Archive for 27 Setembro, 2006

LIGA DOS CAMPEÕES – 2ª JORNADA (ACT.)

GRUPO B          Jg  V  E  D   G   Pt  Sporting-Inter.......1-0 / ---
1 Bayern     Bayern  2  2  -  -  6-0   6  Bayern-Sp. Moscovo...4-0 / ---
2 Sporting   Sporting  2  1  1  -  2-1   4  Inter-Bayern.........0-2 / ---
3 Sp.Moscovo Sp. Moscovo  2  -  1  1  1-5   1  Sp. Moscovo-Sporting.1-1 / ---
4 Inter      Inter  2  -  -  2  0-3   -  Inter-Sp. Moscovo....--- / ---
                                       Sporting-Bayern......--- / ---

GRUPO F          Jg  V  E  D   G   Pt  M. United-Celtic......3-2 / ---
1 M. United  M. United  2  2  -  -  4-2   6  Copenhaga-Benfica.....0-0 / ---
2 Celtic     Celtic  2  1  -  1  3-3   3  Benfica-M. United.....0-1 / ---
3 Benfica    Benfica  2  -  1  1  0-1   1  Celtic-Copenhaga......1-0 / ---
3 Copenhaga  Copenhaga  2  -  1  1  0-1   1  Celtic-Benfica.........--- / ---
                                       M. United-Copenhaga....--- / ---

GRUPO G          Jg  V  E  D   G   Pt  FC Porto-CSKA Moscovo.0-0 / ---
1 Arsenal    Arsenal  2  2  -  -  4-1   6  Hamburgo-Arsenal......1-2 / ---
2 CSKA Mosc. CSKA Moscovo  2  1  1  -  1-0   4  Arsenal-Porto.........2-0 / ---
3 FC Porto   FC Porto  2  -  1  1  0-2   1  CSKA Moscovo-Hamburgo.1-0 / ---
4 Hamburgo   Hamburgo  2  -  -  2  1-3   -  CSKA Moscovo-Arsenal..--- / ---
                                       FC Porto-Hamburgo......--- / ---

Numa partida com uma primeira parte “atípica”, estranhamente, a equipa do Manchester United surgiu no Estádio da Luz aparentando recear o Benfica, oferecendo o controlo do jogo e remetendo-se à defesa, prourando apenas explorar a velocidade de Cristiano Ronaldo, em raras oportunidades de contra-ataque.

No final dos primeiros 45 minutos, não obstante o domínio benfiquista (57 % de “posse de bola”), apenas uma oportunidade de golo a assinalar para cada lado.

Logo no início da segunda parte, constatar-se-ia o “engano”; afinal, os ingleses, tendo observado o Benfica, montaram uma estratégia ardilosa, tendo a equipa portuguesa ido no engodo: quase forçada, ao longo do primeiro tempo, a atacar, os benfiquistas viram-se obrigados a um desgaste acrescido, caindo bastante em termos físicos na segunda metade, em particular alguns dos seus jogadores nucleares, como Karagounis, Petit, Paulo Jorge, Simão Sabrosa e Nuno Gomes, em missão de sacrifício.

E, depois de uma hora na expectativa do erro, ele surgiu… e o Manchester não perdoou: Louis Saha avançou rapidamente pelo lado direito, enquanto Cristiano Ronaldo se procurava desmarcar na zona central; preocupados com o português, os defesas do Benfica acabaram por conceder espaço ao francês, que, depois de desviar o último defesa do caminho, rematou em arco para a baliza, sem hipóteses para Quim, num golo de excelente execução técnica.

Até final, o Benfica pouco mais podia fazer; teve ainda uma oportunidade soberana para empatar, que Mantorras desperdiçou; mas, pouco antes, Quim fizera a tripla (!) defesa da noite, detendo um remate potente e, de imediato, duas recargas consecutivas.

A sensação que fica é que o Benfica deu o que tinha para dar neste jogo, não tendo possibilidade de replicar frente ao poderio físico do Manchester, autêntico “rolo compressor” quando se desdobrava em jogadas ofensivas, com o “tridente” formado por Cristiano Ronaldo, Wayne Rooney e Louis Saha, bem apoiados por Paul Scholes.

É a história da “manta curta”: para conseguir “tapar a cabeça”, “destapam-se os pés”; não obstante a excelente partida de Katsouranis e as exibições esforçadas de Paulo Jorge (muitas vezes a levar a melhor sobre um muito faltoso Heinze), Petit, Simão Sabrosa e Nuno Gomes, faltaram sempre unidades no ataque para ombrear com o bloco defensivo e de meio-campo da equipa inglesa.

Seguem-se os decisivos jogos com o Celtic de Glasgow…

Benfica – Quim, Alcides, Luisão, Anderson (82m – Mantorras) e Léo; Katsouranis, Petit, Paulo Jorge (65m – Fabrizio Miccoli), Karagounis (62m – Nuno Assis) e Simão Sabrosa; Nuno Gomes

Manchester United – Edwin van der Sar, Gary Neville, Rio Ferdinand, Nemanja Vidić e Gabriel Heinze; Cristiano Ronaldo, John O’Shea, Paul Scholes, Michael Carrick, Louis Saha (85m – Alan Smith) e Wayne Rooney (85m – Darren Fletcher)

0-1 – Louis Saha – 60m

Cartões amarelos – Katsouranis (26m) e Petit (86m); Michael Carrick (7m), Paul Scholes (10m) e Gabriel Heinze (66m)

Árbitro – Frank De Bleeckere (Bélgica)


Nos outros jogos das equipas portuguesas, o FC Porto não conseguiu obstar ao poderio da equipa do Arsenal, concedendo uma derrota. O Sporting, depois de entrar bastante mal na partida, com um golo sofrido logo aos 4 minutos – que fez a equipa perder a confiança e andar algo perdida durante boa parte do primeiro tempo -, acabou por conseguir atingir o empate, um resultado positivo, num grupo em que, para já, a surpresa (pela negativa) é protagonizada pelo Inter, com duas derrotas em dois jogos.

27 Setembro, 2006 at 8:55 am Deixe um comentário


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Setembro 2006
S T Q Q S S D
« Ago   Out »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.