Archive for 29 Dezembro, 2013

U. Tomar – Centenário (XIII)

Centenario-13

(“O Templário”, 26.12.2013)

A brilhante carreira unionista da temporada de 1964-65 prosseguiria com a disputa dos ¼ Final do Campeonato Nacional da III Divisão, em que o União de Tomar defrontava o Portalegrense, sendo que o vencedor desta eliminatória garantiria automaticamente o apuramento para a II Divisão, grande objectivo ambicionado pela formação nabantina.

Após a vitória de 10-0 frente ao Vitória de Lisboa, que proporcionara ao clube a conquista do título de Campeão Provincial do Ribatejo, saberia a pouco o nulo registado logo na semana seguinte, na 1.ª mão de tal eliminatória, em Tomar. Não se dando por vencida, a turma unionista imporia nova igualdade, a três golos, na 2.ª mão, em Portalegre, assim forçando um terceiro jogo, de desempate, a disputar em campo neutro, a 29 de Junho de 1965:

«48 horas depois dos jogadores terem disputado um encontro emocionante e de forte desgaste físico, voltaram a encontrar-se, mas desta vez em Vendas Novas. […]

Mal o desafio principiou o União demonstrando uma condição física excepcional apoderou-se do comando do jogo para só o largar no final do encontro. Foi fantástico ver como os jogadores se bateram de princípio ao fim sem terem um minuto de desânimo. Fartaram-se de jogar e só o destino continuava a não permitir que o União obtivesse um golo sequer. À medida que o tempo ia correndo mais vinha ao de cima a superioridade do União. A equipa do Portalegrense, limitou-se em todo o jogo a fazer de vez em quando uma avançada. Na primeira parte jogando contra o vento, meteram-se todos dentro da área e foi impossível ao União criar oportunidades de golo, apesar de estar sempre ao ataque. Mesmo assim, um remate de longe, de P. Silva foi embater na trave. Na segunda parte, jogando a favor do vento, foram novamente dominados pelo bom jogo do União. […]

O resultado de 1-0, com um golo marcado excelentemente por Ernesto após brilhante jogada da equipa, não revela a superioridade do União ao longo de 270 minutos e a coincidência é que esta vitória, mais do que justa e merecida, alcançada sem qualquer favor de A ou B, foi conquistada graças à excelente preparação física que a equipa tem. Está de parabéns, particularmente Di Paola, que soube dar à equipa ao longo da época uma preparação metódica e só possível a um grande treinador. Voltamos a não distinguir jogadores pois individualmente todos foram excelentes. Diremos apenas que os dois últimos golos alcançados pelo União, ambos a 7 minutos do final dos encontros e que valeram ao União a subida de Divisão, foram alcançados pelo jogador Ernesto que mais o merecia, como prémio da sua actuação ao longo de todo o Campeonato.»(1)

Depois de tanto porfiar, ao longo de cerca de cinco anos de persistentes tentativas, com particular incidência nas três épocas mais recentes (desde 1962-63), o União de Tomar alcançava, finalmente, a promoção à II Divisão Nacional, em que, desta forma, voltaria a participar, 23 anos após a sua última presença anterior.

____________

(1) Cf. “Cidade de Tomar”, 4 de Julho de 1965 – Crónica de Mecas

29 Dezembro, 2013 at 12:00 pm Deixe um comentário

O pulsar do campeonato – 11ª jornada

(“O Templário”, 26.12.2013)

A última jornada do Campeonato Distrital da I Divisão disputada no ano de 2013 proporcionou – de alguma forma emulando a curiosa situação de liderança partilhada entre os três “grandes”, na I Liga (Sporting, FC Porto e Benfica) – um reagrupamento no topo da tabela classificativa, com um quarteto separado por apenas dois pontos, assim reforçando o interesse na competição.

Numa ronda em que At. Ouriense e Coruchense foram os principais beneficiados, o líder Fazendense – que atingira tal posição na sequência de um bom ciclo de quatro triunfos sucessivos – viu, curiosamente, logo na primeira jornada em que ostentava tal posição (que, não obstante, mantém) quebrado esse ciclo, não tendo conseguido ir além de um nulo na difícil deslocação a Amiais de Baixo, de qualquer forma, um desfecho que não deixa de ser positivo.

Por seu lado, o Torres Novas, que se vira desapossado da posição cimeira no campeonato que ocupara desde o início do campeonato, pôs termo a uma fase negativa, de três jogos sem vitória, recebendo e vencendo, por 2-0, a formação dos Empregados do Comércio, num desafio em que, ainda assim, experimentou bastantes dificuldades. Reduziram desta forma os torrejanos, para um escasso ponto, a diferença que os separa do guia.

Falando então agora dos grandes vencedores da jornada: o At. Ouriense – que não perde desde a jornada inaugural da prova –, impôs-se, num terreno sempre difícil como é o de Benavente, graças a um solitário tento; enquanto o Coruchense, que surge cada vez mais afirmativo (continuando a apresentar a defesa menos batida, dispondo agora do segundo melhor ataque), goleou, e em terreno alheio, uma equipa do Pontével que parece ter vindo a “perder gás”, pela categórica marca de 5-1. Foi a quarta vitória consecutiva do grupo do Sorraia, que regista a melhor série actualmente em curso… em perfeito contraponto ao quarto desaire sucessivo da turma do município do Cartaxo. Assim, as turmas de Ourém e de Coruche prosseguiram a tal aproximação à liderança, de que distam agora somente dois pontos.

Depois do Amiense, porventura o último dos cinco candidatos ao título, que se posiciona logo abaixo do quarteto referido – mas a uma distância de cinco pontos da equipa de Fazendas de Almeirim –, segue-se um mini-pelotão de sete clubes (metade dos concorrentes), compreendidos num intervalo de apenas quatro pontos: o Pontével dispõe agora de apenas um ponto de vantagem sobre Mação e Empregados do Comércio, com o União de Tomar logo atrás, também somente a um ponto do duo que o precede, e, igualmente, com um único ponto a mais que o Assentis, enquanto Benavente e Cartaxo surgem de imediato, ainda um ponto mais abaixo.

Nesta ronda, é de registar o empate obtido pelo União de Tomar na tradicionalmente difícil visita a Mação (1-1, tendo obtido o golo da igualdade na conversão de uma grande penalidade), um desfecho que, para além do mero efeito aritmético a nível da pontuação, poderá revelar-se importante para devolver a tranquilidade ao grupo, deixando paralelamente em aberto a possibilidade de voltar a subir na pauta classificativa, uma vez que, conforme referido, está somente a dois pontos da 6.ª posição.

Menção ainda para o Assentis, que tendo atravessado uma fase nada profícua, em que somara três derrotas, conseguiu reagir, tendo empatado na semana passada, e ganhando agora, por 1-0, ao U. Chamusca (que, assim, regressou aos resultados negativos, mantendo o penúltimo lugar).

Por fim, confirmando a tendência das trajectórias que ambas as equipas vêm denotando, o Cartaxo foi vencer a Abrantes, frente à U. Abrantina, por 3-1 – quarto jogo sem perder dos cartaxenses (depois de quatro derrotas sofridas entre a 3.ª e a 7.ª jornadas)… e sexto desaire consecutivo da turma abrantina, que, assim, dista já sete pontos do antepenúltimo lugar, que traça, nesta altura (ainda de forma provisória, dependendo do desempenho das equipas do Distrito no Nacional de Seniores), a “linha de água”.

Houve novidades na II Divisão Distrital, tendo o anterior líder da série mais a Norte, Pego, recebido e a perdido (1-2) com o Atalaiense, num confronto que se traduziu numa passagem de testemunho do comando da prova; a equipa da Atalaia tem agora um ponto a mais que os pegachos, com o Ferreira do Zêzere, que tem empreendido boa recuperação, a três pontos. A Sul, os anteriores três primeiros classificados sofreram derrotas; não obstante, o Barrosense mantém a liderança, com três pontos a mais que o U. Almeirim (que apenas somou seis pontos nas seis últimas jornadas), tendo o Rio Maior (protagonista da quebra da invencibilidade do líder) subido ao 3.º lugar, a quatro pontos do guia.

Os campeonatos distritais apenas regressarão, já em 2014, a 12 de Janeiro, uma vez que, na semana anterior, será disputada a última ronda da fase grupos da Taça Ribatejo, na qual o União de Tomar defrontará o Alferrarede, bastando-lhe o empate para prosseguir na competição.

Por fim, no Campeonato Nacional de Seniores – que avança rapidamente para o termo desta primeira fase – destaque para a excelente partida que o Alcanenense realizou no terreno do líder Mafra, a quem esteve a vencer até perto do final, acabando por ceder o empate a três golos. As outras duas agremiações do Distrito enfrentaram-se, em Riachos, com o Fátima – na expectativa de uma solução para a grave crise financeira com que se vem debatendo nos últimos meses, com os jogadores que optaram por se manter no clube a revelar grande dignidade – a vencer pela clara margem de 3-0, não tendo o Riachense conseguido assim dar sequência aos resultados positivos que obtivera recentemente.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 26 de Dezembro de 2013)

29 Dezembro, 2013 at 10:00 am Deixe um comentário


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Dezembro 2013
S T Q Q S S D
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.