José-Augusto França (1922-2021)

18 Setembro, 2021 at 11:35 pm Deixe um comentário

Com 98 anos de idade faleceu hoje em França (em Jarzé, próximo de Angers), José-Augusto França – nascido em Tomar (na então Travessa da Saboaria) a 16 de Novembro de 1922 -, historiador, sociólogo e crítico de arte, grande referência da cultura portuguesa, ao longo de mais de sete décadas de actividade, e nome maior da historiografia da Arte em Portugal, tendo sido fundador do primeiro curso de História de Arte (na Universidade Nova de Lisboa, a partir de 1974).

No final da década de 40 do século passado, integrou o movimento artístico e intelectual, aquando da criação do Grupo Surrealista de Lisboa, com Mário Cesariny, Alexandre O’Neill ou Marcelino Vespeira.

Licenciou-se em Ciências Históricas e Filosóficas, diplomado pela École d`Hautes Études de Paris, tendo-se doutorado em História (sobre a reconstrução pombalina de Lisboa, em 1962) e em Letras (sobre o romantismo português, em 1969) na Universidade de Sorbonne, em Paris. Presidiu à Academia Nacional de Belas-Artes.

Foi autor de mais de cem obras escritas – para além de centenas de artigos escritos -, destacando-se, em especial, “Lisboa Pombalina e o Iluminismo”, “A Arte em Portugal no Século XIX”, “A Arte em Portugal no Século XX”, “História da Arte Ocidental, 1750-2000” e “Lisboa, História Física e Moral”, para além das suas monografias sobre Almada Negreiros, Amadeo de Souza-Cardoso ou Rafael Bordalo Pinheiro.

Foi também agraciado com a Ordem do Infante D. Henrique (1991), a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique (2006) e a Medalha de Mérito Cultural (2012), assim como a medalha de Honra da Cidade de Lisboa (1992) e a Medalha de Ouro da Cidade de Tomar (2014).

Doou parte do seu espólio ao museu da cidade de Tomar, possibilitando a criação do “Núcleo de Arte Contemporânea José-Augusto França”, inaugurado em 2004, integrando uma centena de obras de arte da sua colecção, de que o próprio destacou: “Signos desmemoriados, momentos IX”, de Fernando Lemos, pintado em 1972; e a grande pintura em duas tábuas, de Noronha da Costa, sem título, de cerca de 1970. Ofertou também parte dos seus livros à Biblioteca de Tomar. Na ocasião, apontara como justificações para as doações:

[…] de ordem moral uma, sentimental, a outra. Ao termo de sessenta anos de vida útil (dir-se-ia de carreira, mas detesto tal coisa), entendeu o doador arrumar o que neles foi acumulando, pinturas e outros objetos de arte, livros e manuscritos, o que seria, mas ainda não é, o seu espólio, distribuindo-os por sítios apropriados de cultura, os quadros para museus (e foram, principalmente, o do Chiado, e este de Tomar, consoante adequação histórica das espécies), os livros para várias bibliotecas, entre as quais a de Tomar, a da Fundação Gulbenkian (que guarda, desde 1992, o total da bibliografia ativa, em volumes singulares e coletivos, folhetos, catálogos e publicações periódicas do que se fez nessa altura, exposição e catálogo de 3400 números e ainda arquivos de doutoramentos no Departamento de História de Arte da Universidade Nova de Lisboa e da Cinemateca Nacional.

A moral da história está em se acrescentar assim a utilidade que a vida do doador, isto é, a minha, possa ter tido, mostrando em permanência o que ele tinha guardado para uso próprio, gozo com certeza, mas também, e indispensavelmente, instrumentação do seu trabalho – uma coisa e outra no seu quotidiano de 60 anos”.

Entry filed under: Tomar.

Liga Conferência Europa – 1ª Jornada – Resultados e Classificações O Pulsar do Campeonato – 1ª Jornada

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Setembro 2021
S T Q Q S S D
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Twitter

  • RT @tomasrdacunha: O problema do futebol europeu actual está precisamente no facto de o Bodø/Glimt ou o Paços de Ferreira "só" poderem ganh… 5 hours ago
  • RT @Fever_PitchFC: Gosto muito da Roma mas estes são os jogos que dão sentido ao muito tempo que ganho a descobrir um futebol mais alternat… 5 hours ago
  • @jorgeraa Sim, era algo do género que nos andava a ser "vendido"... afinal aparece-nos isto 6 hours ago

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.


%d bloggers like this: