Archive for Março, 2019

O Pulsar do Campeonato – Taça do Ribatejo – 1/2 finais

O pulsar do campeonato - 2018-19 - TRibatejo - 1-2-finais

(“O Templário”, 07.03.2019)

Após uma fantástica série de 22 jogos consecutivos sem derrota – todos os que disputou desde que se operou a fusão com a U. Abrantina –, o Abrantes e Benfica viu, enfim, quebrada a sua invencibilidade, pelo Coruchense, numa eliminatória (1.ª mão das meias-finais da Taça do Ribatejo) caracterizada por um inesperado equilíbrio, com triunfos tangenciais dos favoritos, a deixar tudo por decidir quanto à confirmação da presença na final da prova para a 2.ª mão.

Destaque – Embora não se possa considerar que tenha havido surpresa, nesta “cimeira de líderes”, em que se defrontavam os comandantes do escalão secundário, Abrantes e Benfica, e da I Divisão Distrital, Coruchense, com a turma do Sorraia a ganhar mercê de um solitário tento, não deixa de constituir motivo de destaque o feito dos homens de Coruche, a impor a primeira derrota (e em Abrantes) à formação que, até agora, tinha um percurso praticamente imaculado (vinte e uma vitórias e um único empate, em 17 jogos realizados no campeonato e cinco na Taça do Ribatejo, em que afastara já os primodivisionários Torres Novas e Ferreira do Zêzere).

Recorde-se que, até à data, apenas o Caxarias conseguira escapar à derrota ante o poderoso grupo abrantino, desempenho agora superado pelo guia do escalão principal, o qual, “puxando dos galões”, não conseguiu, todavia, resolver já a seu favor a eliminatória, tendo de confirmar, em casa, a vantagem agora adquirida, devendo manter o foco para evitar ser surpreendido.

Isto, sem esquecer que se trata da primeira vez que o ambicioso conjunto de Abrantes atinge – na última década –, as meias-finais da competição, enquanto o Coruchense regista quatro presenças nesta fase da prova no mesmo período, tendo jogado duas finais, conquistando o troféu em 2014-15 (repetindo as proezas dos anos de 1996 e 1997).

Surpresa – Por seu lado, e apesar de o vice-líder da I Divisão, U. Santarém, ter também vencido o seu confronto ante o penúltimo classificado, Marinhais, a surpresa está no marcador tangencial registado: uma magra vantagem, de 2-1, a favor dos escalabitanos.

O histórico U. Santarém, que regista segunda presença sucessiva nas meias-finais (depois de ter sido eliminado, na época transacta, pelo União de Tomar, emblema que se viria a sagrar vencedor da prova) – já vencedor do troféu, há quarenta anos, logo na segunda edição da Taça do Ribatejo – terá assim de se aplicar a fundo, na segunda mão, em Marinhais, face a um opositor que, à semelhança da formação de Abrantes, alcança pela primeira vez esta fase da competição, nos últimos dez anos, em ordem a confirmar o seu favoritismo.

Em qualquer caso, a expectativa continua a ser a de poder assistir, na final da competição, a um novo duelo entre os dois clubes que têm liderado o futebol distrital na presente temporada.

Campeonato de Portugal – Atingindo-se já a 24.ª jornada da prova, o Mação deu sequência à sua caminhada de resultados positivos, empatando a zero ante a vizinha equipa de Oleiros, a qual vem ocupando tranquila posição a meio da tabela (9.º lugar), num ciclo que leva já três desafios sem derrota, todavia sem efeitos relevantes a nível da classificação: os maçaenses mantêm o penúltimo posto (apenas à frente do Alcains), a onze pontos da “linha de água”.

Bem melhor conseguiu, desta feita, o Fátima, ao ganhar (3-2) ao 5.º classificado, Sintrense, desfecho que custou à turma de Sintra descolar dos lugares de acesso ao “play-off” de apuramento de Campeão e de promoção, agora já a sete pontos do Anadia (novo 2.º colocado).

Uma vitória que poderá vir a revelar-se determinante para a fase final do campeonato, esperando-se que possa consubstanciar um ponto de inflexão na carreira dos fatimenses, após quatro desaires sucessivos (dois deles, não obstante, ante os actuais dois primeiros da tabela).

Desta forma, quando ficam a faltar dez rondas para o final da competição, o Fátima voltou a poder “respirar um pouco melhor”, agora com sete pontos de vantagem em relação à zona de descida. Poderá bastar somar – aos 31 pontos que averba nesta altura – talvez mais “meia dúzia” de pontos nesses dez jogos, para assegurar a manutenção no patamar nacional do futebol.

Antevisão – No regresso dos campeonatos Distritais, para disputa da 20.ª jornada da I Divisão, os cinco candidatos ao lugar de topo perfilam-se como lógicos favoritos, pese embora em encontros de grau de dificuldade teoricamente diferenciado.

De facto, Cartaxo e U. Santarém, recebendo os dois últimos classificados, respectivamente Marinhais e Alcanenense, terão tal estatuto reforçado, sem esquecer a cada vez mais aguda necessidade de pontos por parte das equipas do fundo da tabela classificativa. Em situação intermédia, o Amiense, que enfrenta deslocação ao sempre difícil reduto da Glória do Ribatejo.

Por seu lado, o Coruchense, e, sobretudo, o U. Almeirim, terão tarefas potencialmente mais complexas, não obstante actuarem, ambos, em casa, recebendo o At. Ouriense e o Fazendense, no último caso num “derby” almeirinense de desfecho sempre imprevisível.

Nota final ainda para o “clássico dos clássicos” do futebol distrital, entre Torres Novas e U. Tomar, que se cruzam em jogos a contar para Campeonatos (nacionais e distritais) e Taças (de Portugal e do Ribatejo) pela 92.ª vez (com um balanço ligeiramente favorável aos unionistas – 38 vitórias, contra 35 triunfos dos torrejanos, para além de 18 empates).

Na II Divisão, que atinge a derradeira ronda da fase preliminar da competição, o interesse maior estará noutro embate também entre clubes históricos, envolvendo a equipa “B” do U. Tomar (que, em caso de vitória, poderá ainda arrebatar o 4.º posto ao seu adversário) e o Tramagal.

No Campeonato de Portugal, os representantes do Distrito viajam até à região do “Oeste”, com a expectativa de poder pontuar, cabendo ao Fátima e Mação defrontar, respectivamente, o Caldas (11.º classificado, imediatamente abaixo dos fatimenses, somente a um ponto) e o Peniche (16.º classificado, ocupando, pois, a posição precisamente acima da dos maçaenses).

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 7 de Março de 2019)

10 Março, 2019 at 12:00 pm Deixe um comentário

Liga Europa – 1/8 de Final (1.ª mão)

Chelsea – D. Kyiv – 3-0
E. Frankfurt – Inter – 0-0
D. Zagreb – Benfica – 1-0
Napoli – RB Salzburg – 3-0
Valencia – Krasnodar – 2-1
Sevilla – Slavia Praha – 2-2
Rennes – Arsenal – 3-1
Zenit – Villarreal – 1-3

7 Março, 2019 at 10:51 pm Deixe um comentário

Liga Europa – 1/8 de final – D. Zagreb – Benfica

Dinamo ZagrebDinamo Zagreb – Dominik Livaković, Petar Stojanović, Kévin Théophile-Catherine, Emir Dilaver, Marin Leovac, Mislav Oršić, Ivan Šunjić, Amer Gojak (78m – Nikola Moro), Damian Kądzior (84m – Mario Šitum), Dani Olmo e Bruno Petković (88m – Mario Gavranović)

BenficaBenfica – Odysseas Vlachodimos, Sébastien Corchia, Rúben Dias, Francisco Ferreira “Ferro”, Alejandro “Álex” Grimaldo, Gedson Fernandes (70m – Andrija Živković), Florentino Luís (58m – Rafael “Rafa” Silva), Gabriel Pires, Filip Krovinović, João Félix e Haris Seferović (35m – Franco Cervi)

1-0 – Bruno Petković (pen.) – 38m

Cartões amarelos – Marin Leovac (68m), Petar Stojanović (75m) e Ivan Šunjić (83m)

Árbitro – Michael Oliver (Inglaterra)

Depois do empate caseiro ante o Galatasaray, numa abordagem conservadora, privilegiando a preservação da vantagem trazida de Istambul, o Benfica voltou a ficar em branco em Zagreb, mas pior, perdendo o jogo.

Procurando continuar a fazer a gestão do esforço, Bruno Lage fez alinhar Corchia, Gedson, Florentino e Krovinović, dando algum descanso a André Almeida, Samaris, Pizzi e Rafa.

A equipa portuguesa até começou bem, assumindo a posse de bola, dispondo mesmo de uma boa ocasião de golo, logo aos oito minutos, por Grimaldo, desmarcado por João Félix, a isolar-se perante o guardião croata, o qual, todavia, conseguiria sacudir a bola com o pé.

O Dínamo cedo começou a reagir, proporcionando a Vlachodimos uma boa intervenção, à passagem do minuto 20, a remate de Dani Olmo, um elemento que levou o perigo junto da área contrária por mais de uma vez.

As coisas passavam a correr mal para o Benfica, primeiro com a lesão de Seferović, e, escassos minutos volvidos, com Rúben Dias a provocar uma falta “escusada” sobre Dani Olmo, sancionada com grande penalidade, o que resultaria no que viria a ser o solitário tento desta partida.

Mas o desfecho podia ter sido mais desfavorável para as cores portuguesas, caso Vlachodimos não tivesse, outra vez, dado boa resposta, a suster o remate de Gojak, já em tempo de compensação da primeira parte.

Na segunda metade, depois de mais um lance de perigo logo a abrir, por Oršić (a rematar por alto), a turma croata começou a denotar estar agradada com o “placard”, adotando postura mais compacta, nas zonas de meio-campo e defensiva.

Uma equipa do Benfica a denotar alguma falta de frescura física ainda se esforçaria por alterar a tendência do jogo, com Rúben Dias, de cabeça, aos 68 minutos, ou num livre por Grimaldo, mas, de facto, os lances de maior perigo pertenceriam, de novo, ao D. Zagreb, mesmo em cima do final do encontro, por Oršić e Gavranović, com Ferro a salvar a sua baliza.

7 Março, 2019 at 8:47 pm Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 19ª Jornada

O pulsar do campeonato - 2018-19 - 19jornada

(“O Templário”, 28.02.2019)

Apresentando agora – a par do líder Coruchense – o melhor desempenho nas seis jornadas já realizadas na segunda volta do campeonato da I Divisão Distrital, o Cartaxo ascendeu (à condição, dependendo do resultado do Amiense-U. Tomar, adiado para o mês de Março) à 3.ª posição, tendo ultrapassado, para além da turma de Amiais de Baixo, o U. Almeirim, ao mesmo tempo que voltou a encurtar, agora para cinco pontos, a distância face ao comandante.

Destaques – O principal destaque vai precisamente para a forma categórica como os cartaxeiros se vêm, agora, desembaraçando dos adversários: depois da goleada por 5-0 em Samora Correia e de terem quebrado a invencibilidade do Fazendense (3-1), nova goleada, em Ourém, ante o At. Ouriense, por 4-0, com a particularidade daquele que será porventura o melhor jogador do Distrital, Wemerson Silva, ter marcado um total de nove golos nesses três desafios, somando agora quinze tentos, destacando-se já, largamente, na liderança dos melhores marcadores.

Pese embora o calendário difícil que a fase final da prova lhe reserva (deslocações a Tomar, Amiais de Baixo, Coruche e Ferreira do Zêzere, recebendo ainda o U. Almeirim), o Cartaxo teima em mostrar que não pode ser ainda arredado da luta pelo título.

Naquela que era uma jornada de “todos os riscos”, Coruchense e U. Almeirim não lograram superar os difíceis obstáculos que se lhes deparavam, tendo cedido terreno em relação aos seus mais directos competidores: no caso do grupo do Sorraia, vendo recolar-se o U. Santarém, outra vez somente a um ponto; os almeirinenses, ficando em situação periclitante a nível do que serão as suas aspirações, tendo baixado ao 4.º posto, agora já a cinco pontos do vice-líder e a seis pontos do guia (sendo que defrontarão, nas duas derradeiras rondas, Cartaxo e Coruchense).

De facto, deslocando-se às Fazendas de Almeirim, o Coruchense não conseguiu melhor que a repartição de pontos, com uma igualdade a um golo, no que constitui o sétimo empate do Fazendense nas últimas nove jornadas; por seu lado, em Samora Correia, o U. Almeirim não conseguiu desfazer o nulo, constatando-se que venceu um único dos seus cinco últimos encontros na prova, e com inesperadas dificuldades (por tangencial 1-0), frente ao “lanterna vermelha”, na passada semana.

Confirmações – Nas outras três partidas confirmaram-se as expectativas, com os empates nos dois confrontos que agrupavam quatro dos cinco últimos classificados – aliás, numa jornada marcada por essa tendência de equilíbrio, com nada menos de quatro empates em seis jogos realizados –, para além do esperado triunfo do U. Santarém na Glória do Ribatejo.

Em Marinhais, a formação da casa continua a registar uma única vitória (com o At. Ouriense), em dez desafios já disputados na condição de visitante, tendo empatado a uma bola na recepção ao Torres Novas, o que possibilitou aos torrejanos – invictos nos seis jogos da segunda volta, tendo somado terceira igualdade sucessiva, depois de outros tantos triunfos – manter uma importante margem de seis pontos de vantagem em relação à “linha de água”, tendo ampliado para cinco pontos a diferença em relação ao seu mais próximo perseguidor, Glória do Ribatejo.

O último classificado, Alcanenense, enfrentava também um desafio que poderia ser crucial em ordem a procurar empreender a ansiada recuperação na tabela, recebendo o Ferreira do Zêzere. Num encontro com diferentes cambiantes, ora com uma, ora com outra equipa a superiorizarem-se, em determinadas fases do jogo, o nulo subsistiu também até final, um desfecho muito mais da conveniência dos ferreirenses, que, com os sete pontos de vantagem que dispõem em relação à zona de despromoção – a sete jornadas do final –, estarão prestes a garantir a tranquilidade.

Na Glória do Ribatejo, o U. Santarém cedo resolveu a contenda a seu favor, com o resultado final (3-1) estabelecido ainda na primeira metade do encontro, tendo passado assim sem maiores sobressaltos mais esta deslocação – seguindo numa série de dez jornadas de invencibilidade –, tendo voltado, de imediato, a pressionar o líder e a afirmar a sua candidatura.

II Divisão Distrital – Com a competição a aproximar-se do termo da sua primeira fase (faltando apenas disputar a derradeira jornada), o primeiro destaque vai para a goleada obtida pela equipa “B” do U. Tomar no terreno do Aldeiense (6-1), como que a “desforrar-se” do desaire da semana anterior; realce ainda para a vitória (3-2) da equipa da Ortiga no Pego, assim como para mais um triunfo (1-0) do Abrantes e Benfica, frente ao Riachense; ao invés, o Caxarias, depois de dez jornadas invicto, soçobrou no Tramagal, batido por 3-0. A Sul, o Rio Maior confirmou o 1.º lugar final, com uma imponente goleada (8-1) em Salvaterra de Magos.

Campeonato de Portugal – Mais uma semana com as preocupações a adensar-se para os clubes do Distrito, pese embora o que, noutras circunstâncias, teria sido um positivo empate (0-0) do Mação em Torres Vedras, perante o 6.º classificado, Torreense. Por seu lado, o Fátima apenas cedeu por escasso 0-1 na visita ao reduto do já líder destacado, U. Leiria.

Ora, se, por um lado, tal se traduz na manutenção de uma situação extremamente precária por parte do conjunto maçaense, penúltimo, a onze pontos da “linha de água”, já sem perspectivas realistas de conseguir melhor do que um digno final de época, por outro, a quarta derrota sucessiva dos fatimenses reflecte-se numa contínua queda da sua vantagem em relação a tal zona delimitadora: de doze para nove, depois para oito, sete, e, agora, já só de cinco pontos…

Antevisão – Os campeonatos distritais sofrem novo interregno neste fim-de-semana, para disputa da 1.ª mão das meias-finais da Taça do Ribatejo, com o seguinte cartaz: Abrantes e Benfica-Coruchense, uma autêntica “cimeira de líderes”, entre os comandantes da I e da II Divisão, na qual a invencibilidade dos abrantinos nesta temporada poderá ser colocada à prova, isto sem esquecer que haverá ainda depois o jogo de volta, em Coruche; e U. Santarém-Marinhais, em que os escalabitanos assumem integral dose de favoritismo.

No Campeonato de Portugal, as duas equipas do Distrito actuarão ambas em casa, com o Fátima a receber o Sintrense, actual 5.º classificado, ainda na disputa das duas vagas de acesso ao “play-off” de promoção (dista cinco pontos do Vilafranquense), urgindo estancar a abrupta queda que os fatimenses vêm atravessando; enquanto o Mação terá a visita do “vizinho” Oleiros, formação que ocupa tranquila posição a meio da pauta classificativa.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 28 de Fevereiro de 2019)

3 Março, 2019 at 12:00 pm Deixe um comentário

Roger Federer – 100 títulos em Torneios ATP

Federer - 100 ATP
D0rTV7rWsAETvc7.jpg large
(imagem via Jeu, Set et Maths)

  • Grand Slam – 20 títulos: 8 em Wimbledon; 6 na Austrália; 5 no US Open; e 1 em Roland Garros
  • Masters Finals – 6 títulos: 2 em Houston; 2 em Xangai; 2 em Londres
  • ATP 1000 – 27 títulos: 7 em Cincinnati; 5 em Indian Wells; 4 em Hamburgo; 3 em Madrid e em Miami; 2 em Xangai e em Toronto; 1 em Paris
  • ATP 500 – 22 títulos: 8 no Dubai; 6 em Basileia; 3 em Roterdão; 2 em Halle e em Viena; 1 em Tóquio
  • ATP 250 – 25 títulos: 7 em Halle; 3 em Basileia e em Doha; 2 em Bangkok; 1 em Brisbane, Estocolmo, Estoril, Estugarda, Gstaad, Istambul, Marselha, Milão, Munique e Sydney.

2 Março, 2019 at 9:16 pm Deixe um comentário

Artigos mais recentes


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Março 2019
S T Q Q S S D
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Twitter

  • RT @tomasrdacunha: O problema do futebol europeu actual está precisamente no facto de o Bodø/Glimt ou o Paços de Ferreira "só" poderem ganh… 5 hours ago
  • RT @Fever_PitchFC: Gosto muito da Roma mas estes são os jogos que dão sentido ao muito tempo que ganho a descobrir um futebol mais alternat… 5 hours ago
  • @jorgeraa Sim, era algo do género que nos andava a ser "vendido"... afinal aparece-nos isto 5 hours ago

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.