O Pulsar do Campeonato – 11ª Jornada

23 Dezembro, 2017 at 12:00 pm Deixe um comentário

Pulsar-11

(“O Templário”, 21.12.2017)

Com o triunfo do Fazendense sobre o Mação, está relançado o campeonato! De facto, quando não atingimos sequer o termo da metade inicial da competição, o novo 2.º classificado – U. Tomar (a par da turma das Fazendas) – dista agora cinco pontos do líder, tendo recuperado entretanto já cinco (dos dez) pontos de atraso que chegou a registar, em outras tantas jornadas… Mais: para além do par que reparte a 2.ª posição, segue-se de perto um trio, só a dois pontos.

Destaques – O primeiro grande realce da 11.ª jornada vai para o Fazendense, que, quebrando a invencibilidade do Mação, ao ganhar por 2-0, é, agora, o único clube ainda invicto na prova, paralelamente, intrometendo-se decididamente no lote de candidatos.

Da parte dos maçaenses, que parecem atravessar uma fase de alguma quebra de “fulgor” (mesmo superando os diversos obstáculos que se lhe iam deparando, a verdade é que as últimas quatro vitórias alcançadas no campeonato foram, todas elas, por marca tangencial, tendo, entretanto, cedido dois empates nos quatro jogos anteriores), este é um claro indício de que estará ainda bastante longe a concretização do objectivo, sendo que, aliás, estes últimos resultados permitem suscitar a dúvida, atendendo também à fraca capacidade de concretização que vêm revelando (média inferior a dois golos, nesta altura apenas o 6.º “melhor ataque”).

Destaca-se igualmente mais uma categórica vitória do U. Tomar, goleando por excepcional marca de 5-0 – em jogos de campeonato, fora de casa, a sua segunda maior goleada dos últimos 50 anos! (apenas superada pelos 8-0 de 2013-14, frente aos “Caixeiros”) – na visita a Samora Correia. Um desfecho que, todavia, denota apenas ilusórias facilidades para os unionistas; num desafio de características muito peculiares, houve como que três fases claramente distintas…

Uma inicial, com a equipa tomarense a entrar em campo com grande atitude, “mandona”, assumindo a iniciativa, uma vez mais praticamente entrando a ganhar, com o primeiro tento obtido ainda não estavam completados três minutos, numa bela iniciativa de Wemerson (que seria autor de um “hat-trick”), a isolar-se, cara a cara com o guarda-redes, não vacilando. No imediato, dando boa sequência a esse posicionamento em campo, o União ampliaria a contagem por volta do quarto de hora, na conversão de uma grande penalidade, de que acabaria por resultar a expulsão do guardião samorense (tendo visto um cartão amarelo antes do remate da marca de “penalty” e, outro, imediatamente após a sua concretização, ambos por protestos).

Esta situação viria a condicionar todo o resto do encontro, acabando por, de alguma forma, limitar o brilho do triunfo nabantino. Efectivamente, à passagem dos vinte minutos, o Samora Correia ver-se-ia reduzido a nove elementos, com o árbitro a evidenciar notórias dificuldades em “segurar” o jogo. Paradoxalmente, nesse período, a jogar em superioridade numérica, o U. Tomar teria grandes dificuldades em suster o ímpeto do adversário, que dispôs de algumas ocasiões soberanas para marcar, apenas por um misto de grande infelicidade e inépcia não tendo conseguido reduzir a desvantagem. A findar o primeiro tempo, também os tomarenses teriam um elemento expulso (por empurrão, em “resposta” a falta de adversário).

Temeu-se que o jogo pudesse ficar “estragado” e, inclusivamente, que viesse a complicar-se de tal forma para o árbitro, podendo inclusivamente vir a colocar em causa a sua conclusão. Valeria então – para “alívio” de todos –, cerca dos dez minutos da segunda parte, o terceiro golo unionista, aproveitando o desposicionamento táctico dos samorenses, em mais um rápido lance de contra-ataque. A partir daí, o União controlaria o jogo a seu bel-prazer, acabando, já na fase final, por marcar ainda por mais duas vezes, em tentos de bom recorte técnico, sendo de registar o “fair-play” demonstrado pelos visitados, perante um resultado excessivamente desnivelado.

Surpresas – Esta foi uma jornada em que se registam alguns desfechos inesperados: desde logo, a sensacional reviravolta operada pelo Ferreira do Zêzere, que, depois de ter estado a perder 0-2 com o U. Almeirim (anterior vice-líder), acabaria por vencer por 3-2! Mas, também, o triunfo do Cartaxo em Ourém, ante o At. Ouriense (1-3), confirmando que os cartaxeiros são especialmente vocacionados para vencer em terreno alheio. Por fim, não seria talvez expectável a vitória do Riachense frente ao Amiense (2-1), somando preciosos pontos.

Confirmações – Em Abrantes e em Santarém, confirmou-se o favoritismo da U. Abrantina (2-0, na recepção ao Moçarriense) e do Torres Novas (ganhando, por dilatada marca de 3-0 perante o agora “lanterna vermelha”, Empregados do Comércio, a agravar a crise dos “Caixeiros”).

II Divisão Distrital – Na série a Norte, para além da goleada (7-0) do Rio Maior ao At. Pernes, menção a novo empate (3-3) no “derby” Tramagal-Pego, o que proporcionou o reagrupamento na frente da tabela, com os quatro primeiros agora separados por apenas dois pontos.

A Sul, o U. Santarém prossegue a sua senda goleadora (depois de 4-0 ao Forense e de 6-1 ao Pontével, e do 6-0 ao U. Atalaiense para a Taça, foi golear ao Porto Alto por 7-0!). Por seu lado, o Glória do Ribatejo venceu no terreno do Forense (2-0), confirmando a sua liderança, enquanto o Marinhais foi ganhar ao campo do Vale da Pedra, mantendo-se na perseguição, a dois pontos.

Campeonato de Portugal – Nesta 13.ª jornada, uma vitória (do Coruchense, nos Açores, face ao Lusitânia, por 2-1), um empate (do Fátima, em Loures, a zero) e uma derrota (do Alcanenense, em Sintra, ante o 1.º Dezembro, por 2-0) resultam na subida da turma do Sorraia ao grupo dos 4.º classificados, estando o grupo de Alcanena imediatamente acima da “linha de água”, enquanto os fatimenses se mantêm no 12.º posto, três pontos abaixo.

Antevisão – Os campeonatos entram agora em período de férias, apenas sendo retomados já no novo ano, de 2018. Neste Sábado, conclui-se a disputa dos 1/8 de final da Taça do Ribatejo, salientando-se a “reedição” do confronto entre Mação e Fazendense, agora no terreno dos maçaenses, enquanto o U. Tomar terá uma deslocação ao sempre difícil reduto de Amiais de Baixo, pese embora o desempenho irregular que o Amiense vem apresentando no campeonato.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 21 de Dezembro de 2017)

Anúncios

Entry filed under: Tomar.

O Pulsar do Campeonato – Taça do Ribatejo – 1/8 de final Alterações à Lei do Financiamento Partidário – Artigo 6.º

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Autor – Contacto

Destaques

Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Dezembro 2017
S T Q Q S S D
« Nov   Jan »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.


%d bloggers like this: