Archive for Setembro, 2021

COVID-19 – Evolução no mês de Setembro

30 Setembro, 2021 at 11:08 pm Deixe um comentário

Liga Conferência Europa – 2ª Jornada – Resultados e Classificações

Grupo A
Alashkert – HJK Helsinki – 2-4
LASK Linz – Maccabi Tel-Aviv – 1-1

1º Maccabi Tel-Aviv e LASK Linz, 4; 3º HJK Helsinki, 3; 4º Alashkert, 0

Grupo B
Partizan – Flora Tallinn – 2-0
Gent – Anorthosis – 2-0

1º Partizan e Gent, 6; 3.º Flora Tallinn e Anorthosis, 0

Grupo C
CSKA-Sofia – Bodø/Glimt – 0-0
Zorya Luhansk – Roma – 0-3

1º Roma, 6; 2º Bodø/Glimt, 4; 3º CSKA-Sofia, 1; 4º Zorya Luhansk, 0

Grupo D
CFR Cluj – Randers – 1-1
AZ Alkmaar – Jablonec – 1-0

1º AZ Alkmaar, 4; 2º Jablonec, 3; 3º Randers, 2; 4º CFR Cluj, 1

Grupo E
Feyenoord – Slavia Praha – 2-1
Union Berlin – Maccabi Haifa – 3-0

1º Feyenoord, 4; 2º Slavia Praha e Union Berlin, 3; 4º Maccabi Haifa, 1

Grupo F
København – Lincoln Red Imps – 3-1
PAOK – Slovan Bratislava – 1-1

1º København, 6; 2º PAOK, 4; 3º Slovan Bratislava, 1; 4º Lincoln Red Imps, 0

Grupo G
Vitesse – Rennes – 1-2
Tottenham – Mura Murska – 5-1

1º Tottenham e Rennes, 4; 3º Vitesse, 3; 4º Mura Murska, 0

Grupo H
Basel – Kairat Almaty – 4-2
Omonia – Qarabağ – 1-4

1º Qarabağ e Basel, 4; 3º Kairat Almaty e Omonia, 1

30 Setembro, 2021 at 10:15 pm Deixe um comentário

Liga Europa – 2ª Jornada – Resultados e Classificações

Grupo A
Sparta Praha – Rangers – 1-0
O. Lyon – Brøndby – 3-0

1º O. Lyon, 6; 2º Sparta Praha, 4; 3º Brøndby, 1; 4º Rangers, 0

Grupo B
Sturm Graz – PSV – 1-4
Real Sociedad – Monaco – 1-1

1º PSV e Monaco, 4; 3º Real Sociedad, 2; 4º Sturm Graz, 0

Grupo C
Napoli – Spartak Moskva – 2-3
Legia Warsaw – Leicester – 1-0

1º Legia Warsaw, 6; 2º Spartak Moskva, 3; 3º Napoli e Leicester, 1

Grupo D
Antwerp – E. Frankfurt – 0-1
Fenerbahçe – Olympiakos – 0-3

1º Olympiakos, 6; 2º E. Frankfurt, 4; 3º Fenerbahçe, 1; 4º Antwerp, 0

Grupo E
Lazio – Lokomotiv Moskva – 2-0
O. Marseille – Galatasaray – 0-0

1º Galatasaray, 4; 2º Lazio, 3; 3º O. Marseille, 2; 4º Lokomotiv Moskva, 1

Grupo F
Sp. Braga – Midtjylland – 3-1
Ludogorets – Crvena zvezda – 0-1

1º Crvena zvezda, 6; 2º Sp. Braga, 3; 3º Ludogorets e Midtjylland, 1

Grupo G
Ferencváros – Betis – 1-3
Celtic – B. Leverkusen – 0-4

1º B. Leverkusen e Betis, 6; 3º Ferencváros e Celtic, 0

Grupo H
West Ham – Rapid Wien – 2-0
Genk – D. Zagreb – 0-3

1º West Ham, 6; 2º D. Zagreb e Genk, 3; 4º Rapid Wien, 0

30 Setembro, 2021 at 10:10 pm Deixe um comentário

Liga dos Campeões – 2ª Jornada – Resultados e Classificações

Grupo A
Paris Saint-Germain – Manchester City – 2-0
RB Leipzig – Brugge – 1-2

1º Paris Saint-Germain e Brugge, 4; 3º Manchester City, 3; 4º RB Leipzig, 0

Grupo B
FC Porto – Liverpool – 1-5
AC Milan – Atlético Madrid – 1-2

1º Liverpool, 6; 2º Atlético Madrid, 4; 3º FC Porto, 1; 4.º AC Milan, 0

Grupo C
Ajax – Beşiktaş – 2-0
Borussia Dortmund – Sporting – 1-0

1º Ajax e Borussia Dortmund, 6; 3º Beşiktaş e Sporting, 0

Grupo D
Shakhtar Donetsk – Inter – 0-0
Real Madrid – Sheriff Tiraspol – 1-2

1º Sheriff Tiraspol, 6; 2º Real Madrid, 3; 3º Inter e Shakhtar Donetsk, 1

Grupo E
Benfica – Barcelona – 3-0
Bayern München – Dynamo Kyiv – 5-0

1º Bayern München, 6; 2º Benfica, 4; 3º Dynamo Kyiv, 1; 4º Barcelona, 0

Grupo F
Manchester United – Villarreal – 2-1
Atalanta – Young Boys – 1-0

1º Atalanta, 4; 2º Manchester United e Young Boys, 3; 4º Villarreal, 1

Grupo G
Salzburg – Lille – 2-1
Wolfsburg – Sevilla – 1-1

1º Salzburg, 4; 2º Sevilla e Wolfsburg, 2; 4º Lille, 1

Grupo H
Zenit – Malmö – 4-0
Juventus – Chelsea – 1-0

1º Juventus, 6; 2º Zenit e Chelsea, 3; 4º Malmö, 0

29 Setembro, 2021 at 10:00 pm Deixe um comentário

Liga dos Campeões – 2ª Jornada – Benfica – Barcelona

BenficaBenfica – Odysseas Vlachodimos, Lucas Veríssimo, Nicolás Otamendi, Jan Vertonghen, Valentino Lazaro (45m – Gilberto Moraes), Julian Weigl, João Mário, Alejandro “Álex” Grimaldo (75m – André Almeida), Rafael “Rafa” Silva (86m – Luís Fernandes “Pizzi”), Darwin Núñez (86m – Gonçalo Ramos) e Roman Yaremchuk (75m – Adel Taarabt)

Barcelona – Marc-André ter Stegen, Eric García, Gerard Piqué (33m – Pablo Gavira “Gavi”), Ronald Araújo, Sergi Roberto (89m – Óscar Mingueza), Frenkie de Jong, Sergio Busquets (68m – Nicolás “Nico” González), Pedro “Pedri” González (68m – Philippe Coutinho), Sergiño Dest, Luuk de Jong (68m – Anssumane “Ansu” Fati) e Memphis Depay

1-0 – Darwin Núñez – 3m
2-0 – Rafael “Rafa” Silva – 69m
3-0 – Darwin Núñez (pen.) – 79m

Cartões amarelos – Nicolás Otamendi (33m), Rafael “Rafa” Silva (56m), Alejandro “Álex” Grimaldo (62m) e Julian Weigl (72m); Gerard Piqué (12m), Eric García (54m), Sergiño Dest (78m) e Nicolás “Nico” González (86m)

Cartão vermelho – Eric García (87m)

Árbitro – Daniele Orsato (Itália)

Era preciso já recuar alguns anos para encontrar uma vitória do Benfica sobre um gigante do futebol europeu: 1-0 ao Borussia Dortmund em Fevereiro de 2017 (numa eliminatória da “Champions” que, na 2.ª mão, não deixou boas memórias); 2-1 no Vicente Calderón, frente ao At. Madrid, há precisamente seis anos (a 30 de Setembro); 2-1 à Juventus em Abril de 2014, nas meias-finais da Liga Europa.

Para encontrar uma vitória por três (ou mais) golos ante um desses colossos é necessário recuar ainda muito mais: 5-1 ao Feyenoord em Março de 1972; ou, igualmente, 5-1 ao Real Madrid em Fevereiro de 1965. Para encontrar uma (a única, até à data) vitória face ao Barcelona, teremos de regressar no tempo, até 31 de Maio de 1961 (há mais de 60 anos!), à final de Berna, na qual o Benfica se sagrou Campeão Europeu pela primeira vez.

Só isto já permitirá bem dar uma noção da grandeza do feito alcançado pelo Benfica esta noite. É verdade que foi obtido ante uma equipa do Barcelona a atravessar uma enorme crise, desfalcada de Messi, e, porventura ainda mais importante que isso, forçada, por motivos financeiros, a reestruturar o seu plantel, recorrendo à sua formação. Mas o Benfica teve o grande mérito de, em mais uma gloriosa noite europeia, materializar – de forma categórica – o seu “favoritismo” (de que muitos desconfiámos) para este jogo.

As coisas não poderiam ter começado melhor (para o Benfica), nem pior (para um Barcelona, por estes dias, a duvidar imenso de si próprio): estavam apenas completos os dois minutos iniciais quando Darwin, no seu jeito muito “em força”, rompeu a defesa contrária, descaído sobre o lado esquerdo, ultrapassando um frágil Eric García, antes de se internar ligeiramente e rematar junto ao poste mais próximo, sem hipótese de defesa para Ter Stegen. O Benfica entrava a ganhar e adquiria, desde logo, um fantástico suplemento anímico, a reforçar a sua confiança.

Não obstante, no imediato, o Barcelona não se descompôs, assumindo até o controlo da posse de bola, evidenciando a qualidade individual dos seus jogadores, em especial Frenkie de Jong e, sobretudo, Pedri, fazendo a equipa portuguesa sofrer durante bastantes largos minutos. A turma catalã criou, pelo menos, três soberanas ocasiões para marcar, mas a desinspiração de Luuk de Jong, a par da grande concentração de Lucas Veríssimo, proporcionaram que a baliza benfiquista se mantivesse inviolada. Um período em que o Benfica foi feliz, com a sorte do jogo pelo seu lado.

Entretanto Piqué, já a começar a acusar alguma natural veterania, vira, logo aos 12 minutos, um cartão amarelo, tendo beneficiado do indulto do árbitro, que lhe poupou, ainda antes da meia hora de jogo, o segundo amarelo e consequente expulsão. Koeman, avisado, retirou-o de campo logo aos 33 minutos, optando por fazer baixar Frenkie de Jong para o eixo da defesa. Tal revelar-se-ia um fulcral erro estratégico.

Privado da influência do neerlandês na condução da manobra da equipa na zona nevrálgica do meio-campo, o Barcelona possibilitaria então ao Benfica começar a “ter bola”, com a dupla Weigl-João Mário em destaque, procurando explorar a potência física de Darwin, no ataque à profundidade, assim como a velocidade de Rafa, a baralhar a defesa contrária. Numa saída intempestiva de Ter Stegen da baliza, o uruguaio contornou o guardião, mas, de bastante longe e com ângulo apertado, mais não conseguiu que rematar à base do poste.

Koeman voltaria a ser infeliz quando, precisamente a meio da segunda parte, optou por fazer uma tripla substituição, em simultâneo, fazendo sair de campo um já muito desgastado Pedri. Os três substitutos não tinham entrado há mais de um minuto, portanto, procurando ainda posicionar-se no terreno, quando o Benfica ampliou a vantagem: João Mário, à entrada da área, contemporizou, tabelando no momento preciso com Yaremchuk, que lhe devolveu a bola de imediato; João Mário rematou, mas Ter Stegen fez a mancha, rechaçando a bola para a zona central, onde, muito oportuno, Rafa, de primeira, não perdoou, desferindo um míssil teleguiado para o fundo da baliza. O Barcelona estava derrotado.

Dez minutos volvidos, um subtil contacto de Dest com o braço na bola foi sancionado com grande penalidade, que Darwin, imperturbável, converteu no terceiro tento benfiquista. Estava consumada a goleada. A finalizar mais uma noite terrível, a formação da Catalunha ficaria reduzida a dez elementos, mas já não havia tempo para mais.

O Benfica, que teve, esta noite, a possibilidade de exponenciar as suas maiores qualidades – e beneficiando da inconsistência exibicional do adversário -, vencia de forma incontestável, por números expressivos, ante um Barcelona, com jogadores de indiscutível qualidade, mas que – repleto de equívocos tácticos, apresentando-se de forma desorganizada e em enorme crise de confiança – necessitará de muito trabalho para se poder constituir numa efectiva equipa.

29 Setembro, 2021 at 9:52 pm Deixe um comentário

Eleições Autárquicas 2021 – Resultados Câmaras Municipais

               PS    PSD  PSD/CDS  CDU    CH    BE   CDS  Ind.
Aveiro        26,0*    -    51,3   3,3   4,0   6,4    -     -
Beja          39,1     -    18,5  32,8   5,4   1,7    -     -
Braga         30,7     -    42,9   6,7   4,7   4,2    -     -
Bragança      27,0   57,5     -    2,2   5,9   1,3   1,4    -
Cast. Branco  36,0     -    11,5   2,2   7,2   1,6    -   31,7
Coimbra       32,6     -    43,9   7,5   2,3    -     -    6,3
Évora         26,3     -    19,1  27,4   6,8   3,8    -     -
Faro          30,6     -    47,8   6,5   5,1   4,1    -     -
Guarda        18,0   33,7     -    1,3   2,7   1,6   2,7  36,2
Leiria        52,5   22,4     -    2,5   5,7   2,4   4,2*   -
Lisboa        33,3*    -    34,3  10,5   4,4   6,2    -     -
Portalegre    25,4     -    38,4   6,6   1,9   0,4    -   25,1
Porto         18,0   17,2     -    7,5   2,9   6,3    -   40,7
Santarém      33,3   37,4     -    7,2   7,9   4,2   2,6    -
Setúbal       27,7   16,6     -   34,4   5,9   4,2   1,7    -
V. Castelo    45,1     -    24,6  10,0   3,4   4,5    -     -
Vila Real     58,4     -    28,7   2,1   4,2   2,7    -     -
Viseu         38,3   46,7     -    1,2   3,0   2,0   2,0    -
Almada        40,0     -    10,7  29,7   5,6   6,8    -     -
Amadora       43,9     -    24,5   9,9   5,4   5,3    -     -
Barcelos      37,2     -    45,4   1,7   3,7   2,3    -    4,5
Cascais       21,6*    -    52,5   5,4   7,4   3,7    -     -
V.N.Famalicão 32,2     -    52,9   2,4   2,8   1,9    -     -
Guimarães     48,1     -    34,2   5,5   3,3   2,5    -     -
Gondomar      46,9     -    21,6  10,8   4,0   5,8    -     -
Loures        31,5   14,0     -   29,0   8,4   3,9   1,5    -
Maia          32,3     -    40,4   4,8   3,8   5,2    -     -
Matosinhos    43,6     -    17,3   6,6   3,8   5,7    -    9,9
Odivelas      44,8     -    20,1  10,8   8,7   4,7    -     -
Oeiras        10,5    7,9*    -    5,2   3,7   7,3*  1,7  50,9
Sta. M. Feira 30,1   48,9     -    2,3   2,8   3,7   3,3    -
Seixal        30,9    9,3     -   37,7   8,1   4,3   1,5*   -
Sintra        35,3     -    27,5   9,0   9,1   5,8    -     -
V. F. Xira    39,6     -    14,8  21,9   8,5   6,0    -     -
V. N. Gaia    57,8     -    17,6   4,8   4,2   4,6    -     -
Funchal       39,7*    -    47,0   2,9   2,6    -     -     -
Ponta Delgada 37,3    48,8    -    1,2   1,9   2,7    -     -

Em relação a este conjunto de (37) dos principais municípios do País, registaram-se as seguintes alterações a nível de Presidência de Câmara, relativamente às Eleições de 2017:

  • Coligações PSD/CDS-PP (e outros partidos) – ganharam as Câmaras de Lisboa, Coimbra, Barcelos (anteriormente do PS) e Funchal (a Coligação integrada pelo PS), assim como Portalegre (anteriormente de Grupo de Cidadãos Independentes)
  • PS – ganhou a Câmara de Loures à CDU
  • Grupo de Cidadãos Independentes – ganhou a Câmara da Guarda (anteriormente do PSD)

Presidentes de Câmara eleitos:
(mais…)

27 Setembro, 2021 at 11:09 pm Deixe um comentário

Eleições Autárquicas 2021 – Resultados finais

(via)

O PS obteve a presidência de 148 Câmaras Municipais, a que acresce uma outra em coligação (159 + 2 em 2017); por seu lado, o PSD venceu em 72 municípios (considerando também o de Águeda, em que terá de haver repetição parcial da eleição), aos quais acrescem igualmente 42 vitórias em coligações (79 + 19 em 2017); a CDU ganhou 19 presidências (24 em 2017); o CDS-PP venceu em 6 municípios (mantendo os 6 de 2017); e o JPP em 1 (1 em 2017). Os grupos de Independentes obtiveram19 presidências de Câmara (17 em 2017). Em 2017 o NÓS, Cidadãos tinha conquistado a vitória uma Câmara Municipal.

27 Setembro, 2021 at 5:38 pm Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 1ª Jornada

(“O Templário”, 23.09.2021)

No arranque da nova temporada futebolística, que se deseja possa vir a ser cumprida na íntegra, ao invés do que sucedeu nas duas épocas precedentes, em que não foi possível concluir o campeonato distrital da I Divisão, o Fazendense, que se apresenta bastante reforçado, esteve em grande evidência, impondo uma retumbante goleada no terreno do Ferreira do Zêzere.

Destaques – Num encontro entre duas equipas que visam alcançar melhor desempenho relativamente ao registado no campeonato anterior, o grupo das Fazendas de Almeirim não deu hipóteses ao seu adversário, goleando por 7-1 (não obstante até tenham sido os homens da casa a abrir o marcador)! Um desfecho que – para além de factores circunstanciais, relacionados com diferentes estágios de preparação – traduzirá, em paralelo, a ambição com que o Fazendense se apresenta, tal como indicia que os ferreirenses poderão ter mais um ano de intensa disputa pela manutenção no principal escalão, o que conseguiram, não sem dificuldade, no último ano.

As atenções estavam centradas, nesta ronda inaugural, no embate entre U. Almeirim – clube que exercera forte supremacia no campeonato de há dois anos, o que resultou então na promoção aos campeonatos nacionais, onde, contudo, não conseguiu alcançar o nível competitivo necessário, tendo sido novamente despromovido ao Distrital – e o Cartaxo, sempre um candidato aos lugares de topo. O resultado saldou-se por um tangencial 1-0 a favor dos almeirinenses, o que, no contexto presente, terá contrariado algum suposto favoritismo que poderia ser atribuído aos cartaxeiros.

Noutro desafio entre clubes também com ambições no campeonato, igualmente reforçados para esta época, o Rio Maior e o Mação neutralizaram-se, tendo empatado a uma bola, o que, claro, não compromete ainda quaisquer aspirações de um e outro emblema.

Em destaque esteve também o At. Ouriense, regressado à I Divisão Distrital, depois de, na época passada, ter vencido a série Norte do escalão secundário, na retoma da competição, após a suspensão da actividade registada no final de 2018-19. A turma de Ourém recebeu e bateu por categórica marca de 3-0, o conjunto da Glória do Ribatejo, que vem da mais brilhante temporada de todo o seu historial, culminada com a conquista da Taça do Ribatejo.

Surpresa – A surpresa da jornada inicial terá sido o empate (1-1) cedido pelo 2.º classificado do campeonato precedente (Abrantes e Benfica) em Salvaterra de Magos, frente ao recém-promovido Salvaterrense, com os golos apontados já ao “cair do pano” e ambos na conversão de grandes penalidades. Mas este será, provavelmente, um terreno que apresentará dificuldades para a generalidade dos adversários.

Confirmações – O Amiense confirmou a notável campanha realizada no último campeonato (em que obteve o 4.º posto), indo vencer, com alguma naturalidade, a Torres Novas: dois golos obtidos no quarto de hora inicial praticamente selaram o desfecho do desafio, não tendo os torrejanos – cujo objectivo será o da manutenção – conseguido melhor do que reduzir para a margem mínima.

Em Alcanena, os locais conseguiram, já à entrada do quarto de hora final do encontro, o tento solitário que lhes proporcionou o triunfo, na recepção ao Samora Correia, confirmando a importância do factor casa, entre duas formações que serão de valor equilibrado.

Por fim, o União de Tomar, que recebeu outro dos promovidos, o histórico Benavente, revelou algumas dificuldades em quebrar a organização defensiva contrária, com o nulo no marcador a manter-se ao intervalo, pese embora a insistência ofensiva dos nabantinos.

Na segunda parte tudo se modificou, com o primeiro tento obtido nos minutos iniciais, a que se seguiria o segundo golo, que parecia ser o da tranquilidade. Até que, já dentro dos derradeiros cinco minutos, um lance fortuito, com o guardião local a procurar aliviar a bola, mas que viria a embater contra um oponente, resultou em golo para os forasteiros, lançando a dúvida para o tempo restante, fase na qual, todavia, os benaventenses não conseguiriam criar perigo. A diferença mínima não espelha adequadamente a superioridade patenteada pelos nabantinos nos 90 minutos.

Liga 3 – Em estreia absoluta nesta temporada, a “Liga 3” é um novo escalão que se veio intercalar entre a II Liga e o Campeonato de Portugal (que passou, pois, a corresponder ao 4.º nível do futebol em Portugal). O U. Santarém é o único representante do Distrito nesta competição, que atingiu já a sua 4.ª jornada desta primeira fase, sendo que os escalabitanos – que foram desfeiteados, no Domingo passado, no seu reduto, pelo Torreense (1-3) – apenas alcançaram, até agora, um único triunfo (logo na jornada inicial, ante o Oriental Dragon, no Lavradio, por 2-1), ocupando o 9.º lugar, entre 12 concorrentes, na série Sul.

Campeonato de Portugal – Esta temporada com um formato novamente ajustado, disputado por 61 clubes, repartidos em seis séries (cinco de dez equipas cada e uma série com onze), o distrito de Santarém conta também apenas um representante, precisamente o Campeão Distrital em título, Coruchense, enquadrado na série E, na qual pontifica o histórico Belenenses (de regresso aos campeonatos nacionais, após uma travessia de três temporadas no Distrital de Lisboa, na qual, sucessivamente, obteve outras tantas promoções, isto na sequência da corajosa decisão dos seus sócios de (re)começar – desde a época de 2018-19 – a constituir direitos desportivos, a partir do escalão mais baixo do futebol português, num caminho de enorme dignidade que decidiu trilhar).

Na 2.ª ronda da prova, disputada no passado fim-de-semana, o Coruchense recebeu e venceu “O Elvas” por 3-2, integrando, para já, o lote dos 3.º classificados, com 3 pontos (depois de ter começado por perder em Loures, por 1-3, na jornada inicial).

Antevisão – Na 2.ª jornada da I Divisão Distrital teremos os seguintes embates que concitarão maiores atenções: Abrantes e Benfica-U. Almeirim, Mação-At. Ouriense, Fazendense-Alcanenense e Glória do Ribatejo-U. Tomar.

À partida os donos da casa terão maior dose de favoritismo, à excepção, porventura, do encontro da Glória – devendo, não obstante, recordar-se que União e Glória terminaram empatados em pontos na última edição, respectivamente no 6.º e 7.º lugares. Pese embora os números algo pesados sofridos nos dois primeiros jogos da temporada (para a Taça e no arranque do Distrital), a formação da Glória pretenderá potenciar o factor casa, visando “surpreender” o opositor.

A “Liga 3” e o Campeonato de Portugal terão nova pausa, para disputa da 2.ª eliminatória da Taça de Portugal. Após as eliminações de U. Santarém (pelo Loures, no desempate da marca de grande penalidade), Abrantes e Benfica (2-4 ante o Caldas, após prolongamento) e Glória do Ribatejo (0-4 com o Sintrense), subsiste em prova o Coruchense (isento na ronda inicial), que se desloca a Anadia, para defrontar uma turma supostamente de maior potencial, a militar na “Liga 3”.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 23 de Setembro de 2021)

25 Setembro, 2021 at 11:00 am Deixe um comentário

José-Augusto França (1922-2021)

Com 98 anos de idade faleceu hoje em França (em Jarzé, próximo de Angers), José-Augusto França – nascido em Tomar (na então Travessa da Saboaria) a 16 de Novembro de 1922 -, historiador, sociólogo e crítico de arte, grande referência da cultura portuguesa, ao longo de mais de sete décadas de actividade, e nome maior da historiografia da Arte em Portugal, tendo sido fundador do primeiro curso de História de Arte (na Universidade Nova de Lisboa, a partir de 1974).

No final da década de 40 do século passado, integrou o movimento artístico e intelectual, aquando da criação do Grupo Surrealista de Lisboa, com Mário Cesariny, Alexandre O’Neill ou Marcelino Vespeira.

Licenciou-se em Ciências Históricas e Filosóficas, diplomado pela École d`Hautes Études de Paris, tendo-se doutorado em História (sobre a reconstrução pombalina de Lisboa, em 1962) e em Letras (sobre o romantismo português, em 1969) na Universidade de Sorbonne, em Paris. Presidiu à Academia Nacional de Belas-Artes.

Foi autor de mais de cem obras escritas – para além de centenas de artigos escritos -, destacando-se, em especial, “Lisboa Pombalina e o Iluminismo”, “A Arte em Portugal no Século XIX”, “A Arte em Portugal no Século XX”, “História da Arte Ocidental, 1750-2000” e “Lisboa, História Física e Moral”, para além das suas monografias sobre Almada Negreiros, Amadeo de Souza-Cardoso ou Rafael Bordalo Pinheiro.

Foi também agraciado com a Ordem do Infante D. Henrique (1991), a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique (2006) e a Medalha de Mérito Cultural (2012), assim como a medalha de Honra da Cidade de Lisboa (1992) e a Medalha de Ouro da Cidade de Tomar (2014).

Doou parte do seu espólio ao museu da cidade de Tomar, possibilitando a criação do “Núcleo de Arte Contemporânea José-Augusto França”, inaugurado em 2004, integrando uma centena de obras de arte da sua colecção, de que o próprio destacou: “Signos desmemoriados, momentos IX”, de Fernando Lemos, pintado em 1972; e a grande pintura em duas tábuas, de Noronha da Costa, sem título, de cerca de 1970. Ofertou também parte dos seus livros à Biblioteca de Tomar. Na ocasião, apontara como justificações para as doações:

[…] de ordem moral uma, sentimental, a outra. Ao termo de sessenta anos de vida útil (dir-se-ia de carreira, mas detesto tal coisa), entendeu o doador arrumar o que neles foi acumulando, pinturas e outros objetos de arte, livros e manuscritos, o que seria, mas ainda não é, o seu espólio, distribuindo-os por sítios apropriados de cultura, os quadros para museus (e foram, principalmente, o do Chiado, e este de Tomar, consoante adequação histórica das espécies), os livros para várias bibliotecas, entre as quais a de Tomar, a da Fundação Gulbenkian (que guarda, desde 1992, o total da bibliografia ativa, em volumes singulares e coletivos, folhetos, catálogos e publicações periódicas do que se fez nessa altura, exposição e catálogo de 3400 números e ainda arquivos de doutoramentos no Departamento de História de Arte da Universidade Nova de Lisboa e da Cinemateca Nacional.

A moral da história está em se acrescentar assim a utilidade que a vida do doador, isto é, a minha, possa ter tido, mostrando em permanência o que ele tinha guardado para uso próprio, gozo com certeza, mas também, e indispensavelmente, instrumentação do seu trabalho – uma coisa e outra no seu quotidiano de 60 anos”.

18 Setembro, 2021 at 11:35 pm Deixe um comentário

Liga Conferência Europa – 1ª Jornada – Resultados e Classificações

Grupo A
Maccabi Tel-Aviv – Alashkert – 4-1
HJK Helsinki – LASK Linz – 0-2

1º Maccabi Tel-Aviv e LASK Linz, 3; 3º HJK Helsinki e Alashkert, 0

Grupo B
Anorthosis – Partizan – 0-2
Flora Tallinn – Gent – 0-1

1º Partizan e Gent, 3; 3.º Flora Tallinn e Anorthosis, 0

Grupo C
Roma – CSKA-Sofia – 5-1
Bodø/Glimt – Zorya Luhansk – 3-1

1º Roma e Bodø/Glimt, 3; 3º Zorya Luhansk e CSKA-Sofia, 0

Grupo D
Jablonec – CFR Cluj – 1-0
Randers – AZ Alkmaar – 2-2

1º Jablonec, 3; 2º AZ Alkmaar e Randers, 1; 4º CFR Cluj, 0

Grupo E
Maccabi Haifa – Feyenoord – 0-0
Slavia Praha – Union Berlin – 3-1

1º Slavia Praha, 3; 2º Feyenoord e Maccabi Haifa, 1; 4º Union Berlin, 0

Grupo F
Slovan Bratislava – København – 1-3
Lincoln Red Imps – PAOK – 0-2

1º København e PAOK, 3; 3º Slovan Bratislava e Lincoln Red Imps, 0

Grupo G
Mura Murska – Vitesse – 0-2
Rennes – Tottenham – 2-2

1º Vitesse, 3; 2º Rennes e Tottenham, 1; 4º Mura Murska, 0

Grupo H
Qarabağ – Basel – 0-0
Kairat Almaty – Omonia – 0-0

1º Basel, Kairat Almaty, Omonia e Qarabağ, 1

16 Setembro, 2021 at 10:45 pm Deixe um comentário

Artigos Mais Antigos


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Setembro 2021
S T Q Q S S D
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.