Posts filed under ‘Novos países União Europeia’

NOVOS PAÍSES MEMBROS DA UNIÃO EUROPEIA – MALTA (V)

Malta é um Estado insular, localizado no sul do mar Mediterrâneo, a 90 km da ilha da Sicília, a 290 km a Norte da Líbia e a cerca de 290 km a leste da Tunísia; é um arquipélago, constituído pelas ilhas de Malta (a maior e mais importante), Gozo, Comino e as desabitadas Cominotto e Filfla.

Tem uma superfície total de apenas 320 km2, dispondo de 140 km de costa. As suas costas são abruptas e rochosas, com um relevo acidentado, mas de baixa altitude (máximo de 240 metros, em Medina).

Malta dispõe de um clima de carácter mediterrâneo, com Invernos frescos e chuvosos, ainda que possa atingir os 30º em Verões quentes e secos.

Os seus habitantes descendem de normandos, árabes, espanhóis, sicilianos e, posteriormente, de ingleses. A população ascende a cerca de 375 000 habitantes, concentrando-se na ilha de Malta. As cidades são pequenas, destacando-se La Valletta, Sliema e Birkirkara.

A religião predominante é a católica.

A economia baseia-se sobretudo . para além de uma agricultura de subsistência ., nas actividades portuárias e no turismo.

Os idiomas oficiais são o Maltês . um dialecto proveniente do árabe com influências espanholas, sicilianas/italianas e inglesas -, assim como o Inglês.

[996]

13 Fevereiro, 2004 at 1:50 pm 1 comentário

NOVOS PAÍSES MEMBROS DA UNIÃO EUROPEIA – MALTA (IV)

Durante as duas Guerras Mundiais, Malta assumiu relevância como base militar; com a entrada da Itália na II Guerra, seria violentamente bombardeada e devastada, tendo, não obstante, a população resistido, vindo a ilha a servir de base à contra-ofensiva aliada.

Não obstante as Constituições de 1921 e 1939 concederem ao povo Maltês uma autonomia limitada, entretanto reforçada em 1947, Malta viria, em 21 de Setembro de 1964, a obter a independência, a qual seria definitivamente consolidada em 1971, sendo posteriormente proclamada a República (em 1974).

Permaneceria ainda como base militar britânica, até à retirada final das tropas em 1979.

Em 1989, seria assinado um protocolo relativo ao projecto de União Aduaneira com a União Europeia, limitando-se a anterior cooperação com a Líbia, do final dos anos 70.

O pedido de adesão à União Europeia seria apresentado em 1990. Malta viria à aderir à NATO em 1995.

[992]

12 Fevereiro, 2004 at 8:15 am

NOVOS PAÍSES MEMBROS DA UNIÃO EUROPEIA – MALTA (III)

Com o ataque turco e a retirada europeia em 1530, Carlos V confiaria a defesa da ilha à Ordem dos Cavaleiros de São João do Hospital de Jerusalém (ordem formada em 1050, durante as Cruzadas para acolher e proteger os peregrinos à Terra Santa), mais conhecidos por Cavaleiros de Malta, que, fortificando a cidade de La Valletta, repeliriam definitivamente os ataques otomanos em 1565, vindo a tornar-se uma potência no Mediterrâneo, graças à sua frota marítima.

Em 1798, Napoleão tomaria posse da ilha, levando ao desembarque das forças luso-inglesas comandadas pelo Almirante Nelson, que se apossariam da ilha em 1800. Em 1804, pelo Tratado de Amiens, Malta era devolvida aos Cavaleiros.

Contudo, em 1814, pelo Tratado de Paris, Malta seria anexada pelos britânicos, contra a vontade .latina. do povo. A Inglaterra concederia aos Malteses participação na administração civil do território, reservando contudo o comando, nomeadamente a nível militar, transformando-se Malta numa .base naval britânica.. O Congresso de Viena de 1815 viria a reconhecer a soberania da Ordem de Malta.

[989]

11 Fevereiro, 2004 at 8:01 am

NOVOS PAÍSES MEMBROS DA UNIÃO EUROPEIA – MALTA (II)

No ano 60 da era Cristã, o apóstolo São Paulo terá sofrido um naufrágio, acostando a Malta, promovendo a conversão dos seus habitantes ao Cristianismo.

Com a divisão do Império Romano, em 395, Malta foi integrada no Império do Oriente, Bizantino, com sede em Constantinopla. Em 870, os Malteses permitiram a invasão dos árabes do Norte de África, que viriam a afectar a sua cultura e idioma, ali permanecendo até ser expulsos pelos Normandos, que se haviam estabelecido na Sicília, em 1090 . passando assim para o domínio Siciliano.

Durante as Cruzadas, adquiriu importância, ao ser atravessada pelos exércitos cristãos no seu caminho para a Terra Santa. Em 1245, Frederico II expulsou os árabes, passando as ilhas, juntamente com a Sicília, em 1266, para o domínio de Carlos I de Anjou, que as viria a ceder, em 1283, a Pedro III de Aragão, vindo a ser integradas no Reino espanhol de Aragão.

[987]

10 Fevereiro, 2004 at 8:15 am

NOVOS PAÍSES MEMBROS DA UNIÃO EUROPEIA – MALTA (I)

O arquipélago de Malta foi habitado desde tempos pré-históricos. Os mais antigos vestígios arqueológicos datam de 3800 a.C.; os agricultores neolíticos viviam em cavernas, desenvolvendo já a técnica da cerâmica, similar à encontrada na Sicília.

Depois de largo período desabitada, viria . dada a sua localização estratégica, no cruzamento das principais rotas comerciais do Mediterrâneo . a ser dominada pelos Fenícios em 1450 a.C., civilização que influenciou significativamente a sociedade e a cultura maltesa.

Em 700 a.C. Malta foi invadida pelos Gregos, que deixaram também a sua marca civilizacional; apesar da subsequente ocupação pelos Cartagineses, cerca de 500 a.C., foi preservada a influência greco-fenícia.

Em 264 a.C., os Cartagineses foram expulsos pelos Romanos, tendo Malta sofrido então um importante desenvolvimento.

[985]

9 Fevereiro, 2004 at 12:36 pm

NOVOS PAÍSES MEMBROS DA UNIÃO EUROPEIA – LITUÂNIA (IV)

A República da Lituânia (“Lietuva“), é um Estado da Europa do Norte, situado na parte oriental do Mar Báltico, entre a Letónia e Rússia (enclave de Kaliningrad).

Tem uma superfície total de 65 300 km2, dispondo de 1 273 km de fronteiras terrestres, com a Letónia, Bielorussia, Polónia e Rússia (enclave de Kaliningrad); tem apenas 100 km de costa marítima.

É um país plano (na maior parte, com uma altitude inferior a 200 metros), pontilhado com colinas glaciares (sendo o ponto mais alto a Colina Kruopine, com 293 metros) e numerosos lagos (mais de 3 000) e pântanos, encontrando-se grande parte do país coberto por bosques, resultando a beleza do país da diversidade das suas paisagens. Tem um clima continental, de transição para o oceânico, húmido, mas com Invernos moderados.

A capital, Vilnius (575 000 habitantes), localiza-se no interior (junto à fronteira com a Bielorrussia), constituindo-se no centro político-administrativo, económico e cultural do país; destacam-se ainda as cidades de Kaunas (430 000 habitantes), a 100 km de Vilnius (com a sua conhecida “cidade-velha”), importante entroncamento ferroviário e porto fluvial na confluência dos Rions Nemunas e Neris; e de Klaipeda (cerca de 200 000 habitantes), principal porto comercial e pesqueiro do país no Báltico.

[916]

15 Janeiro, 2004 at 7:52 am

NOVOS PAÍSES MEMBROS DA UNIÃO EUROPEIA – LITUÂNIA (III)

Passaria pela repressão do regime Estalinista, sofrendo o povo lituano com maciças deportações para a Sibéria, perdendo cerca de ¼ da sua população em deportações ou em campos de trabalho e prisões.

Com o colapso da União Soviética, a Lituânia começou por proclamar a sua declaração de independência em 11 de Março de 1990, hasteando-se a moderna bandeira lituana (de 1918) na histórica Torre Gediminas, em Vilnius, tendo sido a Islândia o primeiro país a reconhecer o restabelecimento da sua condição de Estado independente.

A União Soviética tentaria contudo resistir; em 13 de Janeiro de 1991, procedeu a um ataque a Vilnius, o qual viria a culminar com o reconhecimento internacional da soberania lituana e a admissão do país na ONU em 17 de Setembro de 1991.

[913]

14 Janeiro, 2004 at 8:05 am 1 comentário

NOVOS PAÍSES MEMBROS DA UNIÃO EUROPEIA – LITUÂNIA (II)

Esta União (Lituano-Polaca) acabaria na sequência da total anexação dos seus territórios por parte da Rússia, Áustria e Prússia.

Em 1795, parte significativa da Lituânia seria violentamente incorporada na Rússia. Na sequência de uma insurreição em 1863, o Czar Russo viria a banir dos livros o uso da língua lituana, o que, paradoxalmente, desencadearia uma longa luta pela preservação da língua, cultura e religião lituanas.

Em 16 de Fevereiro de 1918, na sequência da revolução russa (de 1917) e do colapso do Império Russo, separou-se da Rússia, adquirindo o estatuto de país independente, tendo registado rápidos progressos em todas as áreas da sua vida nacional.

Durante a Segunda Guerra Mundial, viria a ser anexada, em 1940, primeiro pela União Soviética, e logo ocupada pelos alemães. Em 1943, com a derrota nazi, a Lituânia seria incorporada na antiga URSS.

[910]

13 Janeiro, 2004 at 8:07 am

NOVOS PAÍSES MEMBROS DA UNIÃO EUROPEIA – LITUÂNIA (I)

Os antepassados dos lituanos, os “Bálticos”, estabeleceram-se na região cerca de 2000 A.C..

A Lituânia viria a emergir como grande estado, em meados do século XIII, com a união dos territórios Bálticos com Mindaugas, tornando-se um Grão-Ducado.

Resistindo aos ataques das Ordens Livonianas e Teutónicas, a Lituânia viria, no final do século XIV, a tornar-se um dos mais poderosos estados da Europa Oriental.

Depois de ter sido um Grão-Ducado independente, a Lituânia foi depois província polaca (união em 1386), tendo sido posteriormente incorporada na Rússia (século XVI).

Com a morte do Grão-Duque Vytautas em 1430, o estado lituano começou a declinar, levando, em 1560, a uma união com a Polónia, na chamada “União de Lublin”. Numa primeira fase, a Lituânia seria uma parte independente do Estado Lituano-Polaco, acabando por tornar-se mais tarde numa das suas províncias.

[906]

12 Janeiro, 2004 at 8:08 am 1 comentário

NOVOS MEMBROS DA UNIÃO EUROPEIA – LETÓNIA (V)

A língua oficial é o Letão, uma língua báltica, pertencente à família das línguas indo-europeias, de que é uma das mais antigas. Apenas tem semelhanças com o Lituano, não tendo relações com as línguas eslavas nem germânicas.

Na cultura, destaca-se o escritor Rainis (Jánis Plieksáns . 1865 . 1929), autor de numerosas obras poéticas (considerado o Homem do Século na Letónia); assim como os compositores Andrejs Jurjáns (1856-1922) e Jázeps Vitols (1863-1948); os pintores Janis Rozentáls (1866-1916) e Vilhelms Purvitis (1872-1945); o cientista Dávids Hieronims Grindelis (1776-1836), primeiro químico, farmacêutico e médico letão; e, no desporto, Jánis Lúsis (n. 1939), único atleta letão a obter as três medalhas olímpicas (Ouro, Prata e Bronze, no Lançamento do Dardo, em três Olímpiadas consecutivas) e a basquetebolista Uliana Semjonova (1952), a mais alta na história dos Jogos Olímpicos, três vezes campeã mundial.

Na economia destaca-se a pecuária bovina e suínica, assim como a exploração florestal. Os produtos agrícolas principais são os cereais, batatas e hortaliças. Os recursos naturais compreendem nomeadamente o âmbar e dolomita. Na indústria, destacam-se a metalurgia (nomeadamente veículos para transporte público, desde navios a comboios) e máquinas agrícolas, para além da tecnologia informática.

A fechar esta breve .viagem. pela Letónia, alguns dados estatísticos de carácter sócio-económico: PIB .per capita., 3 200 euros; Taxa de inflação, 1,8 %; Taxa de desemprego, 7,6 %; número de automóveis por 100 habitantes, 25; número de telemóveis por 100 habitantes, 28; número de utilizadores de Internet por 100 habitantes, 7.

[794]

19 Dezembro, 2003 at 8:00 am

Artigos Mais Antigos Artigos mais recentes


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Abril 2021
S T Q Q S S D
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.