Archive for 21 Fevereiro, 2019

Liga Europa – 1/16 Final (2.ª mão)

                                  2ª mão     1ª mão      Total
D. Zagreb - Viktoria Plzeň          3-0        1-2        4-2
RB Salzburg - Brugge                4-0        1-2        5-2
Inter - Rapid Wien                  4-0        1-0        5-0
Genk - Slavia Praha                 1-4        0-0        1-4
Bayer Leverkusen - Krasnodar        1-1        0-0        1-1
Napoli - Zürich                     2-0        3-1        5-1
Chelsea - Malmö                     3-0        2-1        5-1
E. Frankfurt - Shakhtar Donetsk     4-1        2-2        6-3
Valencia - Celtic                   1-0        2-0        3-0
Betis - Rennes                      1-3        3-3        4-6
D. Kyiv - Olympiakos                1-0        2-2        3-2
Sevilla - Lazio                     2-0        1-0        3-0
Zenit - Fenerbahçe                  3-1        0-1        3-2
Villarreal - Sporting               1-1        1-0        2-1
Arsenal - BATE Borisov              3-0        0-1        3-1
Benfica - Galatasaray               0-0        2-1        2-1

Espanha, com três representantes (Valencia, Sevilla e Villarreal) apresentará o maior contingente nos 1/8 de final, seguindo-se Itália (Inter e Napoli), Inglaterra (Chelsea e Arsenal) e Rússia (Krasnodar e Zenit), cada um com dois clubes apurados.

Das equipas que transitaram da Liga dos Campeões mantêm-se em prova Inter, Napoli, Valencia e Benfica, tendo sido eliminados o Viktoria Plzeň, Brugge, Shakhtar Donetsk e Galatasaray.

Por seu lado, dos 12 vencedores da Fase de Grupos, foram eliminados: Bayer Leverkusen, Betis, Genk. Ao invés, qualificaram-se para os 1/8 de final três clubes que haviam terminado a Fase de Grupos no 2.º lugar: Slavia Praha, Krasnodar e Rennes.

21 Fevereiro, 2019 at 10:53 pm Deixe um comentário

Liga Europa – 1/16 de final – Benfica – Galatasaray

BenficaBenfica – Odysseas Vlachodimos, André Almeida, Rúben Dias, Francisco Ferreira “Ferro”, Alejandro “Álex” Grimaldo, Luís Fernandes “Pizzi” (83m – Gabriel Pires), Gedson Fernandes, Florentino Luís, Franco Cervi (59m – Rafael “Rafa” Silva), João Félix (76m – Jonas Gonçalves) e Haris Seferović

GalatasarayGalatasaray – Fernando Muslera, Mariano Ferreira, Christian Luyindama, Marcão, Yuto Nagatomo, Sofiane Feghouli (83m – Emre Akbaba), Ryan Donk (78m – Sinan Gümüş), Younès Belhanda, Papa “Badou” Ndiaye, Henry Onyekuru (83m – Yunus Akgün) e Mbaye Diagne

Cartões amarelos – Jonas Gonçalves (90m); Marcão (4m) e Papa “Badou” Ndiaye (90m)

Árbitro – Ovidiu Alin Haţegan (Roménia)

Prosseguindo a gestão do plantel, Bruno Lage fez alinhar, nesta 2.ª mão da eliminatória, um misto dos considerados titulares na defesa (agora com a inclusão de Ferro), mantendo um trio de elementos da zona intermediária que tinha jogado em Istambul (Florentino, Gedson e Cervi), chamando Pizzi, mas fazendo repousar Gabriel, Samaris e Rafa.

Adoptando uma toada conservadora, procurando jogar pelo seguro, a iniciativa de jogo coube, ainda assim, em maior escala, ao Benfica, perante uma formação do Galatasaray que ia denotando muitas dificuldades em elaborar jogadas com “princípio, meio e fim”, que pudessem colocar em risco a linha defensiva contrária.

Assim, ainda antes dos dez minutos, beneficiando de uma falha da equipa turca, Pizzi ofereceu uma oportunidade que, porém, Cervi, isolado frente ao guardião adversário, não aproveitou.

Sem grandes ocasiões dignas de registo, anota-se ainda um outro lance, com um corte temerário de Marcão, que podia ter resultado na introdução da bola na sua própria baliza.

No reatamento, o Benfica apostou ainda em chegar ao golo, tendo tido, por volta da hora de jogo, a principal ocasião de perigo, com a bola a sobrar para João Félix, na pequena área, mas este a rematar desenquadrado, por alto.

Não obstante, e à medida que o tempo ia decorrendo, o Benfica foi, gradualmente, privilegiando o minorar do risco, como que abdicando da busca da vitória neste jogo, mas sem deixar de ter a situação sob controlo, apesar de o Galatasaray ter forçado, nos minutos finais, a trabalhos extra, chegando inclusivamente a provocar um ou outro susto.

Mas, efectivamente, a equipa turca apenas a cinco minutos do final do desafio teria ocasião para marcar, a remate de cabeça de Diagne, defendido por Vlachodimos, com Akbaba a recarregar para a baliza, num lance invalidado pelo árbitro, que terá ajuizado mal. Antes, ainda na primeira metade, também o Benfica reclamara de um grande penalidade não assinalada.

Ficando em branco pela primeira vez no “consulado” de Bruno Lage, após onze jogos sempre a marcar (total de 35 golos), nos quais obteve dez vitórias, esta foi a exibição menos conseguida da equipa benfiquista, que, ainda assim, justifica plenamente a vitória na eliminatória, pela forma como conseguiu controlar a preciosa vantagem trazida de Istambul.

21 Fevereiro, 2019 at 10:52 pm Deixe um comentário


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Fevereiro 2019
S T Q Q S S D
« Jan   Mar »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

  • RT @2010MisterChip: Esos son los cinco mejores de la historia para mi, pero no en ese orden. Para mí Cristiano merece estar en esa mesa de… 3 hours ago
  • RT @Jaimefmacias: Parece haber pasado algo desapercibido en este futbol tan convulsionado Messi recibió hoy su 6ta Bota de Oro. Salvo Crist… 3 hours ago
  • RT @PCMagalhaes: Espero que não tenhamos de esperar pelo dia em que uma maioria absoluta dependa dos 4 deputados dos círculos Europa e Fora… 22 hours ago

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.