Archive for Março, 2013

Liga Europa – 1/8 Final (2ª mão) – Bordeaux – Benfica

Bordeaux – Cédric Carrasso, Mariano (72m – Fahid Ben Khalfallah), Ludovic Sané, Henrique, Benoît Trémoulinas, Jaroslav Plašil, Grégory Sertic (68m – André Poko), Ludovic Obraniak, Henri Saivet, Nicolas Maurice-Belay (78m – Hadi Sacko) e Cheick Diabaté

BenficaBenfica – Artur Moraes, André Almeida, Jardel, Roderick, Melgarejo, Nemanja Matić, Nico Gaitán, Enzo Pérez, Eduardo Salvio (88m – Maxi Pereira), Ola John (84m – Carlos Martins) e Rodrigo (66m – Óscar Cardozo)

0-1 – Jardel – 30m
1-1 – Cheick Diabaté – 74m
1-2 – Óscar Cardozo – 75m
2-2 – Jardel (p.b.) – 90m
2-3 – Óscar Cardozo – 90m

Cartões amarelos – Henrique (10m), Ludovic Obraniak (31m) e Fahid Ben Khalfallah (77m); Roderick (52m), Ola John (83m) e Maxi Pereira (90m)

Árbitro – Ovidiu Alin Hategan (Roménia)

Depois da má exibição da primeira mão, o Benfica terá tido esta noite em Bordéus um dos seus jogos mais “descansados” da época. De início, na expectativa, parecendo querer ir deixando correr o tempo, concedendo a iniciativa aos franceses – e não obstante jogasse com uma dupla de defesas centrais “improvisada” (dadas as ausências, por lesão, de Luisão e Garay) -, o Benfica teve em Artur Moraes o garante da confiança.

Quando, à passagem da meia hora, Jardel, na sequência de um pontapé de canto, antecipando-se ao guardião adversário, inaugurou o marcador, o desfecho da eliminatória ficou sentenciado.

A equipa do Bordéus continuaria a procurar ripostar conforme podia, em tímidas ofensivas, mas sem conseguir um domínio efectivo do jogo, com o meio-campo benfiquista sempre a conseguir, de forma tranquila, manter o controlo do jogo.

Nem o golo do empate do Bordéus assustaria o Benfica, que, no minuto imediato – curiosamente, de novo à meia hora, mas do segundo tempo – se recolocaria em vantagem.

Já em fase de descompressão, em que se aguardava o final da partida, em período de compensação, também na sequência de um canto, numa situação de atrapalhação na defesa benfiquista, Jardel (que inaugurara o marcador), de forma precipitada, virado para a sua baliza, numa precipitada tentativa de afastar a bola, marcaria o segundo golo da noite, mas, desta vez, na baliza errada…

E, numa rara coincidência, tal como acontecera após o primeiro golo dos franceses, o Benfica, novamente no minuto imediato, obteria mais um golo, assim selando a sua vitória na partida. Quanto à eliminatória – perante um frágil opositor, com evidente superioridade da equipa portuguesa, sem ter tido sequer a necessidade de se “empregar a fundo”, em ambos os jogos – essa já há muito havia sido ganha.

14 Março, 2013 at 9:56 pm Deixe um comentário

Liga dos Campeões – 1/8 Final (2ª mão)

                                2ª mão      1ª mão      Total

Schalke 04 - Galatasaray          2-3         1-1         3-4
Juventus - Celtic                 2-0         3-0         5-0
Bayern - Arsenal                  0-2         3-1         3-3
B. Dortmund - Shakhtar Donetsk    3-0         2-2         5-2
Barcelona - AC Milan              4-0         0-2         4-2
Manchester United - Real Madrid   1-2         1-1         2-3
Paris St.-Germain - Valencia      1-1         2-1         3-2
Málaga - FC Porto                 2-0         0-1         2-1

O FC Porto, com uma exibição sofrível, jogando em inferioridade numérica durante quase todo o segundo tempo, foi incapaz de resistir à pressão do equipa do Málaga, que, não tendo evidenciado, nesta eliminatória, grande poderio, acabou por se superiorizar.

A equipa da Andaluzia integra assim o lote de três clubes espanhóis que avançam para os 1/4 Final, depois de terem operado, todos eles, importantes reviravoltas – mais impressiva a do Barcelona, reduzindo o credenciado AC Milan a um nível nada condizente com o seu historial -, dado terem partido em desvantagem para a 2.ª mão. Sendo que uma destas reviravoltas, a do Real Madrid em Manchester, fica também intimamente associada à polémica expulsão de Nani.

A Alemanha, embora tendo perdido, de forma algo surpreendente, um representante (Schalke 04), mantém em prova duas equipas, também com fortes aspirações na competição, como são os casos do bi-campeão alemão Borussia Dortmund e do anunciado novo campeão, Bayern, que, depois de vencer categoricamente em Londres, passou por um forte susto, perdendo 0-2 em Munique, frente ao Arsenal, o que não obstou a que a Inglaterra acabasse por ver afastados os seus dois representantes dos 1/4 de Final, algo que não acontecia desde 1996!

Os restantes “sobreviventes” são o Paris St.-Germain (que eliminou o quarto clube do contingente espanhol), a surpresa Galatasaray e a Juventus, equipa mais “convincente” nesta eliminatória, beneficiando da fragilidade competitiva do Celtic.

13 Março, 2013 at 9:35 pm Deixe um comentário

Papa Francisco

Jorge_Bergoglio
(foto via)

Jorge Mario Bergoglio, arcebispo emérito de Buenos Aires (Argentina), de 76 anos, jesuíta, foi hoje eleito como 266.º Papa, adoptando o nome de Francisco.

13 Março, 2013 at 7:19 pm Deixe um comentário

O pulsar do campeonato – Taça Ribatejo e balanço da 1ª fase

Templario-07-03-2013

(“O Templário”, 07.03.2013)

Começando pela actualidade, disputou-se no passado fim-de-semana a eliminatória da Taça Ribatejo correspondente aos 1/4 de Final, desta feita sem “tomba-gigantes”, com as equipas teoricamente mais poderosas a confirmar o favoritismo, tendo, noutro jogo – de maior equilíbrio (o único entre formações da Divisão Principal) –, a balança pendido para a equipa da casa.

Efectivamente, nas três partidas entre turmas de escalões diferentes, todos os grupos da Divisão Secundária que “sobreviviam” ainda em prova viram chegar ao termo as respectivas carreiras nesta competição, tendo sido eliminados: o Assentiz, perdendo em Ourém, com o At. Ouriense, sem ter deixado de dar boa réplica, derrotado pela margem mínima (1-2); o mesmo sucedeu no confronto entre Empregados do Comércio e Fazendense (curiosamente os dois finalistas da edição anterior, com a turma das Fazendas de Almeirim a repetir a vitória que averbara na Final da época transacta); na Atalaia, o Coruchense impôs-se por 3-1 frente ao Atalaiense.

Finalmente, num jogo entre dois clubes que se podiam perfilar como candidatos ao triunfo final, o Amiense recebeu e venceu o Mação, mercê de um solitário tento. Avançam assim para as 1/2 Finais as equipas de Amiais de Baixo, do At. Ouriense, Fazendense e Coruchense.

Tratada que está a “ordem do dia”, regressemos então ao campeonato, e ao balanço da sua primeira fase. Começando por analisar o comportamento de cada um dos concorrentes nas duas metades da prova, Riachense e Mação confirmaram-se como os conjuntos de maior regularidade: ambos conquistaram 24 pontos na 1.ª volta, tendo conseguido ainda melhorar os respectivos desempenhos, na segunda parte da competição, para 25 pontos.

Nessa 2.ª volta, também o Amiense somou 25 pontos (face a 20 na metade inicial), enquanto o At. Ouriense, também bastante regular, justificando o 3.º lugar, melhorou, de 23 para 24 pontos.

Mas, se entre o grupo dos seis primeiros, foi a equipa do Fazendense a que apresentou mais relevante progressão – depois de um mau arranque de prova, o que fez com que obtivesse apenas 14 pontos na 1.ª volta, passou para 21 na etapa complementar – em termos globais seria mesmo o União de Tomar a registar a melhoria pontual mais significativa, somando 17 pontos na segunda metade, contra apenas 9 na metade inicial!

Ao contrário, em quebra, para além do Benavente (de 17 para 13 pontos), destaque, pela negativa, para a turma da Glória do Ribatejo, que, depois de ter alcançado 10 magros pontos, conseguiu reduzir o pecúlio obtido na 2.ª volta a apenas 4 pontos!

Mais equilibrados estiveram as formações da U. Abrantina (ligeira quebra, de 15 para 14 pontos) e Pontével (igualmente a piorar, de 12 para 10 pontos). Por fim, com pontuações muito fracas, o Coruchense reduziu de 9 para 7 pontos, o seu desempenho em cada uma das metades da prova; enquanto o Moçarriense, explicando os motivos de ocupar a posição de “lanterna vermelha”, registou as piores pontuações (5 pontos na 1.ª volta, a que acresceu depois 6 pontos).

Por outro lado, comparativamente à época anterior – em que, devido à desistência do Ouriquense, cada equipa apenas disputou 20 jogos (em vez dos 22 realizados este ano) – o Mação apresenta a melhor progressão, subindo do 6.º para o 2.º lugar, tendo passado de apenas 33 pontos a 49 pontos. Também o At. Ouriense, melhorando de 34 para 47 pontos, ascendeu da 5.ª à 3.ª posição. Assim como o Fazendense, que sobe de 7.º para 5.º, em função do avanço registado, passando de apenas 25 pontos na época anterior, para 35 pontos nesta temporada.

Ao invés, o Amiense, não obstante tenha evoluído de 37 para 45 pontos, cai, algo paradoxalmente, da 3.ª para a 4.ª posição. Tal como o Benavente (baixando de 34 para 30 pontos), descendo na tabela, do 4.º para o 6.º lugar. E, ainda, o Moçarriense, com o maior tombo, de 17 para somente 11 pontos, o que se traduz numa baixa, da 9.ª à 12.ª e última posição.

Por fim, o União de Tomar, com um bom progresso em termos pontuais, de 18 para 26 pontos, o qual contudo não teve tradução na pauta classificativa, mantendo inalterado o 8.º lugar.

Neste fim-de-semana, inicia-se a segunda fase do campeonato, agora com as equipas repartidas em dois grupos, o de disputa do título de Campeão e consequente promoção, e o da manutenção.

Na série dos primeiros, Mação e Amiense voltam a encontrar-se (depois da eliminatória da Taça Ribatejo), agora com os maçaenses a jogar em casa, oportunidade para uma “desforra”; o outro co-líder, Riachense, tem uma deslocação que se antecipa difícil, a Fazendas de Almeirim; o mesmo sucedendo com o At. Ouriense, a visitar Benavente.

No grupo em que se insere o União de Tomar, a turma nabantina regressa a Coruche, onde venceu na primeira fase, para defrontar uma equipa motivada pelo apuramento para as 1/2 Finais da Taça. O Pontével, depois da surpreendente vitória no terreno do Fazendense, recebe a U. Abrantina. Por fim, Glória do Ribatejo e Moçarriense dão início aos que poderão ser os últimos esforços na tentativa de escapar aos lugares de despromoção.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 7 de Março de 2013)

10 Março, 2013 at 10:30 am Deixe um comentário

Liga Europa – 1/8 Final (1ª mão)

Viktoria Plzen – Fenerbahce – 0-1
Benfica – Bordeaux – 1-0
Anzhi – Newcastle – 0-0
Stuttgart – Lazio – 0-2
Tottenham – Inter – 3-0
Levante – Rubin Kazan – 0-0
Basel – Zenit – 2-0
Steaua – Chelsea – 1-0

7 Março, 2013 at 9:58 pm Deixe um comentário

Liga Europa – 1/8 Final (1ª mão) – Benfica – Bordeaux

BenficaBenfica – Artur Moraes, André Almeida, Luisão, Ezequiel Garay, Melgarejo, Roderick, Nico Gaitán, Carlos Martins (64m – Enzo Pérez), Rodrigo, Ola John (74m – Lima) e Óscar Cardozo (63m – Eduardo Salvio)

Bordeaux – Cédric Carrasso, Mariano, Ludovic Sané, Henrique, Benoît Trémoulinas, Julien Faubert (43m – Abdou Traoré), Jaroslav Plašil, Grégory Sertic, Ludovic Obraniak, Nicolas Maurice-Belay (79m – Fahid Ben Khalfallah) e Diego Rolán (66m – David Bellion)

1-0 – Rodrigo (atribuído pela UEFA a Cédric Carrasso – p.b.) – 21m

Cartões amarelos – Carlos Martins (50m) e Rodrigo (53m)

Árbitro – Alon Yefet (Israel)

Muito pouco há a dizer sobre este jogo…

O Benfica entrou em campo algo adormecido, concedendo a iniciativa ao adversário, que não se fez rogado, aproveitando para se instalar no meio-terreno contrário.

Contra a chamada “corrente do jogo”, num potente remate de Rodrigo, à entrada da área, a “encher o pé”, a bola embateu na trave e, na queda, acabaria por tabelar nas costas do guarda-redes girondino, que confirmou o que viria a ser o único golo da partida.

E justifica-se que assim tenha acontecido: em noventa minutos de futebol, escassas foram as ocasiões de perigo e ainda menos as efectivas oportunidades de golo.

Se a primeira parte fora jogada a ritmo lento, sem interesse, o segundo tempo acabaria por ser verdadeiramente entediante.

Continuando a fazer a sua gestão de equipa, com constantes rotações e alternâncias – tendo passado do “8” para o “80” (ou seja, de jogar sempre o mesmo “11”, como sucedeu nas duas épocas anteriores, para um carrossel constante) – Jorge Jesus, assumindo definitivamente a óbvia opção pelo campeonato, em detrimento das restantes provas, é o responsável pela medíocre exibição do Benfica esta noite – inevitavelmente, sem as famosas “rotinas de jogo” –, frente a um adversário que, neste encontro, não evidenciou a qualidade apregoada pelo treinador benfiquista (e que somou, à série de quatro derrotas consecutivas averbadas no campeonato francês, mais um desaire…).

Uma eliminatória que o Benfica podia e devia ter resolvido já hoje, transita em aberto para a segunda mão, em Bordéus, onde a equipa portuguesa deverá confirmar o apuramento para os 1/4 Final… desde que “apareça em campo”!

7 Março, 2013 at 9:57 pm Deixe um comentário

O pulsar do campeonato – 22ª jornada

Templario - 28-02-2013

(“O Templário”, 28.02.2013)

Está concluída a primeira fase do Campeonato Distrital, Divisão Principal, da Associação de Futebol de Santarém, com a U. Abrantina a perder, algo ingloriamente, em cima da “linha de meta”, o lugar nos seis primeiros – que ocupara durante todo o campeonato, à excepção da jornada inicial da segunda volta – em favor do Benavente, não tendo conseguido evitar desperdiçar uma vantagem de quatro pontos, de que beneficiava, a apenas três rondas do fim.

Efectivamente, como seria de alguma forma previsível, defrontando nesta recta final da competição as equipas classificadas nos três primeiros lugares, a formação de Abrantes, não tendo obtido mais do que um ponto, em casa, com o Riachense, não logrou impedir o “regresso” do Benavente, equipa que somou seis pontos nessas três derradeiras partidas.

Na 22.ª e última jornada, para além do desaire abrantino, em casa, frente ao vizinho Mação (1-2), e do natural triunfo do Benavente, em casa, ante o “lanterna vermelha” Moçarriense (3-1), o principal destaque vai para a surpreendente vitória alcançada pela turma de Pontével, em terreno alheio, contra o Fazendense (1-0).

Decididamente, o grupo de Fazendas de Almeirim não conseguiu encontrar o antídoto para travar este opositor, que lhe impusera já, na primeira volta, uma severa punição, com uma goleada de 6-2. A tranquilidade do Fazendense pode traduzir-se numa duplicidade de efeitos a nível motivacional: tanto pode libertar a equipa da responsabilidade e da tensão inerente à necessidade de obtenção de pontos, como pode, ao invés, fazer com que haja algum “baixar da guarda” competitiva, dado que a equipa não terá maiores objectivos para o que resta desta temporada senão os de exercer um papel de arbitragem na decisão do título de Campeão.

Na luta “ombro a ombro” com o Mação, pela liderança da prova – que continua a ser partilhada –, o Riachense, em deslocação até Coruche, voltou a não vacilar, vencendo por 3-1. Quem teve maiores dificuldades para se impor – apenas tendo conseguido desempatar a partida já na sua fase derradeira – foi o Amiense, que busca também manter-se “colado” aos primeiros, recebendo e vencendo a equipa da Glória do Ribatejo, por tangencial 2-1.

Resta referir o último desafio da jornada, com o União de Tomar, jogando em “casa emprestada”, no Entroncamento, por interdição (por quatro jogos) do Estádio Municipal de Tomar, a não evitar ser desfeiteado por um mais poderoso e experiente At. Ouriense, com outras aspirações na competição, perdendo por 0-2.

Porém, e sem pretender “deitar mais achas para a fogueira” – uma vez que, nesta fase, o que é fundamental para o grupo é procurar encontrar alguma serenidade e confiança nas suas próprias capacidades –, este jogo (assim, como em termos gerais, a campanha unionista neste campeonato) tem uma “história”. Que remonta ao dia 23 de Setembro de 2012, e à 3.ª jornada da prova!

Teve origem nesse dia uma injustiça atroz, em particular para um jogador do União, de seu nome David, considerado culpado (em primeira instância, pelo Conselho de Disciplina, o que viria a ser ratificado, na pretérita semana, pelo Conselho de Justiça da A. F. de Santarém) sem direito a defesa, de actos em que não terá participado, e a que nem sequer terá assistido…

Na sequência dos reprováveis acontecimentos desse dia – de parte a parte, de jogadores de ambas as equipas, do União e do Benavente – vê-se a formação tomarense privada, já há 10 jogos (e assim continuará durante mais seis meses!) de cinco dos mais experientes dos seus elementos. Penalizada ainda por outras sanções disciplinares, pela interdição do Estádio (durante ainda mais três jogos), e, agora, adicionalmente, por algumas lesões, tem a equipa integrado um numeroso lote de juniores, com mais de uma dúzia dos jogadores que faziam parte da ficha deste último jogo com idade inferior a 20 anos, tendo terminado a partida com cinco juniores em campo!

O que, não obstante o resultado negativo que transitara já da primeira parte, e actuando contra o vento, não impediu o grupo de se mostrar animoso, de procurar sempre, até final, dar a melhor réplica, em busca de um golo, que pudesse ainda permitir acalentar esperanças num resultado positivo.

Tal não foi possível, mas valeu a demonstração que, com espírito de união e entreajuda, será decerto praticável, na segunda fase – enfrentando opositores perante os quais, na primeira fase da prova, o União de Tomar, em dez jogos, somou 8 vitórias e apenas 2 derrotas – continuar a superar as adversidades, e, assim, atingir afinal o objectivo fundamental a que se propõe.

Em tempo de balanço – que, por condicionantes de espaço, terá de prosseguir na próxima semana, aproveitando o interregno no campeonato, para disputa dos 1/4 Final da Taça Ribatejo – referência apenas para as pontuações com que cada equipa iniciará a segunda fase: na série de promoção, Riachense e Mação, 25 pontos; At. Ouriense, 24; Amiense, 23; Fazendense, 18; e Benavente, 15; na série de disputa da manutenção, U. Abrantina, 15; U. Tomar, 13; Pontével, 11; Coruchense, 8; Glória do Ribatejo, 7; e Moçarriense, 6 pontos.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 28 de Fevereiro de 2013)

3 Março, 2013 at 10:30 am Deixe um comentário

Jardim

Jardim

2 Março, 2013 at 4:00 pm 2 comentários

Artigos mais recentes


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Março 2013
S T Q Q S S D
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.