Archive for 1 Dezembro, 2013

U. Tomar – Centenário (IX)

Centenario-09

(“O Templário”, 28.11.2013)

O título de Campeão Distrital da II Divisão da época de 1955-56 não teria contudo associada a promoção directa à I Divisão Distrital, por via de uma famigerada “liguilha” disputada com o último classificado desse escalão (Alcanenense), pelo que o União de Tomar se veria forçado a nova tentativa de subida… que falharia por pouco, na temporada imediata. Pelo que, uma vez mais, pelo terceiro ano consecutivo, militaria na II Divisão Distrital na época de 1957-58.

Desta forma, a 27 de Abril de 1958, disputando com o Ouriquense o seu penúltimo encontro desse campeonato, o União tinha, em caso de vitória, a possibilidade de conquistar novo título:

«O nosso representante, nesta difícil deslocação a Chã de Ourique (difícil, mais pela categoria técnica do adversário, pela deslocação em si, tratando-se de adversário aguerrido, e pela responsabilidade do resultado, de que podia depender o 1.º lugar da competição), venceu claramente o seu adversário pelo amplo resultado de 3-0, que, ao que nos dizem, podia ainda ser mais desnivelado.»(1)

«Atendendo ao facto de o jogo ter bastante importância para a classificação, deslocou-se à pitoresca vila Chã de Ourique a acompanhar a equipa, numerosa assistência de Tomar. […].

O resultado indica o suficiente para que se veja que o União nunca esteve em dificuldade.

A equipa a jogar com a táctica adequada às necessidades desorientou por completo a equipa local. […]

Devia ter sido a melhor exibição feita esta época; já na segunda parte e com o resultado feito, a equipa jogava inteligentemente fazendo com que a bola girasse de uns para os outros sem precipitações.»(2)

Nesta partida que se viria a revelar decisiva, a turma unionista alinhou da seguinte forma: Tónito; Confraria e Henrique; Lino, Pereira e Nelson; Vítor Lopes, Carvalho, Ernesto, Amílcar e Bengala. Os golos do União foram apontados por Amílcar e Ernesto (que bisou) – com a particularidade de este último ser o jogador, natural de Santa Cita, que viria posteriormente (a partir da época de 1960-61) a militar no Sporting, clube onde ficaria conhecido pelo seu apelido, Figueiredo, e, também, pela alcunha de “Altafini de Cernache” (sagrando-se por duas vezes Campeão Nacional e tendo participado também na conquista da Taça das Taças, em 1964).

Repetindo o título conquistado dois anos antes, ainda a uma jornada do fim, o União de Tomar sagrava-se novamente Campeão da II Divisão Distrital, garantindo assim o regresso, nove anos depois da última participação, à I Divisão Distrital.

____________

(1) Cf. “O Templário”, 4 de Maio de 1958 – Crónica de X. (Raúl Pereira)
(2) Cf. “Cidade de Tomar”, 4 de Maio de 1958 – Crónica de Mecas

1 Dezembro, 2013 at 12:00 pm Deixe um comentário

O pulsar do campeonato – 8ª jornada

Templario-28-11-2013

(“O Templário”, 28.11.2013)

O grande destaque da 8.ª ronda do Campeonato Distrital vai, obviamente, para a sensacional vitória averbada pelo União de Tomar, goleando por 8-0 a equipa dos Empregados do Comércio, em Santarém! Não tendo conseguido “fazer história” em Ourém (o que sucederia caso tivesse consumado a extraordinária reviravolta de que esteve próximo, revertendo uma desvantagem de dois golos em período de descontos), este grupo acaba mesmo por entrar na história do clube, ao obter, no passado dia 24 de Novembro de 2013, a maior goleada de sempre do União de Tomar, em encontros fora de casa, em todo o seu centenário historial!

Numa partida em que ficou uma vez mais cabalmente demonstrado que, no futebol, a lógica nem sempre impera, perante um adversário que, até agora, tinha dado excelente conta de si neste campeonato – o qual, aliás, partilhava com o União o 8.º lugar da classificação, com o mesmo número de pontos –, sem quaisquer incidências anómalas (sem expulsões, nomeadamente), este foi um daqueles jogos em que “tudo sai bem” a um dos contendores, enquanto o outro, ao invés, se afunda cada vez mais, à medida que a contagem do marcador se vai elevando. E, até poderia ter chegado a nove golos a vantagem unionista, caso o árbitro tivesse sancionado um outro lance em que a bola terá transposto a linha de baliza. Os parabéns a todo o grupo, desde Direcção, corpo técnico, a jogadores, são de elementar justiça, nesta memorável e muito especial ocasião.

Mas houve mais novidades nesta jornada: o líder Torres Novas viu quebrada a sua invencibilidade – já não há equipas invictas nesta competição –, perdendo por 1-0 em Fazendas de Almeirim, ante o Fazendense, que, desta forma, se aproxima perigosamente do 1.º lugar, agora com dois escassos pontos a separarem estas duas equipas, sendo que os torrejanos registam a particularidade terem já disputado cinco jogos no seu terreno, e apenas três em terreno alheio. No extremo oposto, o Cartaxo obteve o primeiro triunfo no campeonato, recebendo e batendo o U. Chamusca (que, curiosamente, goleara já também, por 5-0, em partida da Taça Ribatejo) por 3-0.

Nos restantes desafios, em geral, as equipas mais credenciadas confirmaram o favoritismo, beneficiando também do factor casa, com destaque, de novo, para a margem do triunfo obtido pelo At. Ouriense, goleando a U. Abrantina – que, assim, recebe do Cartaxo a indesejada posição de “lanterna vermelha” – por 5-1; enquanto o Amiense bateu o até então 2.º classificado, Pontével (única equipa ainda sem qualquer empate), também por clara margem de 3-0. Por seu lado, o Coruchense, depois do desaire sofrido em Tomar, prosseguindo uma campanha que revela solidez, ganhou ao Assentis por 2-0. Por fim, porventura no jogo mais repartido desta ronda, o Benavente derrotou o Mação, graças a um solitário tento.

Em função destes resultados, assiste-se a um reagrupamento de posições na frente da tabela, com a equipa do Torres Novas, ainda no comando, com os tais dois pontos de vantagem sobre o Fazendense e, de imediato, um trio, formado por At. Ouriense, Amiense e Pontével, apenas dois pontos mais abaixo; caso para dizer que se “apertou o cerco” aos torrejanos. Numa posição intermédia, entre o 6.º e 8.º lugares, instalaram-se agora as formações do Coruchense, U. Tomar (escalando até ao 7.º posto, numa bastante boa progressão) e Mação. Na parte baixa da pauta classificativa, tudo está também mais compacto, com Benavente, Assentis e Empregados do Comércio com oito pontos, Cartaxo com seis, U. Chamusca com cinco, e, por fim, U. Abrantina, apenas com quatro pontos.

Posicionado a meio da classificação, o União de Tomar dista agora oito pontos do guia, passando a dispor, por outro lado, de uma vantagem já de cinco pontos sobre o antepenúltimo classificado. Sem deslumbramentos, porque é fundamental manter os “pés assentes no chão”, tudo o que a turma unionista necessita fazer é continuar a dar sequência ao bom campeonato que vem realizando, adquirindo níveis de confiança e tranquilidade que lhe proporcionem extrair o seu melhor rendimento, traduzindo-o em vitórias e em pontos.

No campeonato da II Divisão Distrital, a jornada do passado fim-de-semana provocou algumas alterações no topo das classificações, repartindo agora as equipas do Pego e do Atalaiense o comando da série mais a Norte (mas com a perseguição muito próxima de Tramagal e Caxarias, a apenas um ponto), com o Barrosense a isolar-se na liderança da série a Sul, com três pontos de vantagem sobre U. Almeirim e Porto Alto.

Por fim, no Campeonato Nacional de Seniores, é de salientar a carreira que o Alcanenense vem desenvolvendo, com mais uma vitória, sobre o Caldas, continuando a partilhar um sensacional 2.º lugar com o U. Leiria. Por sua vez, o Fátima, empatando a duas bolas em Porto de Mós, reforçou o seu 4.º lugar, já com dez pontos de vantagem sobre o antepenúltimo classificado, Torreense, curiosamente o seu próximo adversário. Já o Riachense, goleado (5-0) em Mafra, pelo líder da prova, é cada vez mais último, tendo somado apenas dois empates nas dez jornadas já disputadas, começando a ser tempo de procurar esboçar uma reacção (com a recepção ao Carregado, na próxima ronda, a ser um momento bem oportuno para tal), sob pena de ter de vir a regressar ao Distrital.

Na próxima semana os campeonatos distritais têm um breve hiato, para disputa da 2.ª ronda da fase de grupos da Taça Ribatejo, com o União de Tomar a deslocar-se a Pernes, para defrontar o Atlético local; destaque ainda para os desafios Amiense-U. Abrantina (único confronto entre equipas do principal escalão) e para um curioso derby Empregados do Comércio-U. Santarém.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 28 de Novembro de 2013)

1 Dezembro, 2013 at 10:00 am Deixe um comentário


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Dezembro 2013
S T Q Q S S D
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.