa falha de concentração, com o guardião a ser surpreendido por um remate de meia distância. Tendo passado ainda por mais dois calafrios nos minutos seguintes, viria o União a alcançar o tento da igualdade, ainda no primeiro tempo, na sequência de um lance excelentemente concluído, isto já depois de ter também rematado uma bola à trave. Na segunda parte, quando parecia querer assumir a iniciativa, e pairando a sensação de que a formação nabantina teria possibilidades de vir a repetir a vitória, mais um lapso defensivo originaria o segundo golo da equipa da casa, a que se seguiria, pouco depois, o terceiro, assim colocando ponto final nas aspirações nabantinas. Alguma falta de sorte, conjugada com momentos de menor concentração, e bastante intranquilidade resultaram num desfecho que poderia ter sido bem diferente.

Noutro desafio desta série, o Pontével, mostrando que está bem “vivo”, venceu, no seu sempre difícil terreno, dadas as reduzidas dimensões, a U. Abrantina, por 2-1. Por fim, num encontro de “aflitos”, Glória do Ribatejo e Moçarriense não foram também além do nulo.

Em consequência destes resultados, assiste-se, também nesta série, a um agrupamento entre os quatro primeiros, com o União a baixar uma posição: U. Abrantina, Pontével e União de Tomar – que ocupam, para já, os lugares que, na perspectiva do alargamento do campeonato a 14 equipas, para a próxima época, garantirão a manutenção – estão agora separados, entre cada um deles, por apenas um ponto, tendo o Coruchense recuperado já parte substancial do atraso com que partira para esta segunda fase, agora a apenas dois pontos dos tomarenses (haviam entrado com cinco pontos a menos), e somente a quatro da U. Abrantina. Os grupos da Glória do Ribatejo e Moçarriense continuam, para já, relativamente longe da “salvação”, respectivamente a 5 e a 6 pontos do União de Tomar.

Esta questão, da manutenção ou despromoção, cruza-se directamente com o desempenho das equipas do Distrito que militam no Campeonato Nacional da III Divisão, cuja prova chegou entretanto ao termo da respectiva primeira fase. Como era possível antecipar desde há muito, as equipas do Torres Novas (pese embora a excelente recuperação encetada) e Cartaxo, não tendo conseguido alcançar uma posição nos seis primeiros classificados nas respectivas séries (a equipa do Cartaxo obteve aliás, apenas na derradeira jornada, o seu primeiro triunfo na competição!), vêem, desde já, confirmado o seu regresso ao Distrital no próximo ano – o que implica, automaticamente, que os dois últimos da Divisão Principal serão despromovidos. Em relação ao Alcanenense, tendo obtido precisamente o 6.º lugar da sua série, partirá para a segunda fase com quatro pontos de atraso em relação aos lugares que darão acesso ao futuro Campeonato Nacional de Seniores, portanto ainda com algumas aspirações. Em função da sua classificação final (caso não atinja um lugar nos três primeiros), poderão ter de vir a ser três as equipas a despromover à futura II Divisão Distrital.

Na próxima jornada, na série dos primeiros destaca-se o confronto entre At. Ouriense e Mação, com Riachense e Amiense, que serão visitados, respectivamente por Benavente e Fazendense, a reunirem algum favoritismo, porventura com a turma de Amiais de Baixo algo mais “ameaçada”.

Na série de disputa da manutenção, o União de Tomar, recebendo o Glória do Ribatejo, terá uma partida – a disputar em “casa emprestada”, na Golegã – em que se revela fundamental a vitória, não só pelos pontos em jogo, mas também pelo impacto anímico que a mesma terá. Por seu lado, a U. Abrantina é visitada pelo Coruchense, enquanto o Moçarriense, recebendo o Pontével, procurará ainda um novo “fôlego”.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 14 de Março de 2013)

17 Março, 2013 at 10:30 am Deixe um comentário

G

h2_21.168

15 Março, 2013 at 2:47 pm Deixe um comentário

Liga Europa – Sorteio dos 1/4 Final

Chelsea – Rubin Kazan
Tottenham – Basel
Fenerbahce – Lazio
Benfica – Newcastle

Os jogos da primeira mão dos 1/4 Final serão disputados a 4 de Abril de 2013, estando a segunda mão agendada para 11 de Abril.

15 Março, 2013 at 11:56 am Deixe um comentário

Liga dos Campeões – Sorteio dos 1/4 Final

Málaga – Borussa Dortmund
Real Madrid – Galatasaray
Paris St.-Germain – Barcelona
Bayern – Juventus

Os jogos da primeira mão dos 1/4 Final serão disputados a 2 e 3 de Abril de 2013, estando a segunda mão agendada para dias 9 e 10 de Abril.

15 Março, 2013 at 11:14 am Deixe um comentário

Liga Europa – 1/8 Final (2ª mão)

                                2ª mão      1ª mão      Total

Fenerbahce - Viktoria Plzen       1-1         1-0         2-1
Bordeaux - Benfica                2-3         0-1         2-4
Newcastle - Anzhi                 1-0         0-0         1-0
Lazio - Stuttgart                 3-1         2-0         5-1
Inter - Tottenham                 4-1 (a.p.)  0-3         4-4
Rubin Kazan - Levante             2-0 (a.p.)  0-0         2-0
Zenit - Basel                     1-0         0-2         1-2
Chelsea - Steaua                  3-1         0-1         3-2

Para além da natural qualificação do Benfica, amplamente superior ao Bordeaux, o destaque vai para os apuramentos do Basel e Tottenham, eliminando os favoritos Zenit e Inter.

Nos 1/4 Final, a Inglaterra predomina, com um contingente de três clubes (o Campeão Europeu em título, Chelsea, Tottenham e Newcastle) – ao contrário do que sucede na Liga dos Campeões, em que deixou já de ter representação. Os restantes cinco apurados provêm de outros tantos países: Portugal, Itália, Rússia, Suíça e Turquia.

Também de forma inversa ao que se regista na Liga dos Campeões, a Espanha e a Alemanha ficaram sem representação na prova.

Uma curiosidade: das oito equipas que haviam transitado da Liga dos Campeões para a Liga Europa, apenas prosseguem na competição o Chelsea e o Benfica.

14 Março, 2013 at 9:58 pm Deixe um comentário

Artigos Mais Antigos


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Março 2013
S T Q Q S S D
« Fev   Abr »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

  • RT @fcancio: tudo isto anotado, parece-me claro q se mantém um problema de confiança política, para além de resultar um julgamento ético mu… 4 minutes ago
  • RT @CurtaVermelha: Há um lugar especial guardado no inferno do politicamente correcto para as pessoas que escrevem "tod@s" num mail e acham… 1 hour ago
  • RT @Jaimefmacias: Con el descenso de Cruzeiro, estos son los únicos equipos de Sudamérica que se mantendrán en la lista de haber disputado… 2 hours ago

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.