O pulsar do campeonato – 26ª jornada

18 Maio, 2014 at 10:00 am Deixe um comentário

Pulsar-26

(“O Templário”, 15.05.2014)

Decidida que fora já – na jornada anterior – a atribuição do título de Campeão Distrital da I Divisão, conquistado com mérito pelo At. Ouriense, equipa mais regular ao longo de toda a competição, a derradeira ronda da prova tinha como aliciante principal a disputa da manutenção, ainda com três equipas envolvidas (Pontével, U. Chamusca e Benavente), procurando escapar ao indesejável 13.º lugar, posição que se traduz no ficar em suspenso do desempenho final do Riachense no Campeonato Nacional de Seniores.

Afinal, acabou por não haver surpresas, tendo as três equipas ainda em risco perdido os respectivos jogos: o Pontével, derrotado pelo vizinho Cartaxo por 0-3 (culminando um sofrido final de época, com cinco desaires nas cinco jornadas finais); o U. Chamusca, perdendo em casa com o Torres Novas (1-2); e o Benavente, goleado em Santarém, pelos Empregados do Comércio (1-5). Deste modo, mantiveram-se portanto as posições relativas dos três clubes, pelo que é o Benavente que se mantém em suspenso, tendo o seu futuro “nas mãos” do Riachense.

Nas outras quatro partidas, o novo Campeão, At. Ouriense, recebeu e bateu o Fazendense (4.º classificado), por 1-0, enquanto o vice-campeão, Coruchense, goleou o Amiense (5.º lugar) por 4-1. O Mação ganhou por 2-1 ao Assentis, na nona derrota consecutiva do grupo do município de Torres Novas. Por fim, despedindo-se “em beleza” da edição correspondente ao ano do Centenário, o União de Tomar completou uma série de quatro vitórias sucessivas – o melhor ciclo que registou em toda a prova –, vencendo, na recepção à U. Abrantina, por 2-0.

Num balanço final deste campeonato, destaque para o At. Ouriense, que, depois de um mau início (apenas obteve a primeira vitória à quarta jornada, somando apenas dois pontos nas três rondas inaugurais), engrenou para um excelente desempenho (melhor ataque, de forma destacada, apenas tendo sido superado, a nível de defesa menos batida, pelo Coruchense), com uma magnífica 2.ª volta, em que, em 13 jornadas, obteve doze triunfos, apenas perdendo no jogo “menos conveniente” para os interesses do União de Tomar, em Amiais de Baixo (o que impossibilitaria aos unionistas consumar a sua recuperação do 5.º lugar).

O Coruchense e o Torres Novas, embora claudicando em “momentos-chave” (a equipa de Coruche, tendo começado o campeonato com três empates, perdeu mais sete pontos nos seis primeiros jogos da 2.ª volta; os torrejanos, acumulando três desaires em quatro encontros, entre a 20.ª e a 23.ª jornadas) mantiveram, não obstante, alguma regularidade (28+29 pontos para o Coruchense; 27+25 pontos para o Torres Novas, nas duas metades da prova), que lhes permitiram alcançar os restantes lugares no pódio.

O Fazendense chegou a liderar a competição, prometendo bastante, mas, cinco derrotas na 2.ª volta, fizeram com que baixasse até ao 4.º posto. Os grupos do Amiense e do União de Tomar, respectivamente 5.º e 6.º classificados, ambos com épocas absolutamente tranquilas, tiveram desempenhos muito similares (19+25 pontos para a turma de Amiais de Baixo; 19+24 pontos para os unionistas). No caso específico do União de Tomar, o mau arranque (três derrotas nas quatro primeiras jornadas) acabaria por ser bastante penalizador, resultando em apenas 13 pontos obtidos no ano de 2013, face aos 30 conquistados no ano do Centenário…

Na prova dos tomarenses, destaque particular para um ciclo de oito jogos sem derrota, entre a 11.ª e a 18.ª jornadas (com um total de três meses sem perder, entre 15 de Dezembro e 16 de Março), assim como para a série final de quatro triunfos, para além da fantástica goleada obtida em Santarém (8-0), a maior de todo o seu centenário historial em jogos fora de casa. Adicionalmente, merece ainda registo que o União empatou no terreno do Campeão, At. Ouriense (onde, aliás, poderia ter ganho, com a tal grande penalidade em período de descontos!…); ganhou ao vice-campeão, Coruchense; venceu, frente ao 3.º classificado, em Torres Novas; empatou as duas partidas com o Fazendense (4.º); e ganhou também ao Amiense (5.º); não tendo perdido nenhum dos jogos com o Mação e Empregados do Comércio; e tendo ganho os dois desafios frente a Benavente, Assentis e U. Abrantina, demonstrando portanto, de forma cabal, a sua capacidade para se bater com qualquer adversário, em qualquer terreno.

O Mação (7.º) e o Cartaxo (9.º) registaram um comportamento aquém das expectativas, tendo os cartaxenses conseguido ainda empreender uma boa recuperação, com quatro vitórias nas cinco rondas finais. Os Empregados do Comércio, tendo superado alguns momentos negativos (goleadas sofridas ante o União, por 0-8, e Torres Novas, por 1-7, ambas em casa) obteve uma boa classificação (8.º lugar), superando o irregular Pontével, também abaixo do desempenho do ano anterior. O U. Chamusca, embora em esforço, conseguiria relegar o Benavente, com um mau campeonato, para a zona de risco da pauta classificativa. Por fim, Assentis (com uma muito má 2.ª volta, em que apenas somou 4 pontos), e U. Abrantina, com um péssimo rendimento (apenas uma vitória), acabaram por ser, com naturalidade, as duas equipas despromovidas.

No Distrital da II Divisão, Rio Maior e Barrosense (que empataram a um golo) garantiram já, ainda a duas jornadas do final, a promoção à I Divisão Distrital. Por seu lado, o também regressado à competição U. Santarém (tal como o grupo de Rio Maior), tendo ganho em Ferreira do Zêzere (1-0) abeira-se igualmente da subida, necessitando apenas de obter mais um ponto para confirmar tal posição, tendo beneficiado do desaire do Pego na Atalaia (0-1).

No Campeonato Nacional de Seniores, Alcanenense (empate 2-2 na Lourinhã) e Fátima (derrotado em casa, por 1-3, pelo Carregado) estavam já descansados. O Riachense, culminando uma excepcional recuperação (acumulando dez jogos de invencibilidade), com uma boa vitória em Porto de Mós (2-0) garantiu, pelo menos, o “play-off”, podendo mesmo confirmar a manutenção de forma directa, caso ganhe, na derradeira ronda, ao Lourinhanense.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 15 de Maio de 2014)

Advertisements

Entry filed under: Tomar.

Liga Europa – Final – Sevilla – Benfica U. Tomar – Centenário (XXXIII)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Autor – Contacto

Destaques

Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Maio 2014
M T W T F S S
« Abr   Jun »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.


%d bloggers like this: